A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FACULDADE PIO DÉCIMO ENGENHARIA ELÉTRICA ADMINISTRAÇÃO Professor Abimael Ferreira Barbosa 5° PERÍODO PROGRAMAS E CONTEÚDOS Contatos: Site: www.abimaelfb.xpg.com.brwww.abimaelfb.xpg.com.br.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FACULDADE PIO DÉCIMO ENGENHARIA ELÉTRICA ADMINISTRAÇÃO Professor Abimael Ferreira Barbosa 5° PERÍODO PROGRAMAS E CONTEÚDOS Contatos: Site: www.abimaelfb.xpg.com.brwww.abimaelfb.xpg.com.br."— Transcrição da apresentação:

1 FACULDADE PIO DÉCIMO ENGENHARIA ELÉTRICA ADMINISTRAÇÃO Professor Abimael Ferreira Barbosa 5° PERÍODO PROGRAMAS E CONTEÚDOS Contatos: Site: Fones: / Visite o site da Faculdade Pio Décimo

2 REFLEXÃO Se eu pudesse deixar algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo ensinado pelo mundo afora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável: Além do pão, o trabalho; além do trabalho, a ação. E quando tudo mais faltasse, um segredo: O de procurar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída. Mahatma Gandhi.

3 FACULDADE PIO DÉCIMO ENGENHARIA ELÉTRICA ADMINISTRAÇÃO Programas e Conteúdos Carga Horária: 30h/a Horário: Terça, 18:45 às 20:20 Conceito de Administração Processos da Administração : Planejamento, Organização, Direção e Controle Abordagem Clássica da Administração: Escola da Administração Científica (Taylor) Escola da Administração Clássica (Fayol) Teoria Neoclássica da Admnistração (Departamentalização e APO) Modelo Burocrático da Administração Teoria Estruturalista da Administração Teoria Comportamental da Administração: Hierarquia das Necessidades Humanas de Maslow Motivação Teoria Contingencial da Administração Responsabilidade Social DOE SANGUE. VOCÊ PODE SALVAR MUITAS VIDAS.

4 CALENDÁRIO DAS ATIVIDADES UNIDADE I DataConteúdoAtividades 01.08Conceitos de AdministraçãoAulas Expositivas 08.08Processos da Administração - PlanejamentoAulas Expositivas 15.08Organização, Direção e ControleAulas Expositivas/Exercícios 22.08Abordagem Clássica da AdministraçãoDivisão de grupos 29.08Escolas de Taylor e FayolEstudos dirigidos 05.09Escola de TaylorApresentação dos grupos 12.09Escola de FayolApresentação dos grupos 19.09Revisão I UnidadeAvaliação I Unidade ### FIM DA UNIDADE I ### Visite o site da Faculdade Pio Décimo: Visite o site do Professor:

5 CALENDÁRIO DAS ATIVIDADES UNIDADE II DataConteúdoAtividades 26.09Teoria Neoclássica: DepartamentalizaçãoAulas Expositivas 03.10Teoria Neoclássica: APOAulas Expositivas/Exercícios 10.10Modelo Burocrático da AdministraçãoAulas Expositivas 17.10Teoria Estruturalista da AdministraçãoEstudo dirigido 24.10Teoria Comportamental: MotivaçãoAulas Expositivas / Exercícios 31.10Responsabilidade SocialProjeção 07.11Teoria Contingencial da AdministraçãoAulas Expositivas 14.11Teoria Contingencial da AdministraçãoExercícios 21.11Revisão dos conteúdosAvaliação da II Unidade Visite o site da Faculdade Pio Décimo: Visite o site do Professor:

6 REFERÊNCIAS CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. Rio de Janeiro: Campus, DRUCKER, Peter F. Prática de administração de empresas. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, LODI, João Bosco. Administração por objetivos: uma crítica. São Paulo: Pioneira, PEREIRA, Anna Maris. Introdução à administração. 3.ed.São Paulo: Pearson & Prentice Hall, WELLINGTON, Patrícia. Estratégias kaizen para atendimmento ao cliente. São Paulo: Educator, 1999.

7 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 1. CONCEITOS DE ADMINISTRAÇÃO Administração é antes de tudo, AÇÃO! Administração é um processo de tomar decisões e realizar ações que compreende quatro processos principais interligados: planejamento, organização, execução e controle (Maximiniano, 2000). Administração é a arte de realizar coisas com e por meio de pessoas em grupos formalmente organizados (Haroldo Koontz, in:Silva, 2000). Administração consiste em orientar, dirigir e controlar os esforços de um grupo de indivíduos para um objetivo comum (Chiavenato, 2000).

8 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 1. CONCEITOS DE ADMINISTRAÇÃO Somos todos administradores! O processo de administrar é importante em qualquer escala de utilização de recursos. Administrar a própria vida é o mais simples dos exemplos de administração. As organizações nunca surgem ao acaso. Elas exigem um perfeito planejamento de base, tendo em vista que os seus objetivos propostos devem perdurar por longo tempo. As empresas lidam com pessoas, produtos e serviços e por isso mesmo, nunca devem deixar de buscar atingir seus ideais!

9 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 1. CONCEITOS DE ADMINISTRAÇÃO A tarefa da administração envolve a interpretação de objetivos a fim de transformá- los em ação organizacional por meio do planejamento, da organização, da direção e do controle, denominados de processos da administração. Interpreta Transforma Desempenha AdministraçãoObjetivos Ação organizacional Planejamento Organização Direção Controle

10 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO Planejamento Controle Organização Direção A Dinâmica do Processo da Administração No Processo da Administração, o planejamento, o controle, a organização e a direção (execução) permanecem na constante dinâmica da interrelação organizacional.

11 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO PROCESSO OU FUNÇÃO DESCRIÇÃO PlanejamentoÉ o processo de definir objetivos, atividades e recursos. OrganizaçãoÉ o processo de definir o trabalho a ser realizado e as responsabilidades pela realização; é também o processo de distribuir os recursos disponíveis. DireçãoOu execução, é o processo de realizar atividades e utilizar recursos para atingir os objetivos. A direção conduz e coordena o trabalho do pessoal. ControleÉ o processo de assegurar a realização dos objetivos e de identificar a necessidade modificá-los. É a verificação do que foi planejado.

12 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.1 Planejamento Conceito Planejamento é o processo administrativo que determina antecipadamente o que um grupo de pessoas deve fazer e quais as metas que devem ser atingidas Tipos de planejamento: Planejamento especial; Planejamento geral. O planejamento especial é aquele que, uma vez tendo atingido o seu objetivo, deixa de ser utilizado. Assim, não tem mais razão de ser porque o programa foi atendido e alcançado o objetivo desejado. Exemplo: No lançamento de um novo curso, a Pio Décimo recorre aos meios de comunicação para divulgá-lo: televisão, rádio, jornal, etc. O objetivo da campanha é tornar o novo curso conhecido, e receber candidatos novos para o vestibular.

13 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.1 Planejamento Tipos de planejamento O planejamento geral, como o próprio nome indica, é usado, muitas vezes, de forma permanente. Exemplo: Os cursos da Pio Décimo são divulgados sistematicamente o ano inteiro, independente da ocorrência de novos cursos ou da aproximação dos vestibulares. Assim, o público toma conhecimento dos produtos da Instituição o tempo todo.

14 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.1 Planejamento Metas do Planejamento O planejamento de uma empresa procura alcançar a meta principal para a qual ela foi constituída e organizada. Uma das principais finalidades do planejamento dentro do processo administrativo é produzir mercadoria ou serviço para produzir lucro. Entretanto, vale ressaltar outras metas do planejamento organizacional: Produzir mercadorias e/ou serviços úteis para o consumo; Prosperidade nos negócios; Solidez econômica e financeira; Boa imagem perante o público consumidor; Papel social no meio onde atua. Um planejamento bem elaborado é resultado de bons lucros.

15 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.1 Planejamento Planejamento Estratégico O planejamento estratégico refere-se à maneira pela qual a empresa pretende aplicar determinada estratégia para alcançar os objetivos desejados. Trata-se um planejamento global e a longo prazo, que exige quatro fases fundamentais: Formulação dos objetivos organizacionais. Análise interna da empresa: pontos fracos e pontos fortes. Análise externa do ambiente: ameaças e oportunidades. Formulação das alternativas estratégicas. O Planejamento Estratégico, quando muito bem elaborado, determina a permanência da empresa por longos anos de liderança no mercado.

16 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.2 Organização Comumente chamamos organização de empresa e empresa de organização. Mas o que nos interessa, nesse estudo de Admnistração, especificamente, é a organização enquanto processo Conceito Organização é o processo administrativo que visa à estruturação da empresa, reunindo pessoas e os equipamentos, de acordo com o planejamento efetuado. Por esta concepção, fica entendível que organização é o processo administrativo de organizar, ou melhor dizendo, de criar organismos econômicos, normalmente chamados de empresas. Estas empresas podem ser classificadas de comerciais, industriais, bancárias, agrícolas, de serviços, etc.

17 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.2 Organização Tipos de Organização As organizações compreendem dois tipos: Organização Formal Organização Informal A organização formal significa o estabelecimento da linha de autoridade (quem tem autoridade sobre os subordinados, ou seja, a hierarquia). Na organização formal, os funcionários obedecem rigorosamente a autoridade a qual são subordinados. A organização informal não é visível na empresa, mas sua existência é inegável. É a forma pela qual a empresa que está estruturada costuma ser modificada pelas rotinas diárias dos funcionários, ao modo de cada um, sutilmente.

18 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.3 Direção Conceito Direção é o processo administrativo que conduz e coordena o pessoal na execução das tarefas antecipadamente planejadas. (Silva, 2000). Todo o empregado ao ser admitido numa empresa, tem de cumprir determinadas obrigações, ou seja, desempenhar suas funções, que consistem em executar certas tarefas ou serviços. O trabalho de direção é um dos mais importantes, pois o sucesso ou fracasso de um empreendimento está na razão direta das pessoas que o conduzem. Seja numa empresa, num lar, numa escola, numa instituição social, num clube esportivo, os resultados são frutos de sua direção.

19 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.3 Direção Meios de Direção Empresarial Ordens ou Instruções São os meios utilizados para transmitir decisões aos subordinados (iniciação, modificação ou cessassão de tarefa) MotivaçãoÉ o convencimento de pessoas a trabalhar. A motivação é sempre seguida de uma dose de estímulo ao empregado. ComunicaçãoSão os meios utilizados para trasnsmitir as informações dentro e fora da empresa. CoordenaçãoÉ o meio que conduz à conciliação de todos os atos e esforços do pessoal. LiderançaSão os meios que conduzem as pessoas para um trabalho eficiente e eficaz. VisãoÉ a percepção necessária à manutenção do progresso da empresa.

20 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.4 Controle Conceito Controle é o processo administrativo que consiste em verificar se tudo está sendo feito de acordo com o que foi planejado e as ordens dadas, bem como assinalar as faltas e os erros, a fim de repará-los e evitar sua repetição. O controle: verifica se o planejamento e as ordens estão sendo obedecidos; aponta as faltas e os erros cometidos; repara as faltas e os erros para evitar repetição e assim, contribuir para o desenvolvimento da empresa.

21 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.4 Controle Características do Controle Administrativo CaracterísticasDescrição Maleabilidade ou Flexibilidade Possibilita a introdução de mudanças decorrentes de alterações nos planos e nas ordens. Instantaneidade ou Imediatismo Acusa o mais depressa possível as faltas e os erros Verificados. Correção ou Retificação Permite a reparação das faltas e dos erros, com o intuito de evitar sua repetição.

22 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 2. PROCESSOS DA ADMINISTRAÇÃO 2.4 Controle Etapas do Controle Administrativo São três as etapas do Controle: Estabelecimento de padrões (critérios ou normas de serviços); Avaliação de desempenho (verificação dos resultados com os padrões estabelecidos); Correção dos desvios (correção de planos, modificação de objetivos, mudança de pessoal). Padrões do Controle: Físicos: Quantidade de produtos, serviços a executar, horas trabalhadas, etc. Expressos em dinheiro: Totais de custo de produção, valor dos investimentos, custo de um serviço, valor das vendas ou receitas, etc. De ordem pessoal: Atuação dos empregados, reação dos clientes, opinião pública, etc.

23 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I ATENÇÃO ALUNOS! OS CONTEÚDOS SEGUINTES SERÃO TRABALHADOS POR VOCÊS, EM GRUPOS DE NO MÁXIMO OITO PESSOAS, ATRAVÉS DE ESTUDOS DIRIGIDOS, PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS NAS SEGUINTES DATAS: Escola de Taylor: Escola de Fayol: Avaliação: 0 a 3 (zero a três) pontos, para se somar à prova da I Unidade, que ocorrerá no dia Metodologia: Divisão de grupos com definição das respectivas escolas. Os grupos poderão trazer outras contribuiçlões (pesquisas), para enriquecer os seus conteúdos. Apresentação livre,a critério de cada grupo. A participação de todos é de fundamental importância para a interação de grupo.

24 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.1 Introdução No limiar do século XX, desponta a Abordagem Clássica da Administração, desdobrada em duas correntes ou escolas, com pontos opostos entre si, mas complementadas ou interrelacionadas com uma certa coerência. Uma delas, a Administração Científica, é desenvolvida nos Estados Unidos a partir dos trabalhos de Taylor, cuja compreensão de suas idéias sobre o aumento da eficiência no nível dos operários será estudada adiante. Uma outra escola, a Teoria Clássica, desenvolvida na França com os trabalhos pioneiros de Fayol, cuja preocupação era aumentar a eficiência da empresa por meio dos órgãos componentes da organização (departamentos) e das suas inter-relações estruturais. A Administração Científica busca o cuidado análítico e detalhista permitindo a especialização do operário e o reagrupamento de operações, tarefas, etc. A Teoria Clássica enfatiza a anatomia (estrutura) e fisiologia (funcionamento) da organização.

25 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.2 Administração Científica Típicamente, a compreensão da Escola da Administração Científica é a ênfase nas tarefas. A denominação Administração Científica é devido à tentativa de aplicação dos métodos da ciência aos problemas da Administração. A Escola da Administração Científica teve seu início no começo do século XX, através de Taylor, que tinha como preocupação básica eliminar o desperdício e elevar os níveis de produtividade através da aplicação de métodos e técnicas da engenharia industrial. Isto provocou uma evolução no pensmaento administrativo e no mundo industrial de sua contemporaneidade. Frederick Winslow Taylor ( ), nasceu em Filadélfia, Estados Unidos.Foi educado em uma mentalidade de disciplina, devoção ao trabalho e poupança. Sua atuação na Administração é destacada através de dois períodos distintos, baseados em duas grandes obras: Administração de Oficinas (1903) e Princípios de Administração Científica (1911).

26 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.2 Administração Científica Primeiro Período de Taylor O Primeiro Período de Taylor inicia-se com a publicação do seu livro Administração de Oficinas, em 1903, sobre as técnicas de racionalização do trabalho do operário, por meio do Estudo de Tempos e Movimentos. O trabalho de Taylor iniciou-se por baixo, junto aos operários no nível de execução, analisando as tarefas de cada funcionário, decomnpondo seus movimentos e processos de trabalho, buscando o parefeiçoamento e a racionalização gradativamente. Em sua obra Administração de Oficinas, Taylor observa que: O objetivo da Administração é pagar melhores salários e reduzir custos unitários de produção. Nesse caso, a Administração deve aplicar métodos científicos e estabelecer processos padronizados que permitam o controle das operações. Os empregados devem ser selecionados e colocados em seus postos com condições de trabalho adequadas para o bom cumprimento das normas. Os empregados devem ser treinados, visando uma melhor produção. Deve existir uma atmosfera de cooperação entre Administração e empregados.

27 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.2 Administração Científica Segundo Período de Taylor O segundo período de Taylor corresponde à época da publicação do seu livro Princípios de Administração Científica, em 1911, ao concluir que a racionalização do trabalho do operário deve ser acompanhada de uma estruturação geral da empresa para tornar coerente a aplicação dos seus princípios. Na concepção de Taylor, as indústrias contemporâneas padeciam de três grandes males: Vadiagem sistemática dos operários, que reduziam a produção para manter seus salários. Desconhecimento das rotinas de trabalho e do tempo necessário para sua realização. Falta de padrão das técnicas e métodos de trabalho. A melhoria da eficiência de cada operário provoca a melhoria em toda a empresa.

28 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.2 Administração Científica Administração como Ciência De acordo com Taylor, a organização e a Administração devem ser estudadas cientificamente e não empiricamente. O improviso deve dar lugar ao planejamento e o empirismo à ciência: a Ciência da Administração. O principal objetivo da Administração, para Taylor, é assegurar o máximo de prosperidade ao patrão e, ao mesmo tempo, o máximo de prosperidade ao emprego. Portanto, deve haver uma identidade de interesses entre empregados e empregadores. A Administração Científica parte da convicção de que os interesses de empregado e patrão resumem-se num único interesse: a prosperidade do empregador não pode existir por muito tempo se não for acompanhada da prosperidade do empregado. reciprocamente. Para o trabalhador, altos salários; para o patrão, baixos custos de produção.

29 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.2 Administração Científica Organização Racional do Trabalho Em seu estudo, Taylor verificou que os operários aprendiam a maneira de executar as tarefas do trabalho por meio da observação dos companheiros vizinhos. Esta operação levava a diferentes métodos para fazer a mesma tarefa e uma grande variedade de instrumentos e ferramentas diferentes. Apartir daí, Taylor postulou que esses métodos poderiam ser aperfeiçoados por meio de uma análise científica e um acurado estudo de tempos e movimentos, ao invés de ficar por conta de cada operário, resultando na denominação de Organização Racional do Trabalho (ORT). A Administração Científica orienta para uma divisão de responsabilidade: A administrção (gerência) absorve o planejamento (estudo do trabalho operário e o estabelecimento do método de trabalho e a supervisão (assistência contínua ao trabalhador durante a produção). O trabalhador fica apenas com a execução do traballho.

30 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.2 Administração Científica Organização Racional do Trabalho Aspectos em que se baseia a Organização Racional do Trabalho (ORT): Análise do trabalho e estudo dos tempos e movimentos; Estudo da fadiga humana; Divisão do trabalho e especialização do operário; Incentivos salariais e prêmios de produção; Condições ambientais de trabalho (iluminação, conforto, etc.); Padronização de métodos e de máquinas; Supervisão funcional. No quadro seguinte, encontra-se o resumo desses aspectos

31 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.2 Administração Científica Organização Racional do Trabalho Aspectos em que se baseia a Organização Racional do Trabalho (ORT): 1. Análise do trabalho e Estudo dos Tempos e Movimentos Adaptação dos operários à tarefa; eliminação do desperdício do esforço humano; capacitação do operário. 2. Estudo da Fadiga HumanaA fadiga humana é um redutor da eficiência. Para diminuí-la, planeja-se um ambiente adequado às ferramentas. 3. Divisão do Trabalho e Especialização do Operário Cada operário passa a ser especializado em uma única tarefa ou tarefas simples e elementares. 4. Incentivos Salariais e Prêmios de Produção. Substituição do salário mensal pelo salário de produção de cada operário (salário por peça, por exemplo). 5. Condições Ambientais de TrabalhoAdequação de instrumentos e ferramentas; melhoria do ambiente físico (iluminação, ruído, etc.); automaação. 6. Padronização de Métodos e de Máquinas A padronizaçãoconduz à simplificação na medida em que auniformidade reduz a variabilidade. 7. Supervisão FuncionalRepresenta a aplicação da divisão do trabalho e da especialização no nível dos surpervisores e chefes.

32 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.3 Teoria Clássica A Teoria Clássica se caracteriza pela ênfase na estrutura que a organização deve possuir para se tornar eficiente, diferentemente da Administração Científica, cuja ênfase é na tarefa, mas, se comparadas, verifica-se que ambas as teorias têm o mesmo objetivo: a busca da eficiência das organizações. Na Teoria Clássica, parte-se de todo organizacional e da sua estrutura para garantir eficiência a todas as partes que formam a empresa, sejam seções (departamentos) ou pessoas. O engenheiro francês Fayol foi o fundador da Teoria Clássica da Admnistração e partiu de uma abordagem sintética, global e universal da empresapara uma abordagem anatômica e estrutural, que viria suplantar a abaordagem analítica e concreta de Taylor. A Teoria Clássica da Administração, de Fayol, repercutiu imediatamente no mundo industrial de diversos países da Europa e nos Estados Unidos.

33 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.3 Teoria Clássica A Obra de Fayol O fundador da Teoria Clássica, Henri Fayol ( ), nasceu em Constantinopla e se radicou em Paris, onde faleceu. Vivenciou as consequências da Revolução Industrial e mais tarde, da Primeira Guerra Mundial. A Teoria Clássica de Fayol é baseada no seu livro Administração Industrial e Geral, publicado em 1916, o qual revela os diversos princípios e funções da Administração Clássica, muitos deles seguidos até hoje por diversas organizações mundiais. A obra de Fayol aborda os seguintes aspectos organizacionais: As funções básicas da empresa; Conceito de Administração; Diferença entre Administração e Organização; Princípios Gerais de Administração.

34 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.3 Teoria Clássica Funções Básicas da Empresa FUNÇÕESCARACTERÍSTICAS TécnicasRelacionadas com a produção de bens ou de serviços da empresa. ComerciaisRelacionadas com a compra, venda e permutação. FinanceirasRelacionadas com a procura e gerência de capitais. SegurançaRelacionadas com a proteção e preservação dos bens e das pessoas. ContábeisRelacionadas com inventários, registros, balanços, custos e estatíticas. AdministrativasRelacionadas com a integração das outras cinco funções, coordenando-as e harmonizando-as.

35 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.3 Teoria Clássica Conceito de Administração Fayol, em sua obra, define o ato de administrar como: prever, organizar, comandar, coordenar e controlar. Prever: visualizar o futuro e traçar o programa de ação. Organizar: Constituir o duplo organismo material e social da empresa. Comandar: Dirigir e orientar o pessoal. Coordenar: Ligar, unir, harmonizar todos os atos e todosos esforços coletivos. Controlar: Verificar que tudo ocorra de acordo com as regras estabelecidas e as ordens definidas. Fayol idealizou os elementos da Administração, aos quais chamou de processos administrativos.

36 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.3 Teoria Clássica Diferença entre Administração e Organização Mesmo reconhecendo a palavra administração como sinônimo de organização, Fayol faz uma distinção entre elas: a Administração é um todo, do qual a organização é uma das partes. A organização abrange somente o estabelecimento da estrutura e da forma, o que a caracteriza como estática e limitada. Nesta concepção, organização recebe o nome também de empresa.

37 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.3 Teoria Clássica Principíos Gerais de Administração de Fayol PRINCÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO CARACTERÍSTICAS 1. Divisão do TrabalhoRefere-se à especialização das tarefas e das pessoas para aumentar a eficiência. 2. Autoridade e Responsabilidade Autoridade é o direito de dar ordens e responsabilidade é uma consequência natural, significando o dever de prestar contas. 3. DisciplinaDepende da obediência, aplicação, energia, comportamento e respeito aos acordos estabelecidos. 4. Remuneração do pessoal É ajusta e garantida satisfação para os empregados e para a organização em termos de contribuição. 5. Unidade de comandoCada empregado deve receber ordens de apenas um superior. Trata-se do princípio da autoridade única. 6. Unidade de DireçãoUma cabeça e um plano para cada conjunto de atividades que tenham o mesmo objetivo.

38 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 3. ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 3.3 Teoria Clássica Principíos Gerais de Administração de Fayol (continuação) PRINCÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO CARACTERÍSTICAS 7. CentralizaçãoConsiste na concentração da autoridade no topo da hierarquia da organização. 8. Cadeia escalar ou hierarquização Refere-se à linha de autoridade que vai do escalão mais alto ao mais baixo. É a cahamada hierarquia do comando. 9. OrdemUm lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar. É a ordem material e humana. 10. Estabilidade do pessoal Quanto mais tempo no cargo, tanto melhor para a empresa. 11. IniciativaÉ a capacidade de visualizar um plano e assegurar o seu sucesso pessoalmente. 12. Espírito de equipeA união do pessoal é uma grande força para a organização.

39 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I CAROS ALUNOS: OS CONTEÚDOS PARA A AVALIAÇÃO DA UNIDADE I ENCERRAM-SE AQUI. Critérios de Avaliação: Data: Horário: 18:45h Valor: 0 a 7 (zero a sete) pontos somados aos pontos dos trabalhos de grupos (Taylor e Fayol). Valor dos Trabalhos de Taylor e Fayol: 0 a 3 (zero a três) pontos. Total da Avaliação da Unidade I: 0 a 10 (zero a 10 pontos). Evitem faltar à avaliação, pois o custo da 2ª chamada é muito alto para o aluno. Mas, na impossibilidade de fazer a avaliação, lembre-se que o prazo para requerer a 2ª chamada na Secretaria da Faculdade é de 48 horas após a realização da prova.

40 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II CAROS ALUNOS: INICIAM-SE A PARTIR DAQUI, OS CONTEÚDOS QUE SERVIRÃO DE BASE PARA A AVALIAÇÃO DA UNIDADE II A NOSSA SEGUNDA AVALIAÇÃO OCORRERÁ EM A PRESENÇA NA AVALIAÇÃO É FUNDAMENTAL PARA EVITAR A 2ª CHAMADA. MAS, SE ISTO OCORRER, OBSERVE O PRAZO PARA REQUERÊ-LA. DOE SANGUE! ALÉM DE SALVAR VIDAS, A SUA VIDA SE MULTIPLICA!

41 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.1 Conceito Segundo Chiavenato (2.000, p.113): A Teoria Neoclássica caracteriza-se por uma forte ênfase nos aspectos práticos da Administração, pelo pragmatismo e pela busca de resultados concretros e palpáveis, muito embora não se tenha descurado dos conceitos teóricos da Administração. Assim, os autores neoclássicos procuram desenvolver os seus conceitos de forma prática e utilizável, visando principalmente a ação administrativa. Entre esses autores, destacam-se: Peter Drucker, Ernest Dale, Harold Koontz, Ralph Davis, Louis Allen, entre outros. 4.2 Características da Teoria Neoclássica Pragmatismo: ênfase na prática da administração; Reafirmação dos postulados clássicos: retomada da Teoria Clássica da Administração; Ênfase nos princípios gerais de administração: Reestudo dos princípios de Fayol; Ênfase nos objetivos e nos resultados: a prática em evidência e em si mesmo; Ecletismo: Admite a base em outras teorias administrativas.

42 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.3 Diferenças entre eficiência e eficácia EFICIÊNCIAEFICÁCIA Ênfase nos meiosÊnfase nos resultados Fazer corretamente as coisasFazer as coisas certas Resolver problemasAtingir objetivos Cumprir tarefas e obrigaçõesObter resultados Treinar os subordinadosDar eficácia aos subordinados Manter as máquinasMáquinas em bom funcionamento Jogar futebol com arteGanhar a partida EstudarTirar boas notas

43 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.3 Diferenças entre eficiência e eficácia A eficiência preocupa-se com os meios, com os métodos e procedimentos mais indicados que precisam ser devidamente planejados e organizados a fim de assegurar a otimização da utilização dos recursos disponíveis. A eficácia é a busca do alcance dos resultados, ou seja, o atingimento dos objetivos da organização. CARO ALUNO: ESTABELEÇA AGORA, NOVOS EXEMPLOS DE DIFERENÇAS ENTRE EFICIÊNCIA E EFICÁCIA NEM SEMPRE UMA EMPRESA EFICIENTE SIGNIFICA QUE SEJA EFICAZ, OU VICE-VERSA. O IDEAL DE TODA ORGANIZAÇÃO É QUE ELA SEJA EFICIENTE E EFICAZ CONCOMITANTEMENTE.

44 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.4 Departamentalização A departamentalização é um meio para se obter homogeneidade de tarefas em cada órgão. O departamento designa uma área, divisão ou segmento distintos de uma empresa sobre a qual um administrador (independente do cargo), tem autoridade para o desempenho de atividades específicas. A deparatmentalização indica relações hierárquicas bem definidas. Por Exemplo: Um superintendente cuida de uma divisão; um gerente, de um departamento; um chefe, de uma seção; um supervisor, de um setor, etc. Essas terminologias podem ser modificadas conforme a filosofia organizacional de cada empresa Tipos de departamentalização Departamentalização por funções; Por produtos ou serviços; Por localização geográfica; Por clientes; Por projetos; Por fase do proceso.

45 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.4 Departamentalização Departamentalização por Funções Este tipo de departamentalização consiste no agrupamento das atividades e tarefas de acordo com as funções principais desenvolvidas dentro da empresa Vantagens e Desvantagens da Departamentalização Funcional Vantagens: Agrupa os especialistas sob uma única chefia comum, quando há uma tarefa especializada; Garante o máximo de utilização das habilidades técnicas das pessoas; Permite economia de escala pela utilização integrada de pessoas, máquinas e produção em massa; orienta as pessoas para uma específica atividade, concentrando sua competência de maneira eficaz; É indicada para empresas estáveis de poucas mudanças e que requeiram desempenho continuado de tarefas rotineiras; Reflete um dos mais altos níveis de autó-orientação de uma organizaçãoe de introversão administrativa.

46 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.4 Departamentalização Vantagens e Desvantagens da Departamentalização Funcional Desvantagens: Reduz a cooperação interdepartamental, pois exige forte concentração intradepartamental e cria barreiras entre os departamentos devido àênfase nas especialidades; Dificultaa adaptação e a flexibilidade à mudanças externas, em virtude da sua característica introvertida não visualizar oque ocorre for a da organização oude cada departamento; Promove o foco dos esforços das pessoas sobre suas próprias especialidades em detrimento do objetivo global da empresa. INDICA-SE A ESTRUTURA FUNCIONAL PARA CIRCUNSTÂNCIAS ESTÁVEIS E DE POUCA MUDANÇA, SENDO ACONSELHADA PARA EMPRESAS QUE POSSUAM POUCAS LINHAS DE PRODUTOS OU DE SERVIÇOS QUE SE MANTENHAM INALTERADOS POR LONGO TEMPO.

47 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.4 Departamentalização Organograma de departamentalização funcional Diretoria Departamento finanças Departamento vendas Departamento produção Setor de cadastro Tesouraria Setor de máquinas

48 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.5 Administração por Objetivos (APO) Origem Para Chiavenato (2000, p.175): A Administração por Objetivos (APO) ou administração por resultados constitui um modelo administrativo identificado com o espírito pragmático e democrático da Teoria Neoclássica. Seu aparecimento ocorreu em 1954, quando Peter Druker, através da publicação do seu livro Prática de Administração de Empresas, enfatizou a Administração por Objetivos, sendo considerado o criador da APO Características da APO A APO é um processo pelo qual gerentes e subordinados identificam objetivos comuns, definem as áreas de responsabilidade de cada um em termos de resultados esperados e utilizam esses objetivos como guias para a operação de negócios. Suas características são: Estabelecimento conjunto de objetivos entre o executivo e oseu superior; Estabelecimento de objetivos para cada departamento ou cargo; Interligação entre os vários objetivos táticos ou departamentos; Ênfase na mensuração e no controle dos resultados; Contínua avaliação, reavaliação e revisão dos planos; Participação atuante das gerências.

49 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 4. TEORIA NEOCLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO 4.5 Administração por Objetivos (APO) Benefícios e Problemas com a APO Benefícios da APOProblemas com a APO Aclaramento dos objetivos Melhoria do planejamento Padrões claros para controle Aumento da motivação do pessoal Avaliação mais objetiva Melhoria do Moral Orientação para produtos Orientação para a organização Orientação para as atividades Imposição sobre subordinados (cobrança de tarefas) Aprovação de objetivos incompatíveis Papelório em excesso Focalização sobre resultados mmais facilmente mensuráveis do que sobre resultados mais importantes Perseguição rígida de objetivos que poderiam ser abandonados Incoerência administrativa A APO teve seu apogeu, mas caiu no descrédito em função de três exageros: 1. Excesso de regulamentos; 2. Autocracia e imposição; 3- Motivação negativa.

50 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 5. MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO 5.1 Conceito A burocracia é uma forma de organização humana que se baseiana racionalidade, isto é, na adequação dos meios aos objetivos pretendidos, a fim de conseguir a máxima eficiência possível no alcance desses objetivos. 5.2 Características principais do Modelo Burocrático de Organização Caráter legal das normas e regulamentos; Caráter formal das comunicações; Caráter racional e divisão do trabalho; Impessoalidade nas relações; Hierarquia de autoridade; Rotinas e procedimentos estandardizados (padronizados); Competência técnica e meritocracia; Profissionalização dos participantes; Completa previsibilidade do funcionamento.

51 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 6. TEORIA ESTRUTURALISTA DA ADMINISTRAÇÃO 6.1 As Organizações O estruturalismo se preocupa com o todo e com o relacionamento das partes na constituição do todo. Em seu conceito, estruturalismo significa a análise interna de uma totalidade em seus elementos constitutivos, sua disposição, suas inter-relações, etc. A Teoria Estruturalista concentra-se no estudo das organizações, em sua estrutura interna e na interação com outras organizações. Para os estruturalistas como Etzioni, Blau e Scot, a sociedade moderna e industrializada é uma sociedade de organizações, das quais o homem passa a depender para nascer,viver ou morrer. Tais organizações são diferenciadas em função das características de personalidade dos seus participantes. As organizações constituem a forma dominante de instituição da moderna sociedade: são a manifestação de uma sociedade altamente especializada e interdependente, que se caracteriza por um crescente padrão de vida. As organizações permeiam todos os aspectos da vida moderna e envolvem a participação de numerosas pessoas.

52 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE I 7. TEORIA COMPORTAMENTAL DA ADMINISTRAÇÃO 7.1 Conceito A Teoria Comportamental da Administração dá um novo enfoque para a teoria administrativa através da abordagem das ciências do comportamento (behaviorismo), do abandono das posições normativas e prescritivas das teorias anteriores e da adoção de posições explicativas e descritivas, com ênfase nas pessoas, mas no contexto organizacional. 7.2 Hierarquia das Necessidades Humanas, de Maslow – Teoria da Motivação Abrham Maslow ( ) desenvolveu uma teoria da motivação, segundo a qual as necessidades humanas estão organizadas e dispostas em níveis, numa hierarquia de importância e influência e que pode ser visualizada como uma pirâmide. NECESSIDADES HUMANAS DE MASLOW Necessidades fisiológicas; Necessidades de segurança; Necessidades sociais; Necessidades de estima; Necessidades de auto-realização.

53 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II 7. TEORIA COMPORTAMENTAL DA ADMINISTRAÇÃO 7.3 A Pirâmide Hierárquica, segundo Maslow

54 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II 8. RESPONSABILIDADE SOCIAL ESSE CONTEÚDO SERÁ PASSADO ATRAVÉS DE PROJEÇÃO DE FILME OU PALESTRA, EM VOCÊ ENCONTRA MATÉRIA PERTINENTE A RESPONSABILIDADE SOCIAL NO SITE DO PROFESSOR: VISITE O SITE DA FACULDADE PIO DÉCIMO:

55 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II 9. TEORIA DA CONTINGÊNCIA 9.1 Abordagem Contingencial da Administração Pesquisas conduzidas por Alfred Chandler, na década de 60 deram conta que a estrutura de algumas empresas foi continuamente adaptada e ajustada a sua estratégia. Para Chandler, a estrutura organizacional teria sido, ao longo do tempo, determinada pela estratégia mercadológica das empresas (PEREIRA, 2004). A estrutura é representativa da forma escolhida pela organização para integrar seus recursos humanos e materiais, forma essa denominada de estratégia. A estratégia, por seu turno, insere-se no planejamento global da empresa, traçado pelo nível institucional para atender às demandas ambientais. Do confronto entre organização e ambiente, originou-se a Teoria da Contingência.

56 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II 9. TEORIA DA CONTINGÊNCIA 9.1 Abordagem Contingencial da Administração Segundo Chiavenato (2000), a Teoria da Contongência enfatiza que não há nada de absoluto nas organizações ou nas teorias administrativas. Tudo é relativo. Tudo depende. Existe uma relação funcional entre as condições do ambiente e as técnicas administrativas necessárias para o alcance eficaz dos objetivos da organização. Por entender que não existe uma única maneira certa de realizar e conduzir a ação organizacional, os contingencialistas defendem a idéia de que a estratégia e a estrutura adequadas dependerão de cada caso. As variáveis ambientais são variáveis independentes, enquanto as técnicas administrativas são variáveis dependentes, dentro de uma relação funcional.

57 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II 9. TEORIA DA CONTINGÊNCIA 9.1 Abordagem Contingencial da Administração Esquematicamente compreende-se a abordagem contingencial: são contingentes das para obter 9.2 Características da Teoria da Contingência Tudo depende das circunstâncias. Existem várias formas de atingir um objetivo. Os administradores devem adaptar suas organizações às contingências. Ações administrativas Características situacionais Resultados organizacionais

58 ADMINISTRAÇÃO UNIDADE II TÉRMINO DA UNIDADE II CRITÉRIOS PARA A AVALIAÇÃO DA SEGUNDA UNIDADE: Data da Prova: Horário: 18:45h Valor: 0 a 10 (zero a dez) A falta à prova implica em custos para o aluno. Evite a segunda chamada. Mas se isto ocorrer, lembre-se que o prazo para requerê-la na Secretaria da Faculdade é de 48 horas após a realização da prova. PRATIQUE VOCÊ TAMBÉM A SUA RESPONSABILIDADE SOCIAL. DOE SANGUE.

59 MENSAGEM FINAL UMA CAMINHADA SOMENTE SE COMPLETA QUANDO OS OBJETIVOS DE QUEM A FAZ SÃO ALCANÇADOS. CAROS ALUNOS: CONTINUEM NA CAMINHADA EM BUSCA DOS SEUS OBJETIVOS. LEMBREM-SE: FALTA MUITO POUCO PARA ATINGÍ-LOS. DEUS OS ABENÇOE. Abimael.


Carregar ppt "FACULDADE PIO DÉCIMO ENGENHARIA ELÉTRICA ADMINISTRAÇÃO Professor Abimael Ferreira Barbosa 5° PERÍODO PROGRAMAS E CONTEÚDOS Contatos: Site: www.abimaelfb.xpg.com.brwww.abimaelfb.xpg.com.br."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google