A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ SAÚDE DA MULHER GESTAÇÃO COMO PROCESSO FISIOLÓGICO 8/2011 Professor Raul.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ SAÚDE DA MULHER GESTAÇÃO COMO PROCESSO FISIOLÓGICO 8/2011 Professor Raul."— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ SAÚDE DA MULHER GESTAÇÃO COMO PROCESSO FISIOLÓGICO 8/2011 Professor Raul

2 A gestação é um fenômeno fisiológico e, por isso mesmo, sua evolução se dá, na maior parte dos casos sem intercorrência. Algumas observações clínicas e estatísticas demonstram que cerca de 90% das gestações começam, evoluem e terminam sem complicações, são as de baixo risco. Outras, contudo, já se iniciam com problemas ou estes surgem durante o seu transcurso, são de alto risco.

3 O objetivo da assistência prénatal é garantir o bom andamento das gestações de baixo risco e, também, identificar adequada e precocemente quais as que tem mais chances de apresentar uma evolução desfavorável. Elas deverão ser tratadas e, se necessário, encaminhadas para um nível de assistência mais complexo.

4 Quanto a qualidade de atenção dedicada ao prenatal, verifica-se o não cumprimento das normas e rotinas por parte dos profissionais e o não preenchimento de registros. Observa-se também que os cuidados dispensados são inversamente direcionados às necessidades, com carência de uma visão coletiva no planejamento das ações de saúde do serviço, o que interfere na execução das normatizações

5 Lembremos que fatores de risco inclui circunstâncias ou características que se associam a uma maior probabilidade de ocorrerem desfechos desfavoráveis. Podem ser fatores que caracterizam o individuo, a família, o grupo, a comunidade ou o ambiente. Estudos tem demonstrado que : a primeira gestação, a alta paridade, a gestação em idade reprodutiva precoce ou tardia, os abortamentos prévios, e a desnutrição. São fatores de risco universais, que contribuem para aumentar a probabilidade de morbimortalidade perinatal. Um importante indicador de saúde é o coeficiente de mortalidade materna, que, no Brasil, por deficiência nas notificações dos casos nos atestados de óbito, não fornece a real dimensão do problema. E taxas alta refletem a qualidade do cuidado prénatal oferecido pelo sistema de saúde.

6 SINAIS E SINTOMAS Inúmeras mudanças que as mulheres apresentam são usadas para diagnosticar a gestação. Tais mudanças incluem sinais: de presunção ou subjetivos; de probabilidade ou objetivos; de certeza ou diagnóstico.

7 SINAIS E SINTOMAS SINAIS DE PRESUNÇÃO: não confirmam gestação porque outros fatores podem causá-los. Em associação com outros sinais,no entanto, podem ser diagnósticos. O primeiro sinal que as mulheres geralmente apresentam é amenorréia. Em mulheres com ciclos regulares, a falta de um ou dois períodos menstruais sugere gestação Enjoo matinal, náuseas e vômitos; geralmente ocorrem pela manhã e desaparecem durante o dia, podendo variar de desagrado por determinados alimentos e odores aos vômitos durante à noite

8 SINAIS E SINTOMAS A náusea e o vômito aparece seis semanas após a menstruação e duram cerca de 6 a 12 semanas, terminando no inicio do segundo trimestre Fadiga excessiva durante o primeiro trimestre Maior freqüência urinária Mudança nas mamas, incluindo aumento, sensação de formigamento e sensibilidade aumentada durante as primeira as semanas Pigmentação dos mamilos e aréolas também podem mudar, juntamente com a maior visibilidade das veias, sobretudo nas peles claras, ocorrendo depois do segundo mês Percepção dos movimentos fetais entre a décima sexta e a vigésima semana de gestação

9 SINAIS E SINTOMAS SINAIS DE PROBABILIDADE: são as alterações objetivas investigadas pelo examinador, não são definitivos podendo resultar em sinais de outros fatores. As mudanças no útero e na vagina são os únicos sinais prováveis detectáveis no primeiro trimestre: amolecimento da cérvice (sinal de Goodell) A coloração violeta-escura da cérvice, vagina e vulva (sinal de Chadwick) Amolecimento da parte inferior do útero entre a cérvice e o corpo (sinal de Hegar )

10 SINAIS E SINTOMAS O fundo de útero é palpável imediatamente acima da sínfise pubiana; da décima a décima segunda semana de gestação e na altura do umbigo da vigésima a vigésima segunda semana de gestação O examinador pode usar a manobra de Leopold para sentir o contorno fetal a partir da vigésima quarta semana A palpação abdominal pode revelar as contrações de Braxton-Hicks na vigésima oitava semana (contrações inocentes)

11 SINAIS E SINTOMAS Os teste de gravidez de gravidez baseiam-se na detecção do hCG (Gonadotrofina Coriônica Humana): De sangue: o hCG aparece no soro da gestante logo após a implantação do oócito fertilizado atingindo os níveis mensuráveis 8 a 9 dias após a ovulação e seu pico é entre 60 e 70 dias de gestação. De urina com fita reagente O teste de sangue detecta mais precocemente a presença do hCG no soro. Podendo ter resultado falso-positivo pela presença do hormônio luteinizante

12 SINAIS DE CERTEZA são aqueles que confirmam absolutamente a gestação: O coração fetal pelo Sonar ou estetoscópio de Pinar com décima sétima à décima nona semanas e com o doppler a partir da oitava até a décima segunda semana. A frequência normal, entre120 e 160 bpm é ouvida melhor no dorso do feto. O movimento do coração fetal ocorre primeiramente em torno da quarta semana e pode ser detectado pela ecocardiotocografia a partir de 48 dias após o primeiro dia da última menstruação ou pela USG Transvaginal na quinta semana SINAIS E SINTOMAS

13 Visualização do feto pela USG. Visualização do saco gestacional entre 4 a 6 semanas confirma a gestação Movimentos fetais que o examinador pode sentir a partir da vigésima semana


Carregar ppt "UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ SAÚDE DA MULHER GESTAÇÃO COMO PROCESSO FISIOLÓGICO 8/2011 Professor Raul."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google