A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GRUPO NAS ORGANIZAÇÕES Danilo Monteiro Everaldo Félix Kelly Almeida Nivaldo Neto Rodrigo Paulo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GRUPO NAS ORGANIZAÇÕES Danilo Monteiro Everaldo Félix Kelly Almeida Nivaldo Neto Rodrigo Paulo."— Transcrição da apresentação:

1 GRUPO NAS ORGANIZAÇÕES Danilo Monteiro Everaldo Félix Kelly Almeida Nivaldo Neto Rodrigo Paulo

2 Definindo e classificando grupos Grupos Formais -Grupos de comando -Grupos de tarefa Grupos Informais -Grupos de interesse -Grupos de amizade

3 Porquê as pessoas se reúnem em grupos? Segurança Status Auto-estima Associação Poder Alcance de metas

4 Modelo de cinco estágios: -Formação -Tormenta -Normalização -Desempenho -Interrupção Estágios de desenvolvimento do grupo

5 Modelo do Equilíbrio Pontuado

6 Sociometria O que é? Ferramenta analítica utilizada para estudar interações de grupos; Como é medido? Através de entrevistas ou questionários entre integrantes do grupo estudado; O que é avaliado nessa pesquisa? Descobrir com quem as pessoas gostariam de trabalhar, ou não.

7 Alguns conceitos Redes sociais: Conjuntos de ligações entre indivíduos específicos. Agrupamentos: Grupos que existem dentro das redes sociais. Agrupamentos Prescritos: Grupos formais - Equipes de Trabalho; Agrupamentos emergentes: Grupos informais; Coalizões: Agrupamentos temporários;

8 Alguns conceitos Panelinhas: Agrupamentos informais que envolvem amizade; Estrelas: Indivíduo com a maioria das ligações numa rede; Ligações: Indivíduo conector de Agrupamentos mas, não pertencente a nenhum. Pontes: Conectores de Agrupamentos e pertencente aos mesmos. Isolados: não estão conectados a uma rede social.

9 Sociograma O resultado do estudo é apresentado sobre forma de um diagrama chamado Sociograma (diagrama que mapeia graficamente as interações sociais preferidas)

10 Sociograma

11 Implicações para o Gestor Previsão padrões de comunicação; Tomada de decisão para delegação de poderes; Gerenciamento de conflitos; Análise de fatores relacionados a Rotatividade ou absenteísmo; Comportamento de minorias.

12 Variáveis determinantes para sucesso dos grupos Capacidade dos membros do Grupo; Tamanho do Grupo; Nível de conflito; Pressões internas aos membros para se conformarem as normas do Grupo.

13 Grupos de Trabalho não existem em isolamento Influência de fatores externos......e internos Economia, Globalização, Clima, ambiente, Contingências no Geral; Características formadas pelas associações; Inteligência e motivação dos membros; Estrutura interna que define os papéis dos membros e as normas; Padrões de interação e processos dentro do Grupo; Relação processo-desempenho/satisfação do grupo, que é moderada pela tarefa desempenhada pelo grupo;

14 Tópicos externos impostos ao grupo Estratégia geral: define os objetivos da organização e meios para atingi-los; Estrutura de autoridade: Quem se reporta a quem? Quem decide? Que decisões podem ser tomadas por este grupo? Formalização: tentativa de padronizar o comportamento dos membros do grupo de trabalho.

15 Tópicos externos impostos ao grupo Recursos: o que um grupo é capaz de realizar é determinado pelo o que é possível ser realizado. Processo seletivo: os critérios usados pela organização de seleção de novos membros influencia a formação dos grupos de trabalho.

16 Tópicos externos impostos ao grupo Avaliação de metas e desempenho: Os grupos de trabalho tem metas desafiadoras e específicas? O alcance de metas é recompensado? Cultura organizacional: definição de padrões de comportamento dentro dos valores da empresa. Condições físicas: a maneira como as características físicas da organização é projetada e a influência na interação dos grupos de trabalho.

17 Recurso dos membros do grupo Conhecimentos, habilidades e capacidades: A corrida nem sempre é do mais rápido nem a batalha do mais forte, mas é melhor apostar neles. Características de personalidade: Traços individuais de personalidade afetando o desempenho do grupo e as variáveis dependentes da organização.

18 Estruturas dos grupos Papeis dos grupos -Identificação; -Percepção; -Expectativa; -Conflito.

19 Normas Classes comuns de normas; -Processos relacionados com o desempenho; -Fatores de aparência; -Arranjos sociais informais; -Alocação de recursos.

20 Processos de Grupo Sinergia; O efeito da facilitação social.

21 Duas cabeças pensam melhor que uma?

22 Pontos positivos da tomada de decisão em grupo Informações e conhecimentos mais completos; Diversidade de pontos de vista; Decisões de qualidade mais elevada; Fácil aceitação das soluções.

23 Pontos negativos da tomada de decisão em grupo Consomem muito tempo; Pressões para a conformidade dentro do grupo; Domínio individual ou sub-grupal nas discussões; Ambiguidade da responsabilidade.

24 Eficácia e Eficiência AtributoMelhor opção AcuráciaGrupal RapidezIndividual CriatividadeGrupal AceitaçãoGrupal EficiênciaIndividual (Salvo exceções) Eficácia = Eficiência

25 Fatores que afetam a capacidade de avaliação do grupo Pensamento grupal Fenômeno no qual as normas em relação ao consenso passam por cima da avaliação realista das alternativas de ação ; Mudança de posição grupal: Mudança no caráter da decisão, entre a decisão do grupo e a decisão individual, que pode ser feita pelos membros ;

26 Pensamento grupal Resistência às premissas básicas do indivíduo; Pressão do grupo; Tendência a não se desviar do consenso grupal; Ilusão de unanimidade.

27 Formas de minimizar o pensamento grupal Assumir um papel imparcial; O advogado do diabo; Discussão dos riscos e perigos das decisões.

28 Mudança de posição grupal Extremismo de posições; A decisão reflete a norma dominante; Conforto diante do grupo; Valorização do risco; Isenção da responsabilidade individual.

29 Técnicas de tomadas de decisão

30 Grupos de interação Grupos típicos nos quais os membros interagem entre si face a face Censura Pressão pela conformidade

31 Brainstorming Estimula especificamente toda e qualquer alternativa, ao mesmo tempo em que impede quaisquer críticas a essas alternativas Estímulo ao pensamento incomum

32 Técnica de grupo nominal Os membros se reúnem para escolher uma solução, de maneira sistemática, porém, independente 1.Reunião dos membros 2.Apresentação das ideias 3.Discussão grupal 4.Votação

33 Reunião eletrônica Os participantes interagem com computadores Uso da tecnologia Anonimato

34 Vantagens de cada técnica TécnicaVantagem Grupo de InteraçãoReforça a coesão do grupo BrainstormingMantém a pressão social ao mínimo Técnica de grupo nominalForma barata de gerar muitas ideias Reuniões eletrônicasProcessam rapidamente as ideias

35 Considerações Finais Desempenho: Grupos de Trabalho são parte de uma organização maior e diversos fatores (Justiça, estrutura de autoridade, estratégias da organização) podem proporcionar um clima favorável ou desfavorável para o Grupo funcionar. O Gerente deve ter uma visão geral, analisando o nível de apoio que as condições externas proporcionam ao Grupo Habilidades Exigidas e característica de Personalidades são pontos fundamentais para sucesso produtivo de um Grupo Relações observadas: (+) Percepção de papel X Avaliação de desempenho de um empregado (+) Conhecimento de normas X Comportamentos de seus membros (-) Ineqüidade de Status X Produtividade

36 Satisfação: A Satisfação do indivíduo é maior quando sua relação com empregados de níveis mais baixos são mínimos; Grupo Maiores estão ligados a uma satisfação mais baixa. Considerações Finais


Carregar ppt "GRUPO NAS ORGANIZAÇÕES Danilo Monteiro Everaldo Félix Kelly Almeida Nivaldo Neto Rodrigo Paulo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google