A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Embalagens de bens alimentares: Contributos para a Definição de Políticas Eco-eficientes em Portugal Aluno: Paulo Jorge Trigo Ribeiro Orientador: Doutor.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Embalagens de bens alimentares: Contributos para a Definição de Políticas Eco-eficientes em Portugal Aluno: Paulo Jorge Trigo Ribeiro Orientador: Doutor."— Transcrição da apresentação:

1 Embalagens de bens alimentares: Contributos para a Definição de Políticas Eco-eficientes em Portugal Aluno: Paulo Jorge Trigo Ribeiro Orientador: Doutor Paulo Manuel Cadete Ferrão Mestrado em Engenharia e Gestão de Tecnologia

2 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 2 Estrutura da apresentação Motivação e objectivos Método utilizado Resultados e conclusões

3 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 3 Motivação e objectivos Papel relevante das embalagens nos resíduos sólidos urbanos Disponibilizar informação fundamentada sobre o impacte ambiental das embalagens de bens alimentares Contribuir para a promoção de políticas de embalagem mais sustentáveis

4 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 4 Método utilizado Identificação e caracterização das principais embalagens de bens alimentares Avaliação de Ciclo de Vida das embalagens consideradas Avaliação de cenários de eco-eficiência Recomendações para a elaboração de politicas orientadas para a redução do impacte ambiental das embalagens de bens alimentares

5 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 5 Método utilizado Recolha de informação AIGMA, Casa do Azeite, FIOVDE, INE, Nielsen, SPV Cerv, Embar, Fileira Metal, Plastval, Recipac. Danone, Fima, Hortapronta, Idal (Heinz), Iglo-Olá, Lactogal, Nutrinveste, Simões lda, Triunfo Caracterização do sistema de embalamento de 27 embalagens de bens alimentares Sectores: produtos lácteos, gorduras alimentares, frutas e legumes, confeitaria, produtos congelados Embalagens de C.A.L., PEAD, PEBD, PS, PET, PP, Vidro, Madeira, Aço, Papel/alumínio/PE, embalagens compostas

6 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 6 Método utilizado: metodologia de ACV Definição do âmbito e objectivos Âmbito e objectivos Unidade funcional Fronteiras do sistema Análise de Inventário Avaliação dos impactes ambientais Classificação/ Caracterização Normalização Interpretação dos resultados Compilação dos fluxos de entradas e saídas e avaliação dos impactes ambientais associados a um produto ao longo do seu ciclo de vida

7 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 7 Método utilizado: metodologia de ACV Sistema de embalagem e processo de produção Logística associada ao sistema de embalagem

8 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 8 Método utilizado: metodologia de ACV Circuitos de processamento de resíduos Embalamento

9 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 9 Método utilizado: metodologia de ACV Substância e energiaTotalUnidade Energia (carvão)1,04GJ Energia (hidroeléctrica)700MJ Energia (petróleo)656MJ Energia (gás natural)516MJ Energia (indefinida)0MJ Água511kg CO 2 201kg Resíduos finais (inertes)24,8kg CO 2 (fóssil)11,8kg Resíduos minerais3,31kg Resíduos sólidos1,62kg SO x 1,38kg NO x (as NO 2 )1,03kg... Árvore de ciclo de vida Tabela de inventário

10 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 10 Método utilizado: metodologia de ACV Inventário de ciclo de vida Intervenção ambiental CFC Pb Cd PAH Poeira COV DDT CO2 SO2 NOX P Categorias de impacte Caracterização e/ou Normalização CAMADA DE OZONO METAIS PESADOS CARCINOGENIA SMOG DE VERÃO SMOG DE INVERNO PESTICIDAS EFEITO DE ESTUFA ACIDIFICAÇÃO EUTROFIZAÇÃO Factores de normalização

11 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 11 Método utilizado: metodologia de ACV Ciclo de vida: Fase de destino final:Agregado: Fase de produção:

12 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 12 Método utilizado: cenários de eco-eficiência Cenário 1 – Taxa de reciclagem de 25% (método mecânico) Cenário 2 – Taxa de reciclagem de 25% (reciclagem química em estudo pelo ITN). Cenário 3 – Redução da embalagem primária em 10%.

13 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 13 Resultados e conclusões Matérias Primas Produção dos materiais de embalagem Transporte dos materiais de embalagem Produção das embalagens Resíduos Recolha e triagem AterroIncineraçãoReutilizaçãoReciclagem Embalamento do produtoProduto Distribuição dos produtos embalados Utilização Fase mais relevante em termos de impacte ambiental Pouco relevante quando comparada com a produção Depende não só da logística associada ao ciclo de vida, mas tb da relação peso embalagem/peso do produto Geralmente contribui para a redução do impacte ambiental. Depende do material e do tipo de destino final

14 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 14 Resultados e conclusões Reciclagem: O efeito do aumento da taxa de reciclagem depende do material em questão > vidro e aço < plásticos

15 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 15 Resultados e conclusões Redução do peso de embalagem: depende igualmente do material em questão > CAL e PP < PS e vidro

16 Embalagens de bens alimentares: contributos para a definição de políticas eco-eficientes em portugal 16 Matérias Primas Produção dos materiais de embalagem Transporte dos materiais de embalagem Produção das embalagens Resíduos Recolha e triagem AterroIncineraçãoReutilizaçãoReciclagem Embalamento do produtoProduto Distribuição dos produtos embalados Utilização Resultados e conclusões: prioridades de acção Prevenção de embalagem Eco-design e design for recycling Normalização das embalagens e normas de desempenho Diferenciar resíduos de embalagem pela sua origem e qualidade Aumento da recolha selectiva e taxa de reciclagem Incentivar novos processos de reciclagem

17 Embalagens de bens alimentares: Contributos para a Definição de Políticas Eco-eficientes em Portugal Aluno: Paulo Jorge Trigo Ribeiro Orientador: Doutor Paulo Manuel Cadete Ferrão Mestrado em Engenharia e Gestão de Tecnologia


Carregar ppt "Embalagens de bens alimentares: Contributos para a Definição de Políticas Eco-eficientes em Portugal Aluno: Paulo Jorge Trigo Ribeiro Orientador: Doutor."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google