A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RÁDIOS PÚBLICAS BRASILEIRAS MODELO DE PROGRAMAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RÁDIOS PÚBLICAS BRASILEIRAS MODELO DE PROGRAMAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 RÁDIOS PÚBLICAS BRASILEIRAS MODELO DE PROGRAMAÇÃO

2 PROGRAMAÇÃO E MISSÃO ANDAM JUNTAS. Garantir uma informação democrática e plural. Divulgar a diversidade cultural brasileira e universal. Educar para a cidadania, com foco na inclusão. Prestar serviços ao público ouvinte. Ampliar ofertas de entretenimento. Compromisso com a qualidade: de conteúdo e técnica. Produção própria + produção independente.

3 2. PERFIL DE GRADE DE PROGRAMAÇÃO. Rádio generalista X rádio segmentada (informativa, musical). O mito da audiência: disputar a audiência sem foco no consumo. Rádio é um meio de comunicação local (compatibilizar local/nacional). Conselhos de programação: equipe colegiada e colóquios com sociedade. Generalistas: informação/serviços + cultura (música) + cidadania. Importância das pesquisas de opinião (quantitativas e qualitativas).

4 3. INFORMAÇÃO E SERVIÇOS. Informação com foco na prestação de serviços: direitos do cidadão. Equidistância do poder econômico e do poder político: imparcialidade. Não manipulação da informação: ajudar o ouvinte a ter a sua opinião. Pluralidade das versões + isenção na notícia. Diversificar nos formatos: noticiários, quadros de entrevistas, quadros de serviços, programas de debates, radiodocumentários, reportagens, coberturas especiais. Qualidade da informação: análise, editorial, comentário, crônica.

5 4. DIVULGAÇÃO DA CULTURA. A questão da diversidade cultural – local, nacional e internacional. O papel da música – planilhas musicais + programas autorais + eventos. Outras manifestações culturais: radiodramaturgia + literatura/poesia + rádio-arte (experimentações sonoras).

6 5. EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA. Programas educativos infantis e juvenis -formação de novas platéias. Programas inclusivos e segmentados: mulheres, idosos, portadores de deficiências, afro-descendentes, lgbt, 3o. setor, etc... Programas de ciência e tecnologia, de ecologia e meio-ambiente. Efemérides históricas, campanhas especiais e educativas.

7 MODELO DE REDE ESTADO DA ARTE Em rádio, usamos mais o conceito de sistema do que de rede. Não tem sentido o conceito de 'cabeça de rede'; rádio é local. Não existe um sistema público brasileiro de rádio – está em construção. O sistema público brasileiro de rádio pode ter uma espinha dorsal mas deve respeitar as especificidades e diversidades locais. Temos rádios públicas federais (ebc + universitárias federais) + estaduais + municipais – cenário se parece com o norte-americano. Nosso sistema público deve ser vertical e não horizontal. Rádios EBC têm o seu papel, mas ARPUB pode contribuir muito.

8 INICIATIVAS EM CURSO Troca de conteúdo: projeto Conexão Brasil. Troca de conteúdo: spots e campanhas da ARPUB. Troca de conteúdo: intercâmbio de programas (hoje) + cesta de produtos (projeto PRX Brasil ou RNP, em estudo). Coberturas conjuntas: Fórum Social Mundial, VII Feira de Música de Fortaleza, Porto Musical, Festival Multimídia UFSCAR, Feira Música Brasil e I CONFECOM. I Festival Nacional de Música da ARUB (10 Estados + etapa nacional)* I Concurso de Produção de Programas Radiofônicos. * Projeto 'Memória do Rádio' – Fórum da Cultura Digital Brasileira.* Jornal em Rede – em gestação. ** Projeto de Capacitação -em gestação ** (*) projetos em parceria com o MinC. (**) projetos em possível parceria com a EBC.


Carregar ppt "RÁDIOS PÚBLICAS BRASILEIRAS MODELO DE PROGRAMAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google