A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MARINGÁ, 12 DE JULHO DE 2012 ERIC WALTZ VIEIRA MESSIAS GERENTE DE INSPEÇÃO DE POA & HORÁCIO SLONGO ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MARINGÁ, 12 DE JULHO DE 2012 ERIC WALTZ VIEIRA MESSIAS GERENTE DE INSPEÇÃO DE POA & HORÁCIO SLONGO ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO."— Transcrição da apresentação:

1 MARINGÁ, 12 DE JULHO DE 2012 ERIC WALTZ VIEIRA MESSIAS GERENTE DE INSPEÇÃO DE POA & HORÁCIO SLONGO ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO

2 LEI de 20/12/2011 DECRETO de 24/04/2012 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ POSSE DAS DIRETORIAS E GERÊNCIAS EM 07/05/2012

3 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA ADAPAR VISÃO Ser reconhecida pela sociedade como instituição de excelência em defesa agropecuária. MISSÃO Realizar a defesa agropecuária unindo esforços na promoção da sanidade agropecuária, contribuindo para a segurança alimentar e ao acesso dos produtos paranaenses aos mercados, em benefício da sociedade.

4 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E A METODOLOGIA DE TRABALHO DEVERÃO CONFERIR: - Mais sinergia entre os stakeholders. - Maior eficiência e flexibilidade organizacional para proporcionar melhores respostas às demandas da sociedade. - Responsabilidade e compromisso com os resultados globais.

5

6 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

7 - Estruturar a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná. - Fortalecer os Conselhos Municipais de Sanidade Agropecuária. - Difundir informações sobre o Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI/POA). PRIORIDADES / 2012 CONTRATO DE GESTÃO PROJETO SEGURANÇA ALIMENTAR: sanidade e qualidade Ações:

8 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ - Adesão à Plataforma de Gestão Agropecuária coordenada pela CNA e MAPA. - Promover o uso adequado de agrotóxicos na agricultura do Paraná. - Compor o Plano Estadual de Defesa Agropecuária. PRIORIDADES / 2012

9 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

10 SERVIÇO DE INSPEÇÃO NO BRASIL LEI DE 23 DE NOVEMBRO DE 1989 DESCENTRALIZA A EXECUÇÃO DA INSPEÇÃO INDUSTRIAL E SANITÁRIA DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL

11 DECRETO FEDERAL DE 30 DE MARÇO DE 2006 Objetivo: Padronizar e harmonizar os procedimentos de inspeção e fiscalização dos POA em todo o país. Importância: Ampliar o âmbito de comercialização dos POA, nas diversas escalas de produção, preservando a qualidade e inocuidade destes produtos. SUASA SISTEMA UNIFICADO DE ATENÇÃO À SANIDADE AGROPECUÁRIA SISBI-IA SISBI-IP SISBI-POV SISBI-POA SUASA LEI FEDERAL DE 20 DE NOVEMBRO DE 1998 Acrescenta dispositivos referente a DEFESA AGROPECUÁRIA na LEI 8.171/1991 – LEI DA POLÍTICA AGRÍCOLA.

12 DECRETO FEDERAL 7.216/10 Dá nova redação e acresce dispositivos ao Decreto 5741/06. Art. 2º § 9º O SUASA respeitará as especificidades regionais de produtos e das diferentes escalas de produção, incluindo a agroindústria rural de pequeno porte. Art.143-A Parágrafo único. Entende-se por estabelecimento agroindustrial rural de pequeno porte o estabelecimento de propriedade de agricultores familiares, de forma individual ou coletiva, localizada no meio rural, com área útil não superior a 250 m², destinado exclusivamente ao processamento de POA... DECRETO FEDERAL 7.524/11 Altera o Art. 153 do Decreto que estabelece o prazo de 60 dias para o MAPA/DIPOA realizar as auditorias no Serviço de Inspeção solicitante. IN 36 de 20 de Julho de 2011 do MAPA Estabelece os requisitos e os procedimentos para reconhecimento da equivalência.

13 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ SERVIÇO DE INSPEÇÃO NO BRASIL

14 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ - PROGRAMAS ADAPAR - FORTALECIMENTO DO SERVIÇO DE INSPEÇÃO ESTADUAL, COM AMPLIFICAÇÃO DO SISBI NO ESTADO DO PARANÁ Portaria nº 99, de 17 de março de 2010 – Equivalência SIP/POA (SIE) Portaria nº 228, de 20 de dezembro de 2011 – Equivalência SIM Cascavel

15 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ PARANÁ APRESENTA 06 ESTABELECIMENTOS ADERIDOS AO SISBI/POA REGISTRORAZÃO SOCIALMUNICÍPIOCATEGORIAS SIP/POA 0003-A Frango Sabor Caipira Ltda.IvaiporãMatadouro de Aves SIP/POA 0055-O Cooperativa Agroindustrial LAR Céu AzulEntreposto de Ovos SIP/POA 0038-P Tilápia Pisces Produtos da Aquicultura Ltda. ToledoEntreposto de Pescado SIP/POA 0036-P Elisabete Gomes Correa MEAntoninaEntreposto de Pescado SIP/POA 0050-F Irmãos Giaretta Ltda.Coronel Vivida Matadouro de Bovinos SIM 0040/98 Indústria e Comércio de Laticínio da Chácara Ltda. CascavelLaticínio

16 ELISABETE GOMES CORREA ME

17 TILÁPIA PISCES PRODUTOS DA AQUICULTURA LTDA

18 COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL LAR

19 FRANGO SABOR CAIPIRA LTDA

20 IRMÃOS GIARETTA LTDA

21 SITUAÇÃO ATUAL ESTADOS INTEGRANTES DO SISBI PARANÁ 1 Matadouro de aves e coelhos 1 Entreposto de ovos 2 Entrepostos de pescados 1 Matadouro Frigorífico BAHIA 1 Matadouro Frigorífico 2 Entrepostos de pescados 2 Matadouro de aves e coelhos MINAS GERAIS 1 Matadouro de aves e coelhos 2 Matadouros frigoríficos 1 Fábrica de Produtos Cárneos (torresmo) 1 Entreposto de pescados

22 SITUAÇÃO ATUAL ESTADOS INTEGRANTES DO SISBI RIO GRANDE DO SUL 1 Matadouro de aves e coelhos 1 Matadouro Frigorífico e Fábrica de Produtos Cárneos 1 Matadouro Frigorífico

23 SITUAÇÃO ATUAL MUNICÍPIOS INTEGRANTES DO SISBI UBERLÂNDIA (MG) 1 Fábrica de Produtos Cárneos 1 Entreposto de ovos 1 Matadouro Frigorífico ALEGRETE (RS) 1 Fábrica de Produtos Cárneos ERECHIM (RS) 1 Fábrica de Laticínios e Usina de Beneficiamento ROSÁRIO DO SUL (RS) 1 Matadouro frigorífico SANTA CRUZ DO SUL (RS) 1 Matadouro frigorífico 1 Matadouro de aves e coelhos 1 Entreposto de Produtos Cárneos

24 SITUAÇÃO ATUAL MUNICÍPIOS INTEGRANTES DO SISBI SÃO PEDRO DO BUTIÁ (RS) 1 Fábrica de Produtos Cárneos CASCAVEL (PR) 1 Indústria de Laticínios CONSAD (SC) Consórcio Intermunicipal Alimentar, Atenção à Sanidade Agropecuária e Desenvolvimento Local do Extremo Oeste de Santa Catarina. Municípios Integrantes: São Miguel do Oeste, Guaraciaba, Tunápolis, Anchieta e Iporã do Oeste. 1 Fábrica de Produtos Cárneos 2 Indústrias de Laticínios 1 Matadouro Frigorífico e Fábrica de Produtos Cárneos

25 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ 11 ESTABELECIMENTOS EM PROCESSO DE ADESÃO AO SISBI/POA REGISTRON° EMPRESASCATEGORIAS ESTADUAL 06LATICÍNIOS ESTADUAL 01MATADOURO DE AVES ESTADUAL 02FÁBRICA DE CONSERVAS ESTADUAL 01MATADOURO DE BOVINOS MUNICIPAL 01MATADOURO DE BOVINOS e SUÍNOS

26 PRINCÍPIOS GERAIS AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

27 PRINCÍPIOS GERAIS SERVIÇO DE INSPEÇÃO CONSTITUÍDO; LEGISLAÇÃO PRÓPRIA OU ADOÇÃO DE LEGISLAÇÃO DE INSTÂNCIA SUPERIOR EQUIVALENTE; e REGISTROS AUDITÁVEIS REFERENTES À IMPLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO DO REGISTRO. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

28 RECONHECIMENTO DA EQUIVALÊNCIA FORMALIZAÇÃO DO PLEITO; PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO; COMPROVAÇÃO DE ESTRUTURA E EQUIPE COMPATÍVEIS COM AS ATRIBUIÇÕES; AUDITORIA PRÉVIA EM CARÁTER ORIENTATIVO – MAPA – ANTES DE INICIAR O PROCESSO DE ADESÃO. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

29 FORMALIZAÇÃO DO PLEITO PLEITO DE RECONHECIMENTO DA EQUIVALÊNCIA O Estado do Paraná vem requerer o reconhecimento de equivalência de seu Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal conforme normalizado na I. N. nº 19/2006, em seu Anexo I, art. 20, § e incisos, e para tanto apresenta, em anexo, os documentos abaixo relacionados (conforme verificação documental para reconhecimento da equivalência para a adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal): Programa de Trabalho de Inspeção e Fiscalização: Comprovação de estrutura e equipe compatíveis com as atribuições; Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal deve estar vinculado à Secretaria da Agricultura, sendo instituído e regulamentado através de Leis e Regulamentos. Possuir registros auditáveis que comprovem a implantação e manutenção do Serviço de Inspeção.

30 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO I - organograma do órgão;

31 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO II - conjunto das legislações pertinente à atividade; *Legislação própria ou adoção de Legislação própria ou adoção de Legislação de Instância Superior Equivalente. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

32 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO III - relação dos estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção, contendo nome empresarial, CNPJ ou CPF, número de registro no serviço, classificação, endereço completo, telefone, fax, endereço eletrônico, data de registro, produtos registrados e dados de produção; AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

33 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO IV - programação das atividades de inspeção e fiscalização contendo frequência das inspeções de rotina, cronograma das supervisões, análises laboratoriais, ações de combate à fraude econômica, ações de combate às atividades informais de obtenção e comércio de produtos de origem animal, e atividades de educação sanitária; AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

34 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO PROGRAMAÇÃO DAS ATIVIDADES DE FISCALIZAÇÃO E INSPEÇÃO As fiscalizações de rotina são realizadas nos estabelecimentos registrados no SIP/POA atendendo o seguinte cronograma, considerando o número de estabelecimento registrados no Serviço: EstabelecimentosFrequência de Fiscalização Fábrica de ConservasA cada 30 dias Estabelecimentos de Leite e Derivados A cada 30 dias Estabelecimentos de Pescados e Derivados A cada 30 dias Entreposto de CarnesA cada 30 dias Entreposto de FatiadosA cada 30 dias Estabelecimento de OvosA cada 30 dias Estabelecimento de Mel e Derivados A cada 30 dias Matadouro *A cada 15 dias

35 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO PROGRAMAÇÃO DAS ATIVIDADES DE FISCALIZAÇÃO E INSPEÇÃO *Os matadouros de bovinos, suínos, ovinos, caprinos e aves possuem inspetores credenciados ou oficiais que permanecem no estabelecimento durante todo o abate, além da fiscalização de rotina feita a cada 15 dias por fiscal do SIP/POA. Abatedouros com SISBI/POA são inspecionados por Médico Veterinário Oficial. Em cada uma das fiscalizações realizadas pelo Médico Veterinário do SIP/POA necessariamente é lavrado um Termo de Fiscalização ou Termo de Ocorrência. Em caso de necessidade são utilizados outros documentos pertinentes (Auto de Infração, Auto de Interdição, Auto de Suspensão, Auto de Condenação e Destruição, Auto de Liberação e Auto de Apreensão).

36 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO CRONOGRAMA DAS SUPERVISÕES Serão supervisionadas anualmente 20% da totalidade dos estabelecimentos registrados no SIP/POA. A programação será feita pela chefia da Área, proporcional ao número de empresas registradas no setor. Estabelecimentos do SIP/POA aderidos ao SISBI/POA serão supervisionados anualmente, realizadas conforme check-list do SIP/POA. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

37 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO ANÁLISES LABORATORIAIS A colheita de amostras segue a programação encaminhada pela Área de Análise de Alimentos do Centro de Diagnóstico Marcos Enrietti – CDME, de acordo com a capacidade do Laboratório para análise microbiológica e Drip Test. AÇÕES DE COMBATE À FRAUDE ECONOMICA Coleta de amostra do frango para drip test. Coleta de amostra para Análise Físico-Químico. Ação sobre as não conformidades (autuação, suspensão de atividades,...) AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

38 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO AÇÕES DE COMBATE ÀS ATIVIDADES INFORMAIS DE OBTENÇÃO E COMÉRCIO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL Barreiras (definidas pelos fiscais dos núcleos); ações conjuntas com as Vigilâncias Sanitárias Municipais, em feiras livres e comércio varejista; atendimento as determinações do Ministério Público. ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO SANITÁRIA Apresentação em Palestras, Cursos, Simpósios e Reuniões. Divulgação na imprensa escrita e televisionada. Descrever e registrar as participações em arquivos. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

39 PROGRAMA DE TRABALHO DE INSPEÇÃO E FISCALIZAÇÃO V - programa de treinamento do pessoal técnico demonstrando periodicidade, carga horária, e conteúdo programático. Descrever o programa de treinamento anual contendo a periodicidade, carga horária e conteúdo programático. Informamos que os treinamentos deverão estar registrados e arquivados juntamente com lista de presença. VI - dados gerais do Município, como população, produção pecuária e cadeias produtivas. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

40 COMPROVAÇÃO DE ESTRUTURA E EQUIPE COMPATÍVEIS COM AS ATRIBUIÇÕES I - recursos humanos: quadro de pessoal com cargos e atribuições, lotação de pessoal, escala de trabalho do corpo técnico; QUADRO DE PESSOAL / LOTAÇÃO Médicos Veterinários lotados na sede do SIP/POA04 Auxiliares/secretárias lotadas na sede do SIP/POA02 Médicos Veterinários lotados nos Núcleos Regionais33 Observação : os 30 veterinários estão distribuídos nos 21 Núcleos Regionais do Estado. ESCALA DE TRABALHO DO CORPO TÉCNICO Médicos Veterinários40 horas semanais Auxiliares40 horas semanais

41 AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ COMPROVAÇÃO DE ESTRUTURA E EQUIPE COMPATÍVEIS COM AS ATRIBUIÇÕES II - estrutura física: instalações, mobiliário, equipamentos de informática; Presença de Mesas, cadeiras, arquivos, armários, computadores, impressora, notebook, material de escritório, máquina fotográfica, fax e telefone. III - sistema de informação; e Banco de dados sobre o cadastro do estabelecimento Todos os estabelecimentos com registro aprovado no SIP/POA são cadastrados no REDESIP contendo: Dados da empresa: razão social, CNPJ, endereço completo, telefone, responsável técnico, número de registro no SIP/POA, data de registro, classificação do estabelecimento, lista de produtos liberados, entre outros.

42 COMPROVAÇÃO DE ESTRUTURA E EQUIPE COMPATÍVEIS COM AS ATRIBUIÇÕES Registro de produtos Todos os processos de registro de produtos são protocolados. Após aprovação, os mesmos são arquivados na Sede, no Núcleo Regional e na Empresa... Projetos aprovados Após a aprovação do projeto por meio de Parecer, os registros de cada uma das empresas são arquivados em pastas separadas por área, por município e em ordem alfabética. Cada empresa nova registrada é adicionada na planiha de estabelecimento registrado separada por núcleo regional, por área e número de registro no SIP/POA, contendo nome da empresa, município e o status (ativo, paralisado, suspenso e interditado). AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

43 COMPROVAÇÃO DE ESTRUTURA E EQUIPE COMPATÍVEIS COM AS ATRIBUIÇÕES IV - veículos oficiais e laboratórios para desenvolvimento das atividades de inspeção. Veículos Oficiais N ú cleos RegionaisM é dicos Veterin á rios Ve í culos Oficiais AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

44 COMPROVAÇÃO DE ESTRUTURA E EQUIPE COMPATÍVEIS COM AS ATRIBUIÇÕES Laboratórios 1.CDME – Centro de Diagnóstico Marcos Enrietti 2.APCBRH 3.Laboratórios Credenciados pelo Ministério da Agricultura AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

45 REQUISITOS PARA OBTENÇÃO DE EQUIVALÊNCIA 1 - Avaliação dos requisitos de infraestrutura administrativa I - recursos humanos: médicos veterinários oficiais e auxiliares de inspeção capacitados, em número compatível com as atividades de inspeção naqueles estabelecimentos que fizerem parte do Sistema, lotados no Serviço de Inspeção, que não tenham conflitos de interesses e possuam poderes legais para realizar as inspeções e fiscalizações com imparcialidade e independência; II - para o cálculo do número de funcionários, médico veterinário, auxiliar de inspeção e administrativo, deverão ser utilizados como critério o volume de produção e a necessidade presencial da inspeção oficial no estabelecimento;

46 III - estrutura física: materiais de apoio administrativo, mobiliário, equipamentos de informática e demais equipamentos necessários que garantam efetivo suporte tecnológico e administrativo para as atividades de coordenação da inspeção; IV - sistema de informação: banco de dados sobre o cadastro dos estabelecimentos, rótulos e projetos aprovados, dados de produção, dados nosográficos e número de abate mantendo um sistema de informação continuamente alimentado e atualizado; e V - infraestrutura para desenvolvimento dos trabalhos como veículos oficiais em número e condições adequadas, respeitando as particularidades de cada região e serviço de inspeção, para exercício das atividades de inspeção e supervisão. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

47 2 Avaliação dos requisitos de inocuidade dos produtos de origem animal I - avaliação das atividades de inspeção industrial e sanitária, por meio da realização da inspeção ante-mortem e post-mortem, atendendo os procedimentos e critérios sanitários de julgamento e destinação estabelecidos pela legislação; II - avaliação das verificações oficiais, feitas pelo Serviço de Inspeção Solicitante, dos programas de autocontrole implantados pelas empresas; III - avaliação de análises microbiológicas e físico- químicas da água de abastecimento e dos produtos; e IV - avaliação dos princípios de rastreabilidade. * Nos estabelecimentos de abate, é imprescindível a presença de médico veterinário, em caráter permanente, para realização das atividades de inspeção ante-mortem e post-mortem. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

48 3 Avaliação dos requisitos de garantia de qualidade dos produtos de origem animal I - garantia de que os produtos elaborados pelas indústrias atendem aos critérios estabelecidos pelos Regulamentos Técnicos de Identidade e Qualidade, específicos para cada produto, conforme aprovados pelo DIPOA / MAPA; II - os produtos que não possuírem regulamento técnico poderão ser aprovados pelos Serviços de Inspeção desde que tenham embasamento científico, recebam parecer favorável do Serviço de Inspeção Coordenador e preservem os interesses do consumidor; AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

49 III - garantia de que os produtos elaborados pelas indústrias atendem aos requisitos para aprovação de rotulagem e processos de produção estabelecidos pela legislação; e IV - os produtos elaborados pelos estabelecimentos dos Serviços de Inspeção que aderirem ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal serão identificados mediante a colocação do logotipo do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal em seus rótulos, respeitando as instruções específicas. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

50 4 Avaliação dos requisitos de ações de prevenção e combate à fraude econômica I- para efeito de obtenção da equivalência dos Serviços de Inspeção, serão avaliados mediante o atendimento de critérios estabelecidos pela legislação, no que diz respeito à qualidade dos produtos de origem animal e à sua composição centesimal. 5 Avaliação dos requisitos de ações de controle ambiental I- serão avaliados mediante a apreciação da comprovação de regularidade ambiental dos estabelecimentos sob sua responsabilidade, fornecida pelo órgão competente e respectiva autorização para construção, instalação e operação junto ao órgão público municipal. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

51 AVANÇOS E VANTAGENS PARA O ESTADO DO PARANÁ Reconhecimento do Serviço de Inspeção do Paraná – credibilidade; Registro de Produtos; Integração do Serviço de Inspeção Federal e Estadual; Ampliação do mercado consumidor dos estabelecimentos aderidos ; Contribuição para a oferta de alimentos com qualidade e segurança aos consumidores; Evolução econômica das cadeias produtivas das agroindústrias. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ

52 MUITO OBRIGADO PELA ATENÇÃO ERIC WALTZ VIEIRA MESSIAS GIPOA-ADAPAR FONE: (41) __________________________________________ HORÁCIO SLONGO APG-ADAPAR FONE: (41)


Carregar ppt "MARINGÁ, 12 DE JULHO DE 2012 ERIC WALTZ VIEIRA MESSIAS GERENTE DE INSPEÇÃO DE POA & HORÁCIO SLONGO ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google