A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O exercício da enfermagem na assistência ao idoso Enfermeira Rita Lacerda Aquarone Mestranda de Reabilitação – EEUSP Especialização em Neurologia do Adulto;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O exercício da enfermagem na assistência ao idoso Enfermeira Rita Lacerda Aquarone Mestranda de Reabilitação – EEUSP Especialização em Neurologia do Adulto;"— Transcrição da apresentação:

1 O exercício da enfermagem na assistência ao idoso Enfermeira Rita Lacerda Aquarone Mestranda de Reabilitação – EEUSP Especialização em Neurologia do Adulto; Enfermagem Clinica Medico- Cirurgica; Gerontologica e Geriatrica; Administração Hospitalar.

2 A cultura do envelhecimento é uma cultura de solidariedade, entre ricos e pobres e entre jovens e idosos

3 Processo de envelhecimento, atinge a todos, em cada dia de nossa vida. Cada um de nós começou a acrescentar tempo a sua vida, ou envelhecer, antes de nascer, e assim continua por toda a vida. Envelhecer é um processo natural e deveria ser bem acolhido, porque a alternativa seria a morte prematura.

4 O individuo nasce, cresce continua sempre crescendo e chega na fase madura, ou terceira idade, essa fase vem tendo e recebendo destaques na sociedade de hoje, em função da própria longevidade da população ser um fenômeno mundial, com importantes repercussões sociais e econômicas. Políticas sociais públicas e privadas precisam ser implementadas para promover o envelhecimento saudável e ativo.

5 Diz-se idosa uma pessoa que tem muita idade, mas, velha é a pessoa que perdeu a jovialidade. A idade causa degeneração das células, a velhice causa degeneração do espírito. Por isso nem todo idoso é velho, e há velho que nem chegou a ser idoso.

6 Há coisas que são idosas(antigas) e há coisas que são velhas. Um vaso da dinastia Ming(1368 – 1644) pode ser uma antiguidade, uma relíquia que não tem preço, um outro apenas de 50 anos pode ser um vaso velho a ser descartado.

7 Idoso: Pergunta se vale a pena? Velho: Quando sem pensar, responde que não Idoso: Quando sonha Velho: Quando apenas dorme

8 Idoso: Pratica esportes ou de alguma forma se exercita Velho: Apenas descansa

9 Idoso é aquela pessoa que tem tido a felicidade de viver uma longa vida produtiva, adquiriu experiências. Ele é uma porta entre o passado e o futuro, e é no presente que os dois se encontram. O velho é aquele que tem carregado o peso dos anos, que em vez de transmitir experiência às gerações vindouras, transmite pessimismo e desilusão.

10 Idoso = Velho IdosoVelho O idoso tem planos, O idoso se moderniza, dialoga com a juventude, procura compreender os novos tempos O velho tem saudades, O velho se emperra no seu tempo, se fecha em sua ostra e recusa a modernidade. O idoso e o velho são duas pessoas que podem ter até a mesma idade cronológica, mas o que tem são idades diferentes no coração

11 Em 1980 a Organização das Nações Unidas(ONU) fixou em 60 anos a idade de transição para a velhice. Em países desenvolvidos os considerados mais idosos, que a OMS considera ser de 80 anos em diante. A expectativa de vida tem aumentado sensivelmente, e é esperado que continue a aumentar em todas as populações do mundo.

12 O envelhecimento é um privilégio e uma conquista social, também um desafio que não deve ser tratato pelo setor publico ou privado de forma isolada, pois requer abordagens e estratégias comuns. Somente prolongar a vida, sem a devida qualidade e sem carência, é de validade discutível, é necessário prevenir ou adiar a perda de desempenho funcional e a redução de capacidade.

13 A sociedade vem adotando o uso da palavra idoso ou de idade, para substituir velho ou velhice, ancião, senil, sexagenário, centenário, que são palavras pejorativas pela associação de inútil ou imprestável

14 A própria legislação previdenciária tratou de substituir em 1991, a aposentadoria por velhice por aposentadoria por idade. Na própria história da humanidade, tradicionalmente a sociedade deu uma atenção especial ao idoso. Pois essas pessoas eram responsáveis para multiplicar os hábitos e costumes de um povo e determinada região.

15 Os grandes progressos da humanidade tem influenciado muito na assistência ao idoso, pois muitas das enfermidades e incapacidades tidas como inevitáveis tornam-se remediáveis. Aquela idéia de que idoso não serve para nada é um peso morto, não contribui para família e sociedade, mudou de conotação, uma vez que temos visto na mídia que os idosos chegam a sustentar suas famílias com dinheiro da aposentadoria

16 Caracteristicas da pessoa idosa Segundo a OMS, o envelhecimento, no sentido de senelidade, constitui um processo de redução ou perda progressiva da capacidade de adaptação que ocorre com o passar do tempo e que resulta em alterações na estrutura e funcionamento do ser humano. Isso é resultado de fatores intrinsicos ( geneticos) e as influências extrínsicas(ambientais)

17 Legislação sobre o idoso Sem grande ênfase, a Declaração Universal dos Direitos Humanos inclui no enunciado do art. XXV,I, uma palavra para provar que esse segmento não foi de todo esquecido, incluindo esta fase da vida como aquela situação fora de controle e na qual a pessoa perdeu seus meios de subsistência.

18 Refere o texto: todo homem tem direito a um padrão de vida capaz e assegurar a si e a sua família saúde e bem – estar, inclusive vestuário, habitação, cuidados médicos, direito a segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, VELHICE ou outros casos de perda de meios de subsistência em circunstâncias fora de controle

19 No Brasil a intenção de cuidar melhor dos idosos surgiu a partir da implantação da renda mensal vitalícia, uma prestação social assistenciaria aos maiores de 70 anos ou inválidos, criada pela Lei 6.179/74.

20 Atualmente a legislação assegura aos idosos, a partir de 65 anos de idade, e que não possuam meios para prover sua subsistência, nem tê-la provido por sua família, o benefício mensal de um salário mínimo.

21 A constituição de 1988, em vigor, indica um preceito declaratório enfático, no art. 1º, ao afirmar ter como fundamento a dignidade da pessoa humana, mais adiante, no art. 3º, a lei Maior especifica seu objetivo IV, -promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer forma de discriminação.

22 No art. 230, a Constituição prescreve que a família, a sociedade e o Estado tem o dever de amparar as pessoas idosas, assegurando sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade e bem estar e garantindo-lhes o direito a vida. Inciso 1º programa de amparo preferencialmente no lar Inciso 2º > de 65 anos garantido transporte gratuito.

23 Constitucional, Lei /01/94 política nacional do idoso e criando o Conselho Nacional do Idoso, direcionou suas ações para as áreas da saúde, educação, trabalho previdencia, habitação, lazer Lei /11/2000 prioriza atendimento deficiente e idoso com mais de 60 anos Lei /10/2003 Estatuto do idoso assegura direitos a pessoas = > 60 anos.

24 CLT omissa em relação idade, não especifica o que pode fazer, embora faledm muito muito sobre a criança e a mulher. Lei /03 garante a atividade profissional respeitando sua condições fisicas, intelectuais, e psiquicas, poibindo a fixação de limite máximo de idade, inclusive concurso.

25 O exercício de enfermagem domiciliária ( Home Care) RDC 11 26/01/2006 ( Anvisa ) Cofen resolução define atividade de enfermagem em Home Care Resolução /04/2002 regulariza empresas prestadoras de serviço domiciliar PAD / PSF(ESF).


Carregar ppt "O exercício da enfermagem na assistência ao idoso Enfermeira Rita Lacerda Aquarone Mestranda de Reabilitação – EEUSP Especialização em Neurologia do Adulto;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google