A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UTI CRITÉRIOS DE ADMISSÃO E ALTA PÓS- GRADUAÇÃO 2008 Alexandre de Souza Campos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UTI CRITÉRIOS DE ADMISSÃO E ALTA PÓS- GRADUAÇÃO 2008 Alexandre de Souza Campos."— Transcrição da apresentação:

1 UTI CRITÉRIOS DE ADMISSÃO E ALTA PÓS- GRADUAÇÃO 2008 Alexandre de Souza Campos

2 POR QUÊ INTERNAR NA UTI? RECURSOS CONCENTRADOS TECNOLOGIA AVANÇADA PESSOAL ESPECIALIZADO À DISPOSIÇÃO 24h POR DIA

3 DEFINIÇÃO A TERAPIA INTENSIVA TEM COMO DEFINIÇÃO OFERECER CUIDADOS A PACIENTES EM CONDIÇÕES GRAVES, POTENCIALMENTE RECUPERÁVEIS, QUE SE BENEFICIEM DE OBSERVAÇÃO DETALHADA E TRATAMENTO INVASIVO

4 A UTI NO HOSPITAL ( )

5 A UTI NO HOSPITAL (2010)

6 INTERNAÇÃO EM UTI QUEM ADMITIR NA UTI? QUANDO ADMITIR NA UTI?

7 INTERNAÇÃO EM UTI QUEM NÃO ADMITIR? –MUITO BEM PARA SE BENEFICIAR –MUITO MAL PARA SE BENEFICIAR

8 MODELOS DE PRIORIDADES PRIORIDADE 1 NECESSIDADE DE TRATAMENTO QUE NÃO PODE SER OFERECIDO FORA DA UTI, SEM LIMITES TERAPÊUTICOS (VENTILAÇÃO MECÂNICA, DROGAS VASOATIVAS...)

9 MODELOS DE PRIORIDADES PRIORIDADE 2 MONITORIZAÇÃO INTENSIVA COM POTENCIAL INTERVENÇÃO IMEDIATA, SEM LIMITES TERAPÊUTICOS (PACIENTES COM DOENÇAS CRÔNICAS QUE APRESENTAM INTERCORRÊNCIA AGUDA CLÍNICA OU CIRÚRGICA)

10 MODELOS DE PRIORIDADES PRIORIDADE 3 COMPLICAÇÕES REVERSÍVEIS EM PACIENTES COM DOENÇA DE BASE IRREVERSÍVEL, COM LIMITES TERAPÊUTICOS. (CÂNCER METASTÁTICO COM INFECÇÃO)

11 MODELOS DE PRIORIDADES PRIORIDADE 4 PACIENTES QUE GERALMENTE NÃO TÊM INDICAÇÃO DE UTI A – PACIENTES DE BAIXO RISCO (MUITO BEM PARA A UTI) B – PACIENTES COM DOENÇA TERMINAL IRREVERSÍVEL (MUITO MAL PARA A UTI)

12 QUAIS OS INDICADORES ? PATOLOGIAS SINAIS VITAIS EXAME FÍSICO EXAMES COMPLEMENTARES

13 INDICADORES PATOLÓGICOS

14 PATOLOGIAS CARDIOVASCULARES IAM ANGINA INSTÁVEL DE ALTO RISCO CHOQUE ARRITMIAS COMPLEXAS EMERGÊNCIAS HIPERTENSIVAS RECUPERAÇÃO PÓS-PCR EDEMA AGUDO DE PULMÃO C/ IRpA BLOQUEIOS CARDÍACOS AVANÇADOS DISSECÇÃO AÓRTICA...

15 PATOLOGIAS RESPIRATÓRIAS INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA AGUDA EMBOLIA PULMONAR C/ INSTABILIDADE NECESSIDADE DE FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA INTENSIVA HEMOPTISE MACIÇA INTUBAÇÃO IMINENTE...

16 PATOLOGIAS NEUROLÓGICAS AVC AGUDO COM SENSÓRIO REBAIXADO COMA ( METABÓLICO, TÓXICO, ANÓXICO... ) HIC COM POTENCIAL HERNIAÇÃO HSA MENINGITE COM SENSÓRIO REBAIXADO DESORDENS NEUROMUSCULARES GRAVES STATUS EPILEPTICUS MORTE ENCEFÁLICA EM POTENCIAL DOADOR TCE COM SENSÓRIO REBAIXADO

17 PATOLOGIAS TOXICOLÓGICAS INSTABILIDADE HEMODINÂMICA APÓS INGESTÃO DE DROGAS INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA APÓS INGESTÃO DE DROGAS CONVULSÕES APÓS INGESTÃO DE DROGAS

18 PATOLOGIAS GASTROINTESTINAIS HEMORRAGIA GASTRINTESTINAL COMPLICADA ( INSTABILIDADE HEMODINÂMICA, CONTÍNUA, ASSOCIADA A COMORBIDADES... ) INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA FULMINANTE PANCREATITE GRAVE PERFURAÇÃO ESOFAGIANA

19 PATOLOGIAS ENDÓCRINAS CETOACIDOSE DIABÉTICA COMPLICADA( INSTABILIDADE HEMODINÂMICA, SENSÓRIO REBAIXADO... ) TEMPESTADE TIREOTÓXICA INSTÁVEL COMA MIXEDEMATOSOINSTÁVEL CRISE ADRENAL INSTÁVEL...

20 PATOLOGIAS CIRÚRGICAS PÓS-OPERATÓRIO DE PACIENTES REQUERENDO MONITORIZAÇÃO CONTÍNUA, SUPORTE HEMODINÂMICO, SUPORTE VENTILATÓRIO, CUIDADOS INTENSIVOS DE FISIOTERAPIA E ENFERMAGEM...

21 PÓS-OPERATÓRIO IDADE > 70 ANOS CIRURGIA DE GRANDE PORTE E EXTENSA INSTABILIDADE HEMODINÂMICA HEMORRAGIA MACIÇA SEPSE GRAVE INSUF. RESPIRATÓRIA FALÊNCIA RENAL

22 DENTRE PACIENTES CIRÚRGICOS ADMITIDOS PARA UTI, ESTRITAMENTE PARA MONITORIZAÇÃO, MENOS DE 10% NECESSITARAM DE INTERVENÇÃO DA UTI

23 INDICADORES CLÍNICOS

24 SINAIS VITAIS PULSO 150 BPM PAS < 80 OU 20 MMHG ABAIXO DO USUAL PAM < 60 MMHG PAD > 120 MMHG FR > 35 RPM

25 EXAME FÍSICO ANISOCORIA QUEIMADURA > 10% ASC OBSTRUÇÃO DE VIAS AÉREAS COMA CIANOSE TAMPONAMENTO CARDÍACO...

26 INDICADORES LABORATORIAIS

27 EXAMES COMPLEMENTARES SÓDIO 170 MEQ/L POTÁSSIO 7,0 MEQ/L PAO2 < 150 MMHG PH 7,7 GLICEMIA > 800 MG/DL CÁLCIO > 15 MG/DL EXAMES DE IMAGEM - CT CRÂNIO ALTERADA COM HEMORRAGIA, CONTUSÃO… ECG - IAM, ARRITMIAS COM INSTABILIDADE

28 ALTA DA UTI QUANDO NÃO NECESSITAREM MAIS DE CUIDADOS INTENSIVOS QUANDO NÃO SE BENEFICIAREM MAIS DE CUIDADOS INTENSIVOS

29 PERSPECTIVAS FUTURAS RACIONALIZAÇÃO DAS INDICAÇÕES DE UTI CUIDADOS DE FINAL DE VIDA ORTOTANÁSIA X DISTANÁSIA –LIMITES TERAPÊUTICOS –SUSPENSÃO DE ESFORÇOS –EXTUBAÇÃO TERMINAL POLÍTICA DE TRATAMENTO DE PACIENTES AGUDOS/ GRAVES

30 SEMI-INTENSIVA / UNIDADE INTERMEDIÁRIA OFERECE CUIDADOS DE MONITORIZAÇÃO E DE ENFERMAGEM A PACIENTES COM MODERADA OU POTENCIAL INSTABILIDADE FISIOLÓGICA, OS QUAIS NÃO PODEM SER ADMINISTRADOS EM ENFERMARIA

31 UTI LUGAR DE VIDA


Carregar ppt "UTI CRITÉRIOS DE ADMISSÃO E ALTA PÓS- GRADUAÇÃO 2008 Alexandre de Souza Campos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google