A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EPIDEMIOLOGIA, SAÚDE PÚBLICA E INDICADORES DE SAÚDE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EPIDEMIOLOGIA, SAÚDE PÚBLICA E INDICADORES DE SAÚDE."— Transcrição da apresentação:

1 EPIDEMIOLOGIA, SAÚDE PÚBLICA E INDICADORES DE SAÚDE

2 Aplicações da Epidemiologia (PEREIRA,1995) Informar a situação de Saúde da população: Determinação de freqüências, distribuição dos eventos. Avaliar o impacto das ações propostas para alterar a situação encontrada Investigar os fatores que influenciam a situação de saúde

3 Principais Usos da Epidemiologia Diagnóstico da situação de saúde- Diagnóstico coletivo ou epidemiológico: uma única condição ou agravo à saúde, um fator de risco, uso de serviços, uma característica da população; um grupo de condições, exemplificado pelas doenças infecciosas ou cardiovasculares; diagnóstico da saúde da comunidade:principais agravos à saúde de uma população

4 Problema de Saúde Pública O número de pessoas acometidas pela doença A seriedade do dano causado O custo per capita A possibilidade de atuação eficiente O grau de interesse da comunidade

5 DIAGNÓSTICO EPIDEMIOLÓGICO DOIS ASPECTOS RELEVANTES: A) abrangência populacional- representatividade da amostra- necessidade de técnicas de amostragem correta B)Apropriada seleção dos indicadores e índices que bem retratem cada situação.

6 Epidemiologia Descritiva: Organização dos dados, de maneira a evidenciar as freqüências do evento, em diversos subgrupos da população de modo a compará-los: Faixa etária, sexo, tipo de ocupação, renda, nível de escolaridade 1- DIAGNÓSTICO EPIDEMIOLÓGICO

7 1. Abordagem unicausal- relacionar uma causa a um efeito. – simplificação de uma realidade complexa. 2 Abordagem multicausal: não se esgota na identificação de seus fatores físicos e biológicos, mas incluem a busca pelos sociais e ambientais. Ex: Cárie dentária 2-Investigação Etiológica

8 3. Aprimoramento na descrição do quadro clínico Observação de um caso clínico ou de poucos casos Evidencias laboratoriais Estudos epidemiológicos populacionais

9 4-Outros usos Determinação de prognósticos Determinação de prognósticos Identificação de síndromes e classificação das doenças Identificação de síndromes e classificação das doenças Planejamentos dos Serviços Planejamentos dos Serviços Avaliação de tecnologias, programas e serviços Avaliação de tecnologias, programas e serviços Análise critica de trabalhos científicos Análise critica de trabalhos científicos

10 Planejamento dos serviços As decisões do gestor em saúde deveriam ser tomadas baseadas nas informações da epidemiologia para: As decisões do gestor em saúde deveriam ser tomadas baseadas nas informações da epidemiologia para: Definir prioridades Definir prioridades Melhor uso dos recursos Melhor uso dos recursos humanos e financeiros humanos e financeiros

11 AVALIAÇÃO Eficácia – impacto das tecnologias e programas nas condições ideais de investigação Efetividade- No plano real de investigação avaliar o impacto que produzem Eficiência- Levam em conta além do impacto confrontando os resultados obtidos com os recursos consumidos

12 Três aspectos da prática epidemiológica: População para estudo Apropriada aferição dos eventos e a expressão dos resultados Controle das variáveis confundidoras

13 A quem interessa o estudo epidemiológico?

14 Principais Usuários O sanitarista O planejador O epidemiologista-pesquisador(ou professor) O clínico

15 O sanitarista Aprimoramento da qualidade da informação:registros apropriados originados de estudos válidos, vão contribuir para implantação e funcionamento das bases de dados científicos da área da saúde; Investigações de casos: pesquisa de campo, vigilância.

16 O planejador As informações de natureza epidemiológica são essenciais para: Planejamento Execução= processo Avaliação das ações

17 O epidemiologista-pesquisador (ou professor) Universidades e institutos isolados de ensino superior e de pesquisa: Campo de trabalho:planejamento de estudos, análise e interpretação dos resultados É o intermediário entre clínicos e sanitaristas Consultoria, ensino e pesquisa

18 Clínico Utilização do raciocínio clínico- emprego do conhecimento epidemiológico para o manejo do paciente e proteção da saúde das pessoas Busca do conhecimento continuado

19 Clínico Aprimoramento do raciocínio clínico e do desenvolvimento do senso crítico A epidemiologia oferece valioso auxílio no manejo dos pacientes,permitindo predizer com segurança a probabilidade de ocorrência de eventos futuros, prognósticos e tratamentos das doenças

20 Avaliação Uso de Indicadores de Saúde É O QUE INDICA OU REFLETE UMA CARACTERÍSTICA EM PARTICULAR CARACTERÍSTICA EM PARTICULAR Representa ou mede aspectos não sujeitos à Representa ou mede aspectos não sujeitos à Observação direta Observação direta

21 Indicador de Saúde Conotação de revelar a situação de saúde de um indivíduo ou da população.

22 Indicador x Índice Indicador Inclui apenas um aspecto Ex: a mortalidade Índice- Expressa Situações multidimensionais. Incorpora em uma medida diferentes aspectos ou diferentes indicadores: CPOD, APGAR, MORBIMORTALIDADE.

23 Medidas de Frequencia PREVALÊNCIA Número de casos existentes de uma doença, em um dado momento. É uma medida estática. INCIDÊNCIA Frequencia com que surgem novos casos de uma doença, em uma população, num intervalo de tempo. É uma medida dinâmica.

24 Medidas de Frequencia Prevalência Os casos existentes, ou prevalentes são aquelas pessoas que adoeceram em algum momente do passado e que estão vivas enquanto se realiza a observação. Assim, os doentes que vierem a falecer antes do período de observação não são considerados no cálculo.

25 Medidas de Frequencia Incidência Os casos novos, ou incidentes, são aqueles indivíduos não doentes no início do período da observação que no seu decorrer acabam por adoecer.

26 Principais Indicadores de Saúde Mortalidade Morbidade Indicadores Nutricionais Indicadores Demográficos Indicadores Sociais Indicadores Ambientais Serviços de Saúde Indicadores Positivos de Saúde

27 Mortalidade É o primeiro indicador utilizado em avaliações da saúde coletiva Mais empregado – mortalidade Facilidades operacionais- registro obrigatório resulta na formação de uma base de dados mantida e atualizada por técnicos do governo. Ex: Mortalidade infantil Mortalidade materna e expectativa de vida

28 PaísesInfantilMaterna Esper. de vida ETIÓPIA BRASIL CANADÁ8277 JAPÃO51578 Fonte: Banco Mundial 1980 Coeficientes de Mortalidade de países selecionados

29 Mortalidade Infantil A mortalidade infantil pode ser dividida em três componentes: até os 6 dias de vida (neonatal precoce), dos 7 aos 27 (neonatal tardia) e dos 28 dias até um ano (pós-neonatal). A taxa de mortalidade infantil é um importante indicador das condições de vida, saúde e renda da população

30 Mortalidade Materna A morte de mulheres por causas ligadas a gravidez, aborto, parto e puerpério é, em sua quase totalidade, evitável. Trata-se de um importante indicador do nível de respeito aos direitos sexuais e reprodutivos na comunidade. Número de mortes maternas por 100 mil nascidos vivos

31 Mortalidade - Município:Aracaju/SE

32 MORBIDADE Expressa a situação das doenças na população Decomposição do processo saúde doença: Alteração da saúde Percepção de anormalidade Demanda por atendimento Uso de serviços Resultado clínico

33 2- Gravidade do Processo Mórbido Tipo de Agravo: D. Infecciosas X Não infecciosas Restrição de atividades: hospitalização, absenteísmo etc. Indicadores de gravidade da doença: incidência de infecção HOSPITALAR Outros

34 Indicadores Nutricionais Avaliação indireta do estado nutricional da população: estatísticas vitais: mortalidade pré – escolar, mortalidade infantil. Avaliação direta do estado nutricional: 1.Avaliações dietéticas 2.Avaliações Clínicas 3.Avaliações Laboratoriais

35 Indicadores Demográficos Níveis de Fecundidade Natalidade Composição da população em termos de idade,sexo Mortalidade Expectativa de vida

36 Indicadores Sociais As condições sócio-econômicas estão intimamente relacionadas à saúde, de modo que são usados como indicadores sanitários indiretos: Renda per capta índice de qualidade material de vida: (IQMV)- ALFABETIZAÇÀO, MORTALIDADE INFANTIL E ESPERANÇA DE VIDA NA IDADE DE 1 ANO

37 Indicadores Ambientais Estão estreitamente relacionados com o nível sócio-econômico da população: Ex: Saneamento básico Abastecimento de água e esgotos Coleta de lixo

38 SERVIÇOS DE SAÚDE Muitos indicadores são especialmente criados para refletir o que ocorre no âmbito de assistência à saúde.

39 SERVIÇOS DE SAÚDE 1. Indicadores de Insumos: Recursos humanos e materiais, recursos financeiros, distribuição dos recursos financeiros 2.Indicadores do processo 3. Indicadores de Resultados ou de Impacto

40 Indicadores Positivos de Saúde Epidemiologia da Doença Epidemiologia da saúde Operacionalização da definição de saúde da OMS: índice médico de Cornell, perfil de saúde de Nottingham Qualidade de vida

41 CICLO DA SAÚDE E DO BEM-ESTAR Maior energia Capacidade e Sobrevida Alta produção de bens e serviços Salários altos ALIMENTÇÃO ABUNDANTE EDUCAÇÃO SUFICIENTE HABITAÇÃO ADEQUADA SAÚDE Rouquayrol, 1999

42 Índices de Saúde É um valor numérico que descreve a situação relativa (de saúde) de uma determinada população por meio de uma escala graduada com limites superior e inferior definidos, permitindo comparações com outras populações classificadas pelos mesmos métodos. (PINTO, 2000

43 Índices de Saúde Pode medir apenas a ocorrência de um problema ou estabelecer o seu grau de severidade

44 Índices de Saúde Características: Clareza Simplicidade Objetividade Validez Confiabilidade Sensibilidade Aceitabilidade

45 Comentário Final Há muitos aspectos da saúde que requerem quantificação, cada qual com numerosos indicadores. Tradicionalmente mortalidade e morbidade.


Carregar ppt "EPIDEMIOLOGIA, SAÚDE PÚBLICA E INDICADORES DE SAÚDE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google