A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RIT DA – Trabalhando em Rede pela Defesa Agropecuária Brasileira Proc. 505.157/2007-1CNPq – CT-Agro Coord.: Prof. Dr. Evaldo F. Vilela (UFV)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RIT DA – Trabalhando em Rede pela Defesa Agropecuária Brasileira Proc. 505.157/2007-1CNPq – CT-Agro Coord.: Prof. Dr. Evaldo F. Vilela (UFV)"— Transcrição da apresentação:

1 RIT DA – Trabalhando em Rede pela Defesa Agropecuária Brasileira Proc /2007-1CNPq – CT-Agro Coord.: Prof. Dr. Evaldo F. Vilela (UFV)

2 Antecedentes Projeto Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária: fomentado pelo CNPq e Fundo Setorial para o Agronegócio (CT-Agro) com a proposta de identificar os gargalos do sistema de Defesa Agropecuária no Brasil e propor melhorias através de: – inovação tecnológica – formação de competências – formação de redes sociais

3 O que é Defesa Agropecuária? A Defesa Agropecuária é uma estrutura constituída de normas e ações que integram sistemas públicos e privados, sob o principio aglutinador da preservação ou melhoria da condição zoofitossanitária, em todo o território nacional, garantindo, assim, a proteção da saúde dos animais e a sanidade dos vegetais, a idoneidade dos insumos e dos serviços utilizados na agropecuária, além da identidade, qualidade e segurança higiênico-sanitária dos alimentos e demais produtos agropecuários. pfs

4 Defesa Agropecuária Brasileira Visão sistêmica Decentralização Garantias sanitárias: nacional e internacional Defesa Agropecuária + Saúde Pública = Alimento Seguro Def veg

5 Defesa Vegetal Pragas Quarentenárias Ausentes (A1) Pragas Quarentenárias Presentes (A2) Pragas Presentes peças

6 Ambiente Órgãos oficiais ICTs IESs Setor privado

7 Mapeamento de tecnologias e competências Levantamento de demandas do setor produtivo Levantamento de demandas de órgãos de defesa Apoio à elaboração de propostas de MP Produto: Diretório de Expertise em Defesa Agropecuária e Mapas Tecnológicos Produto: Discurso do Sujeito Coletivo Setor Privado: visão e demandas Produto: Discurso do Sujeito Coletivo Órgãos de Defesa: visão e demandas Produto: Cursos de Mestrado Profissional em Defesa Agropecuária RIT DA – Webdelphi Workshops de Integração Conferência sobre Defesa Agroécuária

8 ICTs 1. MAPEAMENTO DE TECNOLOGIAS E COMPETÊNCIAS

9 21 ICTs visitadas, 152 entrevistas, 220 tecnologias/ competências CNPMF (2) Moscamed (1) Cenargen (5) UnB (5) UFV (11) CNPGL (4) UFLA (7) UFMG (15) CNPGC (5) UFRA (1) CPATU (2) CPATSA (5) CNPF (2) UEL (9) CNPUV (3) UFPEL (7) UFRGS (13) UFSM (6) CNPSA (4) CNPDIA (4) UFSCAR (1) Unesp (4) USP Pirass. (3) CNPMA (3) Unicamp (5) Esalq (8) IB (7) IPEN (1) USP (7)

10

11

12 Espaço para comentários e sugestões do usuário, permite interação com pesquisador Espaço para comentários e sugestões do usuário, permite interação com pesquisador Link para descritivo da tecnologia

13

14 Órgãos oficiais Setor privado 2. LEVANTAMENTO DE VISÃO E DEMANDAS DO SETOR PRODUTIVO E ÓRGÃOS DE DEFESA AGROPECUÁRIA

15 Levantamento de Visão e Demandas O que há de bom? O que há de ruim? Como envolver a sociedade? Que tecnologias são demandadas? Como o Brasil está se saindo lá fora? O que há de bom? O que há de ruim? Como envolver a sociedade? Que tecnologias são demandadas? Como o Brasil está se saindo lá fora?

16 Árvore de Problemas Definição de Objetivos Estratégicos Faltam agrotóxicos para a cultura. O registro é demorado demais. Faltam técnicos na área de registro.

17 Demandas (Exemplos) Tecnológicas Não Tecnológicas TI Não TI 60% 40% 52% 48% Sistema para gestão de serviços Sistemas de inteligência (para diagnose, por exemplo) GTA e GTV eletrônico CFO e PTV eletrônico Informatização dos processos Sistemas de rastreabilidade Bancos de dados intercomunicantes Redes de informação Sistema para gestão de serviços Sistemas de inteligência (para diagnose, por exemplo) GTA e GTV eletrônico CFO e PTV eletrônico Informatização dos processos Sistemas de rastreabilidade Bancos de dados intercomunicantes Redes de informação Agrotóxicos: novas moléculas, tecnologias de aplicação Melhoramento de plantas e Biotecnologia Sistemas de diagnóstico Métodos alternativos para controle de pragas: feromônios, inimigos naturais Epidemiologia Agregação de valor a sementes Nanotecnologia Agrotóxicos: novas moléculas, tecnologias de aplicação Melhoramento de plantas e Biotecnologia Sistemas de diagnóstico Métodos alternativos para controle de pragas: feromônios, inimigos naturais Epidemiologia Agregação de valor a sementes Nanotecnologia Infraestrutura Arcabouço legal Capacitação técnica Certificação Articulação entre setor privado euniversidades Infraestrutura Arcabouço legal Capacitação técnica Certificação Articulação entre setor privado euniversidades

18 IESs MESTRADOS PROFISSIONAIS

19 MPs IDAF UFRA AGED Univasf UNEB UFRB ADAB UESC UnB UFG Agrodefesa UFPR UDESC UCS UERGS UFRGS UFES UFU UFV UFMG UFLA IES OEDSA USP Unioeste

20 MPs UFRA: MP em Defesa Sanitária Vegetal, com ênfase em Culturas de Relevância Econômica para a Amazônia UFES: MP em Engenharia de Produção aplicada à Defesa Agropecuária UFV: MP em Defesa Sanitária Vegetal UFMG + UnB: MP em Defesa Agropecuária UFPR: Defesa Sanitária Animal UFRB: MP em Defesa Agropecuária UEL: MP em Medicina Aviária, Gestão e Empreendedorismo das cadeias produtivas avícolas

21

22

23

24

25

26

27

28 Aprox membros 38 anos Nível superior (>90%) Todas UFs Aprox membros 38 anos Nível superior (>90%) Todas UFs Estudante ICT IES MAPA OEDSA Outros Setor Privado

29 CONF

30

31 Coordenação Evaldo F. Vilela Altino Rodrigues Neto Inácio Kroetz

32 Objetivo Propiciar um espaço de integração dos agentes do sistema brasileiro de defesa agropecuária: órgãos de defesa agropecuária, setor empresarial, produtores, universidades e instituições de pesquisa e extensionistas

33 Público-Alvo Fiscais Agropecuários Pesquisadores Docentes e pós-graduandos Empresários do Agronegócio Produtores Rurais Agroindustriais Exportadores e importadores Extensionistas Representantes de órgãos de fomento à pesquisa e pós-graduação Representantes de entidades de classe Número esperado de participantes: 1.200

34 Componentes Workshops de integração (Projeto Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária) Encontro dos Pesquisadores e Mostra de Tecnologias do Edital N. 064/2008 SDA/MAPA/CNPq Workshop FAO Reunião do Fórum Nacional de Executores de Sanidade Agropecuária Encontro dos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária Palestras e Cursos Mostra de TI para o Agronegócio

35 Produtos Fundamentos de Defesa Agropecuária Livro texto destinado a estudantes de Graduação e Pós-graduação Cenários e tendências para a Defesa Agropecuária no Brasil Livro oriundo dos Workshops de Integração na qual se apresentará uma visão de futuro com base nos pareceres de painelistas sobre os artigos apresentados Diretório Brasileiro de Expertise em Defesa Agropecuária Catálogo de tecnologias e competências, oriundo da Prospecção Tecnológica e do Edital 064/2008 (online e impresso) FIM

36 RESULTADO ESPERADO DO PROJETO

37 Resultado esperado Órgãos Oficiais ICTs IESs Setor Privado

38 Contato e informações Prof. Dr. Evaldo F. Vilela (Coordenador) Universidade Federal de Viçosa Dra. Regina L. Sugayama (Consultora) Agropec Pesquisa, Extensão e Consultoria Skype: rsugayama


Carregar ppt "RIT DA – Trabalhando em Rede pela Defesa Agropecuária Brasileira Proc. 505.157/2007-1CNPq – CT-Agro Coord.: Prof. Dr. Evaldo F. Vilela (UFV)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google