A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ASSEPSIA, ANTI-SEPSIA E ESTERILIZAÇÃO INTRODUÇÃO À CLÍNICA E TÉCNICA CIRÚRGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ASSEPSIA, ANTI-SEPSIA E ESTERILIZAÇÃO INTRODUÇÃO À CLÍNICA E TÉCNICA CIRÚRGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO."— Transcrição da apresentação:

1 ASSEPSIA, ANTI-SEPSIA E ESTERILIZAÇÃO INTRODUÇÃO À CLÍNICA E TÉCNICA CIRÚRGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

2 DEFINIÇÃO DE CONCEITOS ASSEPSIA ANTI-SEPSIA DESINFECÇÃO ESTERILIZAÇÃO

3 LAVAGEM BÁSICA SIMPLES ATO DE LAVAR AS MÃOS COM ÁGUA E SABÃO. MÃOS EM ALTURA SUPERIOR AOS COTOVELOS. DIREÇÃO MÃOS-COTOVELOS. UTILIZAR TAMBÉM LUVAS PARA PROTEÇÃO. O USO DE LUVAS NÃO DISPENSA UMA BOA LAVAGEM DAS MÃOS.

4 ANTI-SEPSIA Quando utilizar? Características principais: efetividade, segurança e custo Exemplos: Clorexidina Iodofórmios Álcool Hexaclofeno Quaternário de amônia

5 ANTI-SÉPTICOS Gluconato de clorexidina: - Amplo espectro sobre bactérias. - Ação parcial sobre fungos. - Pouca ação contra vírus e bacilo da tuberculose. - Início de ação 15 segundos após a aplicação. - Exerce ação anti-séptica até 06 horas após a aplicação.

6 ANTI-SÉPTICOS Iodofórmios: - Boa ação contra bactérias, fungos e vírus. Inclusive contra o bacilo da tuberculose. - Promove oxidação e substituição dos componentes celulares pelo iodo livre. - Início rápido de ação, porém com pouca ação residual. - Provocam irritação na pele.

7 DEGERMAÇÃO DA EQUIPE CIRÚRGICA Utilizar um agente antimicrobiano persistente, de largo espectro, não irritante e de ação rápida. Quanto tempo de escovação? - Antigamente: 10 minutos - C.A.C.: 02 minutos - C.D.C.: 05 minutos / 02 minutos

8 ANTI-SEPSIA DO CAMPO OPERATÓRIO Utilizamos as mesmas substâncias usadas para degermação das mãos da equipe cirúrugica. Limpar a área do centro para fora. Não utilizar novamente a mesma gaze.

9 DESINFECÇÃO Definição Existem três níveis: - Baixo: 10 minutos de exposição. Não elimina micobactérias, vírus da hepatite B. - Intermediário: 10 a 30 minutos de exposição. Elimina o bacilo da tuberculose e vários fungos e vírus. - Alto: 30 minutos de exposição. Elimina todos os microorganismos, exceto os esporos bacterianos.

10 DESINFECÇÃO Limpeza: é a primeira etapa do processo. Diminui a carga bacteriana, sendo indispensável antes da desinfecção ou esterilização. Alguns desinfetantes: glutaraldeído. formaldeído, peróxido de hidrogênio, etc.

11 DESINFECÇÃO Glutaraldeído: - Tempo de exposição: varia de 30 minutos para desinfecção até 10 horas para esterilização. - Para artigos limpos e secos, podemos admitir 20 minutos de exposição (desinfecção). - Pode ser utilizado para endoscópios e aparelhos com lentes. - Validade de 14 dias.

12 ESTERILIZAÇÃO Definição Fatores que afetam o processo de esterilização: - Número de microorganismos - Matéria orgânica - Tempo - Temperatura

13 ESTERILIZAÇÃO - Métodos de esterilização: 1 – Vapor (autoclave) 2 - Calor seco (estufa) 3 – Óxido de etileno 4 – Glutaraldeído 5 – Peróxido de hidrogênio

14 ESTERILIZAÇÃO Esterilização a vapor: - Método mais usado em hospitais. - Aplicabilidade clínica ampla. - Autoclave é o equipamento utilizado. - Fundamenta-se na destruição dos microorganismos pelo vapor sob pressão.

15 ESTERILIZAÇÃO Esterilização a calor seco: - Utilizado para elementos sensíveis ao vapor. - Não é corrosivo. - O equipamento utilizado é a estufa. - Necessita de tempo maior de exposição para realizar a esterilização (02 horas).

16 ESTERILIZAÇÃO Esterilização por óxido de etileno: - Pode ser utilizado para a maioria dos equipamentos médicos. - É extremamente inflamável e explosivo. - Apresenta efeitos carcinogênicos, teratogênicos e dermatológicos.

17 ESTERILIZAÇÃO Esterilização por peróxido de hidrogênio: - Pode ser utilizado para esterilizar materiais sensíveis ao calor. - O produto final é composto por água e oxigênio. - Não é tóxico.

18 INDICADORES EM ESTERILIZAÇÃO A utilização de indicadores é uma forma de garantir a boa qualidade do processo de esterilização.

19 INDICADORES EM ESTERILIZAÇÃO - Controle de exposição: consiste em fitas que mudam de cor, após o ciclo de esterilização. São utilizadas para marcar os pacotes que já passaram pela máquina de esterilização. - Controle do pacote: consiste em tiras multiparâmetros ou integradores e servem para indicar a penetração do vapor no interior do pacote.

20 INDICADORES EM ESTERILIZAÇÃO - Controle do equipamento: serve para detectar falhas na máquina esterilizadora, como,por exemplo, escapes ou pontos frios nas autoclaves. O teste Bowie e Dick é utilizado para avaliar a autoclave. - Controle da carga: consiste em preparações que contêm esporos de bacillus stearothermophilus (autoclave), conhecidos como os mais resistentes ao processo de esterilização.


Carregar ppt "ASSEPSIA, ANTI-SEPSIA E ESTERILIZAÇÃO INTRODUÇÃO À CLÍNICA E TÉCNICA CIRÚRGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google