A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA AGUDA Danilo Bastos Pompermayer – R1 Clínica Médica – Hospital Municipal de São José dos Pinhais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INSUFICIÊNCIA CARDÍACA AGUDA Danilo Bastos Pompermayer – R1 Clínica Médica – Hospital Municipal de São José dos Pinhais."— Transcrição da apresentação:

1 INSUFICIÊNCIA CARDÍACA AGUDA Danilo Bastos Pompermayer – R1 Clínica Médica – Hospital Municipal de São José dos Pinhais

2 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

3 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

4 EPIDEMIOLOGIA Idade média 72 anos História prévia de Insuficiência Cardíaca Fração de Ejeção Fibrilação Atrial ou Insuf. Renal DM

5 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

6 PROBLEMAS ESPECÍFICOS Mudança na história natural Alta taxa de re-hospitalização Alto Custo

7 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

8 ETIOLOGIA Cardiopatia isquêmica – Principal causa Disturbios do ritmo Disfunção valvar Doença pericárdica Altas pressões de enchimento Alta resistência sistêmica

9 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

10 DEFINIÇÃO Início rápido ou mudança clínica dos sintomas e sinais de insuficiência cardíaca.

11 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

12 CLASSIFICAÇÃO Aguda com PA elevada Aguda com PA normal Aguda com PA baixa

13 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

14 DIAGNÓSTICO Clínica ECG Radiografia de tórax Laboratoriais Ecocardiograma Critérios de Framingham

15 CRITÉRIOS DE FRAMINGHAM Critérios maiores: a) Dispneia paroxística noturna; b) Turgência jugular; c) Crepitações pulmonares; d) Cardiomegalia (à radiografia de tórax); e) Edema agudo de pulmão;

16 CRITÉRIOS DE FRAMINGHAM f) Terceira bulha (galope); g) aumento da pressão venosa central (> 16 cm H2O no átrio direito); h) refluxo hepatojugular; i) Perda de peso > 4,5 kg em 5 dias em resposta ao tratamento.

17 CRITÉRIOS DE FRAMINGHAM Critérios menores: a) Edema de tornozelos bilateral; b) tosse noturna; c) dispneia a esforços ordinários; d) Hepatomegalia; e) derrame pleural; f) Diminuição da capacidade funcional em um terço da máxima registrada previamente; g) Taquicardia (FC > 120 bpm).

18 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

19 OBJETIVOS TERAPÊUTICOS 1) Clínicos a. Diminuir sinais e sintomas; b. Diminuição de peso corporal; c. Adequação da oxigenação (Sat O2 > 90%); d. Manutenção da diurese adequada; e. Melhorar a perfusão orgânica

20 OBJETIVOS TERAPÊUTICOS 2) Laboratoriais a. Normalização eletrolítica; b. Diminuição de ureia e creatinina; c. Diminuir BNP. 3) Hemodinâmicos a. Reduzir pressões de enchimento; b. Otimização de débito cardíaco;

21 OBJETIVOS TERAPÊUTICOS 4) Desfechos a. Redução de tempo de internação; b. Prevenção de re-hospitalização; c. Diminuição de mortalidade.

22 PLANO DE AULA EPIDEMIOLOGIA PROBLEMAS ESPECÍFICOS ETIOLOGIA DEFINIÇÃO CLASSIFICAÇÃO DIAGNÓSTICO OBJETIVOS TERAPÊUTICOS TRATAMENTO

23 Oxigenioterapia Analgesia Digitálicos: Digoxina 0,25mg/dia Beta bloqueadores: 2 grupos – Carvedilol: Dose alvo (DA) 25/50mg (2x) – Metoprolol: DA 200mg

24 TRATAMENTO IECA/BRA: 2 grupos – Captopril: DA 50/100mg (3x) – Enalapril: DA 10/20mg (2x) – Losartan: DA 100mg (1x) Heparinização – Heparina 5000Ui SC 8/8horas

25 TRATAMENTO Diuréticos – Alça: ação rápida Furosemida: Dose inicial(DI) 20mg – Dose máx (DM) 240mg – Tiazídicos: pouco úteis isoladamente Hidroclorotiazida: DI 25mg – DM 100mg – Poupadores de Potássio: Ação prolongada Espironolactona: DI 25mg – DM 50mg

26 INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CRÔNICA Tratamento

27 PLANO DE AULA TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO

28 PLANO DE AULA TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO

29 TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO Dieta Prevenção de fatores agravantes – Vacinas – Tabagismo – AINE – Drogas ilícitas Suporte psicológico Reabilitação cardíaca – exercícios físicos

30 PLANO DE AULA TRATAMENTO NÃO FARMACOLÓGICO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO

31 IECA – Captopril: DI 6,25mg / DA 50mg (3x) – Enalapril: DI 2,5mg / DA 20mg (2x) Betabloqueadores – Carvedilol: DI 3,125mg / DA 25-50mg (2x) – Metoprolol: DI 12,5mg / DA 200mg BRA – Losartan: DI 25mg / DA mg

32 TRATAMENTO FARMACOLÓGICO Antagonista da Aldosterona – Espironolactona 12,5 – 25mg Diuréticos – Furosemida: DI 20mg / DA 240mg – Hidroclorotiazida: DI 25mg / DA 100mg Digitálico – Digoxina 0,125-0,25mg

33

34


Carregar ppt "INSUFICIÊNCIA CARDÍACA AGUDA Danilo Bastos Pompermayer – R1 Clínica Médica – Hospital Municipal de São José dos Pinhais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google