A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A atividade racional e suas modalidades ACADÊMICOS: Rafael Luis.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A atividade racional e suas modalidades ACADÊMICOS: Rafael Luis."— Transcrição da apresentação:

1 A atividade racional e suas modalidades ACADÊMICOS: Rafael Luis

2 A atividade racional e suas modalidades A Filosofia distingue duas grandes modalidades da atividade racional, realizadas pela razão subjetiva ou pelo sujeito do conhecimento: Intuição (ou razão intuitiva); raciocínio (ou razão discursiva).

3 O que entendemos por INTUIÇÃO?

4 Exemplo: Definição: A intuição é uma compreensão global e instantânea de uma verdade, de um objeto, de um fato. Um médico quando faz um diagnóstico e apreende de uma só vez a doença, sua causa e o modo de tratá -la.

5 Grande Sertão: Veredas Romance de Guimarães Rosa Riobaldo e Diadorim são dois jagunços ligados pela mais profunda amizade e lealdade, companheiros de lutas e cumpridores de uma vingança de sangue contra os assassinos da família de Diadorim. Riobaldo, porém, sente- se cheio de angústia e atormentado, pois seus sentimentos por Diadorim são confusos, como se entre eles houvesse muito mais do que a amizade. Diadorim é assassinado. Quando o corpo é trazido para ser preparado para o funeral, Riobaldo descobre que Diadorim era mulher. De uma só vez, num só lance, Riobaldo compreende tudo o que sentia, todos os fatos acontecidos entre eles, todas as conversas que haviam tido, todos os gestos estranhos de Diadorim e compreende, instantaneamente, a verdade: estivera apaixonado por Diadorim.

6 CLASSIFICAÇÃO INTUIÇÃO Intuição sensível ou empírica intuição intelectual

7 A intuição sensível ou empírica (do grego, empeiria: experiência sensorial ) Definição: É o conhecimento que temos a todo o momento de nossa vida. Assim, com um só olhar ou num só ato de visão percebemos uma casa, um homem, uma mulher, uma flor, uma mesa. Num só ato, por exemplo, capto que isto é uma flor: vejo sua cor e suas pétalas, sinto a maciez de sua textura, aspiro seu perfume, tenho-a por inteiro e de uma só vez diante de mim.

8 Outras Definições: A intuição empírica é o conhecimento direto e imediato das qualidades sensíveis do objeto externo; A intuição sensível ou empírica é psicológica, isto é, refere-se aos estados do sujeito do conhecimento enquanto um ser corporal e psíquico individual.

9 Intuição intelectual Difere da sensível justamente por sua universalidade e necessidade. Quando penso: Uma coisa não pode ser e não ser ao mesmo tempo, sei, sem necessidade de provas ou demonstrações, que isto é verdade. Ou seja, tenho conhecimento intuitivo do princípio da contradição. A intuição intelectual é o conhecimento direto e imediato dos princípios da razão (identidade, contradição, terceiro excluído, razão suficiente).

10 Quando digo: O amarelo é diferente do azul, sei, sem necessidade de provas e demonstrações, que há diferenças. Vejo, na intuição sensível, a cor amarela e a cor azul, mas vejo, na intuição intelectual, a diferença entre cores.

11 Exemplo notado: cogito cartesiano isto é, a afirmação de Descartes: Penso (cogito), logo existo. Penso, logo existo, estou Simplesmente afirmando racionalmente que sei que sou um ser pensante ou que existo pensando, sem necessidade de provas e demonstrações. A intuição capta, num único ato intelectual, a verdade do pensamento pensando em si mesmo.

12 Razão Discursiva ou Raciocínio Definição: É o conhecimento que exige provas e demonstrações e se realiza igualmente por meio de provas e demonstrações das verdades que estão sendo conhecidas ou investigadas. Não é um ato intelectual, mas são vários atos intelectuais internamente ligados ou conectados, formando um processo de conhecimento.

13 Hora de Pensar! Conjuntos Disjuntos Não há intersecção Razão Intuitiva Razão Discursiva

14 CLASSIFICAÇÃO Raciocínio Dedução InduçãoAbdução

15 Dedução Consiste em partir de uma verdade já conhecida (seja por intuição, seja por uma demonstração anterior) e que funciona como um princípio geral ao qual se subordinam todos os casos que serão demonstrados a partir dela. Em outras palavras, na dedução parte-se de uma verdade já conhecida para demonstrar que ela se aplica a todos os casos particulares iguais. Se diz também que ela vai do geral ao particular; O ponto de partida de uma dedução é ou uma idéia verdadeira ou uma teoria verdadeira. A dedução é um procedimento pelo qual um fato ou objeto particulares são conhecidos por inclusão numa teoria geral.

16 Exemplo Todos os professores da Unir são corinthianos; O senhor Maigon é Professor da Unir; Portanto, o senhor Maigon é corinthiano.

17 A indução A indução realiza um caminho exatamente contrário ao da dedução. Com a indução, partimos de casos particulares iguais ou semelhantes e procuramos a lei geral, a definição geral ou a teoria geral que explica e subordina todos esses casos particulares. A definição ou a teoria são obtidas no ponto final do percurso. E a razão também oferece um conjunto de regras precisas para guiar a indução; se tais regras não forem respeitadas, a indução será considerada falsa.

18 Exemplo: Análise do ponto de fusão, solidificação e ebulição de determinados líquidos. Induzimos desses casos particulares que o fogo possui uma propriedade que produz a evaporação dos líquidos. Essa propriedade é o calor. Água Ferver em x graus Leite Ferver em x graus

19 Verificamos, porém, que os diferentes íquidos não evaporam sempre na mesma velocidade; cada um deles, portanto, deve ter propriedades específicas que os fazem evaporar em velocidades diferentes. Descobrimos, porém, que a velocidade da evaporação não é o fato a ser observado e sim quanto de calor cada líquido precisa para começar a evaporar.

20 A abdução Segundo o filósofo Inglês Peirce, a abdução é uma espécie de intuição, mas que não se dá de uma só vez, indo passo a passo para chegar a uma conclusão. A abdução é a busca de uma conclusão pela interpretação racional de sinais, de indícios, de signos. O exemplo mais simples oferecido por Peirce para explicar o que seja a abdução são os contos policiais, o modo como os detetives vão coletando indícios ou sinais e formando uma teoria para o caso que investigam.

21 De modo geral, diz-se que a indução e a abdução são procedimentos racionais que empregamos para a aquisição de conhecimentos, enquanto a dedução é o procedimento racional que empregamos para verificar ou comprovar a verdade de um conhecimento já adquirido.

22 Realismo e idealismo Realismo a posição filosófica que afirma a existência objetiva ou em si da realidade externa como uma realidade racional em si e por si mesma e, portanto, que afirma a existência da razão objetiva. Idealismo afirma apenas a existência da razão subjetiva. A razão subjetiva possui princípios e modalidades de conhecimento que são universais e necessários, isto é, válidos para todos os seres humanos em todos os tempos e lugares.

23 Conclusão ATIVIDADE RACIONAL INTUITIVA EmpíricaIntelectualDeduçãoAbduçãoIndução Raciocínio

24 Referências Bibliográficas Chaui, Marilena. Convite à Filosofia. Ed. Ática, São Paulo, 2000.


Carregar ppt "A atividade racional e suas modalidades ACADÊMICOS: Rafael Luis."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google