A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

C ASOS C LÍNICOS. C ASO 1 Paciente sofreu ruptura parcial do músculo bíceps braquial, encontra-se na fase de remodelamento tecidual. Utilize a estimulação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "C ASOS C LÍNICOS. C ASO 1 Paciente sofreu ruptura parcial do músculo bíceps braquial, encontra-se na fase de remodelamento tecidual. Utilize a estimulação."— Transcrição da apresentação:

1 C ASOS C LÍNICOS

2 C ASO 1 Paciente sofreu ruptura parcial do músculo bíceps braquial, encontra-se na fase de remodelamento tecidual. Utilize a estimulação elétrica neuromuscular para melhor o alongamento e forma da cicatriz muscular. Protocolo: Alongamento Muscular Parâmetros: Corrente: Pulsada Bifásica Simétrica ou Assimétrica balanceada Retangular ; T: 0,2 a 1 ms; F: 20 a 80 Hz; SEM TON/TOFF obs.: colocar o músculo na posição de alongamento e manter por 1min.

3 C ASO 2 Em sua clínica há um paciente com edema no joelho D. Utilizando a estimulação elétrica reduza o edema desse paciente. Protocolo: Redução Edema

4 D RENAGEM T ETÂNICA Corrente: Pulsada Bifásica Simétrica ou Assimétrica balanceada Retangular T: 0,2 a 1 ms F: 20 a 80 Hz TON/TOFF- 1:2 ou 1:1 Intensidade: 20 a 60% CVIM Rampa para conforto. Corrente: Pulsada Bifásica Simétrica ou Assimétrica balanceada Retangular T : 0,2 a 1 ms F : < 20 Hz Sem TON/TOFF Intensidade : 20 a 40% CVIM Rampa para conforto Obs.:posicionamento adequado do membro e liberação dos linfonodos D RENAGEM T REMULA

5 C ASO 3 Em sua clínica, há um paciente com sub-luxação do ombro direito, seqüela de DEV, precisando de um trabalho de estimulação elétrica neuromuscular para diminuir a sub- luxação e melhorar a utilização do MS nas AVD(s). Protocolo? Fes para sub-luxação do ombro Técnicas de Posicionamento dos Eletrodos? Deltóide e Supra-Espinhal Parâmetros: Corrente: Pulsada Bifásica Simétrica ou Assimétrica balanceada Retangular ; T: 200 a 400 us; F: 25 a 35Hz; TON/TOFF- 1:4/ 1:3 /1:2 Rampa de Subida e descida. Intensidade : Suficiente para reduzir a sub- luxação

6 C ASO 4 Em sua clínica, há um paciente com espasticidade extensora de MID, seqüela de DEV, precisando de um trabalho de estimulação elétrica funcional (FES) para melhorar a marcha. Protocolo ? Fes para Marcha Técnicas de Posicionamento dos Eletrodos? Dorsiflexores- Ponto Motor Parâmetros: Corrente: Pulsada Bifásica Simétrica ou Assimétrica balanceada Retangular ; T: 200 a 400 us; F: 25 a 35Hz; TON/TOFF- MANUAL Intensidade : Suficiente para deslocar o seguimento Obs.:realizar um treino de resistência muscular antes

7 C ASO 5 Em sua clínica, há um paciente com espasticidade flexora de MSE, seqüela de DEV. Faça uma aplicação de eletro-estimulação para auxiliar a redução do tônus dos músculos comprometidos. Qual o protocolo a ser feito ? Redução de Espasticidade

8 P ROTOCOLO I Corrente: Pulsada Bifásica Simétrica ou Assimétrica balanceada Retangular T: 0,2 a 1 ms F: 20 a 80 Hz TON/TOFF- 1:2 Intensidade: Suficiente para deslocar o seguimento Rampa é muito importante Obs.: terapeuta facilita o movimento Mecanismo de Ação: Inibição Recíproca Corrente: Pulsada Bifásica Simétrica ou Assimétrica balanceada Retangular T : 0,2 a 1 ms F : 20 a 80 Hz TON/TOFF - 1:1 Intensidade: Máxima que o pcte suportar. Rampa para conforto Obs.: terapeuta estabiliza a articulação Mecanismo de Ação: Indução a Fadiga Protocolo II

9 C ASO 6 Em sua clínica há um paciente que está com hipotrofia pós-cirúrgica do músculo quadríceps e queremos que você faça um tratamento com eletro-estimulação para aumentar a força deste músculo. Qual o protocolo a ser feito ? Ganho de força muscular Técnica de colocação de eletrodos? Tetrapolar

10 Q UAIS OS PARÂMETROS Tipo de correntePulsada bifásica/alternada modulada triangular Intensidade60% da CIVM Tempo de pulso200 a 1000 us Frequência20 a 80 Hz Ciclo útilTON:TOFF de 1:2 Tipo de contraçãoIsométrica Frequência de Tratamento1xdia 3 a 5 x/semana Números de contração por sessão No mínimo 10 contrações OBS: pode ser associado a contração voluntária

11 C ASO 7 Em sua clínica, há um paciente com suspeita de lesão do nervo fibular profundo e queremos que você calcule o quociente de acomodação do músculo tibial anterior. Qual o protocolo a ser feito ? R: eletrodiagnótico clássico (provas quantitativas) Quais os parâmetros : Reobase : Pulsada monofásica retangular; T 1000 ms; R 2000 ms; intensidade ? Acomodação: pulsada monofásica triangular; T 1000 ms; R 2000 ms; intensidade ? Obs: técnicas de colocação de eletrodos; resposta quociente de acomodação

12 C ASO 8 Em sua clínica, há um paciente com lesão do nervo mediano e queremos que você realize as provas quantitativas do eletrodiagnóstico com um músculo inervado por este nervo. Quais os parâmetros : Reobase : Pulsada monofásica retangular; T 1000 ms; R 2000 ms; intensidade ? Cronaxia: Pulsada monofásica retangular; T ? ; R 2000; intensidade 2x reobase Acomodação: pulsada monofásica triangular; T 1000 ms; R 2000 ms; intensidade ?

13 C ASO 9 Em sua clínica, há um paciente que você precisa eliminar a hipótese da presença de miastenia gravis. Use uma das provas do eletrodiagnóstico para isto. Qual o protocolo a ser feito ? R: eletrodiagnótico clássico Provas Qualitativas Quais os parâmetros e o que se observa? Corrente do Tipo I e Corrente do Tipo II Corrente do Tipo I – Contração Lisa e Tetânica Corrente do Tipo II – Contração brusca de fibras Individuais

14 R EAÇÕES POSSÍVEIS DE SEREM ABSERVADAS Reação de DegeneraçãoMm. não contrai independente da intensidade Reação de VermiformeMm. apresenta contração tremula Reação de Contração LentaMm. Contrai e relaxa lentamente Reação miastênicaApós 5 ciclos de contração o músculo entra em fadiga Reação MiotônicaMm. Continua contraindo no TOFF

15 C ASO 10 Em sua clínica, há um paciente que apresentou contração normal em resposta à corrente II e apresentou uma contração vermiforme com a corrente I. Qual o nome da reação que caracteriza este resultado e qual é o estado de inervação deste músculo? Qual o protocolo a ser feito ? R: eletrodiagnótico clássico Provas Qualitativas Quais os parâmetros e o que se observa? Corrente do Tipo I e Corrente do Tipo II Corrente do Tipo I – Contração Lisa e Tetânica Corrente do Tipo II – Contração brusca de fibras Individuais

16 E STADO DE I NERVAÇÃO CORRENTE ICORRENTE II INTEGRAContração Lisa e Tetânica Contração brusca de fibras individuais Degeneração ParcialContração TrêmulaContração brusca de fibras individuais Degeneração totalSem resposta muscular Contração e relaxamento lentos Degeneração absoluta Sem resposta muscular

17 C ASO 11 Em sua clínica, há um paciente com lesão do nervo ulnar. Construa a curva i/T do eletrodiganóstico para a localização da reobase e a cronaxia nesta curva. Qual o protocolo a ser feito ? Provas Quantitativas – Gráfico retangular Reobase : Pulsada monofásica retangular; inicia com T 1000ms e diminui ate 0,1ms ; R 2000 ms; intensidade ? Cronaxia: Localizar no gráfico

18


Carregar ppt "C ASOS C LÍNICOS. C ASO 1 Paciente sofreu ruptura parcial do músculo bíceps braquial, encontra-se na fase de remodelamento tecidual. Utilize a estimulação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google