A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Bruno Silveira Getúlio Silva Nylo Rodrigues Orçamento de Capital é um conjunto de técnicas que o administrador financeiro usa para avaliar os projetos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Bruno Silveira Getúlio Silva Nylo Rodrigues Orçamento de Capital é um conjunto de técnicas que o administrador financeiro usa para avaliar os projetos."— Transcrição da apresentação:

1

2 Bruno Silveira Getúlio Silva Nylo Rodrigues

3 Orçamento de Capital é um conjunto de técnicas que o administrador financeiro usa para avaliar os projetos que envolvem a aquisição de ativos em longo prazo.

4  Senso de oportunidade  Eficiência decrescente  Necessidades impostas pelo mercado  Melhora da imagem da empresa junto aos acionistas e investidores em potencial.

5 Disponibilidade de fundos A previsão de vendas deve ser o mais precisa possível

6  Determinação do Custo do Projeto  Estimativa dos Fluxos de Caixa Esperados  Estimativa do Grau de Risco  Determinação do Custo de Capital do Projeto  Verificação dos Valor Presente dos Fluxos  Comparação dos Fluxos Esperados com o Custo do Projeto

7 Pay back Pay Back descontado Valor Presente Líquido (VPL) Índice de Rentabilidade Taxa Interna de Retorno (TIR) Taxa Interna de Retorno Modificada (TIRM)

8 O Payback consiste no tempo necessário para se recuperar determinado investimento Deve-se fazer investimentos que tem o menor Payback

9 Facilidade no cálculo Utilidade para investimentos de curto prazo Não considera o custo de capital Não considera os fluxos de caixa após o retorno do investimento

10 É quase o mesmo que o payback, mas antes de calculá-lo, você primeiro desconta seu fluxo de caixa. Você reduz os pagamentos futuros pelo seu custo de capital.custo de capital

11 Indicado para ambientes com risco muito alto Utilidade para investimentos de curto e médio prazo Não desconta adequadamente os fluxos de caixa Não considera os fluxos de caixa após o retorno do investimento

12 O valor presente líquido é uma técnica sofisticada de análise de orçamento de capital, obtida... Se VPL > 0 – Investimento Satisfatório Se VPL < 0 – Investimento Insatisfatório Se VPL = 0 – Economicamente Indiferente

13 Desconta adequadamente os fluxos de caixa Considera todos fluxos de caixa esperados Dependente totalmente da taxa de juros do mercado É um modelo não muito indicado em ambientes de risco muito alto

14 Consiste na razão entre o valor presente dos fluxos de caixa esperados sobre o custo do projeto Se IR > 1 – Investimento Satisfatório Se IR < 1 – Investimento Insatisfatório Se IR = 1 – Economicamente Indiferente

15 Índice apropriado quando se tem racionamento de capital É um índice relativo podendo portanto levar a interpretações equivocadas, ou seja, não é tão confiável.

16 A taxa interna de retorno (TIR) talvez seja a mais utilizada técnica sofisticada de orçamento de capital. Entretanto, seu cálculo manual é muito mais difícil que o do VPL. É a taxa composta de retorno anual que a empresa obteria se concretizasse o projeto e recebesse as entradas de caixa prevista.

17 Se TIR > 0 – Investimento Satisfatório Se TIR < 0 – Investimento Insatisfatório Se TIR = 0 – Economicamente Indiferente Se TIR > k – Investimento Satisfatório Se TIR < k – Investimento Insatisfatório Se TIR = k – Economicamente Indiferente k – Custo de Capital

18 Não depende de nenhuma taxa de juros Melhor referência para análise entre investimentos Não é um bom indicador para investimentos não convencionais Não leva em conta a duração e o tamanho do projeto

19 É um indicador da rentabilidade, porém de forma relativa, diferente da TIR que não leva em conta o custo do projeto e de capital É a taxa de juros que iguala o valor presente do custo do projeto ao valor futuro das entradas descontados

20 Se TIRM > 0 – Investimento Satisfatório Se TIRM < 0 – Investimento Insatisfatório Se TIRM = 0 – Economicamente Indiferente Se TIRM > k – Investimento Satisfatório Se TIRM < k – Investimento Insatisfatório Se TIRM = k – Economicamente Indiferente k – Custo de Capital

21 O Reinvestimento é feito ao custo do capital Melhor indicação da rentabilidade relativa Não é um bom indicador para investimentos não convencionais Não leva em conta o rentabilidade absoluta do projeto

22 Sendo assim, concluímos que o Orçamento de capital possibilita, após analisar todas as etapas do processo (Propostas, Avaliação e Análise, Tomada de decisão, Implantação da proposta e Acompanhamento), ao Administrador financeiro tomar as melhores decisões para a empresa e fazer com que a mesma encontre seus objetivos tão esperados Resultados posteriores ao Orçamento de Capital.


Carregar ppt "Bruno Silveira Getúlio Silva Nylo Rodrigues Orçamento de Capital é um conjunto de técnicas que o administrador financeiro usa para avaliar os projetos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google