A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Celso Cardoso Neto. O que é Interação/Interface Humano-Computador ? No início havia um relacionamento um a um entre uma pessoa e o computador.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Celso Cardoso Neto. O que é Interação/Interface Humano-Computador ? No início havia um relacionamento um a um entre uma pessoa e o computador."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Celso Cardoso Neto

2

3 O que é Interação/Interface Humano-Computador ? No início havia um relacionamento um a um entre uma pessoa e o computador através de chaves e mostradores das primeiras máquinas como o ENIAC ou UNIVAC, EDVAC O advento dos cartões perfurados e do processamento em batch substituiu essa INTERAÇÃO DIRETA entre o homem e o computador por uma TRANSAÇÃO MEDIADA PELO OPERADOR DO COMPUTADOR. TIME SHARING e o uso dos teletipos trouxeram novamente o contato direto e conduziram o desenvolvimento das interfaces de linhas de comando e orientadas por menu (figura). O estilo de DIÁLOGO é bastante simples, onde uma pessoa faz alguma coisa e o computador responde. TELAS DE UM PROGRAMA COM ESTRUTURA DE DIÁLOGO POR MENU E LINEAR

4 O que é Interação/Interface Humano-Computador ? Avanços da LINGÜÍSTICA têm demonstrado que DIÁLOGO NÃO É LINEAR, ou seja, quando dizemos alguma coisa, você pensa sobre o que dissemos e aí dá uma resposta, nós vamos pensar sobre a resposta e aí …., e assim por diante. Portanto, para que o DIÁLOGO efetivamente ocorra é necessária a existência, ou a construção, de um meio comum de significados. As ATUAIS INTERFACES GRÁFICAS explicitamente representam o que vem a ser esse meio de significados comum, pela aparência e comportamento dos objetos na tela. Este conceito dá suporte a idéia de que uma INTERFACE é um contexto compartilhado de ação no qual tanto o computador como o humano são agentes (Laurel). Enganos, resultados inesperados e mensagens de erro são evidência típica de uma quebra na conversação, onde o pretenso meio de significados comum torna-se uma seara de desentendimentos. A noção de METÁFORAS DE INTERFACES (Carroll et al., 1988; Wozny, 1989) foi introduzida para prover às pessoas um esquema do funcionamento da interface que prevenisse tais desentendimentos, ou seja, facilitassem a criação desse contexto compartilhado. POR QUE METÁFORAS?

5 O que é Interação/Interface Humano-Computador ? METÁFORAS DE INTERFACES - Metáforas são parte integrante de nosso pensamento e linguagem. Elas aparecem não somente na poesia ou literatura, mas em nossa linguagem cotidiana. E geralmente as pessoas não se dão conta de que estão usando metáforas, elas são invisíveis. Alguns exemplos bastante comuns: gastar dinheiro, atacar, defender e destruir um argumento; tratar superficialmente um assunto; trânsito engarrafado; etc. As metáforas funcionam como modelos naturais, nos permitindo usar conhecimento familiar de objetos concretos e experiências para dar estrutura a conceitos mais abstratos. As características de metáforas em nossa linguagem são as mesmas que governam o funcionamento de metáforas de interfaces. Da mesma forma que metáforas invisíveis permeiam nossa linguagem cotidiana elas o fazem nas interfaces que usamos e projetamos (Erickson, 1990). Por exemplo, um usuário quando arrasta um documento de um diretório (ou pasta) para outro nos sistemas gerenciadores de arquivos de ambientes Windows, ele efetivamente acredita que está mudando o documento de lugar e o que efetivamente ocorre é que o apontador para o arquivo mudou (apontador também é uma METÁFORA).

6 O que é Interação/Interface Humano-Computador ? METÁFORAS DE INTERFACES - Como as metáforas são usadas como modelos, uma METÁFORA DE INTERFACE que sugira um modelo incorreto pode causar dificuldades para o usuário. Por exemplo, o clássico caso das funções CORTAR E COLAR DOS EDITORES ATUAIS - quando se corta algum objeto ele fica guardado em um buffer (usuários principiantes acham que sumiu) e quando se cola em outra parte o objeto não cola como no real, ele "empurra" (para fazer a real função de colar é preciso marcar e depois colar). Conclusões: 1) INTERFACE e INTERAÇÃO são conceitos que não podem ser estabelecidos ou analisados independentemente. 2) Quando nos referirmos a INTERFACES estaremos focando a INTERAÇÃO.... 3) A preocupação primeira deve ser a de melhorar o modo como as pessoas podem usar o computador para pensar e comunicar, observar e decidir, calcular e simular, discutir e projetar.

7 O que é Interação/Interface Humano-Computador ? bem projetados Para que os computadores se tornem amplamente aceitos e efetivamente usados eles precisam ser bem projetados. Isso de maneira alguma quer dizer que o DESIGN deve ser adequado a todas as pessoas, mas os COMPUTADORES DEVEM SER PROJETADOS PARA AS NECESSIDADES E CAPACIDADES DE UM GRUPO ALVO. Certamente, USUÁRIOS EM GERAL NÃO DEVEM SER OBRIGADOS A PENSAR SOBRE COMO O COMPUTADOR FUNCIONA, da mesma forma que O FUNCIONAMENTO MECÂNICO DE UM CARRO NÃO É PREOCUPAÇÃO DA MAIORIA DAS PESSOAS. No entanto, a POSIÇÃO DOS PEDAIS, DIREÇÃO E CÂMBIO têm muito impacto sobre o motorista, como também o DESIGN de sistemas computacionais têm efeito sobre seus usuários.

8 O que é Interação/Interface Humano-Computador ? Empresas produtoras de software têm despertado para idéia de que a melhora no aspecto físico da interface do usuário proporciona maiores chances de sucesso de mercado. Para explorar essa nova dimensão do produto surgiu um termo amplamente usado - INTERFACE AMIGÁVEL OU SISTEMA AMIGÁVEL (USER-FRIENDLY). Na prática o significado do amigável está associado somente a uma interface, ou melhor, aos elementos na tela serem esteticamente mais agradáveis ou bonitos. Muito embora tenha implicado num avanço com relação às antigas interfaces, muitas empresas usaram o termo simplesmente como um atrativo de mercado. A maioria dos sistemas continua não atendendo às necessidades de seus usuários que tem que lidar com interfaces que mais parecem inimigas. E um outro aspecto, é o de quão pouco adequado é esse termo: primeiro, USUÁRIOS NÃO PRECISAM DE MÁQUINAS PARA SEREM AMIGAS, ELES PRECISAM DE MÁQUINAS QUE LHES FACILITEM NA EXECUÇÃO DE SUAS TAREFAS; segundo, significa que as necessidades dos usuários podem ser descritas em apenas uma dimensão, mais ou menos amigável - diferentes usuários têm diferentes necessidades e O QUE É AMIGÁVEL PARA UM PODE SER MUITO TEDIOSO PARA OUTRO.

9 O que é Interação/Interface Humano-Computador ? Pesquisadores se preocupam em como o uso de computadores pode efetivamente ENRIQUECER O TRABALHO E A VIDA DAS PESSOAS. Em particular, eles ANALISAM AS CAPACIDADES E LIMITAÇÕES HUMANAS, ou seja, estudando o lado humano da interação com sistemas computacionais. Isso implica em procurar entender os PROCESSOS PSICOLÓGICOS DAS PESSOAS quando interagem com computadores. com o desenvolvimento da área, em paralelo com avanços tecnológicos Entretanto, com o desenvolvimento da área, em paralelo com avanços tecnológicos, tornou-se claro que outros aspectos ligados ao usuário e ao uso dos computadores precisavam ser incluídos: ∆ treinamento; ∆ práticas de trabalho; ∆ estrutura administrativa e organizacional; ∆ relações sociais; ∆ saúde; ∆ e todos os demais fatores importantes para o sucesso ou fracasso no uso de computadores.

10 O que é Interação/Interface Humano-Computador ? O termo Interação Humano-Computador (IHC) foi adotado em meados dos anos 80 como um meio de descrever esse novo campo de estudo. O termo Interação Humano-Computador (IHC) emerge da necessidade de mostrar que o foco de interesse é mais amplo que somente o design de interfaces e abrange todos os aspectos relacionados com a interação entre usuários e computadores. IHC é a disciplina preocupada com o DESIGN, AVALIAÇÃO e IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMAS COMPUTACIONAIS INTERATIVOS para uso humano e com o estudo dos principais fenômenos ao redor deles.

11 O que é Interação/Interface Humano-Computador ?

12 Concluindo, IHC trata do design de sistemas computacionais que auxiliem as pessoas de forma a que possam executar suas atividades produtivamente e com segurança. IHC tem, portanto, papel no desenvolvimento de todo tipo de sistema, • variando dos sistemas de controle de tráfego aéreo onde segurança é extremamente importante segurança é extremamente importante, produtividade e satisfação são os • até sistemas de escritório onde produtividade e satisfação são os parâmetros mais relevantes parâmetros mais relevantes, envolvimento dos usuários é o requisito • até jogos, onde o envolvimento dos usuários é o requisito básico básico.

13 Desafios da área Interação/Interface Humano-Computador...  O desenvolvimento de máquinas mais rápidas e com maior poder de processamento, em conjunto com melhorias de tecnologias de hardware e software não pára.  Dispositivos especiais possibilitam ao usuário "pegar" objetos dentro de um espaço virtual, e mesmo movimentar-se através de um espaço de realidade virtual.  Aplicações multimídia, onde som, gráficos estáticos e dinâmicos, vídeo e texto são interligados e comuns hoje em dia.  Desenvolvimentos recentes em telecomunicações têm possibilitado que grandes quantidades de diferentes tipos de informação possam ser enviadas através de redes. Imagens, vídeo, som e texto podem ser transmitidos com perda mínima de eficiência e qualidade.  Informações de bancos de dados existentes em todo o mundo podem ser obtidas pelas pessoas de suas próprias casas. Essas mudanças trazem dois importantes desafios aos designers de IHC:

14 Desafios da área Interação/Interface Humano-Computador...  Observem as DIFICULDADES DAS PESSOAS COM AS FUNCIONALIDADES DOS APARELHOS ELETRÔNICOS E TELEFÕNICOS ATUALMENTE.... Não existe como negar que muitos sistemas computacionais foram projetados com INTERFACES EXTREMAMENTE POBRES. O ponto que precisa ser entendido é que AUMENTAR A FUNCIONALIDADE não pode ser uma desculpa para um DESIGN POBRE. Deve ser possível PROJETAR BOAS INTERFACES cujos controles têm operações e efeitos relativamente óbvios e que também provêem um FEEDBACK IMEDIATO E ÚTIL.   

15 Desafios da área Interação/Interface Humano-Computador... Um bom exemplo é o dado por Norman (1988) com relação aos CARROS. Observando os controles dos painéis dos carros atuais podemos ver que eles têm cerca de 100 controles ou mais - dez ou mais para o equipamento de som, 5 ou mais para o sistema de ventilação, outros tantos para as janelas, limpadores de pára-brisa, luzes, para abrir e fechar portas, para dirigir o carro, etc. A maioria das pessoas, com pouca tentativa e erro (quase sempre enquanto dirige) ou após uma rápida olhada no manual, tem poucos problemas em lidar com todo o domínio de funções. Por que isso acontece, se não existe termo de comparação entre o número de funções e controles de um carro e de um DVDPLAYER? O que torna a interface do carro tão boa e a do vídeo tão pobre? Uma das razões é que o feedback nos carros é imediato e óbvio. Também, as pessoas que já dirigiram qualquer carro sabem o que esperar pois, muito embora, os carros sejam diferentes, a posição da maioria dos controles é a mesma ou similar, e símbolos similares são usados para indicar suas funções. CENTRADOS NO HUMANO E NÃO NA TECNOLOGIA Portanto, os desafios de IHC são evidentes e a procura de soluções estabelece os objetivos da área que ao serem CENTRADOS NO HUMANO E NÃO NA TECNOLOGIA são sempre atuais.

16 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... produzir sistemas USÁVEIS, SEGUROS E FUNCIONAIS. desenvolver ou melhorar a SEGURANÇA, UTILIDADE, EFETIVIDADE e USABILIDADE de SISTEMAS que incluem computadores. o termo SISTEMAS se refere não somente ao HARDWARE e o SOFTWARE mas a todo o ambiente que usa ou é afetado pelo uso da tecnologia computacional. conceito mais amplo denominado ACEITABILIDADE DE UM SISTEMA

17 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... A ACEITABILIDADE GERAL de um sistema é a combinação de sua aceitabilidade social e sua aceitabilidade prática. sistemas atuais de controle das portas de entrada em bancos Como um exemplo de ACEITABILIDADE SOCIAL, podemos mencionar os sistemas atuais de controle das portas de entrada em bancos. Apesar de serem benéficos socialmente pois tentam impedir situações de assalto onde os usuários dos bancos ficam em sério risco, não são aceitos socialmente pois levam a que qualquer pessoa que queira entrar no banco tenha que esbarrar na porta trancada por inúmeras vezes até se desfazer de todo e qualquer objeto suspeito (o problema é que não se sabe quais os objetos que impedem a entrada). A ACEITABILIDADE PRÁTICA trata dos tradicionais parâmetros de custo, confiabilidade, compatibilidade com sistemas existentes, etc., como também da categoria denominada "USEFULNESS"

18 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... A MULTI(INTER)(TRANS)DISCIPLINARIDADE EM IHC Esses fatores tornam complexa a tarefa...

19 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador...  Voltemos ao exemplo dos CARROS, considerando agora os BANCOS. Se todos tivessem o mesmo formato, nenhuma dificuldade haveria para o DESIGNER projetar sempre o banco ideal.  Comparado com diferenças psicológicas, as diferenças físicas podem ser consideradas triviais de lidar.  Um modo de TRATAR ESSA DIVERSIDADE é projetar sistemas flexíveis que possam ser "customizados" de forma a se adequar às necessidades individuais. Isto, de certa forma, está sendo feito no DESIGN DOS BANCOS NOS CARROS ATUAIS, onde um bom número de modos para ajuste são disponíveis.  Também, sistemas computacionais, como editores de texto por exemplo, oferecem atualmente uma série de opções para se adequar à experiência e preferência de usuários.  Portanto na análise dos fatores humanos envolvidos em IHC diversas disciplinas são necessárias...

20 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • PSICOLOGIA COGNITIVA, PSICOLOGIA SOCIAL E ORGANIZACIONAL, ERGONOMIA (termo europeu) ou FATORES HUMANOS (termo americano) e a CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Outras áreas de estudo que tem tido uma crescente influência em IHC incluem: INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL, LINGUÍSTICA, PSICOLOGIA, FILOSOFIA, SOCIOLOGIA, ANTROPOLOGIA, ENGENHARIA e DESIGN. • CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO contribui provendo conhecimento sobre as possibilidades da tecnologia e oferecendo idéias sobre como explorar todo o seu potencial. Também os profissionais de computação têm se preocupado em desenvolver ferramentas de software auxiliares ao DESIGN, IMPLEMENTAÇÃO E MANUTENÇÃO DE SISTEMAS: linguagens de programação, ferramentas de prototipação, sistemas de gerenciamento de interfaces de usuário (UIMS), ambientes de design de interfaces de usuário (UIDE), ferramentas de debugging e teste, etc. Alguns esforços têm sido feitos no sentido de prover métodos rigorosos de analisar a forma como IHC é projetada e incorporada em sistemas, que incluem arquiteturas de sistemas, abstrações e notações. Conceitos de reuso e de engenharia reversa também são utilizados em IHC. Em particular, tem havido a preocupação de prover meios para que designers iniciantes possam reusar trabalhos de colegas mais experientes, como bibliotecas de código, por exemplo. Os sofisticados sistemas gráficos usados em visualização e em realidade virtual também são resultados da ciência da computação.

21 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • PSICOLOGIA COGNITIVA. A preocupação principal da Psicologia é entender o comportamento humano e os processos mentais subjacentes. • A PSICOLOGIA COGNITIVA adotou a noção de processamento de informação como modelo para o comportamento humano e tenta colocar tudo que vemos, sentimos, tocamos, cheiramos, etc., em termos desse modelo. Importantes tópicos de IHC são o estudo da percepção, atenção, memória, aprendizagem, solução de problemas, etc. • O objetivo da PSICOLOGIA COGNITIVA tem sido o de caracterizar esses processos em termos de suas capacidades e limitações. • Por exemplo, uma das principais preocupações da área era identificar a quantidade de informação que podia ser processada e lembrada de uma só vez. Recentemente, existe a preocupação em caracterizar o modo como as pessoas trabalham entre si e com vários artefatos, entre eles o computador. Um dos principais resultados desses estudos é a COGNIÇÃO DISTRIBUÍDA. Psicólogos cognitivistas têm se preocupado em aplicar princípios psicológicos em IHC usando uma variedade de métodos: DESENVOLVIMENTO DE GUIDELINES, USO DE MODELOS PARA PREDIZER A PERFORMANCE HUMANA NO USO DE COMPUTADORES, MÉTODOS EMPÍRICOS PARA TESTAR SISTEMAS COMPUTACIONAIS, ETC.

22 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • PSICOLOGIA SOCIAL tem como preocupação estudar a natureza e causas do COMPORTAMENTO HUMANO NO CONTEXTO SOCIAL. • Pode-se resumir as preocupações básicas da PSICOLOGIA SOCIAL em quatro pontos: (1) a influência de um indivíduo nas atitudes e comportamentos de outra pessoa (2) impacto de um grupo sobre o comportamento e as atitudes de seus membros (3) impacto de um membro nas atividades e estrutura de um grupo (4) relacionamento entre estrutura e atividades de diferentes grupos

23 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL dá aos designers o conhecimento sobre estruturas organizacionais e sociais e sobre como a introdução de computadores influencia práticas de trabalho. • Em grandes organizações, por exemplo, o computador serve tanto como meio de comunicação, quanto para fazer a folha de pagamento e contabilidade em geral, para controlar entrada e saída de pessoas, etc. • Isso envolve entender a estrutura e funcionamento de organizações em termos de •autoridade e poder, •tamanho e complexidade, •eficiência, •fluxo de informação, •tecnologia, •práticas de trabalho, •ambiente de trabalho e •contexto social. • Modelos de mudanças organizacionais com a inclusão da tecnologia são bastante úteis a esse entendimento.

24 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • FATORES HUMANOS ou ERGONOMIA, teve um grande desenvolvimento a partir da segunda grande guerra, atendendo a demanda de diversas disciplinas. • Seu OBJETIVO é conceber e fazer o DESIGN de diversas ferramentas e artefatos para diferentes adequados às capacidades e necessidades de ambientes de trabalho, domésticos e de diversão, adequados às capacidades e necessidades de usuários usuários. • O OBJETIVO é maximizar a segurança, eficiência e confiabilidade da performance do usuário, tornando as tarefas mais fáceis e aumentando os sentimentos de conforto e satisfação. • As primeiras contribuições dos especialistas em fatores humanos para IHC foram design do hardware  no design do hardware (teclados mais ergonômicos, posições do vídeo, etc.) e aspectos de software forma da apresentação de informação na tela do vídeo  nos aspectos de software que poderiam resultar em efeitos fisiológicos adversos nos humanos, como a forma da apresentação de informação na tela do vídeo.

25 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • LINGÜÍSTICA é o estudo científico da linguagem.. • Muita atenção tem sido dada atualmente aos resultados da lingüística como fontes de conhecimento importantes para IHC. O uso imediato e mais tradicional é o de EXPLORAR A ESTRUTURA DA LINGUAGEM NATURAL NA CONCEPÇÃO DE INTERFACES, principalmente para facilitar o acesso e consulta a bases de dados. • Também na concepção de linguagens de programação mais fáceis de serem aprendidas, resultados da lingüística estão presentes (por exemplo, na linguagem de programação Logo, voltada para a Educação). • Estudos derivados, que consideram o estudo da LINGUAGEM enquanto FORMA DE COMUNICAÇÃO, não apenas textual, têm tido muita relevância hoje em dia em IHC • Também na INTERNACIONALIZAÇÃO DE INTERFACES E LOCALIZAÇÃO DE SOFTWARE a LINGÜÍSTICA tem tido um papel cada vez mais importante. Internacionalização é a preocupação em isolar os fatores culturais de um produto (por exemplo, textos, ícones, datas etc.) de outros que podem ser considerados genéricos culturalmente.

26 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL (IA) é um ramo da ciência da computação cujo objetivo é desenvolver sistemas computacionais que exibam características que nós associamos com inteligência no comportamento humano. • A preocupação central é com o desenvolvimento de estruturas de REPRESENTAÇÃO DO CONHECIMENTO que são utilizadas pelo ser humano no processo de solução de problemas. • MÉTODOS E TÉCNICAS DE IA, tais como o uso de regras de produção, têm sido usados por IHC no desenvolvimento de sistemas especialistas e tutores com interfaces inteligentes. IA também se relaciona com IHC no PROCESSO DE INTERAÇÃO DOS USUÁRIOS COM INTERFACES INTELIGENTES no sentido do uso de linguagem natural (textual e falada), na necessidade do sistema ter que justificar uma recomendação, nos sistemas de ajuda contextualizados e que efetivamente atendam às necessidades dos usuários, etc. • Atualmente, grande ênfase tem sido dada no DESENVOLVIMENTO DE AGENTES DE INTERFACES INTELIGENTES, QUE AUXILIAM OS USUÁRIOS NA NAVEGAÇÃO, BUSCA DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO, etc. • O objetivo no uso desses agentes é o de reduzir a sobrecarga cognitiva que muitos usuários têm atualmente ao lidar com a quantidade de informação apresentada, na maioria das vezes, de forma hipertextual.

27 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E ANTROPOLOGIA são, das disciplinas que contribuem com IHC, as tradicionalmente denominadas soft sciences. Com isso, se está querendo dizer que elas não estão diretamente envolvidas com o DESIGN REAL de um sistema computacional do mesmo modo que as hard sciences que oferecem métodos, técnicas e implementações. • Elas estão mais diretamente envolvidas com os desenvolvimentos da tecnologia de informação e com a transferência de tecnologia. Isso na verdade vem mudando, pois atualmente métodos da Sociologia e Antropologia têm sido aplicados no design e avaliação de sistemas. Uma onde a premissa básica é não assumir um modelo a dessas técnicas é a ETNO-METODOLOGIA onde a premissa básica é não assumir um modelo a priori do que vai acontecer quando as pessoas usam o computador, ao invés disso, analisar o priori do que vai acontecer quando as pessoas usam o computador, ao invés disso, analisar o comportamento na observação do que acontece durante o uso em seu contexto real de uso comportamento na observação do que acontece durante o uso em seu contexto real de uso. • Portanto, a ênfase é em entender o que acontece quando as pessoas se comunicam entre si ou com as máquinas, enquanto e depois que isso acontece, e não modelar e predizer de antemão como o faz a PSICOLOGIA COGNITIVA. A razão da aplicação desses métodos na análise de IHC é a de que uma descrição mais precisa da interação entre usuários, seu trabalho, a tecnologia em uso e no ambiente real de uso precisa ser obtida. TRABALHO COOPERATIVO AUXILIADO PELO COMPUTADOR (CSCW) o qual objetiva prover ferramentas de software que possibilitem a execução cooperativa (compartilhando software e hardware) de tarefas é uma área de aplicação e desenvolvimento que depende diretamente do resultado dessa descrição.

28 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • ENGENHARIA é uma ciência aplicada direcionada à construção e testes empíricos de modelos. • Basicamente, a Engenharia usa os resultados da ciência em geral na produção de artefatos. • Na maioria dos aspectos, a grande influência da engenharia em IHC tem sido via ENGENHARIA DE SOFTWARE.

29 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador... • DESIGN tem oferecido a IHC conhecimento mais que evidente, como por exemplo na área de design gráfico. • Muitos autores, afirmam que o envolvimento e o crescente interesse de designers gráficos no projeto de telas de sistemas computacionais consolidou IHC como uma área de estudo. • O processo de design de IHC também foi influenciado pela prática de design gráfico. • Por exemplo, a prática de gerar diversas alternativas para serem avaliadas em sessões de brainstorming entre colegas logo no início de um projeto tem sido adotada atualmente por um grande número de designers de interfaces. • Com o advento da WEB, como uma nova mídia de comunicação, dificilmente se tem uma equipe de desenvolvimento que não tenha um designer gráfico.

30 OBJETIVOS da Interação/Interface Humano-Computador...  A contribuição dessas disciplinas em IHC certamente é uma via de duas mãos, ou seja, certamente IHC alterou também a prática em cada uma dessas disciplinas.  Por exemplo, hoje em dia não existe ENGENHEIRO ou DESIGNER que não faça uso de ferramentas de design tanto para produzir projetos arquitetônicos ou mecânicos quanto para fazer o projeto de uma nova cadeira.  E de modo mais geral, em todas essas áreas, FERRAMENTAS DE VISUALIZAÇÃO, BUSCA, COMPILAÇÃO, ANÁLISE DE INFORMAÇÃO têm sido geradas e amplamente utilizadas.

31


Carregar ppt "Prof. Celso Cardoso Neto. O que é Interação/Interface Humano-Computador ? No início havia um relacionamento um a um entre uma pessoa e o computador."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google