A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Definição Doença sistêmica causada por um protozoário parasita intracelular obrigatório, que invade vários tecidos do organismo de várias espécies animais,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Definição Doença sistêmica causada por um protozoário parasita intracelular obrigatório, que invade vários tecidos do organismo de várias espécies animais,"— Transcrição da apresentação:

1

2 Definição Doença sistêmica causada por um protozoário parasita intracelular obrigatório, que invade vários tecidos do organismo de várias espécies animais, inclusive o homem.

3 Histórico 1908 – Brasil - Afonso Splendore – Tecidos de coelhos – Tunísia (África) – Nicolle e Manceaux – Roedor Norte Africano (Ctenodactylus gondii) – Nicolle e Manceux – Criaram o gênero Toxoplasma e a espécie Toxoplasma gondii 1923 – Jankú - Praga (Tchecoslováquia) – Toxoplasmose congênita em humanos. - Avaliou o perigo da doença à criança dentro do ventre materno.

4 Histórico 1939 – Wolf, Cowan e Paige – grande interesse devido a encefalite difusa e coriorretinite em bebê de 21 dias – Pinkerton e Weinman – descreveram um caso fatal generalizado em adulto jovem – Frenkel, Dubey e Miller – definiram o ciclo biológico completo do parasita Toxoplasma gondii.

5 Agente Etiológico Toxoplasma gondii, protozoário coccídio intracelular próprio dos gatos e pertencente à família Sarcocystidae, classe Sporozoa. Pequeno parasita protozoário (5 X 2 micra) Protozoário intra-celular obrigatório do grupo dos Coccídio Parasita qualquer célula nucleada de mamíferos

6 Formas Infectantes 1.Taquizoítos – são formas que se multiplicam rapidamente (forma proliferativa), que se encontram nos órgãos, linfa, sangue e secreções de animais na fase aguda da doença. 2.Bradizoítos – são formas de lenta multiplicação, encontrados nos cistos teciduais, músculos, fígado, pulmão e cérebro que causam infecção latente ou crônica (forma cística). 3.Esporozoítos – são encontrados nos oocistos, que se formam exclusivamente no intestino do gato e felino silvestres (infectados).

7 Formas infectantes Taquizoítos Esporozoítos EsporozoítosBradizoítos

8 Resistência O oocisto em fezes ou suspensos na água permanecem infectados por até 400 dias em temperaturas entre 4 a 37º C. O oocisto em fezes ou suspensos na água permanecem infectados por até 400 dias em temperaturas entre 4 a 37º C. Oocistos esporulados são mortos por algum tempo congelando a -21º C, enquanto não esporulados são mortos de 1 a 7 dias na mesma temperatura. Oocistos esporulados são mortos por algum tempo congelando a -21º C, enquanto não esporulados são mortos de 1 a 7 dias na mesma temperatura. Cistos em carne de porco são mortos em 336 seg. em 49º C, 44 seg. a 55º C, 6 seg. a 61º C Cistos em carne de porco são mortos em 336 seg. em 49º C, 44 seg. a 55º C, 6 seg. a 61º C

9 Carne cozida em 80º C por alguns minutos não contém o organismo. Carne cozida em 80º C por alguns minutos não contém o organismo. Carne mal passada não terá atingido a temperatura ideal para destruir o organismo. Carne mal passada não terá atingido a temperatura ideal para destruir o organismo. Cistos presentes em carnes de carneiro e porco são inativados congelando a – 9,4º C ou menos. Cistos presentes em carnes de carneiro e porco são inativados congelando a – 9,4º C ou menos. Resistência

10 Resistência A resistência do T. gondii aos agentes físicos e ao meio ambiente é pequena. A resistência do T. gondii aos agentes físicos e ao meio ambiente é pequena. Não resistem mais que algumas horas à temperatura de 23 a 25ºC. Não resistem mais que algumas horas à temperatura de 23 a 25ºC. Na temperatura de 56ºC são destruídos em 30 min. Na temperatura de 56ºC são destruídos em 30 min. Destruído pelo álcool 70% e o fenol 5% em 10 minutos (Veronesi et al.,... Pg 705). Destruído pelo álcool 70% e o fenol 5% em 10 minutos (Veronesi et al.,... Pg 705).

11 A toxoplasmose é uma zoonose muito importante freqüente em nosso meio. A toxoplasmose é uma zoonose muito importante freqüente em nosso meio. Pode-se afirmar que esta zoonose é de distribuição universal, sem preferência de sexo ou raça. Pode-se afirmar que esta zoonose é de distribuição universal, sem preferência de sexo ou raça. Alguns autores citam que um terço da população mundial está afetada. Alguns autores citam que um terço da população mundial está afetada. A grande maioria dos infectados estão de forma crônica e assintomática. A grande maioria dos infectados estão de forma crônica e assintomática. Estudos sorológicos nos Estados Unidos estimam que 30% dos gatos e 25 a 50% dos seres humanos encontram-se infectados. Estudos sorológicos nos Estados Unidos estimam que 30% dos gatos e 25 a 50% dos seres humanos encontram-se infectados. Aspectos Epidemiológicos

12 Prevalência da doença: Prevalência da doença: Animais Estudos epidemiológicos têm revelado uma alta prevalência da toxoplasmose em animais de produção. No Brasil, cerca de 20 a 50% dos ovinos são afetados. Animais Estudos epidemiológicos têm revelado uma alta prevalência da toxoplasmose em animais de produção. No Brasil, cerca de 20 a 50% dos ovinos são afetados. Humanos No Brasil estima-se que 70% da população adulta é reativa aos antígenos toxoplásmicos. Humanos No Brasil estima-se que 70% da população adulta é reativa aos antígenos toxoplásmicos.

13 Aspectos Epidemiológicos Hospedeiro definitivo: classe felidae (gatos, tigres, etc.) Hospedeiro definitivo: classe felidae (gatos, tigres, etc.) Hospedeiro intermediário: carnívoros, herbívoros, roedores, porco, primatas, humanos e outros mamíferos. Hospedeiro intermediário: carnívoros, herbívoros, roedores, porco, primatas, humanos e outros mamíferos. Hospedeiro de transporte: insetos e minhocas. Hospedeiro de transporte: insetos e minhocas. Reservatórios: gatos, aves, caprinos, ovinos, bovinos, cães, roedores e o homem. Reservatórios: gatos, aves, caprinos, ovinos, bovinos, cães, roedores e o homem.

14 Aspectos Epidemiológicos Período de incubação: De 10 a 23 dias, quando a fonte é a ingestão de carne; De 10 a 23 dias, quando a fonte é a ingestão de carne; De 5 a 20 dias quando se relaciona com o contato com animais. De 5 a 20 dias quando se relaciona com o contato com animais. Vigilância epidemiológica A doença não é objeto de ações de vigilância epidemiológica, entretanto tem hoje grande importância para a saúde pública devido a sua associação com a SIDA e pela gravidade dos casos congênitos. A doença não é objeto de ações de vigilância epidemiológica, entretanto tem hoje grande importância para a saúde pública devido a sua associação com a SIDA e pela gravidade dos casos congênitos.Notificação Não é doença de notificação compulsória Não é doença de notificação compulsória

15 Formas de Transmissão 1 - a ingestão de oocistos do solo, água, areia, alimentos contaminados e onde os gatos defecam, em torno das casas e jardins; 2 - ingestão de carne crua ou mal cozida, contendo cistos teciduais, especialmente de porco e carneiro; 3 - infecção transplacentária, ocorrendo em 40% dos fetos, de mães que adquiriram a infecção durante a gravidez.

16

17 Fisiopatologia do T. gondii Hospedeiros intermediários: essa série de eventos caracteriza o chamado ciclo extra-intestinal ou sistêmico. Após a ingestão, via oral, as paredes externas dos cistos ou dos oocistos, são rompidas por degradação enzimática e as formas infectantes (bradizoítos e esporozoítos) são liberadas no lúmen intestinal. Após a ingestão, via oral, as paredes externas dos cistos ou dos oocistos, são rompidas por degradação enzimática e as formas infectantes (bradizoítos e esporozoítos) são liberadas no lúmen intestinal. Eles rapidamente invadem e se multiplicam dentro das células circundantes, onde se tornam Taquizoítos. Eles rapidamente invadem e se multiplicam dentro das células circundantes, onde se tornam Taquizoítos. A seguir a disseminação dos taquizoítos do T. gondii ocorre pelo rompimento das células infectadas, seguida da invasão de células vizinhas. A seguir a disseminação dos taquizoítos do T. gondii ocorre pelo rompimento das células infectadas, seguida da invasão de células vizinhas.

18 Fisiopatologia do T. gondii Eles invadem o tecido linfóide associado ao intestino e se disseminam pelos linfáticos, sangue e macrófagos infectados praticamente para todos os órgãos. Eles invadem o tecido linfóide associado ao intestino e se disseminam pelos linfáticos, sangue e macrófagos infectados praticamente para todos os órgãos. Em aproximadamente duas semanas o hospedeiro começa a desenvolver imunidade, o que faz com que a taxa de multiplicação do parasita diminua. Em aproximadamente duas semanas o hospedeiro começa a desenvolver imunidade, o que faz com que a taxa de multiplicação do parasita diminua. Os organismos com lenta taxa de multiplicação, agora chamados Bradizoítos, onfinam-se num cisto de parede elástica, no citoplasma das células infectadas. Os organismos com lenta taxa de multiplicação, agora chamados Bradizoítos, confinam-se num cisto de parede elástica, no citoplasma das células infectadas. A resposta imune do hospedeiro destrói os Taquizoítos, mas os bradizoítos ficam protegidos pelo cisto intra- celular e permanecem viáveis por muito anos em estado latente. A resposta imune do hospedeiro destrói os Taquizoítos, mas os bradizoítos ficam protegidos pelo cisto intra- celular e permanecem viáveis por muito anos em estado latente.

19 Fisiopatologia do T. gondii Hospedeiros definitivos: classe felidae. Além dos ciclo anterior, ocorre também o ciclo sexual no intestino, caracteriza o ciclo Entero-Epitelial Hospedeiros definitivos: classe felidae. Além dos ciclo anterior, ocorre também o ciclo sexual no intestino, caracteriza o ciclo Entero-Epitelial Após o gato ingerir tecidos contendo cistos, as paredes desses cistos são dissolvidos pelos sucos digestivos no estômago e intestino delgado. Após o gato ingerir tecidos contendo cistos, as paredes desses cistos são dissolvidos pelos sucos digestivos no estômago e intestino delgado. O Bradizoítos liberados penetram nas células epiteliais do intestino delgado e iniciam uma série de gerações sexuadas, geneticamente determinadas. O Bradizoítos liberados penetram nas células epiteliais do intestino delgado e iniciam uma série de gerações sexuadas, geneticamente determinadas. Após o gameta masculino fertilizar o gameta feminino uma parede é formada ao redor do gameta feminino fertilizado (ZIGOTO), a fim de formar um oocisto. Após o gameta masculino fertilizar o gameta feminino uma parede é formada ao redor do gameta feminino fertilizado (ZIGOTO), a fim de formar um oocisto.

20 Fisiopatologia do T. gondii Os oocistos não estão esporulados quando passados nas fezes e portanto não são infectantes. Os oocistos não estão esporulados quando passados nas fezes e portanto não são infectantes. Após a exposição ao ar, aí então eles (oocistos)esporulam. Após a exposição ao ar, aí então eles (oocistos)esporulam. Passando a conter dois esporocistos, cada um com quatro esporozoítos. Passando a conter dois esporocistos, cada um com quatro esporozoítos. A esporulação demora em média 3 dias após a excreção, dependendo de condições ambientais. A esporulação demora em média 3 dias após a excreção, dependendo de condições ambientais.

21 Tipos de Toxoplasmose Toxoplasmose febril aguda Linfadenite toxoplásmica Toxoplasmose ocular Toxoplasmose neonatal Toxoplasmose no paciente imunodeprimido Toxoplasmose e gravidez

22 Aspectos Clínicos Humana: A Toxoplasmose é responsável por determinar quadros variados, desde Infecção assintomática a manifestações sistêmicas extremamente graves. Animal: Na Toxoplasmose animal o aborto e a pneumonia são os sintomas mais freqüentes.

23 Sintomatologia Clínica Gato: abortamento, moléstia neonatal, febre, anorexia, perda de peso, pneumonia e distúrbios neurológicos (SNC). Cão: sintomas semelhantes com os da cinomose. São observados transtornos gástricos, cerebrais e pneumônicos; os cães jovens (entre 2 meses e 2 anos) são mais susceptíveis. Suínos: leitões podem apresentar simples eczema de pele, vertigens, debilidade, tremores musculares, dispnéias, tumefação testicular, febre alta, pneumonia, enterites e nefrites.

24 Sintomatologia Clínica Bovinos: febre, taquipnéia, dispinéia, tosse, inapetência ou decúbito permanente. Ratos: raramente se infectam, ocorrendo com maior freqüência em casos experimentais; Coelhos: apatia, deixam-se capturar facilmente; Caprinos: pirexia, hipertrofia dos linfonodos, anemia, enterite e encefalite. A forma subclínica é acompanhada de aborto, em alguns casos podem ocorrer mortalidade neo-natal, natimorto, reabsorção embrionária e nascimento de fetos mumificados.

25 Diagnóstico Laboratorial Sabin-Feldman: requer parasitos vivos Diagnóstico sorológico (IgM e IgG): - HA - Hemaglutinação indireta: para "screening" - Imunofluorescência indireta IgM - fase aguda IgG - fase crônica

26 Diagnóstico Laboratorial - Ensaio Imunoenzimático (ELISA): utilizando antígenos construídos por biologia molecular, detecta a fase aguda (IgM) e a fase crônica (IgG). - ELISA: PCR: somente combinada com outros métodos Pesquisa do agente: Método de Isolamento do Parasita - Detecção de taquizoíto (esfregaço e biópsia); - Detecção de oocistos nas fezes. COBAIAS O Isolamento do toxoplasma da placenta, dos tecidos fetais e dos fluídos orgânicos através da inoculação em camundongos também é utilizado como meio de diagnóstico.

27 Achados Patológicos Lesões bastante variáveis: Lesões bastante variáveis: Necrose focal – gânglios linfáticos, fígado, baço, miocárdio, cérebro, ocular e pulmonar. Necrose focal – gânglios linfáticos, fígado, baço, miocárdio, cérebro, ocular e pulmonar. Felinos – úlceras e granulomas podem ser vistos no estômago e intestino delgado. Felinos – úlceras e granulomas podem ser vistos no estômago e intestino delgado.

28 Diagnóstico Diferencial Felinos: Felinos: Felv (vírus da leucemia felina); Felv (vírus da leucemia felina); FIV (vírus da imunodeficiência felina) FIV (vírus da imunodeficiência felina) Cães:Cães: Cinomose; Cinomose; Neospora caninum Neospora caninum Humanos:Humanos: Citomegalovírus Citomegalovírus Malformações congênitas Malformações congênitas Neurocisticercose Neurocisticercose Doenças febris Doenças febris

29 Tratamento Eleição : SulfadiazinaSulfadiazina PirimetaminaPirimetamina Drogas menos Ativas : ClindamicinaClindamicina EspiramicinaEspiramicina Drogas em teste : AzitromicinaAzitromicina ClaritromicinaClaritromicina DapsonaDapsona RifabutinaRifabutina TrovafloxacinTrovafloxacin AtovaquoneAtovaquone

30 Medidas de Controle Evitar o consumo de produtos animais crus ou mal cozidos (caprinos e suínos); Lavar as mãos após manipular carne crua ou terra contaminada; Impedir acesso de gatos em locais que armazenam ração; Impedir que crianças brinquem em caixas de areia; Grávidas no pré-natal devem fazer o exame para detecção da toxoplasmose;

31 Medidas de Controle As gestantes devem lavar as mãos e utilizar luvas ao manusear terra e jardins para evitar a infecção; Limpar com álcool ou desinfetante o local onde o gato defeca; Alimentar os gatos e cães domésticos com ração própria, alimentos enlatados ou cozidos; não se deve oferecer carne crua; Pessoas que trabalham em frigoríficos e açougues devem usar luvas para manipulação dos produtos carneos. Vetores, como moscas e baratas, devem ser eliminados, pois transportam o agente do T.gondii.

32 Saúde Pública Zoonose de alta ocorrência. Facilidade de contaminação de produtos e subprodutos de origem animal utilizados para consumo humano.Zoonose de alta ocorrência. Facilidade de contaminação de produtos e subprodutos de origem animal utilizados para consumo humano. A presença do parasita nos alimentos de origem animal, carne e leite, é de especial interesse em saúde pública, tendo-se em conta que estes alimentos, quando inadequadamente preparados, constituem-se em uma das principais fontes de infecção para o homem.A presença do parasita nos alimentos de origem animal, carne e leite, é de especial interesse em saúde pública, tendo-se em conta que estes alimentos, quando inadequadamente preparados, constituem-se em uma das principais fontes de infecção para o homem. É fato de grande preocupação a transmissão da toxoplasmose através do leite in natura ou mal esterilizado (principalmente caprina).É fato de grande preocupação a transmissão da toxoplasmose através do leite in natura ou mal esterilizado (principalmente caprina).

33 Saúde Pública A comprovação do parasita na carne de animais de frigoríficos resulta de especial interesse em saúde pública, porém, não é detectável em inspeção devido ao seu pequeno tamanho (menor que 5 micras).A comprovação do parasita na carne de animais de frigoríficos resulta de especial interesse em saúde pública, porém, não é detectável em inspeção devido ao seu pequeno tamanho (menor que 5 micras). Infecção no homem:Infecção no homem: Consumo de água, carnes, verduras e frutas contaminadas pelas fezes de animais doentes ou sadios.Consumo de água, carnes, verduras e frutas contaminadas pelas fezes de animais doentes ou sadios. Devido a complexidade e natureza da doença, as ações de profilaxia devem ser desenvolvidas em perfeita integração pelas instituições de saúde e os profissionais de saúde.Devido a complexidade e natureza da doença, as ações de profilaxia devem ser desenvolvidas em perfeita integração pelas instituições de saúde e os profissionais de saúde.


Carregar ppt "Definição Doença sistêmica causada por um protozoário parasita intracelular obrigatório, que invade vários tecidos do organismo de várias espécies animais,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google