A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO 6ª AULA FLUIDOS COMUNHÃO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES - 2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO 6ª AULA FLUIDOS COMUNHÃO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES - 2011."— Transcrição da apresentação:

1 CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO 6ª AULA FLUIDOS COMUNHÃO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES

2

3

4

5 CONCEITO DE FLUIDO Na natureza parece que se encontra uma substância sutilíssima, tenuíssima e volicíssima que, despreendendo-se pelo universo, penetra por toda a parte sem oposição, aquece, vivifica e torna fecunda todas as criaturas vivas. Galileu Galilei (1564/1642)

6 FLUIDO Um dos grandes mistérios que a Ciência humana procura esclarecer é o da existência de uma matéria básica universal, do princípio elementar do universo, capaz de servir como ponto de partida para a origem dos elementos físicos conhecidos.Embora pesquisadores, em todo o mundo, tenham se empenhado no estudo da estrutura íntima dos átomos, ainda não se conseguiu encontrar esse elemento básico primitivo

7

8 No século XIX quando começaram as manifestações dos Espíritos, eles revelaram uma teoria onde explicavam de forma racional a origem das coisas materiais e espirituais. Diziam que havia por toda a Criação um elemento primitivo etéreo, denominado fluido universal e que todos os elementos materiais conhecidos seriam formas modificadas desse fluido.

9 O Espiritismo, através dos fenômenos de efeito físico, demonstrou a existência do fluido universal, base de todos os elementos materiais.

10 FLUIDO UNIVERSAL O fluido universal é a matéria básica fundamental de todo o Universo material e espiritual, a matéria elementar primitiva. É altamente influenciável pelo pensamento(que é uma forma de energia), podendo se modificar, assumir formas e propriedades particulares. O fluido universal preenche todo o espaço existente entre os mundos.Por meio dele viajam as ondas do pensamento, do mesmo modo que as ondas sonoras se projetam na camada atmosférica.

11 OS DOIS ESTADOS DO FLUIDO o da imponderabilidade ou de eterização (estado normal primitivo)= fenômenos do mundo invisível e o de ponderabilidade ou de materialização = fenômenos do mundo visível. Logicamente entre os dois pontos existem inúmeras formas intermediárias de transformação do fluido em matéria tangível

12 FLUIDO VITAL uma das modificações mais importantes do fluido universal. é o responsável pela força motriz que movimenta os corpos vivos é responsável pela animalização da matéria

13

14 L.E. Q 70, encontramos: A quantidade de fluido vital não é a mesma em todos os seres orgânicos: varia segundo as espécies e não é constante no mesmo indivíduo, nem nos vários indivíduos de uma mesma espécie. Há os que estão,por assim dizer, saturados de fluido vital, enquanto outros o possuem apenas em quantidade suficiente. É por isso que uns são ativos, mais enérgicos, e de certa maneira, de vida superabundante.O fluido vital se transmite de um indivíduo a outro. Aquele que em maior quantidade pode dá-lo ao que tem menos, e em casos fazer voltar uma vida prestes a extinguir-se.

15

16

17 MATERIALIZAÇÃO

18 ATMOSFERA FLUÍDICA Manoel Philomeno de Miranda nos diz: Na condição de ser integral, composto de Espírito, perispírito e corpo somático, participante desse Universo onde tudo e todos interagem, o homem influencia e é influenciado de modo incessante, registrando com mais intensidade o campo daqueles seres de que mais carece para evoluir. Afina- se com pessoas e coisas, pensamentos e substâncias, variantes a cada fase evolutiva por onde transita. Elementos mais sutis alcançam-no através do perispírito, tocando ou penetrando suas estruturas, onde passam a ser movimentadas. Dá-se uma espécie de "osmose" de natureza psíquica que pode determinar o surgimento de fatores equilibrantes e de progresso, ou constituir-se fonte de estagnação ou desordem.

19 Manoel Philomeno de Miranda ainda nos diz: Tão importante é o que se recebe quanto o que se produz.

20

21 Na Revista Espírita de maio de 1867, Allan Kardec nos diz: Melhorando-se, a humanidade verá depurar-se a atmosfera fluídica em cujo meio vive, pois não lhe enviará senão bons fluidos e estes oporão uma barreira à invasão dos maus. Se um dia a Terra chegar a não ser povoada senão por homens que, entre si, praticam as leis divinas do amor e da caridade, ninguém duvida que não se encontrem condições de higiene física e moral completamente outras que as hoje existentes.

22 6ª AULA – 2ª PARTE: PERISPÍRITO Há no homem: O Corpo ou ser material, semelhante ao dos animais A Alma ou ser imaterial – Espírito encarnado O Perispírito ou Corpo Astral – laço que une a alma ao corpo, intermediário entre a matéria e o espírito.

23

24

25 Para dar idéia do que seja o Perispírito, Allan Kardec usou uma comparação muito apropriada ao afirmar: "Como a semente de um fruto é envolvida por um perisperma, o Espírito, propriamente dito, também é revestido por um envoltório que, por analogia, se pode chamar de Perispírito" (LE, perg. 93).

26 A alma nunca fica desligada do seu Perispírito, mesmo após sua desencarnação. O Perispírito faz, portanto, parte integrante do Espírito, como o corpo o faz do homem (LM, ítem 53) A forma do perispírito é a forma humana. A matéria sutil do perispírito não tem a rigidez da matéria compacta do corpo. Ela é flexível e expansível. Por isso, a forma que ela toma não é absoluta. Ela se molda à vontade do Espírito, que pode lhe dar a aparência que quiser. O perispírito se distende ou se contrai, se presta a todas as modificações segundo a vontade que o dirige. Por isso o espírito pode se fazer reconhecer, tomando a aparência que tinha na vida física.

27 ORIGEM E NATUREZA DO PERISPÍRITO "De onde tira o Espírito o seu envoltório semimaterial? - Do fluido universal de cada globo. É por isso que ele não é o mesmo em todos os mundos; passando de um mundo para outro, o Espírito muda de envoltório, como mudais de roupa" (LE, perg. 94

28 Quanto à sua natureza É composto por uma matéria mais ou menos sutil, intangível, em virtude do seu estado fluídico; sua condensação será maior ou menor segundo a natureza peculiar a cada mundo e segundo o grau de evolução do Espírito.

29 INFLUÊNCIA Segundo as provas que certos Espíritos devem passar em suas encarnações, o corpo astral ou perispírito, poderá exercer influência na formação do corpo carnal, dando origem a enfermidades ou anomalias orgânicas.

30 FUNÇÕES DO PERISPÍRITO O corpo fluídico reflete as experiências da entidade, mas não é a sede da memória. O perispírito registra as experiências vividas pela criatura e as envia ao sensorium comune do Espírito (que é o próprio Espírito), arquivo definitivo de todas as passagens da entidade pelo processo evolutivo.

31 FUNÇÕES DO PERISPÍRITO MODELO ORGANIZADOR BIOLÓGICO O perispírito é o molde ou arcabouço do corpo físico, através do qual o Espírito, enquanto agente modelador, irá comandar fluidicamente as células que se condensam no corpo carnal. Para ser mais exato, é preciso dizer que é o próprio Espírito que modela o seu envoltório e o apropria às novas necessidades; aperfeiçoa-o, desenvolve-o e completa o organismo à medida que experimenta a necessidade de manifestar novas faculdades; numa palavra, talha-o de acordo com a sua inteligência ( A Gênese, cap. XI, ítem 11)

32 FUNÇÕES DO PERISPÍRITO ADAPTAÇÃO ÀS CIRCUNSTÂNCIAS AMBIENTAIS: Sendo intermediário entre o Espírito e corpo físico, o perispírito permite ao Espírito o acesso, a adaptação às circunstâncias ambientais, recebendo sensações do Espírito, e ao mesmo tempo transmitindo sua vontade sobre os órgãos do corpo físico. Efetivamente, é o perispírito que torna o Espírito sensível ao mundo natural, agindo e reagindo ao ambiente.

33 FUNÇÕES DO PERISPÍRITO REGISTRO DAS VIVÊNCIAS: Tudo o que o Espírito percebe e vivencia no ambiente natural, o perispírito registra em si mesmo, como uma memória orgânica que guarda toda atividade reflexa e automática. Portanto, sob o aspecto biológico, o perispírito é o arquivo das alterações físicas; sob o aspecto moral, ele é apenas a exteriorização dos pensamentos do Espírito, revelando assim seu grau de evolução espiritual.

34 PRINCIPAIS PROPRIEDADES DO PERISPÍRITO QUANTO À FORMA: Plasticidade (Expansibilidade e flexibilidade) Por ser de extrema plasticidade, irradia-se para o exterior e forma em torno do corpo material uma atmosfera, que o pensamento e a força de vontade podem dilatar ou contrair.

35 PRINCIPAIS PROPRIEDADES DO PERISPÍRITO ASSIMILAÇÃO: O perispírito tem a propriedade de assimilar os fluidos do ambiente. Se as emanações fluídicas são de boa natureza, o corpo recebe impressões salutares; se são más, a impressão é penosa.

36 PRINCIPAIS PROPRIEDADES DO PERISPÍRITO QUANTO À DENSIDADE: Nos Espíritos mais evoluídos, sua natureza é menos densa, enquanto que nos Espíritos mais inferiores é mais grosseiro. PENETRABILIDADE: É a faculdade que o Espírito tem, através do perispírito, de entrar em qualquer ambiente. O mundo material não lhe apresenta obstáculos de qualquer espécie.

37 CENTROS DE FORÇA O universo é uma conjunção de leis, forças e energias inimagináveis, em incessante movimento de ação e reação, no processo de desintegração, combinação, modificação e renovação dos elementos que o constituem. Inserido na dinâmica desse ambiente existe o homem, cujo universo orgânico se nutre e se mantém pela absorção de energias que irradiam de infinitas fontes cósmicas, desde o Sol, a mais próxima, as que procedem do fundo do espaço infindo, acrescentando-se ainda as energias produzidas pelo meio físico. Essas energias são absorvidas pelos chamados "centros vitais" ou "centros de força. O perispírito está intimamente regido por sete principais centros de força

38 CENTROS DE FORÇA Asseguram as funções complexas, desde o controle da vida orgânica às mais elevadas manifestações psíquicas, passando por todos os mecanismos da vida de relação.

39

40 CENTROS DE FORÇA responsáveis pelas atividades psíquicas: CORONÁRIO: Localizado na região central do cérebro: a - assimila os estímulos do Plano Superior. b - orienta o metabolismo orgânico. c - supervisiona os outros centros vitais. FRONTAL: Situado na fronte: a - ordena a vasta rede de processos de manifestação da inteligência. b - viabiliza as atividades dos órgãos dos sentidos, administrando assim o sistema nervoso e o sistema endócrino.

41 CENTROS DE FORÇA responsáveis pelas atividades fisiológicas LARÍNGEO: Situado na altura da garganta: preside notadamente as atividades de respiração e fonação. CARDÍACO: Situado na região pré-cordial: dirige a emotividade e é responsável pelo equilíbrio geral do sistema circulatório. ESPLÊNICO: Situado na região do baço: a - regula a distribuição e circulação adequada do volume sanguíneo. b - responsável pela atividade do sistema hepático. GÁSTRICO: Situado na região do estômago: responsável pela digestão e absorção de alimentos. GENÉSICO: Situado na região do baixo-ventre: responsável pelas energias criadoras.(Livro dos Espíritos)

42


Carregar ppt "CURSO BÁSICO DE ESPIRITISMO 6ª AULA FLUIDOS COMUNHÃO ESPÍRITA BEZERRA DE MENEZES - 2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google