A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cap. 06 – Cuidando do Solo Professora: Alexsandra Ribeiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cap. 06 – Cuidando do Solo Professora: Alexsandra Ribeiro."— Transcrição da apresentação:

1 Cap. 06 – Cuidando do Solo Professora: Alexsandra Ribeiro

2 Sumário Introdução Introdução Como o solo se formou Como o solo se formou O que existe no solo O que existe no solo Os tipos de solo Os tipos de solo Preparando o solo Preparando o solo A erosão do solo A erosão do solo Agrotóxicos Agrotóxicos

3 Introdução O solo não é apenas um substrato onde se desenvolve a biosfera. Ele determina muitas das características dela. De modo geral, o uso e a potencialidade agrícola dos solos estão estreitamente relacionados às suas características físicas e químicas, bem como ao clima e ao relevo de cada região. A Pedologia é o ramo da Ciência que estuda os solos (pédon, em grego, significa solo) desde a superfície até a rocha-mãe. A Edafologia (edaphos, em grego, significa terreno) é a ciência que estuda o solo com relação à sua utilização agrícola.

4 Como o solo se formou O solo nada mais é do que o resultado da ação conjunta de vários fatores externos (chuva, vento, umidade, etc.) sobre as rochas, enriquecido com matéria orgânica. Ao lado, você tem um exemplo de como se dá este processo chamado de pedogênese. A rocha, dura e sem vida, que surge na superfície da Terra é a rocha matriz ou rocha virgem. O calor do dia e do verão e o frio da noite e do inverno vão, pouco a pouco, fraturando a rocha. A água da chuva ajuda a transformar a superfície dura da rocha em pedaços menores. A rocha se fende, esfarela e começa a se desmanchar.

5 Como o solo se formou As partes planas da reentrância da rocha ficam úmidas. As primeiras formas de vida que aparecem, transportadas pelo vento, são as bactérias e as cianofíceas. A umidade da rocha ajuda as bactérias a decompor o solo em finos grãos de areia e argila. Os primeiros seres vivos que surgem na rocha começam a morrer. A rocha se apresenta coberta por manchas escuras, provocadas pela decomposição das bactérias, das cianofíceas e até de pequenos animais. Essa fina camada de matéria em decomposição acumula água e muitas substâncias minerais nela dissolvidas. Está se formando o solo.

6 Como o solo se formou A rocha, agora, está coberta por um belo tapete verde de alguns centímetros de altura. São os musgos, que crescem sobre a fina película de solo. Esses musgos mortos apodrecem e novas camadas vão nascendo, morrendo e se decompondo. Dessa forma, o solo vai ficando mais espesso. A quantidade de húmus aumenta e se mistura com a areia e a argila. O solo está formado, mais espesso e rico. Pode manter sobre si uma vegetação variada: desde plantas rasteiras até árvores de grande porte com raízes profundas. As árvores podem crescer ali porque o solo já lhes fornece o que é preciso. Dessa forma, o solo completa sua evolução.

7 Como o solo se formou Depois de formado o solo, se fizermos um corte na crosta terrestre, desde a superfície até a rocha matriz, veremos o que se chama perfil de solo. Nesse perfil, pode-se observar várias camadas, que também são chamadas de horizontes. Horizonte orgânico - é também chamado de serrapilheira. É feito de material vegetal, ou seja, folhas que, ao caírem das árvores, vão se decompondo, e de restos de animais que também sofrem decomposição. É a camada superficial de solos de florestas e matas. Horizonte A ou mineralógico - apresenta matéria orgânica bem decomposta. É o chamado horizonte humífero. Horizonte B - tem uma coloração bem definida. Quando não entra em contato com a superfície (quando não é arado, por exemplo) é um horizonte de grande acumulação dos pela água do horizonte A. Possui pequena quantidade de matéria orgânica. Horizonte C - é o horizonte mais inferior, próximo à rocha. Contém pouco ou nenhum material orgânico e poucos microrganismos. Apresenta grandes pedaços e inúmeros fragmentos menores de rochas. Abaixo desse horizonte, encontra-se a rocha matriz. Horizonte D – rocha matriz.

8 O que existe no solo Existem vários tipos de solos, mesmo assim, a maioria deles são formados por: minerais, matéria orgânica, água e ar. Existem vários tipos de solos, mesmo assim, a maioria deles são formados por: minerais, matéria orgânica, água e ar.

9 Os Tipos de Solos Solo arenoso – solo muito poroso e permeável. A água passa com muita facilidade chegando rapidamente as camadas mais profundas do solo. Solo arenoso – solo muito poroso e permeável. A água passa com muita facilidade chegando rapidamente as camadas mais profundas do solo. Solo argiloso - Possui grãos bem ligados entre si, retendo água e sais minerais em quantidade necessária para a fertilidade do solo. Porém fica facilmente encharcado e cheio de poças após a chuva. Solo argiloso - Possui grãos bem ligados entre si, retendo água e sais minerais em quantidade necessária para a fertilidade do solo. Porém fica facilmente encharcado e cheio de poças após a chuva. Solo humífero - Solo bastante fértil, ajuda a reter água no solo, tornando-o poroso e com boa circulação de ar. Através do processo de decomposição dos organismos, produz sais minerais necessários às plantas. Solo humífero - Solo bastante fértil, ajuda a reter água no solo, tornando-o poroso e com boa circulação de ar. Através do processo de decomposição dos organismos, produz sais minerais necessários às plantas.

10 Preparando o Solo Existem algumas técnicas que tornam o solo melhor para o plantio, são elas: Existem algumas técnicas que tornam o solo melhor para o plantio, são elas: Aração – torna o solo rico em oxigênio. Aração – torna o solo rico em oxigênio. Calagem – retira a acidez do solo, pois a acidez impede a reprodução de microorganismos no solo, prejudicando a decomposição da matéria orgânica. Calagem – retira a acidez do solo, pois a acidez impede a reprodução de microorganismos no solo, prejudicando a decomposição da matéria orgânica. Adubação – torna o solo rico em nutrientes. Adubação – torna o solo rico em nutrientes. Irrigação – torna o solo úmido. Irrigação – torna o solo úmido. Drenagem – retira o excesso de água do solo. Drenagem – retira o excesso de água do solo. Leguminosas – absorvem o nitrogênio do ar transformando-o em sais que são absorvidos pelas plantas. Leguminosas – absorvem o nitrogênio do ar transformando-o em sais que são absorvidos pelas plantas.

11 A Erosão do Solo Erosão – é a remoção das camadas férteis do solo, tornando o solo raso, pobre em nutrientes, impermeável, impróprio para o plantio. Erosão – é a remoção das camadas férteis do solo, tornando o solo raso, pobre em nutrientes, impermeável, impróprio para o plantio. Causas da erosão: variações de temperatura ( Causas da erosão: variações de temperatura (a ação do calor e do frio sobre as rochas faz com que elas se contraiam e se expandam; com o tempo, elas acabam se fragmentando); também a erosão causada pela água; e o desmatamento.

12 A Erosão do Solo Conseqüências da erosão: assoreamento de rios (a terra transportada pela água pode se acumular no fundo de rios e obstruir seu fluxo, contribuindo para o transbordamento de rios e alagamento de áreas vizinhas); desgaste do solo; desmoronamento e desabamentos de terra e rochas. Conseqüências da erosão: assoreamento de rios (a terra transportada pela água pode se acumular no fundo de rios e obstruir seu fluxo, contribuindo para o transbordamento de rios e alagamento de áreas vizinhas); desgaste do solo; desmoronamento e desabamentos de terra e rochas.

13 A Erosão do Solo Técnicas para diminuir a erosão: Técnicas para diminuir a erosão: Degraus ou terraços: plantações construídas em terrenos muito inclinados em faixas planas semelhantes a uma escada para diminuir a velocidade de escoamento da água. Curva de nível – fileiras de plantas em um mesmo nível construídas em terrenos pouco inclinados, desse modo, as fileiras cortam o fluxo de água morro abaixo. Rotação de cultura – é a alternância de plantio de espécies vegetais num mesmo terreno.

14 Agrotóxicos São substâncias que combatem pragas que destroem as plantações. São substâncias que combatem pragas que destroem as plantações. Problemas causados pelo uso excessivo de agrotóxicos: Problemas causados pelo uso excessivo de agrotóxicos: Podem eliminar insetos úteis, como os que fazem polinização e predadores naturais; Podem eliminar insetos úteis, como os que fazem polinização e predadores naturais; O inseto pode se tornar resistente ao inseticida; O inseto pode se tornar resistente ao inseticida; Pode contaminar o solo e os alimentos; além de contaminar a pessoa que está aplicando o agrotóxico se ela não estiver protegida. Pode contaminar o solo e os alimentos; além de contaminar a pessoa que está aplicando o agrotóxico se ela não estiver protegida.

15


Carregar ppt "Cap. 06 – Cuidando do Solo Professora: Alexsandra Ribeiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google