A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Módulo de Saúde Ocupacional – AULA 2 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Módulo de Saúde Ocupacional – AULA 2 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho."— Transcrição da apresentação:

1 Módulo de Saúde Ocupacional – AULA 2 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho

2 Competências a serem trabalhadas nesta aula Compreender os aspectos psicológicos que contribuem para o aumento da incidência de acidentes de trabalho, agindo sobre eles por meio de práticas saudáveis na organização 01

3 O que veremos nesta aula... 02

4 Psicologia aplicada à Saúde Ocupacional 03

5 Psicologia aplicada à Saúde Ocupacional - Relação: Homem e Trabalho Dedica-se ao estudo, concepção, avaliação e reestruturação das atividades de trabalho. Interfaces: Psicologia organizacional ou das organizações, que se dedica sobretudo ao estudo dos aspectos organizacionais de firmas e empresas ERGONOMIA, que se dedica também à estruturação do trabalho humano, mas de maneira mais acentuada ao sistema homem-máquina 04

6 Importância da Psicologia na Segurança do Trabalho A grande massa de trabalhadores existente em quase todo o mundo é alvo constante de pressões. Sua força de trabalho é a única ferramenta de que dispõem, mas uma ameaça faz com que essa força possa ser dispensada a qualquer momento. As condições de trabalho, as atividades desenvolvidas, os riscos existentes, contribuem de forma significativa para esse resultado. 05

7 Aplicação da Psicologia no Trabalho 06

8 Aplicação da Psicologia no Trabalho Três razões fundamentais para os comportamentos inadequados no trabalho: 1 - O homem NÃO PODE comportar-se de maneira diferente; 2 - O homem NÃO SABE comportar-se de outro modo; 3 - O homem NÃO QUER comportar-se de outra maneira. 07

9 Podemos diminuir consideravelmente o esse grupo através de uma seleção de pessoal, onde fatores como aptidões, personalidade e história anterior do indivíduo são analisados com a finalidade de colocá-lo na função mais adequada. O homem NÃO PODE comportar-se de maneira diferente 08

10 Esse grupo chegará bem próximo à extinção com um programa de treinamento com base na formação do pessoal. Contamos assim com recursos, tais como, campanhas de segurança, técnicas de dinâmica de grupo, cartazes enfocando a prevenção de acidentes, simulação de emergência, etc. O homem NÃO SABE comportar-se de outro modo 09

11 Esse grupo apresenta maior resistência ao desaparecimento: o homem comporta-se de maneira insegura e não quer comportar-se de outra maneira. A este grupo, a transmissão de conhecimentos se torna insuficiente e necessário se faz uma profunda mudança de atitudes. O homem NÃO QUER comportar-se de outra maneira 10

12 Bases do Comportamento Humano Atividades que são diretamente observáveis e registráveis (ligar uma maquina, andar, etc.); Processos fisiológicos dentro do organismo (batidas do coração, alterações eletro-quÍmicas que tem lugar nos nervos); Processos conscientes de percepção, sensação, sentimento e pensamento (a sensação dolorosa de um choque elétrico, a identificação correta de uma palavra projetada rapidamente na tela). 11

13 O Profissional dos Novos Tempos 12

14 Psicologia do Trabalho – Qualidade de Vida no Trabalho Psicologia aplicada à Saúde Ocupacional 13

15 O "STRESS" é o resultado de uma reação que o nosso organismo tem quando estimulado por fatores externos desfavoráveis. A primeira coisa que acontece com o nosso organismo nestas circunstâncias é uma descarga de adrenalina no nosso organismo, e os órgãos que mais sentem são o aparelho circulatório e o respiratório STRESS 14

16 Quando positivo, o stress nos impulsiona a realizar e a concretizar coisas e nos possibilita um nível adequado de adrenalina. Necessário à concretização, pois está associado diretamente ao impulso para buscar a realização de algo. Quando negativo gera um nível excessivo de adrenalina que ocasiona um colapso em nível corporal, físico ou emocional, atuando de modo a desequilibrar todo o nosso funcionamento. QUAL O SEU STRESS?... 15

17 Excesso de atividade/ má distribuição do tempo. Acúmulo de raiva e sentimentos negativos. Problemas de relacionamento. Descontrole diante de situações críticas. Preocupação excessiva. Falta de descanso e lazer. Dificuldade de lidar com as perdas. Origem do Stress negativo... 16

18 Fase de alerta: Ocorre quando existe reação a uma ação externa. Nesta fase podem surgir problemas fisiológicos como taquicardia (batimento mais rápido e forte do coração), respiração acelerada e suor frio. Fazes do stress 17

19 Fase de Resistência: Ocorre quando existe reação a uma ação externa. Nesta fase podem surgir problemas fisiológicos, mas não necessita de medicação e consegue controlar-se sozinho. Fazes do stress 17

20 Fase de exaustão: Persistindo a situação de stress, é possível surgir uma série de doenças crônicas. Neste último estágio podem aparecer problemas emocionais, hipertensão, úlceras, gastrites, fadiga crônica, diabetes, alterações no sono, dentre outras manifestações Fazes do stress 18

21 É importante tentar evitar o stress. Se isto não for possível é necessário interromper sua seqüência mudando alguns de seus hábitos. MUDE SEU ESTILO DE VIDA Alimente-se de maneira saudável e em períodos regulares. Reavalie suas atividades e modo de pensar. Não faça uso de tranqüilizantes sem orientação médica. Prevenção do Stress 19

22 Administre seu tempo realizando uma atividade por vez. Programe e tire férias anuais. Evite o fumo, café e bebidas alcoólicas. Mantenha, pelo menos, uma atividade física periódica, com orientação médica. Crie e mantenha atividades de lazer. Durma o suficiente para o seu descanso. Resolva os problemas de forma racional, encarando-os positivamente. Importante orientar os colaboradores... 20

23 Procure ser mais compreensivo e menos exigente. Delegue atividades e aprenda a trabalhar em grupo. Mantenha a mente alerta e o corpo relaxado. Desenvolva um bom relacionamento interpessoal. Procure conhecer seu organismo e respeite-o, não ultrapassando seus limites. Busque sua paz interior. Melhore a qualidade de sua vida. Importante orientar os colaboradores... 21

24 É estar em equilíbrio com as dimensões físicas, emocionais, sociais, intelectuais, profissionais, espirituais, conciliando suas necessidades, carências, explorando suas potencialidades, realizações e respeitando seus limites. Dislei Mourão e Shelen Sudário Qualidade de Vida no Trabalho Qualidade de Vida no Trabalho 22

25 A Motivação é formalmente definida como sendo o conjunto as forças dentro de uma pessoa, responsáveis pelo nível, direção e persistência do esforço dispendido no trabalho. Motivação e Satisfação no Trabalho Motivação e Satisfação no Trabalho 23

26 Formalmente definida, satisfação no trabalho é o grau segundo o qual os indivíduos se sentem de modo positivo ou negativo com relação ao seu trabalho. É uma atitude, ou resposta emocional, às tarefas de trabalho assim como às condições físicas e sociais do local de trabalho. Aspectos comuns da satisfação no trabalho relacionam-se com pagamento, condições de trabalho, qualidade da supervisão, colegas e o trabalho em si. Motivação e Satisfação no Trabalho Motivação e Satisfação no Trabalho 24

27 A satisfação no trabalho está empiricamente relacionada com rotatividade e absenteísmo do funcionário. A relação entre satisfação no trabalho e desempenho é menos incisiva, e o pensamento atual analisa como as recompensas influenciam tanto a satisfação quanto o desempenho. Motivação e Satisfação no Trabalho Motivação e Satisfação no Trabalho 25

28 O ajustamento implica o movimento do organismo procurando superar o estado de frustração. Todo homem, todo ser vivo esta em continuo processo de acomodação: viver é de algum modo ajustar-se. O ajustamento humano é resultado de variáveis somáticas, psíquicas e sociais. Porém, as energias motivadoras do mesmo são as necessidades. Elas atuam como motores do ajustamento. São dinamismo vitais. Ajustamento ao Trabalho Ajustamento ao Trabalho 26

29 A produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social. A produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social. Lei 8.213, de 24/07/1991 Doença Profissional Doença Profissional 27

30 DOENÇA DO TRABALHO A adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente, constante da relação mencionada no inciso I. Lei 8.213, 24/07/1991 Doença do Trabalho Doença do Trabalho 28

31 Acidente de Trabalho Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, com o segurado empregado, trabalhador avulso, médico residente, bem como com o segurado especial, no exercício de suas atividades, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, a perda ou redução, temporária ou permanente, da capacidade para o trabalho. 29

32 Aspectos Psicológicos Causais dos Acidentes FADIGA MENTAL FADIGA MENTAL: saturação da percepção por exposição contínua e demorada a estímulos repetitivos = resposta automática sem ajustamento às variações do ambiente, provocando acidentes; FADIGA MENTAL + FADIGA FÍSICA : potencializa a condição de risco de acidentes. 30

33 Aspectos Psicológicos Causais dos Acidentes 1.Que motivos levariam uma pessoa a agir de forma insegura? Motivos inconscientes como a percepção; motivos conscientes como os conflitos. As necessidades não têm um caráter consciente, ou seja, não agimos sabendo que temos esta ou aquela necessidade. 31

34 ATIVIDADE 1.Qual a diferença entre Doença Profissional e Doença do Trabalho. Dê exemplo de cada uma delas. 2.Como o stress influencia a saúde do trabalhador? 3.Quais as fases de evolução do stress? 4.Como o stress pode provocar acidente de trabalho? 32

35 ATIVIDADE 5. Com relação a doenças do trabalho, cite agentes químicos e as doenças que eles podem provocar no trabalhador. 6. Com relação a doenças do trabalho, cite agentes físicos e as doenças que eles podem provocar no trabalhador. 7. Com relação a doenças do trabalho, cite agentes ergonômicos e as doenças que eles podem provocar no trabalhador. 33


Carregar ppt "Módulo de Saúde Ocupacional – AULA 2 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google