A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

OBESIDADE NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA João de Freitas Silva Filho João de Brito Raposo Neto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "OBESIDADE NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA João de Freitas Silva Filho João de Brito Raposo Neto."— Transcrição da apresentação:

1 OBESIDADE NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA João de Freitas Silva Filho João de Brito Raposo Neto

2 A obesidade é doença crônica, complexa, de etiologia multifatorial e resulta de balanço energético positivo. Seu desenvolvimento ocorre, na grande maioria dos casos, pela associação de fatores genéticos, ambientais e comportamentais. Conceito

3 No mundo, 10% dos indivíduos entre 5 e 17 anos apresentam excesso de gordura corporal, sendo que de 2% a 3% são obesos. (OMS, 2003) Nos EUA, 15,8% das crianças entre 6 e 11 anos e 16,1% dos adolescentes entre 12 e 19 anos são obesos. (NHANES, 2000) Em duas décadas, a prevalência de obesidade dobrou entre as crianças e triplicou entre os adolescentes nos EUA. (NHANES, 2000) No Brasil, a prevalência de excesso de peso varia entre 10,8% e 33,8% dependendo da região. (IBGE) Epidemiologia

4

5

6 Predispõem ganho de peso NPY MCH MC3 AGRP Grelina Adipsina/ASP TNF-A/IL-6 Causas genéticas/endócrinas Predispõem perda de peso Insulina/leptina a-MSH CRH TRH CCK (colecistoquinina)

7 Alimentação inadequada Criança – introdução de alimentos inadequados Adolescente Ambiente familiar Alterações psico-sociais Sedentarismo Causas ambientais/comportamentais

8

9 Diagnóstico Anamnese Antecedentes pessoais e familiares Hábitos alimentares Exame físico: IMC,PCT, Circunferência abdominal e PA Sobrepeso: Acima do percentil 85 Obesidade: Acima do percentil 97 Exames Complementares Glicemia, lipidograma, transaminases, exames de imagem

10

11

12

13

14 Comorbidades

15 Síndrome Metabólica Grupo de distúrbios que inclui obesidade, resistência à insulina, dislipidemia e hipertensão. Forte associação com diabetes e doença cardiovascular Comorbidades

16

17 Diabetes tipo II Insulina: estoques de energia (triglicérides) Resistência a insulina IMC a partir de 26 Acúmulo de gordura visceral Para aumento de 10% no peso corporal, há aumento de 2 mg/dl na glicemia em jejum (Francischi, 2000) As doenças são consequência uma da outra? Comorbidades

18 Hipertensão Arterial Sistêmica Qual a relação com hiperinsulinemia? Estimula sistema nervoso simpático (vasoconstricção e aumento do débito cardíaco) Retém sódio e água (expansão de volume) Como tratar? Redução de peso Farmacológico Diuréticos e bloqueadores beta-adrenérgicos? IECA Comorbidades

19 Dislipidemia Qual a relação com resistência insulínica? Menor captação de glicose Aumento de triglicérides Diminuição de HDL Aumento de VLDL e LDL Como tratar? Tratamento dietético Estatinas, fibratos Comorbidades

20

21 Asma: qual a relação com obesidade? Conceito de asma Fatores pró-inflamatórios TNF-alfa; IL-6 Produzidos nos adipócitos E a leptina? Estimula linfócitos TH1 e suprime TH2 Obesidade pode causar doença restritiva? As doenças são consequência uma da outra ? Comorbidades

22 O que fazer? Abordagem dietética Estilo de vida Ajustes na dinâmica familiar Tratamento medicamentoso Apoio psicossocial Tratamento

23 Abordagem dietética: dividida em etapas 1) Esclarecimentos 2) Avaliação do comportamento 3) Redução da quantidade 4) Qualidade da dieta 5) Manutenção Tratamento

24

25

26 Atividade física Tratamento

27 Tratamento medicamentoso Dar prioridade às medidas educativas Não usar medicamentos como primeira linha Uso reservado Comorbidades graves Comer compulsivo Depressão Tratamento

28

29 Monitoramento do tratamento Considerar IMC, redução de peso Mais importante Melhora de comorbidades Estilo de vida Hábitos alimentares Auto-estima Tratamento

30 Abordagem psicossocial Vínculo familiar disfuncional Dependência, superproteção Abandono, descaso Alimentação excessiva Trocas afetivas Tratamento

31 E a cirurgia bariátrica? Maturação esquelética/neuroendócrina acelerada X Síndrome restritiva/mal absortiva Critérios Estágio IV de Tanner 95% da estatura final IMC>40 + comorbidades graves IMC>50 + comorbidades leves Contra-indicações Gestantes e mães em amamentação Tratamento

32 Prevenir a obesidade na infância é a maneira mais segura de controlar essa doença crônica grave Pré-natal Fatores de risco familiares Estado nutricional da gestante Puericultura Avaliar crescimento e desenvolvimento Aleitamento materno/alimentação complementar Sinais de saciedade Prevenção

33

34 Obrigado


Carregar ppt "OBESIDADE NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA João de Freitas Silva Filho João de Brito Raposo Neto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google