A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

 Edvin Tavares tur:6-º n:2 Disciplina:F.C. Nenhum tratamento cura o herpes genital, mas pode reduzir a duração de um surto. O número destes surtos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: " Edvin Tavares tur:6-º n:2 Disciplina:F.C. Nenhum tratamento cura o herpes genital, mas pode reduzir a duração de um surto. O número destes surtos."— Transcrição da apresentação:

1  Edvin Tavares tur:6-º n:2 Disciplina:F.C

2

3 Nenhum tratamento cura o herpes genital, mas pode reduzir a duração de um surto. O número destes surtos pode reduzir-se aplicando uma terapia contínua com doses baixas de medicamentos antivirais. O tratamento é mais eficaz se se iniciar rapidamente, em regra dois dias depois do aparecimento dos sintomas. O aciclovir ou os fármacos antivirais relacionados podem ser administrados por via oral, ou então em forma de creme directamente sobre as lesões. Os antivirais reduzem a propagação do vírus vivo a partir das lesões, diminuindo desta forma o risco de contágio. Também podem reduzir a gravidade dos sintomas durante o surto inicial. Contudo, mesmo o tratamento precoce do primeiro ataque não evita as recorrências. Os doentes com história de herpes podem contagiar os seus parceiros sexuais, sobretudo porque podem não se dar conta de que estão a passar por outro surto.

4 Os sintomas do primeiro surto (primário) iniciam-se de 4 a 7 dias depois da infecção. Costumam ser prurido, formigueiro e dores. Depois aparece uma pequena placa avermelhada, seguida de um grupo de bolhas pequenas e dolorosas. Estas rompem-se e fundem- se para formar úlceras circulares, que em geral são dolorosas e se cobrem de crostas em poucos dias. O afectado pode ter dificuldade em urinar e, em certos casos, sente dor ao andar. As úlceras saram em aproximadamente 10 dias, mas podem deixar cicatrizes. Os gânglios linfáticos da virilha costumam aumentar levemente de tamanho e apresentam sensibilidade ao tacto. O primeiro surto é mais doloroso, prolongado e generalizado do que os seguintes, podendo causar febre e mal-estar.

5 Pergunte ao seus parceiro se teve ou tem herpes porque pode ser propagada através de áreas não protegidas pelo preservativo, como por exemplo, a virilha, coxas e abdômen. Evite sexo oral-genital e oral-anal com alguém que tenha feridas secas na boca. Feridas secas são causadas por vírus que podem infectar os genitais. Sempre usar preservativo durante qualquer contato sexual, pois não é possível saber ou predizer quando o vírus pode ser transmitido à outros, inclusive sexo oral-genital e anal-genital.

6


Carregar ppt " Edvin Tavares tur:6-º n:2 Disciplina:F.C. Nenhum tratamento cura o herpes genital, mas pode reduzir a duração de um surto. O número destes surtos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google