A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1. 2 Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005 A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1. 2 Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005 A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor."— Transcrição da apresentação:

1 1

2 2 Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005 A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Esta edição apresenta os resultados de um trabalho de investigação, desenvolvido pelo OBERCOM nos últimos 18 meses, com o objectivo de procurar definir um modelo de análise inovador para o sector da Imprensa em Portugal, fundamentado na aproximação à Cadeia de Valor desta actividade, envolvendo a Edição, Impressão e Distribuição. ApresentaçãoApresentação

3 3 ObjectivosObjectivos O presente trabalho de investigação tem como objectivo definir um modelo de análise inovador para o sector da Imprensa em Portugal, à semelhança do que já foi feito para o sector do Audiovisual, fundamentado na aproximação à respectiva cadeia de valor deste negócio e que permita a indexação dos respectivos indicadores. Esta aproximação considera um conjunto de preocupações industriais, empresariais, de gestão, de mercado e preocupações ligadas à oferta de uma visão integrada do negócio. O presente trabalho de investigação tem como objectivo definir um modelo de análise inovador para o sector da Imprensa em Portugal, à semelhança do que já foi feito para o sector do Audiovisual, fundamentado na aproximação à respectiva cadeia de valor deste negócio e que permita a indexação dos respectivos indicadores. Esta aproximação considera um conjunto de preocupações industriais, empresariais, de gestão, de mercado e preocupações ligadas à oferta de uma visão integrada do negócio. A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

4 4 ConceitosConceitos Conceito de Cadeia de Valor Porter, M Conceito teórico original de cadeia de valor – Michael Porter (Competitive Advantage/1984) Parte da hipótese da utilidade de modelar a empresa como um sistema, uma cadeia de actividades geradoras de valor ( chain of value-creating activities ), para analisar as actividades específicas através das quais as empresas conseguirão criar uma vantagem competitiva. Conceito teórico original de cadeia de valor – Michael Porter (Competitive Advantage/1984) Parte da hipótese da utilidade de modelar a empresa como um sistema, uma cadeia de actividades geradoras de valor ( chain of value-creating activities ), para analisar as actividades específicas através das quais as empresas conseguirão criar uma vantagem competitiva. A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

5 5 ConceitosConceitos Conceito de Cadeia de Valor Zerdick et al “… É um instrumento de análise do negócio orientado para a concorrência ( competition-oriented business ), que serve o desenvolvimento de estratégias. A cadeia de valor de uma empresa compreende em conjunto as actividades de valor e a margem de lucro” (Zerdick et al.,2000: 31). A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

6 6 ConceitosConceitos Conceito de Imprensa em Portugal Lei de Imprensa (Lei 2/99, de 13 de Janeiro) Conceito de Imprensa em Portugal Lei de Imprensa (Lei 2/99, de 13 de Janeiro) “… todas as reproduções impressas de textos ou imagens disponíveis ao público, quaisquer que sejam os processos de impressão e reprodução e o modo de distribuição utilizado” (art.º 9.º, 1). Excluem-se desta definição “boletins de empresa, relatórios, estatísticas, listagens, catálogos, mapas, desdobráveis publicitários, cartazes, folhas volantes, programas, anúncios, avisos, impressos oficiais e os correntemente utilizados nas relações sociais e comerciais” (art.º 9.º, 2). “… todas as reproduções impressas de textos ou imagens disponíveis ao público, quaisquer que sejam os processos de impressão e reprodução e o modo de distribuição utilizado” (art.º 9.º, 1). Excluem-se desta definição “boletins de empresa, relatórios, estatísticas, listagens, catálogos, mapas, desdobráveis publicitários, cartazes, folhas volantes, programas, anúncios, avisos, impressos oficiais e os correntemente utilizados nas relações sociais e comerciais” (art.º 9.º, 2). A Cadeia de Valor na Indústria da Imprensa em Portugal da Imprensa em Portugal A Cadeia de Valor na Indústria da Imprensa em Portugal da Imprensa em Portugal Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

7 7 ConceitosConceitos Tipos de Publicação em Portugal Assim, no conceito de Imprensa aqui adoptado estão compreendidos vários tipos de publicações: As publicações periódicas; As publicações periódicas; As publicações portuguesas e estrangeiras; As publicações portuguesas e estrangeiras; As publicações informativas; As publicações informativas; As publicações de âmbito nacional, regional e destinadas às comunidades portuguesas; As publicações de âmbito nacional, regional e destinadas às comunidades portuguesas; As publicações que são propriedade de empresas jornalísticas. As publicações que são propriedade de empresas jornalísticas. Assim, no conceito de Imprensa aqui adoptado estão compreendidos vários tipos de publicações: As publicações periódicas; As publicações periódicas; As publicações portuguesas e estrangeiras; As publicações portuguesas e estrangeiras; As publicações informativas; As publicações informativas; As publicações de âmbito nacional, regional e destinadas às comunidades portuguesas; As publicações de âmbito nacional, regional e destinadas às comunidades portuguesas; As publicações que são propriedade de empresas jornalísticas. As publicações que são propriedade de empresas jornalísticas. A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

8 8 MetodologiaMetodologia Levantamento de Abordagens Teóricas Porter, Michael; Porter, Michael; McQuail, Dennis; McQuail, Dennis; Zerdick et al ; Zerdick et al ; WAN – World Association of Newspapers; WAN – World Association of Newspapers; PIRA International PIRA International Porter, Michael; Porter, Michael; McQuail, Dennis; McQuail, Dennis; Zerdick et al ; Zerdick et al ; WAN – World Association of Newspapers; WAN – World Association of Newspapers; PIRA International PIRA International Levantamento e aferição da realidade Portuguesa Entrevistas com operadores e observadores qualificados; Entrevistas com operadores e observadores qualificados; Análise Empírica Análise Empírica Entrevistas com operadores e observadores qualificados; Entrevistas com operadores e observadores qualificados; Análise Empírica Análise Empírica A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

9 9 Caracterização e Abordagens Abordagens CaracterizaçãoCaracterização “…nas publicações de consumo, a concentração em mercados nacionais ou linguísticos – para além de alguma actividade dita ‘horizontal’, sobretudo para outros meios de comunicação – representa a principal resposta às restrições do crescimento orgânico, particularmente nos jornais. No entanto, a internacionalização é uma opção para os maiores operadores, especialmente no segmento das revistas” (PIRA, 2003: 129). Por outro lado, nas publicações profissionais tem-se procurado maior internacionalização e uma reutilização de conteúdos em várias plataformas. Tendências Globais A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

10 10 Caracterização e Abordagens Abordagens Sub-SectorizaçãoSub-Sectorização Edição; Edição; Impressão; Impressão; Distribuição Distribuição Edição; Edição; Impressão; Impressão; Distribuição Distribuição A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

11 11 Caracterização e Abordagens Abordagens AbordagensAbordagens NAICS: North American Industry Classification System NACE: Nomenclature Statistique dês Activités Économiques dans la Communauté Europeéne NAICS: North American Industry Classification System NACE: Nomenclature Statistique dês Activités Économiques dans la Communauté Europeéne Estritamente Económica A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

12 12 Caracterização e Abordagens Abordagens AbordagensAbordagens NAICS – Sector Informação Produção e distribuição de informação e produtos culturais; Fornecimento de meios, dados ou comunicações para transmitir ou distribuir estes produtos; Processamento de dados A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

13 13 Caracterização e Abordagens Abordagens AbordagensAbordagens NACE – Sector Imprensa 22.1 Edição Edição de Livros  Edição de livros, brochuras, panfletos e publicações semelhantes, incluindo a edição de dicionários e enciclopédias  Edição de mapas e cartas marítimas Edição de Jornais  Edição de jornais, incluindo jornais de publicidade Edição de Revistas e de Outras Publicações Periódicas Edição de Gravações de Som  Edição de discos fonográficos, CD, DVD e fitas, gravados com música ou outras gravações de som  Edição de partituras Edição, n.e  Fotografias, gravuras e postais  Horários  Impressos  Cartazes, reproduções de obras de arte  Outros materiais impressos, como postais, reproduzidos por meios mecânicos ou fotomecânicos A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

14 14 Caracterização e Abordagens Abordagens AbordagensAbordagens NACE – Sector Imprensa 22.2 Impressão e actividades dos serviços relacionados com a impressão Impressão de jornais Impressão, n.e. Impressão de revistas e outras publicações periódicas, livros e opúsculos, obras de música, mapas, atlas, cartazes, catálogos publicitários, prospectos e outro material de publicidade impresso, selos postais, selos fiscais, documentos de títulos, cheques e outro papel de títulos, livros de registos, álbuns, agendas, calendários, impressos comerciais e outro material comercial impresso, material de papelaria para uso pessoal e outro material impresso (por exemplo, etiquetas de plástico, sacos de plástico, chapas de vidro, artigos de metal) por meio de impressão tipográfica, offset, fotogravura, flexografia, serigrafia e outras prensas de impressão, duplicadores, impressoras de computador, máquinas de estampagem, fotocopiadoras e termocopiadoras Esta classe não inclui: impressão de etiquetas, ver edição, ver Encadernação Encadernação de folhas impressas, por exemplo, livros, brochuras, revistas, catálogos, etc., através de dobragem, alçamento, brochagem, colagem, cosedura, cartonagem, corte ou estampagem A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

15 15 Caracterização e Abordagens Abordagens AbordagensAbordagens NACE – Sector Imprensa 22.2 Impressão e actividades dos serviços relacionados com a impressão Actividades de preparação da impressão Composição, fotocomposição, digitalização, reconhecimento óptico de caracteres, formatação electrónica Criação de documentos, edição assistida por computador e todas as outras actividades correlacionadas Preparação de dados digitais: realce, selecção, interligação da informação digital Concepção e fabrico assistidos por computador, processos electrónicos de produção de dados Imposição digital Serviço de fabricação de matrizes incluindo composição de imagens e chapas (para a impressão de tipografia e reprodução em offset) Gravação de cilindros para gravura Processos de chapas directas (incluindo chapas fotopolímeras) Matrizes para impressão em relevo Trabalho artístico incluindo pedras litográficas e blocos de madeira preparados Actividades auxiliares relacionadas com a impressão Produção de produtos de reprografia Produção de meios de apresentação, por exemplo transparentes e outras formas digitais de apresentação Concepção de produtos de impressão, por exemplo, esboços, provas, maquetas, etc. Outras actividades gráficas como estampagem, impressão braille, perfuração, gofragem, envernizamento, laminação, colação, engaste, vincagem A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

16 Reprodução de suportes gravados Reprodução de gravações de som Reprodução, a partir de matrizes, de discos fonográficos, CD, DVD e fitas, gravados com música ou outras gravações de som Reprodução de gravações video Reprodução, a partir de matrizes, de discos, CD, DVD e fitas com filmes ou outras gravações vídeo Reprodução de suportes informáticos Reprodução, a partir de matrizes, de software e dados em discos e fitas Caracterização e Abordagens Abordagens AbordagensAbordagens NACE – Sector Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

17 17 Aproximação à Cadeia de Valor Aproximação As diferentes Matrizes Zerdick et al WAN (Modelo Tradicional) McQuail, Dennis Criação e agregação de conteúdos ReproduçãoDistribuiçãoConsumo Gestão Controlo Financeiro Recolha e Processamento de Notícias ImpressãoDistribuição Reunião (Gather) Armazenamento (Store) Agregação Empacotamento DistribuiçãoMercado A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

18 18 Aproximação à Cadeia de Valor Aproximação As diferentes Matrizes WAN (Modelo Económico ligado ao Digital) Reunião Base de Dados Multiplicador de Valor Produtores de Conteúdos Formato da Produção Mass Print Micro Print On-line Telefone Branding Relação Interacção Futura Cadeia de Valor A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

19 19 A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Aproximação à Cadeia de Valor Aproximação As diferentes Matrizes PIRA International CustoTipo (fixo/variável)Custo relativamente altoCusto relativamente baixoMudanças e antecipação de mudanças Terreno e edifíciosFixosJornaisA maior parte das revistasOutsourcing ou dispersão geográfica da impressão e de outras funções, reduzindo os custos para alguns jornais MaquinariaFixosJornaisRevistasOutsourcing da impressão está a reduzir os custos fixos de alguns jornais TICFixos / operacionaisJornais, revistasImportância crescente em todos os sectores da indústria Vendas e marketingAmbosJornais e revistas I & DCustos operacionaisRevistas (pesquisa de mercado); canais de distribuição alternativos Jornais (pesquisa de mercado) Crescente peso da pesquisa de mercado nos jornais. Educação e formaçãoVariáveisJornaisDe importância crescente à medida das necessidades de actualização Aquisição e edição de conteúdo Fixos e variáveisJornais, revistasInvestimento em tecnologias cada vez mais importante, o que poderá levantar barreiras à entrada PapelVariável (número de cópias)Revistas – papel de grande qualidade; Jornais – grande volume, preço mais baixo Online ImpressãoVariáveisJornais, revistasFlexibilidade geográfica (produção digital e tecnologias de comunicação) DistribuiçãoFixos e variáveis (custos de distribuição caem por cópia à medida que aumenta o número de cópias, mas distância e densidade são relevantes) Jornais, revistas. Importante “invendidos” OnlineTIC melhoram capacidade de resposta à procura. Em caso de distribuição electrónica, custos aproximam-se do zero Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

20 20 Aproximação à Cadeia de Valor Aproximação As diferentes Matrizes Quadro Comparativo AutoresActividades McQuail GestãoControlo financeiro Recolha e Processamento de notícias ImpressãoDistribuição Zerdick Angariação de anunciantes Publicidade Aquisição de Informação Edição Layout ImpressãoVendas Serviço ao Leitor WAN 1 Reunião Armazenamento Agregação Empacotamento Distribuição Mercado WAN 2 Base de Dados Multiplicador de Valor Produtores de Conteúdos Empacotamento Distribuição Mercado PIRA Reunião (Gather)Armazenamento (Store) AgregaçãoEmpacotamentoDistribuição Mercado A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

21 21 O Caso Português Português Cadeia de Valor Matricial Planeamento EdiçãoImpressão DistribuiçãoConsumo A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

22 22 EdiçãoEdição Declinações da Cadeia de Valor Declinações da Cadeia de Valor A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

23 23 ImpressãoImpressão A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005 Declinações da Cadeia de Valor Declinações da Cadeia de Valor

24 24 Distribuição (por Ponto de Venda) A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005 Declinações da Cadeia de Valor Declinações da Cadeia de Valor

25 25 Distribuição (por Assinatura) A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005 Declinações da Cadeia de Valor Declinações da Cadeia de Valor

26 26 ConclusõesConclusões Cadeia de Valor da Imprensa Criação de um modelo unificado que, através da sua abrangência e da alocação dos respectivos indicadores, oferece condições de análise sectorial similares às internacionalmente utilizadas; Criação de um modelo unificado que, através da sua abrangência e da alocação dos respectivos indicadores, oferece condições de análise sectorial similares às internacionalmente utilizadas; Elenco sistemático dos indicadores conducentes a uma análise estatística mais eficaz e à consequente construção de indicadores de gestão, tanto privados como públicos, mais consistentes e internacionalmente comparáveis; Elenco sistemático dos indicadores conducentes a uma análise estatística mais eficaz e à consequente construção de indicadores de gestão, tanto privados como públicos, mais consistentes e internacionalmente comparáveis; Criação de um modelo unificado que, através da sua abrangência e da alocação dos respectivos indicadores, oferece condições de análise sectorial similares às internacionalmente utilizadas; Criação de um modelo unificado que, através da sua abrangência e da alocação dos respectivos indicadores, oferece condições de análise sectorial similares às internacionalmente utilizadas; Elenco sistemático dos indicadores conducentes a uma análise estatística mais eficaz e à consequente construção de indicadores de gestão, tanto privados como públicos, mais consistentes e internacionalmente comparáveis; Elenco sistemático dos indicadores conducentes a uma análise estatística mais eficaz e à consequente construção de indicadores de gestão, tanto privados como públicos, mais consistentes e internacionalmente comparáveis; A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

27 27 ConclusõesConclusões Cadeia de Valor da Imprensa Introdução do elo consumo na cadeia de valor, numa época em que a tomada de decisão do consumidor final se torna cada vez mais decisiva para a criação de maior valor na indústria, desenvolvendo de forma cada vez mais precisa o estudo do mercado e das suas segmentações, tendo ainda em conta a necessária preocupação com a evolução para o digital; Introdução do elo consumo na cadeia de valor, numa época em que a tomada de decisão do consumidor final se torna cada vez mais decisiva para a criação de maior valor na indústria, desenvolvendo de forma cada vez mais precisa o estudo do mercado e das suas segmentações, tendo ainda em conta a necessária preocupação com a evolução para o digital; Identificação a cada momento, e com as necessárias actualizações no tempo, dos diferentes patamares do negócio, permitindo uma melhor compreensão do fenómeno da competitividade e dos impactos sociais e económicos; Identificação a cada momento, e com as necessárias actualizações no tempo, dos diferentes patamares do negócio, permitindo uma melhor compreensão do fenómeno da competitividade e dos impactos sociais e económicos; Introdução do elo consumo na cadeia de valor, numa época em que a tomada de decisão do consumidor final se torna cada vez mais decisiva para a criação de maior valor na indústria, desenvolvendo de forma cada vez mais precisa o estudo do mercado e das suas segmentações, tendo ainda em conta a necessária preocupação com a evolução para o digital; Introdução do elo consumo na cadeia de valor, numa época em que a tomada de decisão do consumidor final se torna cada vez mais decisiva para a criação de maior valor na indústria, desenvolvendo de forma cada vez mais precisa o estudo do mercado e das suas segmentações, tendo ainda em conta a necessária preocupação com a evolução para o digital; Identificação a cada momento, e com as necessárias actualizações no tempo, dos diferentes patamares do negócio, permitindo uma melhor compreensão do fenómeno da competitividade e dos impactos sociais e económicos; Identificação a cada momento, e com as necessárias actualizações no tempo, dos diferentes patamares do negócio, permitindo uma melhor compreensão do fenómeno da competitividade e dos impactos sociais e económicos; A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

28 28 ConclusõesConclusões Cadeia de Valor da Imprensa Estrutura que permita o cruzamento entre a realidade industrial e a realidade económica, essencial para a tomada de decisão, tanto numa lógica empresarial, como no estabelecimento das políticas públicas sectoriais; Estrutura que permita o cruzamento entre a realidade industrial e a realidade económica, essencial para a tomada de decisão, tanto numa lógica empresarial, como no estabelecimento das políticas públicas sectoriais; Identificação das actividades sobre as quais se torna necessário desenvolver estratégias de monitorização futura Identificação das actividades sobre as quais se torna necessário desenvolver estratégias de monitorização futura Estrutura que permita o cruzamento entre a realidade industrial e a realidade económica, essencial para a tomada de decisão, tanto numa lógica empresarial, como no estabelecimento das políticas públicas sectoriais; Estrutura que permita o cruzamento entre a realidade industrial e a realidade económica, essencial para a tomada de decisão, tanto numa lógica empresarial, como no estabelecimento das políticas públicas sectoriais; Identificação das actividades sobre as quais se torna necessário desenvolver estratégias de monitorização futura Identificação das actividades sobre as quais se torna necessário desenvolver estratégias de monitorização futura A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

29 29 Ficha Técnica Direcção/Coordenação: Luís Landerset Cardoso Coordenação Editorial: Luís Landerset Cardoso e Maria João Cunha Consultor Científico: Fausto Amaro (ISCSP/UTL) Modelo de Análise: Luís Landerset Cardoso Investigação: Equipa OBERCOM: Carla Martins, Nuno Conde Equipa do Projecto Media e Comunicações*: Luís Landerset Cardoso, Fausto Amaro, Maria João Cunha Revisão Técnica: Equipa do Projecto Media Comunicações*: Nelson Vieira * Protocolo OBERCOM/Centro de Estudos de Administração e Políticas Públicas do ISCSP/UTL – Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa (sede do Projecto de Investigação TOTTA/UTL/03 – Media e Comunicações). Direcção/Coordenação: Luís Landerset Cardoso Coordenação Editorial: Luís Landerset Cardoso e Maria João Cunha Consultor Científico: Fausto Amaro (ISCSP/UTL) Modelo de Análise: Luís Landerset Cardoso Investigação: Equipa OBERCOM: Carla Martins, Nuno Conde Equipa do Projecto Media e Comunicações*: Luís Landerset Cardoso, Fausto Amaro, Maria João Cunha Revisão Técnica: Equipa do Projecto Media Comunicações*: Nelson Vieira * Protocolo OBERCOM/Centro de Estudos de Administração e Políticas Públicas do ISCSP/UTL – Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa (sede do Projecto de Investigação TOTTA/UTL/03 – Media e Comunicações). A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005

30 30 A Revista Observatório nº 11 - intitulada A Cadeia de Valor da Imprensa - está disponível para aquisição (preço de capa de 10€) na sede do OBERCOM, sita na seguinte morada: Palácio Foz - Praça dos Restauradores – Lisboa Como alternativa, poderá ser solicitado o envio postal, à cobrança*, mediante apresentação da morada completa e do número de Contribuinte. * - Preço de capa acrescido de despesas de envio. A Revista Observatório nº 11 - intitulada A Cadeia de Valor da Imprensa - está disponível para aquisição (preço de capa de 10€) na sede do OBERCOM, sita na seguinte morada: Palácio Foz - Praça dos Restauradores – Lisboa Como alternativa, poderá ser solicitado o envio postal, à cobrança*, mediante apresentação da morada completa e do número de Contribuinte. * - Preço de capa acrescido de despesas de envio. Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005 A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa

31 31


Carregar ppt "1. 2 Revista Observatório, nº 11 - A Cadeia de Valor da Imprensa © OBERCOM, Junho de 2005 A Cadeia de Valor da Imprensa da Imprensa A Cadeia de Valor."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google