A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Vanguardas europeias A palavra vanguarda, ao pé da letra, significa o que está na expectativa, o que está aguardando alguma coisa ou acontecimento. Utilizamos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Vanguardas europeias A palavra vanguarda, ao pé da letra, significa o que está na expectativa, o que está aguardando alguma coisa ou acontecimento. Utilizamos."— Transcrição da apresentação:

1 Vanguardas europeias A palavra vanguarda, ao pé da letra, significa o que está na expectativa, o que está aguardando alguma coisa ou acontecimento. Utilizamos também no sentido de primeiro lugar e precedência. Esses movimentos foram, por um lado, decorrentes do culto à modernidade, resultado das transformações científicas por que passava a humanidade; e, por outro, consequência do esgotamento de técnicas e teorias estéticas que já não correspondem à realidade do novo mundo que começava a desvendar-se. Toda vanguarda se caracteriza pela agressividade, manifestada no antilogismo, no culto a valores estranhos, os poderes mágicos, a beleza da anarquia, o instantaneísmo, o dinamismo, a imaginação sem fio. Os grandes movimentos da vanguarda europeia são: Futurismo (1909), Expressionismo (1910), Cubismo (1913), Dadaísmo (1916) e Surrealismo (1924). - Uma nova interpretação da realidade - Agressividade (choque – ruptura) - Imaginação sem fio -Tentativa de subverter os princípios mais radicais da ordem estética tradicional.

2 Futurismo – (1909) - Exaltação da vida moderna - Culto à máquina e à velocidade - Destruição do passado e das formas tradicionais de arte. - Atacava a sintaxe, pregando o uso da palavra em liberdade, por meio da analogia - Os diferentes fazeres artísticos se fundem num mesmo objeto. Dou o verso livre, eis finalmente a palavra em liberdade! Marinette Giacomo Balla

3

4 Expressionismo – (1910) - O expressionismo caracteriza a arte criada sob o impacto da expressão, mas da expressão da vida interior: tentativa de externalizar um eu – aproximação com o romantismo. - O mundo interior era obscuro e alógico, logo, assim também devia ser a expressão. - Manifestação do drama e crise relacionados à guerra – o homem já não se contentava com a realidade objetiva e queria encontrar na vida interior os elementos de sua salvação. - Reação contra o realismo e o cientificismo burgueses -Desprezo à descrição objetiva e a fusão entre o real e o sobrenatural -Antecipou alguns aspectos fundamentais do surrealismo. O artista "não vê, mas percebe. Ele não descreve, acumula vivências. Não reproduz, estrutura. Não colhe, procura. Agora não existe mais a cadeia dos fatos: fábricas, casas, doença, prostitutas, gritaria e fome. Agora existe visão disso. Os fatos têm significado somente até o ponto em que a mão do artista o atravessa para agarrar o que se encontra além deles".

5

6 Cubismo – (1913) A realidade era fracionada e expressa através de planos superpostos e simultâneos. A sua técnica se baseia na representação da realidade através de estruturas geométricas, desmontando os objetos para que, remontados pelo espectador, deixasse transparecer uma estrutura superior, a forma plástica essencial e verdadeira da beleza. No desejo de transmitir a estrutura total do objeto, os cubistas começaram a decompor as formas em diferentes planos geométricos e ângulos retos, que se interceptam e sucedem. Tentavam sugerir a representação do objeto sob todos os seus aspectos, de face e de perfil, em suma, na sua totalidade, como se tivesse sido contemplado sob diferentes ângulos de visão ou tivéssemos dado uma volta em seu redor. Humor, ilogismo, subjetivo, com linguagem predominantemente nominal. Decomposição da realidade em formas geométricas Arte que fragmenta o real Arte que apresenta as múltiplas perspectivas de um objeto

7

8 Dadaísmo – (1916) É considerado o mais radical movimento intelectual dos últimos tempos. Improvisação, desordem, dúvida, oposição a qualquer tipo de equilíbrio, tanto na forma quanto na homogeneidade de ideias e sentimentos. Demolição de todos os valores, anti-heranças históricas – dessacralização da arte. Para os dadaístas não havia passado, nem futuro: o que havia era a guerra, o nada, e a última coisa que restava ao artista era produzir uma antiarte, uma antiliteratura. Tem como principal representante Tristan Tzara: "Assim nasceu DADA de um desejo de independência, de desconfiança na comunidade. Aqueles que nos pertencem conservam sua liberdade. Nós não reconhecemos nenhuma teoria. Eu destruo as gavetas do cérebro e as da organização social: desmoralizar por todo lado e lançar a mão do céu ao inferno, os olhos do inferno ao céu, restabelecer a roda fecunda de um circo universal nos poderes reais e na fantasia de cada indivíduo".

9

10 Surrealismo – (1924) Arte voltada para as profundezas do psiquismo Razão e imaginação unidas: anti-racionalismo Influência de Freud Nela o escritor registra tudo o que lhe vem à mente, sem nenhuma espécie de censura (estética, moral, gramatical etc.). Nas palavras de Breton: "Creio firmemente na fusão desses dois estados aparentemente contraditórios, sonho e realidade, numa espécie de realidade absoluta, numa super- realidade". Automatismo psíquico puro, pelo qual propõe-se exprimir, seja verbalmente, seja de quaisquer outras maneiras, o funcionamento real do pensamento. Ditado do pensamento, na ausência de todos os controles exercidos pela razão e sem nenhuma preocupação estética ou moral.

11


Carregar ppt "Vanguardas europeias A palavra vanguarda, ao pé da letra, significa o que está na expectativa, o que está aguardando alguma coisa ou acontecimento. Utilizamos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google