A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Barbara Bruns, Economista principal para a área de Educação Região da América Latina e Caribe ATINGINDO UMA EDUCAÇÃO DE NÍVEL MUNDIAL NO BRASIL: PRÓXIMOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Barbara Bruns, Economista principal para a área de Educação Região da América Latina e Caribe ATINGINDO UMA EDUCAÇÃO DE NÍVEL MUNDIAL NO BRASIL: PRÓXIMOS."— Transcrição da apresentação:

1 Barbara Bruns, Economista principal para a área de Educação Região da América Latina e Caribe ATINGINDO UMA EDUCAÇÃO DE NÍVEL MUNDIAL NO BRASIL: PRÓXIMOS PASSOS

2 Estrutura da Apresentação Progresso educacional brasileiro: Educação no Brasil em 2010: Como comparar com outros paises? O que torna um professor mais efetivo na sala de aula? Considerações finais

3 Brasil: Progresso educacional Escolaridade média quase dobrou

4 Brasil: Progresso educacional Forte aumento nas matrículas do ensino médio

5 Brasil: Progresso educacional Grande aumento nas taxas de conclusão do ensinos fundamental e médio

6 O aumento de 52 pontos na média de matemática do Brasil no PISA é um dos maiores avanços já registrados MÉDIAS DO PISA EM MATEMÁTICA Progresso educacional no Brasil: crescimento sustentado na aprendizagem

7 …Mas, os outros países da América Latina continuam na frente Média do PISA em matemática

8 …E um dos BRICs está bem mais a frente MÉDIAS DO PISA EM MATEMÁTICA

9 Plataforma do progresso brasileiro: 15 anos marcados por continuidade das políticas e reformas sustentadas

10 Brasil: Plataforma do Progresso Reforma radical em 1997 com o objetivo de eliminar as disparidades regionais e intra-estados em termos de recursos destinados ao ensino– FUNDEF e FUNDEB “Política da reforma” caso de estudo na KSG em Harvard Equalização do financiamento Avaliações censitárias de desempenho e IDEB Exemplo globla de boa prática Avaliação dos Resultados Bolsa escola (8.2 milhões de estudantes) para Bolsa familia (17.7 milhões de estudantes) Programas de Transferência de renda

11 Educação no Brasil em 2010: Como comparar? Desenvolver habilidades da força de trabalho para cresicmento sustentato Contribuir para redução da probreza e desigualdade Tranformar eficientemente o gasto em resultados educacionais

12 Contribuindo para redução da pobreza e desigualdade: progresso evidente

13 Transformando Gasto em Resultados : O gasto em educação no Brasil, como proporção PIB, é maior do que a média dos países da OCDE (5,2% vs 4,8%)

14 Custo Unitário no ensino terciário, faz do Brasil um outlier global Transformando Gasto em Resultados :

15 Transformando Gastos em Resultados Auditórias federais aleatórias encontraram corrupção em 35% dos municípios auditados (recibos falsos, superfaturamentos, etc) 13-55% do total de recursos do FUNDEF “perdidos” Ferraz et al encontraram as seguintes características nos municípios onde foi detectado corrupção: menos investimentos com infraestrutura e capacitação dos professores; aprendizagem 0.35 DP menor

16 Redução da população em idade escolar cria oportunidade para melhorar a qualidade mantendo o mesmo nível atual de despesa Transformando Gastos em Resultados:

17 Educação no Brasil em 2010: Como comparar? Desenvolver habilidades da força de trabalho para cresicmento sustentato Contribuir para redução da probreza e desigualdade Tranformar eficientemente o gasto em resultados educacionais

18 O que torna um professor mais efetivo dentro da sala de aula?

19 Ter materiais dentro da sala de aula não é suficiente

20 Ter um professor dentro da sala de aula também não é suficiente

21 Educação é á transformação de insumos em resultados de aprendizagem ATIVIDADES construção curriculo Treinamento avaliação supervisão INSUMOS Financiamento Salários Escolas Livros Materiais Resultados Prática dos professores na sala de aula Insumos Atividades Resultados Impactos Aprendizado dos alunos Taxas de conclusão … e isto acontence na sala de aula

22 Instrumento para analisar a “caixa preta”da Sala de aula Método “Stallings” de observação de sala de aula PPPrimeiras observações sistemáticas da dinamica na sala de aula na América Latina Em Andamento: Brasil (Pernambuco, MG, cidade do RJ), México (DF), Jamaica Iniciando: Colômbia, Guatemala, Paraguay Planejado: Guiana, El Salvador, Chile, Peru

23 Quais são as principais vantagens? Alta confiabilidade- entre observadores/países Benchmarking – Resultados podem ser comparados com indicadores de boas práticas nos EUA/OCDE Simples – Treinamento relativamente curto para formar observadores qualficados Poder analítico- Variáveis do método são: estatisticamente representativas do sistema educational Altamente correlacionadas com os resultados de aprendizado Ficha de observação do método Stallings:

24 O que a ficha de observação registra? O uso instrucional do tempo pelos professores Uso de materiais, incluindo TIC Práticas pedagógicas centrais Habilidade de manter os alunos envolvidos Ficha de observação do método Stallings:

25 Como são feitas as observações? São feitas 10 observações da aula em intervalos regulares de tempo. Instrumento de “fotografia”em sala de aula: Ficha de observação do método Stallings

26 Resultados: Evidências das salas de aula brasileiras Cinco conclusões

27 #1 Brasil está distante dos padrões da OCDE Uso do tempo pelo professor Cidade do Rio de Janeiro (100 escolas) Estado de Pernambuco (300 escolas) Estado de MG Padrões de boas práticas da OCDE Escolas que melhoraram Escolas que pioraram Atividades de aprendizagem 62%61%66%63%85% Administração da sala de aula 31%27% 25%15% Atividade não acadêmicas 7%12%8%12%0% Professor fora da sala de aula 3%8%3%6%-

28 #2 As escolas com aumentos e decréscimos no desempenho são diferentes (MG) O uso do tempo pelo professor Todas as escolas (média)Acréscimos/ Decréscimos Professor fora da sala de aula 4%3% 6% Professor não envolvido com os estudantes 3%2% 3% Atividade de pergunta e respostas 12%15% 10% Grupos pequenos e grandes de estudantes não envolvidos 28%19% 37%

29 #3 Mais tempo em atividades de aprendizagem é altamante relacionado com o desempenho dos alunos (RJ) 5a série Uso do tempo pelo professor 1. Atividades de Aprendizagem 2.Administração da sala de aula 3. Professores não envolvidos 3.1 Professor fora da sala de aula Total amostra– Rio 58%37%6% 1% 10% melhores IDEB (escolas) 70%27%3% 0% 10% piores IDEB (escolas) 54%39%7% 3% Diferença [0,09]* [0,02][0,01]** - Erros robustos em parênteses: *Estatisticamente significativo a 10%, **Estatisticamente significativo a 5%, ***Estatisticamente significativo a 1% - Dados no nível do ano/escola

30 #4 Mais tempo dedicado a atividades de aprendizagem parece contribuir para maiores ganhos de desempenho e recebimento do bônus (PE) Bônus 2009 Uso do tempo pelo professor 1. Atividades de Aprendizagem 2.Administração da sala de aula 3. Professores não envolvidos 3.1 Professor fora da sala de aula Amostra de escolas estaduais em PE 61%28%11%8% Alcançaram o bônus em %27%10%8% Não alcançaram o bônus em %30%17%12% Diferença [0,04]**[0,03][0,02]*** Amostra de 300 escolas estaduais, com salas de aula observadas – 5º ano, 9º ano Português e Matemática e 3º ano do EM Erros robustos em parênteses: *Estatisticamente significativo a 10%, **Estatisticamente significativo a 5%, ***Estatisticamente significativo a 1%

31 #5 As práticas dos professores variam muito …com grandes impactos na aprendizagem TEMPO USADO NA SALA DE AULA Escolas do RJ, Junho de 2010 Atividades de aprendizagem Administração da sala de aula Professores não envolvidos em atividades de aprendizagem ou fora da sala Em média, somente 61% do tempo de aula é usado para atividades de aprendizagem Mas, em algumas escoals esta média é de 81% Em outras a média é de 37% 88 dias a mais de instrução por escola anualmente

32 TEMPO USADO NA SALA DE AULA Escolas do RJ, Junho de 2010 Learning activities Classroom management Teacher off task Entre diferentes sala de aula na mesma escola 70% do tempo nas melhores salas 52% nas piores salas 36 dias a mais de instrução por ano em salas de aula mais eficientes #5 Prática dos professores varia muito … mesmo dentro da escola

33 Considerações Finais Os últimos 15 anos foram caracterizados pela continuidade da política e reformas sustentadas que renderam bons frutos. Mas, ainda está distante de suas próprias metas. Vantagem quase única: inúmeras políticas inovadoras nos níveis estaduais e municipais e abertura para avaliação (políticas de melhora da qualidade do professor).

34 Considerações Finais Oportunidade para a Administração Dilma Roussef encorajar a inovação e disseminar o conhecimento sobre o que funciona: “laboratório de ações educacionais” no Brasil Não apenas o Brasil, mas, o mundo pode aprender importantes lições a partir de avaliações rigorosas de impacto sobre a efetividade dos professores…na sala de aula.

35 Muito Obrigada! Barbara Bruns


Carregar ppt "Barbara Bruns, Economista principal para a área de Educação Região da América Latina e Caribe ATINGINDO UMA EDUCAÇÃO DE NÍVEL MUNDIAL NO BRASIL: PRÓXIMOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google