A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Exposições Tóxicas a hidrocarbonetos na infância Maíra Migliari Branco Centro de Controle de Intoxicações HC - UNICAMP.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Exposições Tóxicas a hidrocarbonetos na infância Maíra Migliari Branco Centro de Controle de Intoxicações HC - UNICAMP."— Transcrição da apresentação:

1 Exposições Tóxicas a hidrocarbonetos na infância Maíra Migliari Branco Centro de Controle de Intoxicações HC - UNICAMP

2 Hidrocarbonetos Composição química: Todos os compostos químicos formado somente por átomos de hidrogênio e carbono Hidrocarbonetos Alifáticos Cíclicos Sólido, líquido, gasoso

3 Solventes Gasolina Querosene Thiner Lustra moveis Ceras/ parafinas óleos minerais Colas “Lamp Oil” Hidrocarbonetos

4 Vias de exposição: Dérmica Inalatória Ingestão População de risco: Trabalhadores Jovens (abuso) Crianças

5 Hidrocarbonetos Eliminação: Eliminação: Ar expirado Urina Bile

6 Hidrocarbonetos Patofisiologia:   Aspiração é a principal via de lesão dos hidrocarbonetos   Lesão relacionada com viscosidade e tensão de superfície Pulmonar: (Pneumonite) Inflamação intersticial Exsudatos polimorfonucleares Edema e hemorragia intra alveolar Hiperemia bronquial Necrose bronquiolar Trombose vascular

7 Hidrocarbonetos Patofisiologia: Cardíaca Cardiotoxicidade por qualquer via Arritmias Morte súbita (inalação) Sistema Nervoso Central Depressor do SNC Hipóxia Dérmica Raro: Hepática, Renal e Hematológica

8 Hidrocarbonetos Manifestações clínicas/radiológicas Ingestão/Aspiração: Tosse, engasgos, asfixia, taquipnéia/dispnéia, hipóxia, hemoptise,cianose, febre Alterações radiológicas aparecem entre 15 minutos a 24 horas pós exposição Resolução do quadro em 5 a 7 dias Arritmias cardíacas SNC: excitação até coma Náuseas e vômitos Dermatites

9 Hidrocarbonetos Manejo na intoxicação: Identificar o produto, via de intoxicação Descontaminação da pele (“água e sabão”) Lavagem gástrica não é recomendada Carvão ativado: pouca interferência na adsorção de hidrocarbonetos, aumenta risco de aspiração Antibióticos (pneumonite): controverso Suporte respiratório Observação por 6 horas/ RX de tórax pós 6h: se paciente assintomático e RX sem alterações - baixo risco de deterioração clínica posterior

10 A clinical decision rule for triage of children under 5 years of age with hydrocarbon (kerosene) aspiration in developing countries The WHO EMRO Pediatric Hydrocarbon Study Group Cairo Egypt G. R. Bond et al, Clinical Toxicology may 2008

11 Querosene Usada nos países em desenvolvimento para cozinhar, no aquecimento dos domicílios e na iluminação Apenas uma pequena quantidade de querosene é necessária para causar injúria pulmonar

12 Querosene Países desenvolvidos: Países desenvolvidos: Observação por 6h Observação por 6h RX 6h pós exposição RX 6h pós exposição Países em desenvolvimento Crianças sintomáticas procuram serviços primários que tem recursos e exames limitados

13 Objetivo Triagem prática para ser usada nos serviços de atenção primária que identifique os casos de ingestão/aspiração de hidrocarbonetos que necessitarão de atendimento em nível secundário (hospitalar) Triagem: através de sinais e sintomas

14 Metodologia Estudo prospectivo observacional (história, exame físico e evolução da doença) Classificação dos pacientes: Necessidade de recursos hospitalares Não necessidade de recursos hospitalares Pacientes: De 2 a 59 meses que se apresentaram no Aim Shain University Poison Control Centre em até 2 horas de exposição ao hidrocarboneto

15 Metodologia Dados: Coletados de fevereiro a novembro de 2004 Na admissão, 6, 12, 24 e 48h após a exposição Saturação O2 HMG RX Tórax (na admissão)

16 Metodologia Grupo com necessidade de recursos hospitalares Hipóxia (Sat O 2 menor que 94%) Uso de recursos que comumente não se encontram em serviços primários (salbutamol, intubação, UTI,...) Escala de coma de Glasgow menor que 14 Morte

17 Resultados 256 pacientes completaram o estudo 96% dos casos: querosene Maioria dos acidentes: na presença materna (89%), em casa (92%), na cozinha (44%) Produto armazenado em garrafa de água (61%) ou de refrigerante (20%) Guardado no chão (76%) ou a menos que um metro do chão (19%) 36 pacientes internados em UTI 4 óbitos

18 Resultados Sinais e sintomas relevantes para encaminhamento dos pacientes: (nas primeiras 2 horas de admissão) Vômitos, sibilância, aumento da frequência respiratória, retrações intercostais, batimento de aleta nasal, letargia, agitação Serviço Primário Sibilância Taquipnéia Alteração do estado mental Referir para Serviço Hospitalar

19 Conclusão Considerações Radiografia de tórax: valor inferior aos sinais clínicos Alterações do estado mental: pode significar hipóxia Ausência dos três parâmetros: observação no domicílio Prevenção da injúria = prevenção da exposição

20 Exposição a hidrocarbonetos Exposição a hidrocarbonetos Dérmica Descontaminação Tratamento sintomático Inalatória Tratamento de suporte Tratamento sintomático Ingestão Aspiração?Assintomático Observar no domicílio Sintomático Hospital Sintomático RX Tórax alterado Observar 6h Assintomático RX Tórax normal Não realizar LG e CA

21 Referências Bibliográficas 1. Goldfrank’s Toxicologic Emergencies. 8th ed. McGraw-Hill, Bond et al. A clinical decision rule for triage of children under 5 years of age with hydrocarbon (kerosene) aspiration in developing countries. Clinical Toxicology, vol 46, , Teetske Frouke Van Gorcum M. S. et al. Lamp oil poisoning: did the European guideline reduce the number and severity of intoxications? Clinical Toxicology, vol47, 29-34, Obrigada!


Carregar ppt "Exposições Tóxicas a hidrocarbonetos na infância Maíra Migliari Branco Centro de Controle de Intoxicações HC - UNICAMP."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google