A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONTROLE DE MICRORGANISMOS Prof. João Batista de Almeida e Silva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONTROLE DE MICRORGANISMOS Prof. João Batista de Almeida e Silva."— Transcrição da apresentação:

1 CONTROLE DE MICRORGANISMOS Prof. João Batista de Almeida e Silva

2 Considerações Gerais ESTERILIZAÇÃO – Destruição de todos os microrganismos presentes, incluindo os esporos Efeitos distintos – Ação ANTIMICROBIANA Bacteriostático Inibição do crescimento Ausência de morte celular Inibidor de síntese protéica Bactericida Morte celular Ausência lise celular Bactericida, Fungicida, Viricida Bacteriolítico Morte celular por lise Inibidor de síntese da parede celular

3 Considerações Gerais Aspectos fundamentais que se deve aplicar aos agentes ANTIMICROBIANOS Padrão de morte em uma população microbiana Condições que influenciam a atividade antimicrobiana Mecanismos de destruíção das células microbianas

4 Considerações Gerais Padrão de morte em uma população microbiana Microbiologia – MORTE – Perda da capacidade reprodutiva Avaliação da eficiência – agente microbicida Cultivo de uma amostra de material tratado para determinar o número de sobreviventes

5 Considerações Gerais Condições que influenciam a capacidade antimicrobiana Tamanho da população quanto > + tempo p morrer Concentração do agente Microbicida quanto < + tempo p morrer Tempo de exposição quanto > + cels mortas Temperatura quanto > - tempo p morrer Particularidades do microrganismo específico

6 Considerações Gerais Mecanismo de destruição das células microbianas Predeterminar melhores condições para o agente Avaliar susceptibilidade das espécies para esse agente Alteração do estado físico do citoplasma, inativação de enzimas, rompimento da membrana da parede celular Possíveis mecanismos associados com os principais aspectos estruturais

7 Agentes Antimicrobianos Agentes Físicos Temperatura Radiação Filtração Dessecação Agentes Químicos Substâncias químicas

8 Agentes Físicos – Temperatura Calor Úmido Menos tempo – calor seco Desnaturação de proteínas Cels Vegetativas Bactérias = min / 60-70°C Cels Vegetativas Fungos = min / 50-60°C Esporos de Fungos = min / 70-80°C Vapor, água fervente, água aquecida a temp. abaixo do seu ponto de ebulição (100°C)

9 Agentes Físicos – Temperatura Vapor dágua Autoclave – Vapor dágua sob pressão Água Fervente Ponto de ebulição Endósporos podem resistir a 100° C por mais de 1 hora Temperatura abaixo do seu ponto de ebulição Aquecimento lento Oxidação dos constituintes orgânicos celulares Mata células vegetativas de patógenos

10 Agentes Físicos – Temperatura Calor Seco Mais tempo que o calor úmido Materiais que não podem ser esterilizados por calor úmido Incineração Prática de rotina Agulhas de semeadura microbiológicas no bico de Bunsen

11 Agentes Físicos – Temperatura Baixas Temperaturas Abaixo de 0°C – microrganismos permanecem em estado latente Freezer doméstico: -20°C Freezer -70°C Nitrogênio líquido: -196°C

12 Agentes Físicos – Filtração / Dessecação Filtração Membranas – Poros retem microrganismos Bactérias: 0,5 – 1,0 m Leveduras: 1,0 – 5,0 m Dessecação Interrupção das atividades metabólicas Liofilização – desidratação extrema em temperaturas de congelamento mantidas em ampolas fechadas

13 Agentes Físicos – Radiação Energia – Ondas eletromagnéticas Quanto < maior a energia Raio X, gama e luz UV Radiação Ionizante - Alta energia – Ionização das moléculas ( H2O ---- H+ + OH- ) - Radicais Hidroxilas destroem DNA e proteínas - Raio X, gama – penetra pacotes de produtos e esteriliza seus interiores - Mais utilizados – esterilização alimentos e equipamentos médicos

14 Agentes Físicos – Radiação Radiação Não-Ionizante Excitação de elétrons – Maior dano - DNA Mata apenas microorganismos de superfície Luz Ultra-Violeta

15 Agentes Químicos Aplicação de compostos químicos Redução n° microrg. superfície – Material Inanimado Lesões de pele – prevenção de infecções Eliminação de microrg. Patogênico – água potável / piscinas CONHECIMENTO vantagens quando utilizados em especificas situações Modo de atuação nos microrganismos Principais categorias de agentes antimicrobianos

16 Agentes Químicos / Definições Esterilizante – Estéril (termo absoluto), mata todas as formas vivas Desinfetante – Mata apenas formas vegetativas patogênicas Germicida – Sinônimo de Desinfetante – porem não mata apenas as patogênicas Anti-séptico – Usualmente aplicado na superfície do corpo humano Saneador – matam 99,9% dos microrg. Contaminantes d uma área ( Normas de saúde pública / população microrg)

17 Agentes Químicos - IDEAIS 1.Atividade Antimicrobiana – capacidade de inibir ou preferencialmente matar os microrg; 2.Solubilidade – Solúvel em solventes em quantidades necessárias ao seu uso efetivo; 3.Estabilidade – Ação antimicrobiana deve permanecer durante armazenamento; 4. Ausência de toxicidade – não deve prejudicar o homem e animais;

18 Agentes Químicos - IDEAIS 5.Homogeneidade – Preparação uniformes em sua composição; 6.Atividade em temperatura ambiente; 7.Poder de penetração; 8.Ausência de poderes corrosivos ou tintoriais; 9.Capacidade detergente; 10.Disponibilidade a baixo custo.

19 Agentes Químicos - IDEAIS Principais Grupos de Desinfetantes e Anti-sépticos Fenol e Compostos Fenólicos - Mata rapidamente formas vegetativas; - Tóxico e apresenta odor desagradável; - Alteram a permeabilidade da membrana, desnatura proteínas; Álcoois % - mata as formas vegetativas; - Desnaturação de proteínas, lisam estruturas lipidicas; - Agente Bactericida - Agente Bacteriostático ou Bactericida

20 Agentes Químicos - IDEAIS Halogênios (Hipoclorito) - Iodo, Cloro e Bromo – Fortes agentes oxidantes; - Destruição dos componentes vitais da célula microbiana; - Inativação do aminoácido tirosina; - Agente Microbicida Metais pesados e seus compostos - Atividade de íons metálicos – inativação de certas enzimas que combinam com o metal ( Moeda ) Detergentes - Desnaturação de proteínas celulares, interferência com processos metabólicos e lesão da membrana citoplasmática - Agente Bactericida

21 Agentes Químicos - IDEAIS Agente QuímicoConcentração (%)AplicaçõesNível de Atividade Compostos Fenólicos Desinfecção de objeto inanimadoIntermediário Álcoois70-90Anti-sepsia da pele, desinfecção de instrumentos cirúrgicos Intermediário Iodo1Anti-sepsia da pele, pequenos cortes, desinfecção da água Intermediário Compostos Clorados Desinfecção da água, superfícies não metálicas, equipamentos de laticínios, materiais domésticos Baixo Mercúrio1Anti-sepsia da pele, desinfecção de instrumentos Baixo Alta – Mata todas as formas de vida microbiana Intermediário – Mata o bacilo da Tuberculose, Fungos e vírus, mas não os esporos Baixo – Não mata o bacilo da tuberculose, nem os esporos e vírus em um tempo aceitável

22 Agentes Químicos - IDEAIS Esterilizantes químicos Óxido de Etileno - Inativação de enzimas e proteínas que tem átomos de hidrogênio - Seringas β -Propilactona - Bactericida, Fungicida, Esporicida e Viricida - Propriedades carcinogênicas

23 Agentes Químicos - IDEAIS Glutaraldeído - Instrumentos urológicos e respiratórios - Bactericida, Esporicida, Fungicida e Viricida Formaldeído - Extremamente tóxicos - Inativação dos constituintes celulares ( Proteínas e Ácidos nucléicos)

24 Agentes Químicos - IDEAIS Áreas de atuação Parede Celular -Fenol, Hipoclorito, Mertiolate Membrana Citoplasmática -Fenol, Álcoois, Detergentes Material Nuclear - Óxido de Etileno, Glutaraldeído, β-Propilactona Ribossomos - Sais de mercúrio, Glutaraldeído, fenol Citoplasma - Hipoclorito, Iodo, Óxido de Etileno, Metais pesados


Carregar ppt "CONTROLE DE MICRORGANISMOS Prof. João Batista de Almeida e Silva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google