A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Introdução à Administração Financeira Critérios de Decisões em Orçamento de Capital Por Luiz Antonio Bertolo, Professor Aula ???

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Introdução à Administração Financeira Critérios de Decisões em Orçamento de Capital Por Luiz Antonio Bertolo, Professor Aula ???"— Transcrição da apresentação:

1 1 Introdução à Administração Financeira Critérios de Decisões em Orçamento de Capital Por Luiz Antonio Bertolo, Professor Aula ???

2 2  Orçamento de capital  A lista de projetos de investimentos planejados.  Orçamento de capital é o processo de analizar alternativas de investi- mentos de longo prazo e tomar decisões de investimento de longo prazo. O que é Orçamento de Capital?

3 3 Orçamento de Capital: Analisar investimentos alternativos de longo prazo e decidir quais ativos adquirir ou vender. O resultado é incerto. Grandes quantias de dinheiro geralmente estão envolvidas. Investimento envolve um compromisso de longo prazo. As decisões podem ser difíceis ou impossíveis de se reverterem. Sobre Decisões de Orçamento de Capital

4 4 Tipos de Decisões de Investimentos  Decisões de Seleção  Relacionam-se às propostas de projetos tais como investimentos em ativos de longo pra- zo, i.e., propriedades, planta, ou equipamen- tos, ou recursos comprometidos na forma de desenvolvimento de novos produtos, pesquisa de mercado, refinanciamento de dívidas de longo prazo, e introdução de um computador.  Decisões de substituições  Por exemplo a substituição da aparelhagem existente com nova aparelhagem.

5 5 ? ? ? Expansão da Planta Novos Equipamentos Renovação do escritório Eu escolherei o projeto com o retorno mais lucrativo sobre os fundos disponíveis. Fundos Investimentos Limitados

6 6 Processos de Decisões 1. Desenvolver e classificar todos os projetos de investimentos 2. Autorizar projetos baseados em:  Regulamentos governamentais  Eficiência na produção  Exigências de capacidade  VPL

7 7 Ética Preocupação ambientalImagem Corporativa Condições de trabalho Qualidade do produto Considerações Não Financeiras

8 Como decidimos se um projeto de investimento de capital deverá ser aceito ou rejeitado?

9  O método de avaliação ideal deverá: 1. incluir todos os fluxos de caixa que ocorrerem durante a vida do projeto, 2. Considerar o valor do dinheiro no tempo, e 3. incorporar a taxa de retorno exigida sobre o projeto. Critérios de Tomada de Decisão no Orçamento de Capital

10 10 Critérios de Tomada de Decisão no Orçamento de Capital  Payback Period  Payback Period Descontado  Valor Presente Líquido (VPL)  Índice de Lucratividade (IL)  Taxa Interna de Retorno (TIR)  Taxa Interna de Retorno Modificada (TIRM)

11 Regra de Decisão  Todas estas técnicas tentam comparar os custos e benefícios de um projeto  A regra chave do orçamento de capital é aceitar todos os projetos para os quais o custo seja menor que, ou igual a, o benefício:  Aceitar se:Custo Benefício  Rejeitar se:Custo > Benefício

12 12  Quanto tempo levará para gerar caixa suficiente para pagar o investimento?  O payback period mede o extensão de tempo para recuperar a quantia do investimento inicial. Ela é computada dividindo o investimento inicial pelas entradas de caixa das receitas ou economias de custos. Payback Period

13 13 Assuma: Custo do investimento $ Fluxos de caixa livres anuais $ Payback period = custo do investimento inicial $ Receitas ou economias de custos $ == 6 anos Regra de decisão: Escolher o projeto com o mais curto payback period, porque o payback period mais curto, quanto mais arriscado oprojeto, maior a liquidez. Exemplo

14 14 Considere dois projetos cujos fluxos de caixa livres não sejam iguais. Assuma que cada projeto custe $ Quando os fluxos de caixa não forem iguais, o payback period tem que ser encontrado por tentativa e erro.

15 15 O payback period do projeto A é 4 anos. ($1.000 = $100 + $200 + $300 + $400 ) O payback period do projeto B é: ($1000 = $500 + $400 + $100) ou O payback period do projeto B é 2,33 anos. $100 $300 = 0,33 anos. O projeto B é o projeto escolhido neste caso, pois ele tem o payback period mais curto.

16 16  Vantagens  Ele lida com fluxos de caixa ao invés de lucros contábeis e portanto focaliza nos verdadeiros benefícios e custos do projeto.  É simples de computar e fácil de entender.  Ele pode ser usado como um dispositivo de blindagem, eliminando projetos cujos retornos não se materializem até certo ano.  Desvantagens  Ele ignora o valor do dinheiro no tempo.  Ele não considera qualquer taxa de retorno exigida  Ele ignora o impacto das entradas de caixa recebidas após o payback period

17 Payback Period Descontado  Desconta os fluxos de caixa à taxa de retorno exigida pela empresa.  Payback period é calculado usando estes fluxos de caixa líquidos descontados.

18 Payback Period Descontado (500) Descontado Ano Fluxo de CaixaFC (14%) ano anos ,52 anos

19 19 Valor Presente Líquido  Valor presente líquido (VPL) é o excesso do valor presente (VP) das entradas de caixa geradas pelo projeto sobre a quantia de gastos iniciais (I):  Vantagens  Ele reconhece o valor do dinheiro no tempo.  É fácil de calcular se os fluxos de caixa formarem uma anuidade ou variarem de período a período

20 20  Escolher uma taxa de desconto a taxa de retorno exigida mínima.  Calcular o valor presente das entradas de caixa.  Calcular o valor presente das saídas de caixa. VPL =  -  Computação

21 21 General decision rule... Regra de Decisão

22 22 Fundamentos da Abordagem do VPL  O valor de mercado da empresa está baseado no valor presente dos fluxos de caixa que é esperado gerar.  Investimentos adicionais são “bons” se o valor presente das entradas de caixa incrementais esperadas excederem seu custo.  Assim, “bons” projetos são aqueles que aumentam o valor da empresa - ou, bons projetos são aqueles que têm VPLs positivos!  Conclusão - Investir somente em projetos com VPL não negativo.

23 23 Fontes de VPL oEconomias de Escala oVantagens de custos oDiferenciação no produto oVantagem de distribuição oRegulamentos de Proteção

24 24 Índice de Lucratividade (Índice Benefício/Custo)  O índice de lucratividade é a razão do VP total dos entradas de caixa futuras pelo investimento inicial  Este índice é usado como uma maneira de clas- sificar projetos em ordem decrescente de atra- tividade.  Regra de Decisão: Se o índice de lucratividade for maior que ou igual a 1,00, então aceitar o projeto.

25 25 Taxa Interna de Retorno  Taxa interna de retorno (TIR) é definida como a taxa de juros que iguala I com o VP das entradas de caixa futuras.  Na TIR: VPL = 0  Regra de decisão: aceitar o projeto se a TIR for maior que ou igual a taxa de retorno exigida ou hurdle rate. Caso contrário, rejeitá-lo.

26 26  Vantagem  TIR é uma boa ferramenta de tomada de decisão desde que os fluxos de caixa sejam convencionais. ( )  Desvantagens  Se existirem múltiplas mudanças de sinais na série de fluxos de caixa, poderemos obter múltiplas TIRs. ( ) (500) (200)

27 27  Um projeto é dito ser mutuamente exclusivo se a aceitação de um projeto automaticamente exclui a acceitação de outros projetos.  No caso onde se deve escolher entre investimentos mutuamente exclusivos, o método do VPL e TIR podem resultar em indicações contraditórias. Investimentos Mutuamente Exclusivos

28 28  Projetos que tenham diferentes expectativas de vida.  Projetos que tenham diferentes tamanhos dos investimentos.  Projetos cujos fluxos de caixa diferem durante o tempo. Por exemplo, o fluxos de caixa de umprojeto aumenta durante o tempo, enquanto aquela do outro diminui. Contradições Podem Ocorrer Quando

29 29  As contradições resultam de diferentes hipóteses com respeito à taxa de reinvestimento nos fluxos de caixa dos projetos.  O métodoVPL desconta todos os fluxos de caixa pelo custo de capital, assim implicitamente assume que estes fluxos de caixa possam ser reinvestidos a esta taxa.  O método TIR implica numa taxa de reinvestimento TIR. Então, a taxa de reinvestimento implicada diferirá de projeto para projeto.  O método VPL geralmente dá a classificação correta, pois o custo de capital é a taxa de reinvestimento mais rea- lística. Causas para Contradição

30 30 Taxa Interna de Retorno Modificada (TIRM)  TIR assume que todos os fluxos de caixa são reinvestidos à TIR.  TIRM fornece uma medida da taxa de retorno que assume que os fluxos de caixa sejam reinvestidos à taxa de retorno exigida.

31 31 Passos da TIRM 1. Calcular o VP das saídas de caixa.  Usar a taxa de retorno exigida. 2. Calcular o VF das entradas de caixa do último ano da linha do tempo do projeto. Este é chamado de valor terminal (TV).  Usar a taxa de retorno exigida. 3. TIRM: a taxa de desconto que iguala o VP das saídas de caixa com o VP do valor terminal, i.e,, que torna: Pv saídas de caixa = Pv entradas de caixa

32 32  Suponha que estamos considerando investir num ativo que renda $1000 no ano um, $1100 no ano dois, $1500 no ano três e $3200 no ano quatro. Se a sua taxa de retorno exigida é 12%, e o ativo custa $5000, determine a TIR e TIRM. $4000 =$1000/(1+TIR) + $1100/(1+TIR) 2 + $1500/(1+TIR) 3 + $3200/(1+TIR) 4 TIR =20,09% Exemplo

33 33 Para encontrar a TIR Modificada $4000 = [$1000(1.12) 3 + $1100(1.12) 2 + $1500(1.12) + $3200]/(1 + TIRM) 4 $4000 = [$ $ $1680 +$3200] /(1 + TIRM) 4 $4000(1 + TIRM) 4 = $7665 (1 + TIRM) = TIRM = 17.66%

34 34 Importância do Orçamento de Capital  O orçamento de Capital é provavelmente o assunto mais importante em finanças corporativas  Identificar oportunidades de investimentos que ofereçam mais valor à empresa do que seus custos – o valor dos fluxos de caixa futuros precisam ser maiores que o investimento exigido  Estimar o tamanho, momento e risco dos fluxos de caixa futuros é o aspecto mais desafiante do orçamento de capital

35 35


Carregar ppt "1 Introdução à Administração Financeira Critérios de Decisões em Orçamento de Capital Por Luiz Antonio Bertolo, Professor Aula ???"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google