A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Planificação de uma Aula Experimental Ana Sofia Vieira, n.º13224 Isabel Santos, n.º13144 Lúcia Rocha, n.º12971 Sara Marreco, n.º12755 DIDÁCTICA II Libertação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Planificação de uma Aula Experimental Ana Sofia Vieira, n.º13224 Isabel Santos, n.º13144 Lúcia Rocha, n.º12971 Sara Marreco, n.º12755 DIDÁCTICA II Libertação."— Transcrição da apresentação:

1

2 1 Planificação de uma Aula Experimental Ana Sofia Vieira, n.º13224 Isabel Santos, n.º13144 Lúcia Rocha, n.º12971 Sara Marreco, n.º12755 DIDÁCTICA II Libertação de Oxigénio pela Elodea

3 2 Unidade 1: - Obtenção de matéria Biologia e Geologia 10ºano 10ºano Tema: - Obtenção de matéria pelos seres autotróficos Sub-tema: - Fotossíntese Sumário: - Realização da actividade experimental: O processo fotossintético- Libertação de oxigénio pela planta Elodea. - Análise, interpretação e discussão dos resultados. - Identificação dos factores que influenciam a taxa fotossintética.

4 3 Compreender que a energia luminosa captada pelos seres fotossintéticos é convertida em energia química, e que durante este processo ocorre a captação de dióxido de carbono e a libertação de oxigénio para o ambiente; Compreender que a energia luminosa captada pelos seres fotossintéticos é convertida em energia química, e que durante este processo ocorre a captação de dióxido de carbono e a libertação de oxigénio para o ambiente; Identificar os factores que interferem na actividade fotossintética. Verificar como a variação destes factores influencia a taxa fotossintética; Identificar os factores que interferem na actividade fotossintética. Verificar como a variação destes factores influencia a taxa fotossintética; Objectivos

5 4 Contextualização Aula anterior – 90 minutos Discussão com os alunos sobre o processo de fotossíntese e momentos iniciais de brainstorming; Discussão com os alunos sobre o processo de fotossíntese e momentos iniciais de brainstorming; Nova discussão para que os alunos cheguem à identificação de alguns factores que influenciam a intensidade da ocorrência da fotossíntese nos seres autotróficos; Nova discussão para que os alunos cheguem à identificação de alguns factores que influenciam a intensidade da ocorrência da fotossíntese nos seres autotróficos; Exemplo: Quais são os factores que vocês acham que influenciam a fotossíntese, para que esta ocorra com maior ou menor intensidade?

6 5 Pretende-se que os alunos cheguem aos seguintes factores: Intensidade luminosa Concentração em dióxido de carbono do meio Comprimento de onda da luz absorvida Os alunos vão proceder à exploração de hipóteses de como a variação destes factores irá influenciar a taxa fotossintética; Os alunos vão proceder à exploração de hipóteses de como a variação destes factores irá influenciar a taxa fotossintética; O professor deixa que os alunos exponham as suas opiniões sem nunca revelar o que realmente acontece quando se verifica a variação dos factores.

7 6 Alunos: Protagonistas no seu processo de aprendizagem Divisão da turma, nos 2 turnos práticos, e cada um destes em 5 grupos de 3 a 4 elementos, em que cada um ficará responsável de testar uma das variáveis; Divisão da turma, nos 2 turnos práticos, e cada um destes em 5 grupos de 3 a 4 elementos, em que cada um ficará responsável de testar uma das variáveis; Planificação da actividade experimental Planificação da actividade experimental Confronto com um conjunto de materiais susceptíveis de utilizar num protocolo experimental para testar estas variáveis; Confronto com um conjunto de materiais susceptíveis de utilizar num protocolo experimental para testar estas variáveis;

8 7 Cada um dos grupos vai efectuar a organização e planificação da sua própria actividade, tendo em conta os materiais mostrados; Cada um dos grupos vai efectuar a organização e planificação da sua própria actividade, tendo em conta os materiais mostrados; Através das ideias de cada grupo relativamente ao protocolo experimental construido, o professor irá organizar um protocolo experimental com todas as correcções científicas necessárias, para que seja aplicado na aula experimental. Através das ideias de cada grupo relativamente ao protocolo experimental construido, o professor irá organizar um protocolo experimental com todas as correcções científicas necessárias, para que seja aplicado na aula experimental. Maior motivação por parte dos alunos

9 8 Protocolo Experimental Procedimento : Tubo1- água da torneira; Tubo2- água fervida; Tubo 3- água com CO 2 ; Tubo 4- água da torneira; c/ ramos de Elódea

10 9Variáveis: Grupo 1= Grupo Controlo: lâmpadas de intensidade moderada ~40W lâmpadas de intensidade moderada ~40W cartolina preta cartolina preta Grupo 2: lâmpadas de intensidade forte ~60W; lâmpadas de intensidade forte ~60W; Grupo 3: Grupo 3: lâmpadas de intensidade fraca ~25W ; lâmpadas de intensidade fraca ~25W ; Variação da Intensidade da Luz

11 10 Grupo 4: Grupo 4: Filtro de cor azul; Filtro de cor azul; Grupo 5: Tubo 3: água com maior concentração em CO 2 ; Tubo 3: água com maior concentração em CO 2 ; Variação do tipo de λ absorvido Variação da concentração de CO 2 Contagem do nº de bolhas de oxigénio libertadas durante 10 min. Tarefa final: num tubo c/ H 2 O da torneira, introduzir raízes de plantas herbáceas; Tarefa final: num tubo c/ H 2 O da torneira, introduzir raízes de plantas herbáceas;

12 11 Planificação e organização da aula experimental Desenvolvimento de Competências essenciais É impossível levar ao desenvolvimento e avaliação de competências através de perguntas e exercícios pré-formatados Organização de situações de aprendizagem para que os alunos expressem e façam uso das competências em causa.

13 12 Planificação e organização da aula experimental Estratégias e actividades a desenvolver em 45 min. de aula: Os alunos chegam, vestem as batas, organizam-se nos grupos estipulados na aula anterior e distribuem-se pelas bancadas de trabalho. Leitura do protocolo já discutido na aula anterior e montagem da actividade experimental. Execução da actividade experimental com a contagem do número de bolhas libertadas em cada tubo. Registo dos resultados. Execução do protocolo relativo à raíz das plantas herbáceas. Registo dos resultados. Registo no quadro dos resultados de cada grupo e discussão global dos mesmos, em que se irá confrontar as hipóteses previstas com as conclusões que se podem retirar da actividade. Entrega de uma ficha formativa sobre a actividade para trabalho de casa.

14 13 Planificação e organização da aula experimental Ao longo do decorrer da aula espera-se que o aluno desenvolva e demonstre algumas competências: Cumprimento de normas Cumprimento de normas Cooperação com os outros em tarefas e projectos comuns Cooperação com os outros em tarefas e projectos comuns Análise de resultados experimentais Análise de resultados experimentais Integrar conhecimentos Integrar conhecimentos Domínio da Lingua Portuguesa Domínio da Lingua Portuguesa

15 14 Planificação e organização da aula experimental Como será então possível o desenvolvimento destas competências? Pela organização de todo o trabalho de planificação e execução da actividade experimental pelos alunos. Pela organização de todo o trabalho de planificação e execução da actividade experimental pelos alunos. O desenrolar da aula permitirá aos alunos confrontarem ideias entre si e procurarem soluções para os problemas levantados na aula anterior O desenrolar da aula permitirá aos alunos confrontarem ideias entre si e procurarem soluções para os problemas levantados na aula anterior Exposição dos resultados e estabelecimento de uma discussão generalizadapara que se chegue a uma solução da problemática lançada na aula anterior, que terá levado a uma crescente curiosidade pelo processo da fotossíntese e pelos factores que a influenciam. Exposição dos resultados e estabelecimento de uma discussão generalizadapara que se chegue a uma solução da problemática lançada na aula anterior, que terá levado a uma crescente curiosidade pelo processo da fotossíntese e pelos factores que a influenciam.

16 15 Conclusões Optámos por esta actividade porque: Tratar-se de um exemplo de trabalho experimental, em que se testam variáveis, cuja manipulação se vai reflectir no nº de bolhas de oxigénio libertadas pela Elodea; Estimula nos alunos, o desenvolvimento da capacidade de trabalhar em grupo, segundo determinadas regras de convivência e de trabalho; Permite aos alunos confrontar ideias entre si, e com o grupo-turma, procurando soluções para os problemas levantados na aula anterior.

17 16 Aula anterior: Ao questionar os alunos, procura-se que eles sintam curiosidade pelo processo de fotossíntese, nomeadamente pelos factores que a influenciam, pedindo-se que elaborem um possível protocolo para os testar. Criar oportunidades para que os alunos mobilizem os seus interesses, saberes, experiências anteriores, e as suas estratégias de aprendizagem, no desenvolvimento de actividades experimentais. Multiplicidade de métodos e processos a seleccionar atendendo aos objectivos a atingir. TRABALHO EXPERIMENTAL (abordagem Holística e Investigativa) Conclusões

18 17 Aula Planificada: Em trabalho experimental é pertinente a realização de actividades cooperativas de aprendizagem centradas no trabalho de grupo, em pequenos grupos e no grupo- turma; A formação de grupos permite o desenvolvimento de competências relacionadas com o relacionamento interpessoal dos alunos; A exposição dos resultados e a sua discussão levam ao desenvolvimento de competências de raciocínio lógico, espírito crítico e domínio dos conceitos e capacidade de expressão. Conclusões

19 18 O professor assume o papel de observador, orientador, dinamizador da acção e avaliador, evitando dar opiniões, respostas, ou informações, tirar conclusões e sobrepor a sua imaginação à dos alunos; A avaliação vai incidir no desenvolvimento das competências, descritas na planificação, mediante o preenchimento, pelo professor, de uma grelha de observações e registos, relativos a cada aluno pertencente aos grupos; O professor não se deve precipitar, relativamente às conclusões sobre a aprendizagem dos conteúdos pelos alunos: - a sua consolidação e a sua interiorização têm que dispor de um tempo próprio; - dependem, geralmente, da adequação das actividades seguintes à continuidade dos processos já desencadeados, pelo que optámos por enviar uma ficha formativa, para trabalho de casa! Conclusões

20 19 The End


Carregar ppt "1 Planificação de uma Aula Experimental Ana Sofia Vieira, n.º13224 Isabel Santos, n.º13144 Lúcia Rocha, n.º12971 Sara Marreco, n.º12755 DIDÁCTICA II Libertação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google