A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIDADE I Formação acadêmica, ciência e conhecimento científico Prof. Wilson Alves de Paiva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIDADE I Formação acadêmica, ciência e conhecimento científico Prof. Wilson Alves de Paiva."— Transcrição da apresentação:

1 UNIDADE I Formação acadêmica, ciência e conhecimento científico Prof. Wilson Alves de Paiva

2 Universidade Universidade Conhecimentos específicos Conhecimentos específicos Formação profissional Formação profissional Formação crítica Formação crítica Trocas culturais Trocas culturais Tripé Acadêmico

3 LDB, Lei 9.394/96 - Capítulo V LDB, Lei 9.394/96 - Capítulo V Da Educação Superior Da Educação Superior Art. 43: A educação superior tem por finalidade: I –estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo; III – incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica... IV – Promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos... Promover a extensão, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na instituição. Lei sobre ensino brasileiro a nível universitário

4 Deficiências e vícios dos acadêmicos Deficiências: Deficiências: Imaturidade cultural, psicológica e lógicaImaturidade cultural, psicológica e lógica Baixo nível de leituraBaixo nível de leitura Desinteresse por assuntos culturaisDesinteresse por assuntos culturais Vícios: Vícios: HeteronomiaHeteronomia Desinteresse e apatiaDesinteresse e apatia Busca por relação pessoalBusca por relação pessoal Paranoia por nota e frequênciaParanoia por nota e frequência Decorar o assunto ou desenvolver técnicas de colaDecorar o assunto ou desenvolver técnicas de cola Descobrir os macetes que garantam passar na disciplinaDescobrir os macetes que garantam passar na disciplina

5 Atitudes e comportamentos da postura acadêmica: a) É pontual no início e término de aulas. a) É pontual no início e término de aulas. b) É assíduo. b) É assíduo. c) Participa dos trabalhos propostos. c) Participa dos trabalhos propostos. d) Dedica-se ao estudo e aprofundamento dos conteúdos. d) Dedica-se ao estudo e aprofundamento dos conteúdos. e) Colabora com o bom desenvolvimento das aulas. e) Colabora com o bom desenvolvimento das aulas. f) Participa nos grupos de trabalho. f) Participa nos grupos de trabalho. g) Apresenta seriedade na avaliação da aprendizagem. g) Apresenta seriedade na avaliação da aprendizagem. h) Esforça-se para obter um bom desempenho acadêmico. h) Esforça-se para obter um bom desempenho acadêmico. i) Demonstra respeito para com os professores e busca dialogar com eles. i) Demonstra respeito para com os professores e busca dialogar com eles. j) Apresenta sugestões acadêmicas ao representante de turma para encaminhamento ao coordenador. j) Apresenta sugestões acadêmicas ao representante de turma para encaminhamento ao coordenador. k) Participa das atividades complementares, culturais e esportivas promovidas pela Instituição. k) Participa das atividades complementares, culturais e esportivas promovidas pela Instituição. l) Procura zelar por equipamentos e recursos oferecidos pela Instituição. l) Procura zelar por equipamentos e recursos oferecidos pela Instituição. m) Busca conhecer os seus direitos e deveres como acadêmico. m) Busca conhecer os seus direitos e deveres como acadêmico. n) Demonstra respeito à Instituição. n) Demonstra respeito à Instituição. o) Demonstra orgulho pela Instituição. o) Demonstra orgulho pela Instituição. p) Demonstra crença na futura profissão p) Demonstra crença na futura profissão

6 O acadêmico deve: Ser autônomo e correr atrás do conhecimento Ser autônomo e correr atrás do conhecimento Desenvolver o interesse a todas as disciplinas independente do professor Desenvolver o interesse a todas as disciplinas independente do professor Criar esquemas próprios de aprendizagem Criar esquemas próprios de aprendizagem Ampliar o conteúdo com pesquisas de sua própria iniciativa Ampliar o conteúdo com pesquisas de sua própria iniciativa Comprar livros Comprar livros Desenvolver o hábito de leitura Desenvolver o hábito de leitura Revisar constantemente o conteúdo Revisar constantemente o conteúdo Ser pontual e responsável Ser pontual e responsável Seguir as normas internas Seguir as normas internas Desenvolver a autodisciplina Desenvolver a autodisciplina

7 Postura científica A investigação científica se inicia quando se descobre que os conhecimentos existentes, originários quer das crenças do senso comum, das religiões ou da mitologia, quer das teorias filosóficas ou científicas, são insuficientes e imponentes para explicar os problemas e as dúvidas que surgem. A investigação científica se inicia quando se descobre que os conhecimentos existentes, originários quer das crenças do senso comum, das religiões ou da mitologia, quer das teorias filosóficas ou científicas, são insuficientes e imponentes para explicar os problemas e as dúvidas que surgem. Ter espírito científico: Ter espírito científico: É estar exercendo esta constante crítica e criatividade em busca permanente da verdade, propondo novas e audaciosas hipóteses e teorias e expondo-as à critica intersubjetiva. É estar exercendo esta constante crítica e criatividade em busca permanente da verdade, propondo novas e audaciosas hipóteses e teorias e expondo-as à critica intersubjetiva.

8

9

10 O que é um cientista? Qualquer pessoa que exerça uma atividade sistemática para obter conhecimento ou um indivíduo que se empenha em atividades e tradições que estão ligadas às escolas de pensamento ou filosofia. Em um sentido mais restrito, cientista refere-se a indivíduos que usam o método científico para produzir conhecimento. Qualquer pessoa que exerça uma atividade sistemática para obter conhecimento ou um indivíduo que se empenha em atividades e tradições que estão ligadas às escolas de pensamento ou filosofia. Em um sentido mais restrito, cientista refere-se a indivíduos que usam o método científico para produzir conhecimento. conhecimentofilosofiamétodo científico conhecimentofilosofiamétodo científico

11 O que é ciência? No seu sentido mais amplo, ciência (do Latim scientia, significando "conhecimento") refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemática. Num sentido mais restrito, ciência refere-se a um sistema de adquirir conhecimento baseado no método científico, assim como ao corpo organizado de conhecimento conseguido através de uma pesquisa. No seu sentido mais amplo, ciência (do Latim scientia, significando "conhecimento") refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemática. Num sentido mais restrito, ciência refere-se a um sistema de adquirir conhecimento baseado no método científico, assim como ao corpo organizado de conhecimento conseguido através de uma pesquisa. Latimconhecimentopráticamétodo científicopesquisa Latimconhecimentopráticamétodo científicopesquisa

12 O que é conhecimento? Ato de conhecer Ato de conhecer Conhecer é ter ciência de alguma coisa Conhecer é ter ciência de alguma coisa De acordo com as filósofas Maria Aranha e Maria Martins conhecimento é uma...relação que se estabelece entre um sujeito cognoscente (ou uma consciência) [que está aprendendo] e um objeto. (Aranha & Martins: 1998, p. 54). De acordo com as filósofas Maria Aranha e Maria Martins conhecimento é uma...relação que se estabelece entre um sujeito cognoscente (ou uma consciência) [que está aprendendo] e um objeto. (Aranha & Martins: 1998, p. 54). É o processo cognitivo que resulta da relação das pessoas com o mundo e promove na mente humana um conjunto de informações significativas. É o processo cognitivo que resulta da relação das pessoas com o mundo e promove na mente humana um conjunto de informações significativas.

13 FORMAS DE SE CONHECER O MUNDO Entre os modos de se conhecer o mundo estão: Entre os modos de se conhecer o mundo estão: Mito Mito Senso comum Senso comum Arte Arte Ciência Ciência Filosofia Filosofia

14 O conhecimento e seus níveis (Cervo & Bervian, p. 7)

15 MITO Mito é uma das primeiras formas de conhecer o mundo que surgiu. Mito é uma das primeiras formas de conhecer o mundo que surgiu. Tem por objetivo acomodar os seres humanos em um mundo que não conseguem controlar. Tem por objetivo acomodar os seres humanos em um mundo que não conseguem controlar. Na Antigüidade tentava explicar a totalidade do mundo (como surgiu a vida, de onde viemos, para onde vamos...), hoje divide espaço com outras formas de conhecimento, principalmente o conhecimento racional da ciência. Na Antigüidade tentava explicar a totalidade do mundo (como surgiu a vida, de onde viemos, para onde vamos...), hoje divide espaço com outras formas de conhecimento, principalmente o conhecimento racional da ciência.

16 MITO A característica principal que define o mito como tal é seu caráter dogmático. Ele não precisa ser provado, não pode ser contestado e para crer-se nele basta acreditar ou não. A característica principal que define o mito como tal é seu caráter dogmático. Ele não precisa ser provado, não pode ser contestado e para crer-se nele basta acreditar ou não. Por isso toda religião é um tipo de mito, pois lida com questões que não podem ser comprovadas. Por isso toda religião é um tipo de mito, pois lida com questões que não podem ser comprovadas. Ele se refere, portanto, a coisas que de fato as pessoas acreditam, Saci-Pererê ou lobisomem, por exemplo, não são mitos pois as pessoas não acreditam em sua existência. Sendo assim, eles pertencem ao campo do folclore, das lendas. Ele se refere, portanto, a coisas que de fato as pessoas acreditam, Saci-Pererê ou lobisomem, por exemplo, não são mitos pois as pessoas não acreditam em sua existência. Sendo assim, eles pertencem ao campo do folclore, das lendas.

17 SENSO COMUM É o nosso conhecimento cotidiano, simples e sem grandes reflexões. É o nosso conhecimento cotidiano, simples e sem grandes reflexões. Geralmente reproduz preconceitos e idéias sobre as quais não nos preocupamos em refletir. Geralmente reproduz preconceitos e idéias sobre as quais não nos preocupamos em refletir. Um dos grandes desafios para nós é desenvolver o bom-senso, ou seja, mesmo sem sermos cientistas ou filósofos, entender o mundo criticamente e refletir sobre os nossos valores. Um dos grandes desafios para nós é desenvolver o bom-senso, ou seja, mesmo sem sermos cientistas ou filósofos, entender o mundo criticamente e refletir sobre os nossos valores. O bom-senso é um desafio porque nos acomodamos ao senso comum, pois ele nos trás segurança e temos dificuldades de mudar. O bom-senso é um desafio porque nos acomodamos ao senso comum, pois ele nos trás segurança e temos dificuldades de mudar.

18 ARTE A arte é uma forma peculiar de se conhecer o mundo. A arte é uma forma peculiar de se conhecer o mundo. Sua importância não reside em objetividade ou mesmo em conteúdo. Sua importância não reside em objetividade ou mesmo em conteúdo. O trabalho artístico é uma interpretação construída pelo sujeito que produz a obra. O trabalho artístico é uma interpretação construída pelo sujeito que produz a obra. O conhecimento apresentado pela arte é, então, de um mundo interpretado e transmitido pela sensibilidade do artista. O conhecimento apresentado pela arte é, então, de um mundo interpretado e transmitido pela sensibilidade do artista.

19 CIÊNCIA A ciência é uma forma mais elaborada de conhecimento. A ciência é uma forma mais elaborada de conhecimento. O que caracteriza algo como ciência? O que caracteriza algo como ciência? Método Método Uso da razão para se compreender o mundo Uso da razão para se compreender o mundo A rejeição às explicações religiosas A rejeição às explicações religiosas

20 FILOSOFIA Se diferencia das demais ciências por transitar pelas diferentes formas de conhecimento buscando uma reflexão que não se fragmente. Se diferencia das demais ciências por transitar pelas diferentes formas de conhecimento buscando uma reflexão que não se fragmente. Complica todas as demais formas de conhecimento, pois se dedica a refletir sobre elas. Complica todas as demais formas de conhecimento, pois se dedica a refletir sobre elas. Se dedica principalmente ao estudo da ciência e ao questionamento dos métodos científicos. Se dedica principalmente ao estudo da ciência e ao questionamento dos métodos científicos.

21 DIFERENÇAS ENTRE CIÊNCIA E SENSO COMUM Muitas vezes as pessoas confundem conhecimentos obtidos por meio do senso comum com o científico. Muitas vezes as pessoas confundem conhecimentos obtidos por meio do senso comum com o científico. Por que isso acontece? Por que isso acontece? Por observarmos o mundo que nos cerca, geralmente, cremos que nossas impressões são as corretas. Por observarmos o mundo que nos cerca, geralmente, cremos que nossas impressões são as corretas. Chegamos até mesmo a pensar que são inquestionáveis. Chegamos até mesmo a pensar que são inquestionáveis.

22 DIFERENÇAS ENTRE SENSO COMUM E CIÊNCIA O conhecimento imediato, que obtemos por meio da simples observação ou fazendo testes em casa pertence ao campo do senso comum. O conhecimento imediato, que obtemos por meio da simples observação ou fazendo testes em casa pertence ao campo do senso comum. Isso ocorre muito com as donas de casa que aprendem a cozinhar observando outras pessoas e testando as suas receitas. Isso ocorre muito com as donas de casa que aprendem a cozinhar observando outras pessoas e testando as suas receitas. Por meio dessas ações, desenvolvem um saber prático sobre as coisas. Por meio dessas ações, desenvolvem um saber prático sobre as coisas.

23 O QUE É CIÊNCIA? A ciência se diferencia dos outros conhecimentos. A ciência se diferencia dos outros conhecimentos. Como? Como? O cientista busca sempre conhecer determinados aspectos do mundo que o cerca. O cientista busca sempre conhecer determinados aspectos do mundo que o cerca. Porém não faz isso de qualquer maneira. Porém não faz isso de qualquer maneira. Ele segue um MÉTODO. Ele segue um MÉTODO.

24 O QUE É CIÊNCIA? Ciência é o conjunto organizado de conhecimentos relativos a determinado objeto, especialmente os obtidos mediante a observação, a experiência dos fatos, e um método próprio. Ciência é o conjunto organizado de conhecimentos relativos a determinado objeto, especialmente os obtidos mediante a observação, a experiência dos fatos, e um método próprio.

25 Método Conjunto de procedimentos lógicos e técnicas operacionais que permitem o acesso às relações causais constantes entre os fenômenos (SEVERINO, 2007, p. 102). Conjunto de procedimentos lógicos e técnicas operacionais que permitem o acesso às relações causais constantes entre os fenômenos (SEVERINO, 2007, p. 102). O cientista: O cientista: Observa os fatos Observa os fatos Formula uma hipótese Formula uma hipótese Faz a verificação experimental Faz a verificação experimental Se comprovada a hipótese, tem-se a lei (princípio geral) Se comprovada a hipótese, tem-se a lei (princípio geral) O método pode ser DEDUTIVO e INDUTIVO O método pode ser DEDUTIVO e INDUTIVO

26 Parte prática Registro das aulas Registro das aulas Resenha do texto (Severino) Resenha do texto (Severino) Portfolio Portfolio Pasta com: Pasta com: Folha de rosto Folha de rosto Informações básicas da Faculdade Informações básicas da Faculdade Informações básicas do curso Informações básicas do curso Grade curricular Grade curricular Plano da disciplina Plano da disciplina

27 (Por enquanto…)

28 COMO O CONHECIMENTO CIENTÍFICO É PRODUZIDO? Os conhecimentos científicos são produzidos a partir de PESQUISA. Os conhecimentos científicos são produzidos a partir de PESQUISA. A pesquisa, por sua vez, tem que ser embasada. Não se pode defender uma tese a partir do eu acho. A pesquisa, por sua vez, tem que ser embasada. Não se pode defender uma tese a partir do eu acho. Existe um rigor na produção desse conhecimento que deve ser baseado em dados e informações, as quais muitas vezes não estão à disposição do público ou que nunca antes foram coletados. Existe um rigor na produção desse conhecimento que deve ser baseado em dados e informações, as quais muitas vezes não estão à disposição do público ou que nunca antes foram coletados. Também tem que ser realizado em diálogo com outros cientistas. Também tem que ser realizado em diálogo com outros cientistas.

29 DIFERENTES CIÊNCIAS Assim como temos diferentes formas de conhecimento também possuímos diferentes tipos de ciências. Assim como temos diferentes formas de conhecimento também possuímos diferentes tipos de ciências. Possuímos as Ciências Humanas, as quais trabalham mais com idéias e questões teóricas. Dispensam o trabalho em laboratório. Possuímos as Ciências Humanas, as quais trabalham mais com idéias e questões teóricas. Dispensam o trabalho em laboratório. As Ciências Sociais Aplicadas, cujo conhecimento muitas vezes se aplica diretamente no mundo empresarial. As Ciências Sociais Aplicadas, cujo conhecimento muitas vezes se aplica diretamente no mundo empresarial. Outro ramo é composto pelas Ciências Experimentais, com as quais a área tecnológica dialoga mais. Outro ramo é composto pelas Ciências Experimentais, com as quais a área tecnológica dialoga mais. O que as diferencia, portanto, é o MÉTODO DE PESQUISA que utilizam, ou seja, quais materiais e quais procedimentos utilizam em sua busca por resultados. O que as diferencia, portanto, é o MÉTODO DE PESQUISA que utilizam, ou seja, quais materiais e quais procedimentos utilizam em sua busca por resultados.

30 ETAPAS DA PESQUISA CIENTÍFICA EXPERIMENTAL A pesquisa científica nas áreas que utilizam o método experimental envolve as seguintes etapas: A pesquisa científica nas áreas que utilizam o método experimental envolve as seguintes etapas: Observação Observação Hipótese Hipótese Experiência Experiência Generalização Generalização

31 OBSERVAÇÃO E HIPÓTESE O cientista observa determinado aspecto da realidade e a partir disso formula uma hipótese. O cientista observa determinado aspecto da realidade e a partir disso formula uma hipótese. Correto? Correto? ERRADO ERRADO A observação e a formulação de hipóteses ocorrem de maneira unificada e acompanham todo o processo científico. A observação e a formulação de hipóteses ocorrem de maneira unificada e acompanham todo o processo científico. Entretanto, ninguém faz uma bateria de experimentações em laboratório sem ter um objetivo e sem saber minimamente o que está fazendo. Entretanto, ninguém faz uma bateria de experimentações em laboratório sem ter um objetivo e sem saber minimamente o que está fazendo. Por isso no início dos trabalhos de pesquisa você possui apenas a observação e a hipótese. Por isso no início dos trabalhos de pesquisa você possui apenas a observação e a hipótese. Não existem explicações precisas sobre como surge a idéia de se pesquisar algo. Não existem explicações precisas sobre como surge a idéia de se pesquisar algo.

32 OBSERVAÇÃO E HIPÓTESE Geralmente, o cientista inicia uma pesquisa tentando articular o conhecimento teórico que aprendeu em sala de aula ou estudando por conta própria a um problema prático do cotidiano e/ou a objetos que ainda não foram estudados em sua área de conhecimento. Geralmente, o cientista inicia uma pesquisa tentando articular o conhecimento teórico que aprendeu em sala de aula ou estudando por conta própria a um problema prático do cotidiano e/ou a objetos que ainda não foram estudados em sua área de conhecimento. Por exemplo, a Gastronomia é uma ciência recente que surgiu da necessidade de se aplicar conhecimento científico das áreas de ciência de alimentos, nutrição, história e geografia na preparação e apresentação de alimentos. Por exemplo, a Gastronomia é uma ciência recente que surgiu da necessidade de se aplicar conhecimento científico das áreas de ciência de alimentos, nutrição, história e geografia na preparação e apresentação de alimentos. Por isso, o Gastrônomo não é um mero leitor de receitas, mas uma pessoa que domina todo o processo de cozinha e buffet. Por isso, o Gastrônomo não é um mero leitor de receitas, mas uma pessoa que domina todo o processo de cozinha e buffet.

33 O EXPERIMENTO Mas como saber se a hipótese está correta? Mas como saber se a hipótese está correta? Isso é possível por meio da CONFIRMAÇÃO DA HIPÓTESE. Isso é possível por meio da CONFIRMAÇÃO DA HIPÓTESE. No caso das ciências experimentais é por meio do EXPERIMENTO. No caso das ciências experimentais é por meio do EXPERIMENTO. Muitas vezes ele é realizado em laboratório. Muitas vezes ele é realizado em laboratório.

34 O EXPERIMENTO A experimentação seria a parte prática da pesquisa. A experimentação seria a parte prática da pesquisa. Em laboratório o cientista tenta possuir o controle sobre o objeto investigado. Em laboratório o cientista tenta possuir o controle sobre o objeto investigado. O experimento permite ao cientista: O experimento permite ao cientista: Verificar os fenômenos dentro de situações por ele criadas. Verificar os fenômenos dentro de situações por ele criadas. Repetição, ou seja, verificar o mesmo fenômeno várias vezes. Repetição, ou seja, verificar o mesmo fenômeno várias vezes. Isolar partes e simplificar fenômenos do objeto observado. Isolar partes e simplificar fenômenos do objeto observado. Por isso permite que exista uma investigação mais rigorosa. Por isso permite que exista uma investigação mais rigorosa.

35 RESULTADOS DO EXPERIMENTO Se os experimentos não confirmam as hipóteses levantadas é necessário ao cientista abandoná-las ou então formular outras hipóteses passíveis de verificação. Se os experimentos não confirmam as hipóteses levantadas é necessário ao cientista abandoná-las ou então formular outras hipóteses passíveis de verificação. Se os experimentos confirmarem as hipóteses teremos então a GENERALIZAÇÃO dos resultados. Se os experimentos confirmarem as hipóteses teremos então a GENERALIZAÇÃO dos resultados.

36 GENERALIZAÇÃO A generalização é, portanto, o resultado de uma pesquisa. A generalização é, portanto, o resultado de uma pesquisa. Ao final de uma investigação científica, uma vez confirmada uma hipótese, o cientista a transforma em uma nova teoria ou lei. Ao final de uma investigação científica, uma vez confirmada uma hipótese, o cientista a transforma em uma nova teoria ou lei. Por que isso acontece? Por que isso acontece? Porque o caráter impreciso da hipótese foi superado por meio do experimento. Porque o caráter impreciso da hipótese foi superado por meio do experimento. O experimento, nesse caso, forneceu o embasamento necessário a uma formulação científica. O experimento, nesse caso, forneceu o embasamento necessário a uma formulação científica. Superou-se o eu acho pelo isto é ou pode ser assim. Superou-se o eu acho pelo isto é ou pode ser assim.

37 GENERALIZAÇÃO Isto significa que os resultados de uma pesquisa são inquestionáveis? Isto significa que os resultados de uma pesquisa são inquestionáveis? NÃO. NÃO. O conhecimento científico é embasado e rigoroso, porém, não é A VERDADE ABSOLUTA DOS FATOS. O conhecimento científico é embasado e rigoroso, porém, não é A VERDADE ABSOLUTA DOS FATOS. Novas pesquisas podem jogar por terra os resultados alcançados. Novas pesquisas podem jogar por terra os resultados alcançados. Outros métodos de experimentação, aparelhos e novos conhecimentos podem demonstrar limites ou até mesmo erros e falhas na pesquisa realizada e na teoria dela elaborada. Outros métodos de experimentação, aparelhos e novos conhecimentos podem demonstrar limites ou até mesmo erros e falhas na pesquisa realizada e na teoria dela elaborada.

38 AFINAL, PARA QUE SERVEM AS NORMAS? As normas nos auxiliam a organizar as pesquisa e trabalhos que desenvolvemos. As normas nos auxiliam a organizar as pesquisa e trabalhos que desenvolvemos. Também servem para auxiliar a compreensão por outras pessoas daquilo que escrevemos e dos experimentos que realizamos. Também servem para auxiliar a compreensão por outras pessoas daquilo que escrevemos e dos experimentos que realizamos. Por isso devemos aprender as normas e métodos de pesquisa e utilizá-las sempre que for possível. Por isso devemos aprender as normas e métodos de pesquisa e utilizá-las sempre que for possível. Auxiliar o discente nesse processo de aprendizado é o propósito da disciplina de Metodologia Científica. Auxiliar o discente nesse processo de aprendizado é o propósito da disciplina de Metodologia Científica.


Carregar ppt "UNIDADE I Formação acadêmica, ciência e conhecimento científico Prof. Wilson Alves de Paiva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google