A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Presidente do Conselho de Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo de Livre Admissão de Associados do Agreste e Sertão Central do Estado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Presidente do Conselho de Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo de Livre Admissão de Associados do Agreste e Sertão Central do Estado."— Transcrição da apresentação:

1

2 O Presidente do Conselho de Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo de Livre Admissão de Associados do Agreste e Sertão Central do Estado de Pernambuco - UNICRED CENTRO PERNAMBUCANA, no uso das atribuições que lhe confere o Estatuto Social, convoca os associados, que nesta data são em número de 4.815, em condições de votar, para se reunirem em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, no dia 28 de Março de 2014, a realizar-se no auditório de sua sede situada à Rua Saldanha Marinho, nº 34, bairro Mauricio de Nassau, Caruaru/PE. A Assembleia Geral Ordinária realizar-se-à em primeira convocação às 16:30h com a presença de 2/3 (dois terços) dos associados; em segunda convocação às 17:30h, no mesmo dia e local, com a presença de metade mais um dos associados, e às 18:30h em terceira e ultima convocação com a presença de no mínimo 10 (dez) associados. A Assembleia Geral Extraordinária realizar-se-à em primeira convocação às 16:30h com a presença de 2/3 (dois terços) dos associados; em segunda convocação às 17:30h, no mesmo dia e local, com a presença de metade mais um dos associados, e às 18:30h em terceira e ultima convocação com a presença de no mínimo 10 (dez) associados para deliberar sobre a seguinte ORDEM DO DIA:

3 EM AGO: 1. Prestação de contas da Diretoria, acompanhada do parecer do Conselho Fiscal, compreendendo: Relatório da Gestão, Balanço e Demonstrativo de Sobras ou Perdas, tudo referente ao exercício de 2013; 2. Destinação das sobras apuradas no exercício de 2013; 3. Eleição dos membros do Conselho Fiscal. 4. Fixação do valor da cédula de presença e diárias dos membros dos Conselhos de Administração e Fiscal, e do valor dos honorários e diárias do Presidente do Conselho de Administração e da Diretoria. 5. Apreciação do Plano de Trabalho para o exercício de EM AGE: 1-Reforma do Estatuto Social da Cooperativa, para alterar o caput do Art.50, acrescentando-se a expressão “permanecendo no exercício do mandato até a posse dos seus substitutos”, objetivando sua adequação à Resolução nº 4308 de , editada pelo Conselho Monetário Nacional e Banco Central do Brasil, em vigor a partir da data da sua publicação. Caruaru, 13 de fevereiro de Aníbal Cantarelli Neto. Presidente do Conselho de Administração

4 Submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis da Unicred Centro Pernambucana, relativas ao exercício de 2013, baseada nas práticas contábeis aplicadas às instituições financeiras, que o Banco Central autoriza o funcionamento. A economia brasileira, em 2013, foi marcada pela inflação, pelo déficit nas contas externas e pelo incremento dos gastos públicos. Pernambuco sofreu as consequências da pior seca dos últimos 50 anos, afetando a sua economia, em especial nas regiões Agreste e Sertão. O crescimento econômico brasileiro em 2013 foi melhor que em 2012 e o ano de 2014 se mostra desafiador, diante da redução dos estímulos monetários nos EUA e desaceleração da economia chinesa. O Brasil, como economia emergente, é afetado por esse contexto, que exige uma melhoria dos fundamentos macroeconômicos e institucionais, que o fortalecerá para enfrentar os desafios. A retomada da atividade econômica ao final de 2013 foi suportada por investimentos produtivos, que podem se intensificar com o programa de concessões públicas na área de infraestrutura e pelos grandes eventos esportivos, que ocorrerão entre 2014 e O total de crédito do sistema financeiro brasileiro, considerando-se as operações com recursos livres e direcionados, alcançou R$2.715 bilhões em 2013, acumulando expansão de 14,6%. A relação crédito/PIB atingiu 56,5%. A queda no ritmo de expansão do crédito em 2013 refletiu a desaceleração nas operações com recursos livres, influenciada pela elevação da taxa Selic a partir de abril e pelo menor consumo das famílias. As operações com recursos direcionados registraram expansão nos principais segmentos, destacando-se: a aceleração do crédito rural, a manutenção do ritmo de crescimento dos financiamentos imobiliários e os recursos do BNDES. A Unicred Centro Pernambucana encerrou o exercício de 2013 com ativos de R$ mil; carteira de crédito de R$ mil; aplicações no mercado financeiro de R$ mil; depósitos totais de R$ mil; patrimônio líquido de R$ mil; sobras brutas de R$ mil, neste caso decorrente de aplicações mais conservadoras e de perdas operacionais, todas provisionadas. O Conselho de Administração tem perspectiva otimista em relação a 2014, no segmento em que a cooperativa atua, principalmente com a sua inserção no ramo de crédito consignado. Desta forma, o volume das operações de crédito será incrementado às taxas sustentáveis e compatíveis com o risco, minimizado pelas garantias inerentes a operação. O cenário para a Unicred Centro Pernambucana mantém-se bastante promissor. Ela completou 20 anos de atividades com presença marcante na área financeira do Estado, promovendo inclusão bancária, a mobilidade social, democratizando produtos e serviços financeiros e ampliando seus horizontes de negócios com a inauguração de novas agências em Arcoverde e Serra Talhada.

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15 1. Contexto Operacional 2. Apresentação das Demonstrações Contábeis e Principais Praticas Contábeis 3. Principais Práticas Contábeis

16 4.Relações Interfinanceiras

17 5.Operações de Crédito I - Distribuição das Operações segregadas por tipo de cliente e atividade econômica

18 5.Operações de Crédito II - Distribuição por faixa de vencimento e nível de risco (normal e vencido);

19 5.Operações de Crédito a) Composição da carteira de crédito por faixa de vencimento - (dias):

20 5.Operações de Crédito b) Movimentação da provisão para créditos de liquidação duvidosa de operações de crédito e outros créditos com características de concessão de crédito. c) Concentração dos Principais Devedores d) Créditos Baixados Como Prejuízo, Renegociados e Recuperados

21 6. Outros Créditos 7. Outros valores e bens e Despesas Antecipadas

22 8. Investimentos

23 9. Imobilizado, Diferido e intangível

24 10. Depósitos 11. Obrigações Sociais e Estatutárias

25 12.Outras obrigações - Fiscais e Previdenciárias 13.Outras obrigações - Diversas 14. Patrimônio liquido a) Capital social O capital é representado por cotas no valor nominal de R$: 1,00 cada. b) Reserva Legal A Reserva Legal é constituída pela porcentagem de 10% sobre as sobras do exercício. c) Sobras ou Perdas do Exercício No exercício de 2013 foram apuradas sobras liquidas no valor de R$:

26 15. Gestão de Risco Base de calculo - índice de solvabilidade (Basileia II) 16. Garantias 17. Cobertura de seguros Em 31 de dezembro de 2013 a cooperativa não possui coobrigações e riscos de garantias em operações de crédito de seus associados com instituições financeiras oficiais. Em 31 de dezembro de 2013, os seguros contratados são considerados suficientes pela administração para cobrir eventuais sinistros relacionados a garantia de valores e veículos de propriedade da cooperativa.

27 À DIRETORIA DA COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS DO AGRESTE E SERTÃO CENTRAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO - UNICRED CENTRO PERNAMBUCANA CNPJ: / CARUARU - PE Examinamos as demonstrações contábeis da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS DO AGRESTE E SERTÃO CENTRAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO - UNICRED CENTRO PERNAMBUCANA, que compreendem o Balanço Patrimonial em 31 de dezembro de 2013 e as respectivas Demonstrações do Resultado, das Mutações do Patrimônio Líquido e dos Fluxos de Caixa para o Exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais Notas Explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis A administração da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS DO AGRESTE E SERTÃO CENTRAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO - UNICRED CENTRO PERNAMBUCANA é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e pelos controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante.

28 Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS DO AGRESTE E SERTÃO CENTRAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO - UNICRED CENTRO PERNAMBUCANA para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS DO AGRESTE E SERTÃO CENTRAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO - UNICRED CENTRO PERNAMBUCANA. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião Em nossa opinião, as demonstrações contábeis acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DE LIVRE ADMISSÃO DE ASSOCIADOS DO AGRESTE E SERTÃO CENTRAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO - UNICRED CENTRO PERNAMBUCANA em 31 de dezembro de 2013, o desempenho de suas operações e os seus Fluxos de Caixa para o Exercício findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Caruaru/PE, 28 de fevereiro de ANEND AUDITORES INDEPENDENTES SS CRC/RJ /S-PE

29 O conselho Fiscal da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo de Livre Admissão de Associados do Agreste e Sertão Central do Estado de pernambuco - Unicred Centro Pernambucana, reunido ordinariamente nesta data, por seus membros abaixo-assinados, convocados para examinar o Balanço Geral correspondente ao exercício de 2013 e emitir parecer sobre ele, bem como as Demonstrações Financeiras e outros documentos contábeis relativos ao mesmo período, depois de tudo visto e examinado, emite o seguinte parecer: “Somos pela aprovação do Balanço Geral, Demonstrativo Financeiro e demais documentos apresentados, por estarem em perfeita ordem e de acordo com as normas tributárias vigentes”. Dê-se conhecimento deste parecer à Diretoria e ao Conselho de Administração. Caruaru, 23 de Janeiro de 2014 Ricardo Ventura Henriques Patrícia de Medeiros Dourado Varejão Gildo Nery Padilha Filho

30

31


Carregar ppt "O Presidente do Conselho de Administração da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo de Livre Admissão de Associados do Agreste e Sertão Central do Estado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google