A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Propriedades, Tipos e Características Mariane Biteti. Solos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Propriedades, Tipos e Características Mariane Biteti. Solos."— Transcrição da apresentação:

1 Propriedades, Tipos e Características Mariane Biteti. Solos

2 O que são solos? O solo é a camada superficial constituída de partículas minerais e orgânicas, distribuídas em horizontes de profundidade variável, resultante da ação conjunta de agentes intempéricos sobre as rochas e a adaptação destas às condições de equilíbrio do meio em que se encontram expostas.

3 O que é um solo fértil? Fertilidade é a capacidade do solo de ceder nutrientes para as plantas. A fertilidade do solo pode ser dividida em três tipos: a) Fertilidade Natural: É a fertilidade decorrente do processo de formação do solo: material de origem + ambiente + organismos + tempo. Fertilidade de um solo nunca trabalhado. b) Fertilidade Atual: É a fertilidade do solo após a ação antrópica (do homem). Fertilidade após práticas de manejo que visam fornecer nutrientes para as culturas por meio de correção e adubação mineral ou orgânica. c) Fertilidade Potencial: É a que pode se manifestar a partir de determinadas condições. Nesse caso, alguma característica do solo pode estar limitando a real capacidade do solo em ceder nutrientes para as plantas. Ex.: Solos ácidos.

4 Os principais constituintes do solo são: Textura: proporção relativa em que se encontram, em determinada massa de solo, os diferentes tamanhos de partículas. Refere-se, especificamente, às proporções relativas das partículas ou frações de areia, silte e argila. É muito importante na irrigação porque tem influência direta na taxa de infiltração de água, na aeração, na capacidade de retenção de água, na nutrição, como também na aderência ou força de coesão nas partículas do solo. Estrutura: O ferro, a sílica e a matéria orgânica são os principais agentes cimentantes. Porosidade: É constituída pelo espaço poroso, após o arranjo dos componentes da parte sólida do solo e que, em condições naturais, é ocupada por água e ar.As areias retêm pouca água, porque seu grande espaço poroso permite a drenagem livre da água dos solos. As argilas adsorvem relativamente grandes quantidades de água e seus menores espaços porosos a retêm contra as forças de gravidade.

5 Profundidade: Solos Rasos - Solos com Afloramento de Rocha – Solos profundos Capacidade de Uso: A capacidade de uso do solo pode ser expressa como sua adaptabilidade para fins diversos, sem que sofra depauperamento pelos fatores de desgaste e empobrecimento, através de cultivos anuais, perenes, pastagem, reflorestamento e vida silvestre. Um fator adverso para a capacidade de uso do solo é a erosão. Alguns problemas: Física: destrói a estrutura do solo, dificultando a movimentação do complexo ar-água-nutrientes e prejudicando o crescimento de raízes e vida do solo. Química: provoca a perda da fertilidade natural, a diminuição do teor de matéria orgânica e a falta de nutrientes. Biológica: resulta em alteração da vida do solo, má formação das raízes e poluição da água, prejudicando os seres aquáticos. Econômica: provoca a perda do solo, arrastando calcário, adubo e semente, aumentando o custo de produção e diminuindo os rendimentos do produtor. Social: é fator favorável ao êxodo rural pois, diante dos baixos rendimentos, o agricultor busca nas cidades a realização do sonho de uma vida melhor.

6 Horizontes dos Solos Onde um corte recente de estrada ou escavação expõe perfis verticais do solo, frequentemente notam-se camadas denominadas horizontes. Um perfil de solo generalizado, e um tanto simplificado, tem quatro divisões principais, além do R (Rocha Consolidada) e do E, são eles: Horizontes O, A, B e C, o horizonte A tem duas subdivisões (A1 e A2). Alinhados em ordem descendentes a partir da superfície do solo, os horizontes e suas características mais proeminentes são como se segue: O - Primordialmente depósitos de matéria orgânica morta. A maioria dos organismos do solo habita esta camada (conhecida genericamente como serrapilheira, pode também de dividir em O1 e O2, a primeira é constituída por restos vegetais recem-caídos, a segunda tem um aspecto esponjoso, semidecomposto, e geralmente está associada a uma malha de raízes).

7 A1- Uma camada rica em húmus, que consiste em material orgânico parcialmente decomposto misturado com solo mineral. A2- Uma região de intensa lixiviação de minerais do solo. Devido aos minerais serem dissolvidos pela água (mobilizados) neta camada, as raízes das plantas estão concentradas aqui. B- Uma região de pouco material orgânico cuja composição química assemelha- se aquela da rocha subjacente. Minerais de argila e óxidos de alumínio e ferro são lixiviados para fora do horizonte A2, acima são eventualmente depositados aqui. C- Principalmente material levemente modificado semelhante à rocha matriz. Carbonatos de cálcio e magnésio acumulam-se nesta camada, especialmente em regiões secas, algumas vezes formando camadas duras e impermeáveis.

8 E- Horizontes eluviais empobrecidos em partículas de dimensão argilosa. Encontram-se, geralmente, sob o horizonte A; apresentam, devido à migração das partículas finas, uma concentração relativa de constituintes maiores, como os siltes e as areias; apresentam cores mais claras do que a dos horizontes subjacentes; sua estrutura é geralmente contínua, fragmentar, pouco evoluída; seu pH é normalmente ácido, por ser destituído das bases. Os horizontes de solo demonstram a crescente influência do clima e dos fatores bióticos com o aumento da profundidade. Crítico para a formação do solo é o movimento dos elementos minerais para cima e para baixo através do perfil do solo.

9

10 Tipos de Solos Arenoso O solo arenoso se constitui de algumas substancias de areia em que se unem e muitas vezes se formam em cristais de quartzo ou também denominados de minerais primários, essa formação tem sua estrutura considerada de ótima infiltração o que dificulta a sobrevivência de plantas e/ou organismos. Argiloso O solo argiloso se compõe como o próprio nome informa de pequenas quantidades de argila em que se unem e conseguem abrigar grande quantidade de água, é formado de alumínio e ferro, e também não são de fácil habitação para as plantas. Árido O solo árido é assim classificado devido ser encontrados em áreas onde a ocorrência de chuva é baixa comparada a temperatura, ou seja, o solo árido não possui em suas composição nenhuma quantidade de água e quase sempre não se forma por completo.

11 Orgânico Em solo orgânico é normalmente encontrado materiais orgânicos em processo de decomposição, esse tipo de solo tem grande facilidade com o plantio considerando a existência de húmus que é um dos principais resíduos da decomposição que contribui na produção de nitrogênio. Solos siltosos Os solos siltosos são assim classificados por em sua composição ser encontrado partículas em silte que possui grande facilidade de erosão. Latossolo O tipo latossolo de coloração vermelha, alaranjada ou amarela possuem ferro e alumínio. Solos cujos materiais são os mais decompostos

12 Solo lixiviado O solo lixiviado é o tipo que contém em sua composição pouca ou nenhuma quantidade de nutrientes e sais minerais, isso acontece por serem localizados em áreas com grande ocorrência de chuvas que levam os nutrientes e deixa o solo totalmente desfavorecido de potássio e nitrogênio. Solos negros das Planícies e das Pradarias A classificação dos solos negros das planícies e das padarias recebem essa denominação por conter em sua composição grandes quantidades de matéria orgânica. Exemplo: tchernozion. Solos de montanhas Os solos de montanhas são normalmente considerados um solo jovem, isso por estarem em formação ou terem acabado de se formarem.

13 Podzol – clima temperado ou frio; pouco profundo, fértil e ácido Litossolo – relevo inclinado. Solos Eluviais Quando são formados no próprio local (terra roxa e massapê, por exemplo) Solos Aluviais Formados pelo acúmulo de materiais transportados pelas águas correntes (solos de várzeas e de deltas fluviais, por exemplo) e pelos ventos (loess, na China, por exemplo). Solos Coluviais Camadas de detritos em áreas de sopé de elevações.

14 Principais Impactos nos solos - Erosão e Movimentos de Massa; - Salinização/Acidificação; - Arenização/Desertificação; - Compactação/Poluição.

15 A erosão urbana é um dos principais problemas ambientais que afetam as cidades. Ela assume formas assustadoras, destruindo a infraestrutura, causando assoreamento nos reservatórios e leito dos rios, e agravando mais as enchentes. Além disso, geralmente as grandes erosões (denominadas voçorocas) se tornam áreas de despejo de lixo, transformando em focos de doenças. No âmbito rural, a erosão é causada, principalmente, pelo inadequado manejo agrícola. Muitos trabalhadores rurais utilizam técnicas arcaicas, como as queimadas da agricultura itinerante, que empobrecem o solo com a carbonização excessiva e induzida. Outros usam, amplamente, adubos químicos. Além disso, a maior parte dos componentes do adubo químico são lixiviados para lagos, rios e lençóis freáticos, poluindo-os, ou permanecem um pouco mais de tempo no local onde foi colocado, reagindo em meio aquoso, interferindo na salinidade e modificando a estrutura físico-química, o que facilita o transporte das partículas de solo.

16

17 Com o objetivo de anular ou pelo menos minimizar os problemas causados pela erosão em áreas agrícolas, foram desenvolvidas técnicas. Exemplos: Terraceamento: consiste em fazer cortes formando degraus - os terraços - nas encostas das montanhas, o que, além de possibilitar a expansão das áreas agrícolas em países montanhosos e populosos, dificulta, ao quebrar a velocidade de escoamento da água, o processo erosivo. Essa técnica é muito comum em países asiáticos, como a China, o Japão, a Tailândia; o Nepal, etc. Curvas de nível: esta técnica consiste em arar o solo e depois fazer a semeadura seguindo as cotas altimétricas do terreno, o que por si só já reduz a velocidade de escoamento superficial da água da chuva. Com esse método simples, a perda de solo agricultável é sensivelmente reduzida. O cultivo seguindo as curvas de nível é feito em terrenos com baixo declive, propício a mecanização. É comum em países desenvolvidos, onde a agricultura é bastante mecanizada: Grandes Planícies, nos EUA e no Canadá; planície Champagne, na França; Grande Bacia Australiana, etc. Associação de culturas: em cultivos que deixam boa parte do solo exposto à erosão (algodão, café, etc.), é comum plantar, entre uma fileira e outra, espécies leguminosas (feijão, por exemplo), que recobrem bem o terreno. Essa técnica, além de evitar a erosão, garante o equilíbrio orgânico do solo.

18 cu

19 Principais solos brasileiros Terra roxa: solo extremamente fértil, possui uma coloração avermelhada. É encontrado, especialmente, na região Sul, oeste do Estado de São Paulo, Mato Grosso do Sul, sul de Minas Gerais e Goiás. A terra roxa é resultado da decomposição de rochas compostas de basalto, que tem origem vulcânica. Isso prova que em um passado remoto já houve derramamento de lavas nas áreas citadas. Massapé: é um tipo de solo caracterizado pela elevada fertilidade, possui cor escura em razão de sua formação ser proveniente da decomposição de rochas, como gnaisses escuros, calcários e filitos. Salmorão: é um tipo de solo constituído a partir da decomposição de rochas graníticas e gnaisses claros. É encontrado, principalmente, no Centro- Sul do Brasil. Aluviais: é um tipo de solo identificado em todos os pontos do Brasil, é formado a partir do acúmulo de sedimentos em várzeas, vales e etc.


Carregar ppt "Propriedades, Tipos e Características Mariane Biteti. Solos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google