A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CMMI e MPS.BR Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software Autor: Danilo Santos Baseado nos Slides de: Audrey Vasconcelos & Lenildo Morais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CMMI e MPS.BR Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software Autor: Danilo Santos Baseado nos Slides de: Audrey Vasconcelos & Lenildo Morais."— Transcrição da apresentação:

1 CMMI e MPS.BR Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software Autor: Danilo Santos Baseado nos Slides de: Audrey Vasconcelos & Lenildo Morais

2  Definição de modelo de maturidade de processo;  Motivação para a criação dos modelos de maturidade de processo;  CMMI;  MPS.BR;  Relação entre os modelos  Dúvidas Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

3  “um padrão pode ser entendido como base para comparação e é usado para suportar, tamanho, conteúdo, valor ou qualidade de um objeto ou atividade.” (HUMPHREY, 1989) Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

4  Processos mal definidos;  Falta de controle sobre o processo;  Conforme a complexidade do produto aumentava, o caos se instaurava;  Falta de métricas para apoio à decisão;  Projetos mal construídos;  Software construído “artesanalmente”;  Processos ad-hoc. Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

5

6 CMMIMPS.BR Modelo internacionalModelo brasileiro Desenvolvido pelo Software Engineering Institute-SEI em 1992 Criado em 2003 de acordo com a realidade de empresas brasileiras. Possui representação por estágios (5 níveis) e contínua (6 níveis) Possui representação em níveis (7 níveis) Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

7 Níveis de Maturidade Áreas-chaves de Processos Características comuns Capacidade do processo Orienta na realização das metas Implementação e institucionalização

8 OtimizadoGerenciado quantitativamenteDefinidoGerenciadoInicial Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

9 Inicial Processo caótico e realizado de forma ad-hoc; Gerenciado Requisitos são gerenciados, planejados, executados, medidos e controlados; Os projetos são executados e controlados de acordo com o planejado;O gerenciamento de projetos é o foco principal deste nível; Definido Todos os objetivos específicos e genéricos atribuídos para os níveis de maturidade 2 e 3 foram alcançados; Os processos são mais bem caracterizados e entendidos e são descritos em padrões, procedimentos, ferramentas e métodos; O foco neste nível é a padronização do processo; Gerenciado quantitativamente Os objetivos específicos e genéricos atribuídos para os níveis de maturidade 2, 3 e 4 foram alcançados; Os processos são medidos e controlados;O foco neste nível é o gerenciamento quantitativo; Otimizado Todos os objetivos específicos atribuídos para os níveis de maturidade 2, 3, 4 e 5 são alcançados; Os processos são continuamente aperfeiçoados;O foco neste nível é a melhoria contínua do processo; Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

10

11 Otimizado Gerenciado quantitativamente DefinidoGerenciadoRealizadoIncompleto Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

12 Incompleto Um processo é parcialmente realizado ou não, onde um ou mais objetivos específicos do processo não são satisfeitos; Realizado Um processo realizado satisfaz todos os objetivos específicos da área de processo e produz algum trabalho; Gerenciado Emprega pessoas hábeis com os recursos adequados para produzir saídas adequadas, envolve os stakeholders principais e é monitorado, controlado, revisto e avaliado quanto à aderência à sua descrição; Definido Um processo definido é um processo gerenciado e ajustado para o conjunto padrão de processos da organização de acordo com suas políticas de conduta; Gerenciado quantitativamente Um processo neste nível é definido e controlado com a ajuda de técnicas quantitativas e estatísticas; Otimizado Um processo em otimização é gerenciado quantitativamente, alterado e adaptado para atender aos objetivos de negócio atuais e projetados; Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

13 Por estágiosContínua Fornece um caminho pré-definido para melhoria através de: Implementação em seqüência Cada nível é base para o próximo Fornece maior foco nas áreas de processo escolhidas de acordo com os objetivos do negócio, reduzindo os riscos Permite comparação dentro da organização e entre organizações pelo uso de níveis de maturidade Oferece classificação única que resume os resultados e avaliações Permite comparação de áreas de “processo” dentro da organização e entre organizações Oferece migração fácil do SW-CMM para o CMMI Oferece migração fácil da comunidade de engenharia de sistemas CMMI

14  Precisão  Repetibilidade  Custo/Recurso Efetivos.  Gerenciamento dos Resultados Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

15  Melhoria de Processo Interno;  Seleção do Fornecedor;  Monitoração do Processo. Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

16 MPS.BR Modelo de Referência (MR-MPS) Método de Avaliação (MA-MPS) Modelo de Negócio (MN-MPS) Guia Geral Guia de Implementação Guia de Aquisição Guia de Avaliação Documentos do Programa ISO/IEC CMMI® ISO/IEC 15504

17  Contém os requisitos que os processos das unidades organizacionais devem atender para estar em conformidade com o MR-MPS  Contém as definições dos níveis de maturidade, processos e atributos do processo (Guia Geral)  O Guia de Aquisição é um documento complementar destinado a organizações que pretendem adquirir S&SC (boas práticas) Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

18  O Guia de Implementação sugere formas de implementar cada um dos níveis do MR-MPS e formas de como uma unidade organizacional que faz Aquisição de produtos pode implementar o MR-MPS Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

19  Define o processo e o método de avaliação MA-MPS, os requisitos para avaliadores líderes, avaliadores adjuntos e Instituições Avaliadoras (Guia de Avaliação) Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

20  Descreve regras de negócio para: › Implementação do MR-MPS pelas Instituições Implementadoras (II) › Avaliação seguindo o MA-MPS pelas Instituições Avaliadoras (IA) › Organização de grupos de empresas pelas Instituições Organizadoras de Grupos de Empresas (IOGE) › Certificação de Consultores de Aquisição (CA) › Programas anuais de treinamento do MPS.BR pr meio de cursos, provas e workshops Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

21 Nível A Em otimização Nível B Gerenciado quantitativamente Nível C Definido Nível D Largamente definido Nível E Parcialmente definido Nível F Gerenciado Nível G Parcialmente Gerenciado Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

22 Gerência de Projetos Gerência de Requisitos Nível G Parcialmente Gerenciado Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

23 Aquisição Gerência de Configuração Garantia da Qualidade Gerência de Portfólio de Projetos Medição Nível F Gerenciado Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

24 Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional Definição do Processo Organizacional Gerência de Recursos Humanos Gerência de Reutilização Nível E Parcialmente definido Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

25 Avaliação e Melhoria do Processo Organizacional Definição do Processo Organizacional Gerência de Recursos Humanos Gerência de Reutilização Desenvolvimento de Requisitos Integração do produto Projeto e Construção do Produto Validação Verificação Nível D Largamente definido Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

26 Desenvolvimento para Reutilização Gerência de Decisões Gerência de Riscos Nível C Definido Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

27 Composto pelos processos dos níveis de maturidade anteriores (G ao C) Mão possui processos específicos. São acrescentados novos resultados para atender aos objetivos de gerenciamento quantitativo. Nível B Gerenciado quantitativamente Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

28 Composto pelos processos dos níveis de maturidade anteriores (G ao B), atendendo integralmente todos os atributos de processos Não possui processos específicos. Nível A Em otimização Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

29

30  Atualmente existem alguns processos que são implementados no modelo MPS.BR, mas que não possuem uma área de processo equivalente no CMMI.  Exemplo: Gerência de Portfólio de Projetos no Nível F do MPS.BR Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software

31


Carregar ppt "CMMI e MPS.BR Danilo Santos - Modelos de Maturidade de Processos de Software Autor: Danilo Santos Baseado nos Slides de: Audrey Vasconcelos & Lenildo Morais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google