A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROJETO DE PRODUTO/SERVIÇOS Avaliação e melhoria Projeto final Geração do conceito/triagem Engenharia e análise do valor QFD (Quality Function Deployment)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROJETO DE PRODUTO/SERVIÇOS Avaliação e melhoria Projeto final Geração do conceito/triagem Engenharia e análise do valor QFD (Quality Function Deployment)"— Transcrição da apresentação:

1 PROJETO DE PRODUTO/SERVIÇOS Avaliação e melhoria Projeto final Geração do conceito/triagem Engenharia e análise do valor QFD (Quality Function Deployment) Projeto Preliminar/protótipo Método de Taguchi

2 Definição de QFD Segundo AKAO(1990), QFD é a conversão dos requisitos do consumidor em características de qualidade do produto e o desenvolvimento da qualidade de projeto para o produto acabado através de desdobramentos sistemáticos das relações entre os requisitos do consumidor e as características do produto. Esses desdobramentos iniciam-se com cada mecanismo e se estendem para cada componente ou processo. A qualidade global do produto será formada através desta rede de relações. QFD (Quality Function Deployment)

3 O QFD é uma técnica que pode ser empregada durante todo o processo de desenvolvimento de produto e que tem por objetivo auxiliar o time de desenvolvimento a incorporar no projeto as reais necessidades dos clientes. Por meio de um conjunto de matrizes parte-se dos requisitos expostos pelos clientes e realiza-se um processo de desdobramento transformando-os em especificações técnicas do produto. As matrizes servem de apoio para o grupo orientando o trabalho, registrando as discussões, permitindo a avaliação e priorização de requisitos e características e, ao final, será uma importante fonte de informações para a excecução de todo o projeto. QFD (Quality Function Deployment)

4 A força do QFD está em tornar explícitas as relações entre necessidades dos clientes, características do produto e parâmetros do processo produtivo, permitindo a harmonização e priorização das várias decisões tomadas durante o processo de desenvolvimento do produto, bem como em potencializar o trabalho de equipe. Outro aspecto importante a considerar é que, por ser uma metodologia que se baseia no trabalho coletivo, os membros da equipe desenvolvem uma compreensão comum sobre as decisões, suas razões e suas implicações, e se tornam comprometidos com iniciativas de implementar as decisões que são tomadas coletivamente. QFD (Quality Function Deployment)

5 Casa da Qualidade É a mais importante das matrizes do QFD, sendo sempre a primeira casa ou o primeiro desdobramento. Ela é a matriz que auxilia o desdobramento dos requisitos do cliente em especificações técnicas do produto e permite que sejam estipulados os valores metas para o desempenho em termos destas características.

6 QFD (Quality Function Deployment)

7 Versões de QFD A evolução do QFD, a partir do trabalho original de Yoji Akao, levou ao surgimento de diferentes versões dessa metodologia. Dentre essas versões, quatro se destacam, conforme enumeradas abaixo: QFD das Quatro Fases: criado por Makabe e divulgado nos EUA por Don Clausing (CLAUSING, 1993) e pela American Supplier Institute (ASI); QFD-Estendido: criado por Don Clausing a partir da versão das Quatro Fases; QFD das Quatro Ênfases: criado principalmente pelos Professores Akao e Mizuno, a partir da Union of Japanese Scientists and Engineers (JUSE) (CHENG et al., 1995 e AKAO, 1996); e A Matriz das Matrizes: criado por Bob King e divulgado pela Goal/QPC, que é uma extensão da versão das quatro ênfases (KING, 1989).

8 Casa da Qualidade Uma idéia geral e simples do funcionamento das matrizes do QFD pode ser vista analisando-se o modelo do QFD das quatro fases de Makabe que é apresentado conforme a figura abaixo.

9 Na casa do Planejamento dos Processos, os requisitos gerados na etapa anterior, requisitos dos componentes, são transformados em requisitos dos parâmetros de processo e estes, por sua vez, são desdobrados nos requisitos dos padrões de operação do processo. Na primeira casa, casa da Qualidade, faz-se o desdobramento dos requisitos do cliente transformando-os em especificações do produto. Em seguida na casa dos Planejamento dos Componentes estes requisitos do produto são desdobrados em requisitos para os componentes do produto. Garante-se com esta abordagem que toda a especificação de produto, componentes, processos e padões de operação estejam orientadas às necessidades dos clientes.

10 PROJETO DE PRODUTO/SERVIÇOS Projeto Final Projeto final Geração do conceito/triagem Projeto Preliminar/protótipo Avaliação Introdução Área de Marketing CONCEITO PACOTE PROCESSO

11 Fluxogramas

12 * Pontos críticos para o sucesso do atendimento. O cliente leva o carro à oficina O mecânico faz o diagnóstico* Discute com o cliente os reparos necessários* Figura 2.4 Fluxogramas

13 * Pontos críticos para o sucesso do atendimento. O cliente leva o carro à oficina O mecânico faz o diagnóstico* Discute com o cliente os reparos necessários* O cliente sai com o carro Conserto não autorizado Conserto autorizado Figura 2.4 Fluxogramas

14 * Pontos críticos para o sucesso do atendimento. Pontos em que mais freqüentemente ocorre uma falha. O cliente leva o carro à oficina O mecânico faz o diagnóstico* Discute com o cliente os reparos necessários* O cliente sai com o carro Conserto não autorizado Serviço visível ao cliente Conserto autorizado Figura 2.4 Fluxogramas

15 * Pontos críticos para o sucesso do atendimento. Pontos em que mais freqüentemente ocorre uma falha. O cliente leva o carro à oficina O mecânico faz o diagnóstico* Discute com o cliente os reparos necessários* O cliente sai com o carro Verificação da disponibilidade de peças Comprar peças Conserto não autorizado Peças disponíveis Serviço visível ao cliente Conserto autorizado Execução do conserto Peças não disponíveis Figura 2.4 Fluxogramas

16 * Pontos críticos para o sucesso do atendimento. Pontos em que mais freqüentemente ocorre uma falha. O cliente leva o carro à oficina O mecânico faz o diagnóstico* Discute com o cliente os reparos necessários* O cliente sai com o carro Verificação da disponibilidade de peças Comprar peças Conserto concluído Conserto não autorizado Peças disponíveis Serviço visível ao cliente Conserto autorizado Execução do conserto Inspeção/ teste e conserto Execução do trabalho correto Trabalho corretivo necessário Peças não disponíveis Fluxogramas Figura 2.4

17 * Pontos críticos para o sucesso do atendimento. Pontos em que mais freqüentemente ocorre uma falha. O cliente leva o carro à oficina O mecânico faz o diagnóstico* Discute com o cliente os reparos necessários* O cliente sai com o carro Verificação da disponibilidade de peças Comprar peças Conserto concluído Conserto não autorizado Peças disponíveis Serviço visível ao cliente Conserto autorizado Serviço não visível ao cliente Execução do conserto Inspeção/ teste e conserto Execução do trabalho correto Trabalho corretivo necessário Peças não disponíveis Figura 2.4 Fluxogramas

18 Fluxogramas * Pontos críticos para o sucesso do atendimento. Pontos em que mais freqüentemente ocorre uma falha. O cliente leva o carro à oficina O mecânico faz o diagnóstico* Discute com o cliente os reparos necessários* O cliente sai com o carro Receber pagamento Notificar o cliente Verificação da disponibilidade de peças Comprar peças Conserto concluído Figura 2.4 Conserto não autorizado Peças disponíveis Serviço visível ao cliente Conserto autorizado Serviço não visível ao cliente Execução do conserto Inspeção/ teste e conserto Execução do trabalho correto Trabalho corretivo necessário Peças não disponíveis

19 Gráficos de processo

20 Figura 2.5 Processo: Admissão na emergência Assunto: Paciente ferido no tornozelo Início: Entra na sala de emergência Término: Sai do hospital Etapa n. Tempo (min) Distância (m) Resumo Número de etapas Atividade Tempo (min) Distância (m) Transporte Operação Inspeção Armazenamento Atraso Descrição da etapa Inserir etapa Anexar etapa Remover etapa

21 Gráficos de processo Figura 2.5 Processo: Admissão na emergência Assunto: Paciente ferido no tornozelo Início: Entra na sala de emergência Término: Sai do hospital 1 Entra sala de emergência (balcão de atendim.) 2Senta-se e preenche a ficha do paciente 3Enfermeira acompanha paciente à triagem 4 Enfermeira examina o ferimento 5Retorna à sala de espera 6Aguarda um leito disponível 7Vai para o leito do setor de emergência 8Espera o médico 9Médico examina ferimento e questiona o paciente 10Enfermeira leva o paciente à radiologia 11Técnico faz radiografia do paciente 12Retorna ao leito do setor de emergência 13Espera o médico voltar 14Médico apresenta diagnóstico e orientações 15Retorna à área de entrada da emergência 16Sai da área de emergência 17Dirige-se à farmácia 18Pega a prescrição 19Sai do prédio Etapa n. Tempo (min) Distância (m) Resumo Número de etapas Atividade Tempo (min) Distância (m) Transporte Operação Inspeção Armazenamento Atraso Descrição da etapa Inserir etapa Anexar etapa Remover etapa

22 Gráficos de processo Figura 2.5 Processo: Admissão na emergência Assunto: Paciente ferido no tornozelo Início: Entra na sala de emergência Término: Sai do hospital ,57 XEntra sala de emergência (balcão de atendim.) XSenta-se e preenche a ficha do paciente ,19XEnfermeira acompanha paciente à triagem XEnfermeira examina o ferimento ,19XRetorna à sala de espera XAguarda um leito disponível ,28XVai para o leito do setor de emergência XEspera o médico XMédico examina ferimento e questiona o paciente ,96XEnfermeira leva o paciente à radiologia XTécnico faz radiografia do paciente ,96XRetorna ao leito do setor de emergência XEspera o médico voltar XMédico apresenta diagnóstico e orientações ,28XRetorna à área de entrada da emergência XSai da área de emergência ,86XDirige-se à farmácia XPega a prescrição ,09XSai do prédio Etapa n. Tempo (min) Distância (m) Resumo Número de etapas Atividade Tempo (min) Distância (m) Transporte Operação Inspeção Armazenamento Atraso Descrição da etapa Inserir etapa Anexar etapa Remover etapa

23 Processo: Admissão na emergência Assunto: Paciente ferido no tornozelo Início: Entra na sala de emergência Término: Sai do hospital ,57 XEntra sala de emergência (balcão de atendim.) XSenta-se e preenche a ficha do paciente ,19XEnfermeira acompanha paciente à triagem XEnfermeira examina o ferimento ,19XRetorna à sala de espera XAguarda um leito disponível ,28XVai para o leito do setor de emergência XEspera o médico XMédico examina ferimento e questiona o paciente ,96XEnfermeira leva o paciente à radiologia XTécnico faz radiografia do paciente ,96XRetorna ao leito do setor de emergência XEspera o médico voltar XMédico apresenta diagnóstico e orientações ,28XRetorna à área de entrada da emergência XSai da área de emergência ,86XDirige-se à farmácia XPega a prescrição ,09XSai do prédio Etapa n. Tempo (min) Distância (m) Resumo Número de etapas Atividade Tempo (min) Distância (m) Transporte ,4 Operação 523 Inspeção 28 Armazenamento Atraso 38 Descrição da etapa Inserir etapa Anexar etapa Remover etapa Gráficos de processo Figura 2.5

24 Processo: Admissão na emergência Assunto: Paciente ferido no tornozelo Início: Entra na sala de emergência Término: Sai do hospital ,57 XEntra sala de emergência (balcão de atendim.) XSenta-se e preenche a ficha do paciente ,19XEnfermeira acompanha paciente à triagem XEnfermeira examina o ferimento ,19XRetorna à sala de espera XAguarda um leito disponível ,28XVai para o leito do setor de emergência XEspera o médico XMédico examina ferimento e questiona o paciente ,96XEnfermeira leva o paciente à radiologia XTécnico faz radiografia do paciente ,96XRetorna ao leito do setor de emergência XEspera o médico voltar XMédico apresenta diagnóstico e orientações ,28XRetorna à área de entrada da emergência XSai da área de emergência ,86XDirige-se à farmácia XPega a prescrição ,09XSai do prédio Etapa n. Tempo (min) Distância (m) Resumo Número de etapas Atividade Tempo (min) Distância (m) Transporte ,4 Operação 523 Inspeção 28 Armazenamento Atraso 38 Descrição da etapa Inserir etapa Anexar etapa Remover etapa Gráficos de processo Figura 2.5


Carregar ppt "PROJETO DE PRODUTO/SERVIÇOS Avaliação e melhoria Projeto final Geração do conceito/triagem Engenharia e análise do valor QFD (Quality Function Deployment)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google