A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

S. N. Eisenstadt. A modernidade enquadra-nos a todos num pantâno moral de permanente desintegração e renovação, de conflito e contradição, de ambiguidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "S. N. Eisenstadt. A modernidade enquadra-nos a todos num pantâno moral de permanente desintegração e renovação, de conflito e contradição, de ambiguidade."— Transcrição da apresentação:

1 S. N. Eisenstadt

2 A modernidade enquadra-nos a todos num pantâno moral de permanente desintegração e renovação, de conflito e contradição, de ambiguidade e angústia, num universo em que tudo o que é sólido se desvanece no ar. Marshall Berman

3 Duas perspectivas Fim da História Choque de civilizações Regressão para movimentos anti-modernos Homogeneização a-histórica do mundo

4 Características essenciais das sociedades modernas Diferenciação Individualização Expansão Racionalidade

5 Contradições intrínsecas da modernidade Duas avaliações díspares: Modernidade como força positiva, libertadora e progressista Modernidade do ponto de vista negativo, força moralmente destrutiva e efeitos nefastos de algumas características fundamentais Modernidade é habitada por forças contraditórias

6 Modernidade deve ser vista como um tipo novo e distinto de civilização. Cristalização e desenvolvimento de um modo de interpretação do mundo. Civilização - Programa cultural moderno Desenvolve-se a partir de grandes civilizações axiais Programa reflectia antinomias e tensões Grandes Revoluções - Materializam potencialidades heterodoxas e sectárias que romperam nas civilizações axiais

7 Programa tinha como pano de fundo diversas metanarrativas : Cristã - afirmação do mundo em termos de uma visão mais elevada e não completamente realizável. Gnóstica - tenta imbuir o mundo de um sentido oculto. Ctónica – Privilegia a aceitação total da palavra dada e da vitalidade das suas forças.

8 Dimensões estruturais Dimensões culturais

9 Diferenciação estrutural Sociedades modernas sociedades em modernização A variedade de formas de autonomização das arenas institucionais nas sociedades Como as organizações se constituíram e definiram os conflitos decorrentes desses processos

10 Programa cultural da modernidade Núcleo do programa Duas teses Modernidades são resposta á mesma problemática existencial. As modernidades são precisamente as respostas que deixam intacta a problemática em questão, que formulam visões da vida e da prática.

11 Naturalização do cosmos e do homem Ponto de viragem central – Possibilidade de domar a natureza e de conformar a sociedade pela acção humana. Concepção da naturalidade do homem e do cosmos.

12 Tendência totalizante Feição tecnocrática Feição racional Reconhecimento da legitimidade Visões promissórias da modernidade

13 Antinomias essenciais da modernidade radicam: Consciência de uma vasta gama de possibilidade de visão transcendental e de modos de concretização. Tensão entre razão e revelação da fé. Quão desejável são as tentativas de institucionalizar aquelas visões.

14 As antinomias resultam em grandes tensões no seio do programa cultural da modernidade 1.Importância relativa das diferentes dimensões da existência humana. 2.Concepções díspares da autonomia humana e das suas relações com a constituição do homem, da sociedade e da natureza. 3.Liberdade VS Controlo 4.Visões pluralistas vs totalizantes

15 Críticas à modernidade Recusava basear a ordem social nas premissas básicas da modernidade Que as premissas pudessem ser radicadas numa visão transcendental Que pudesse ser visto como o auge da criatividade humana

16 Críticas à modernidade Do ponto de vista religioso ou tradicional Primazia da razão Demanda da revolução total

17 Críticas à modernidade Contradição entre as premissas e antinomias básicas do programa cultural e político da modernidade e o desenvolvimento institucional da sociedade moderna Tendências exclusivistas Orientações construtivistas

18 Confrontos Fortalecer a liberdade e autonomia vs tendência para o controlo Expansão social e económica vs deslocação de vários sectores sociais Tentativas de enquadramento destes sectores nos quadros de referência Visão englobante vs fragmentada da modernidade

19 Tendência para reestruturar as relações centro-periferia Abertura da contestação política Tendência para a politização das exigências de vários sectores Disputa entre definição do domínio do político e da distinção público/privado

20 Cristalização do programa cultural da modernidade sempre esteve ligado ás dimensões estruturais/institucionais especificas das sociedades modernas No entanto não existem correlação necessária entre qualquer forma institucional moderna e diferentes componentes do programa cultural moderno 1. Existem grandes diferenças na latitude da diferenciação entre sociedades modernas ou em processo de modernização. 2. Entre diversas sociedades, e no interior destas, existiu uma enorme variação da extensão em que aquelas arenas institucionais foram governadas por valores e regras intrínsecas. 3. Entre sociedades modernas verifica-se uma grande variedade no que concerne á organização de estruturas ou instituições e á definição e regulação dos conflitos que acompanharam estes processos.

21 Expansão da modernidade e o desenvolvimento dos sistemas internacionais Era moderna possibilitada por avanços nas tecnologias e nas dinâmicas de forças políticas e económicas modernas A expansão da modernidade desencadeou uma tendência para o desenvolvimento de quadros e sistemas ideológicos, culturais e institucionais á escala global

22 Expansão da modernidade e o desenvolvimento de múltiplas modernidade A expansão da modernidade, e dos seus programas culturais e políticos, origina tensões com as estruturas tradicionais instituídas nos diferentes continentes 1º tema – Sectores tradicionais da sociedade VS Cultura da modernidade Portadores de tendências hegemónicas modernas: Inglaterra França pós-revolucionária Estados Unidos

23 2º tema - Lado totalizante das pretensões hegemónicas dos programas europeus de modernidade VS programas mais pluralistas 3º tema – Ambivalência em relação a premissas e centros de modernidades que surgiram como hegemónicos, em diferentes épocas e locais, manifesta no oscilar entre a atracção por estes temas e as premissas e símbolos, supostamente universalistas, mas também exclusivistas

24 Filtragem dos padrões hegemónicos de modernidade: Tensão entre os componentes utópico e civil na construção da política moderna Entre uma política revolucionária ou normal e a vontade geral, entre a sociedade civil e o Estado, entre o indivíduo e a colectividade Variedade de concepções da autoridade, responsabilização, protesto e actividade política, questionamento das premissas básicas e modos de formação institucional

25 Dinâmicas internas das várias arenas Lutas entre os diversos Estados e centros de poder político e económico Hegemonias variáveis dos sistemas internacionais Disputas entre as diversas interpretações do programa cultural e político de modernidade Confrontos activavam a consciência das contradições e antinomias inerentes no programa A expansão implicou confronto com outras realidades

26 Programas da modernidade devem-se á interacção de vários factores, sendo o mais geral de todos a constelação de poder. Estes programas forma modelados por : 1. Premissas ontológicas de base cósmica e cosmologias básicas prevalecentes nestas sociedades 2. Programas e formações tradicionais foram modelados pelas respectivas experiências históricas 3. Dinâmicas e contradições internas a estas sociedades

27 As visões promissoras e o desenvolvimento das forças destrutivas da modernidade Modernidade como visão promissora Contém em si mesma o progresso do conhecimento e da sua aplicação racional Modernidade como visão negativista Acarreta possibilidades destrutivas

28 Programas da modernidade devem-se á interacção de vários factores, sendo o mais geral de todos a constelação de poder. Estes programas forma modelados por : 1. Premissas ontológicas de base cósmica e cosmologias básicas prevalecentes nestas sociedades 2. Programas e formações tradicionais foram modelados pelas respectivas experiências históricas 3. Dinâmicas e contradições internas com estas sociedades

29 As visões promissoras e o desenvolvimento das forças destrutivas da modernidade Modernidade como visão promissora Contém em si mesma o progresso do conhecimento e da sua aplicação racional Modernidade como visão negativista Acarreta possibilidades destrutivas


Carregar ppt "S. N. Eisenstadt. A modernidade enquadra-nos a todos num pantâno moral de permanente desintegração e renovação, de conflito e contradição, de ambiguidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google