A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

V OLEIBOL Curso Profissional Técnico de Multimédia Educação Física Professor António Valente Diana Ribeiro nº7 2013/2014.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "V OLEIBOL Curso Profissional Técnico de Multimédia Educação Física Professor António Valente Diana Ribeiro nº7 2013/2014."— Transcrição da apresentação:

1 V OLEIBOL Curso Profissional Técnico de Multimédia Educação Física Professor António Valente Diana Ribeiro nº7 2013/2014

2 ÍNDICE Introdução Regras básicas Espaço de jogo Linhas do terreno de jogo Zonas e áreas Gestos técnicos e suas variantes Webgrafia Conclusão

3 INTRODUÇÃO Neste trabalho irei falar sobre o voleibol. Irei falar sobre as regras básicas, o espaço de jogo, as linhas e o terreno de jogo e as zonas e áreas. Irei também falar sobre os gestos técnicos e as suas variantes.

4 REGRAS BÁSICAS As partidas jogam-se ao melhor de 5 sets de 25 pontos, exceto o 5º set que é a 15 pontos. Deve sempre obter – se uma vantagem de dois pontos para ganhar o set. O 5º set é jogado até que uma das equipas consiga 15 pontos. É preciso ganhar sempre o set por um mínimo de dois pontos de vantagem. Os jogadores só podem dar três toques antes de enviar a bola para o campo contrário.

5 Se a bola sair da área de jogo, a equipa adversária ganha um ponto, com o direito a servir. O contacto com o teto, o público ou qualquer outro elemento do pavilhão é considerado fora de jogo. Se uma equipa ultrapassa o número de três toques permitidos sem ter passado a bola para a área contrária ou um mesmo jogador toca duas vezes seguidas a bola, considera-se falta. Falta de rotação: se no momento do serviço os jogadores estão posicionados de forma incorreta. Também neste caso, a bola e o serviço passam para a equipa contrária.

6 ESPAÇO DE JOGO A superfície deve ser plana, horizontal e uniforme. Não poderá apresentar qualquer perigo de lesão para os jogadores. Tem uma rede no meio colocada a uma altura variável, conforme o sexo e a categoria dos jogadores (exemplo dos seniores e juniores: masculino -2,43 m; femininos 2,24 m)

7 DIMENSÕES / BOLA / REDE / VARETAS/ DURAÇÃO / JUÍZES DIMENSÕES18m X 9m BOLAPerímetro: 65 a 67cm. Peso: 260 a 280g REDEColocada a 2,43m de altura para homens e 2.24m para mulheres, presa a dois postes colocados a 1m das linhas laterais. VARETAEstão situadas 80cm acima do bordo superior da rede e delimitam o espaço de passagem da bola. DURAÇÃOSem limite. Jogo constituído por 5 sets.

8 LINHAS DO TERRENO DE JOGO Existem três tipos de linhas do terreno de jogo: Linhas Limite – o terreno de jogo é delimitado por duas linhas laterais e duas linhas de fundo, que estão traçadas no interior do terreno de jogo; Linha Central – o eixo da linha central divide o terreno de jogo em dois campos iguais de 9m x 9m. a linha central estende-se debaixo da rede até às linhas laterais. Linha de Ataque – em cada campo, é traçada uma linha de ataque a 3m do eixo da linha central e que determina a zona de ataque.

9 ZONAS E ÁREAS Zona de ataque– em cada campo a zona de ataque é delimitada pelo eixo da linha central e pelo bordo exterior da linha de ataque. A zona de ataque é considerada prolongada para além das linhas laterais até ao fim da zona livre.

10 Zona de serviço – tem 9m de largura e situa-se para além de cada linha de fundo. É delimitada lateralmente por duas pequenas linhas de 15cm de comprimento, traçadas a 20cm e perpendicularmente à linha de fundo, no prolongamento das linhas laterais, e ambas incluídas no interior da zona de serviço. Em profundidade, a zona de serviço estende-se até ao fim da zona livre.

11 Zona de substituição – é delimitada pelo prolongamento imaginário das linhas de ataque até à mesa de marcação. Área de aquecimento – para as competições mundiais e oficiais as áreas de aquecimento têm cerca de 3m x 3m e situam-se do lado dos bancos dos suplentes, nos cantos, fora da zona livre.

12 Área de penalização– com aproximadamente 1m x 1m e equipada com duas cadeiras, fica situada na área de controle, para lá do prolongamento da linha de fundo. Podem estar delimitadas por uma linha vermelha com 5cm de largura. http://desporto.maiadigital.pt/para-os-novos/voleibol/info/espaco

13 GESTOS TÉCNICOS Serviço - Com o serviço dá-se início ao jogo. O serviço consiste em bater a bola com uma das mãos ou com o antebraço, fazendo-a passar para o campo adversário, a partir da zona do serviço. Atitude base e deslocamento - Para receber e passar em boas condições, todos os jogares devem adoptar uma posição corporal própria –atitude base- que lhes permita deslocarem-se rapidamente em função da trajectória da bola.

14 Receção - A recepção corresponde ao primeiro toque que a equipa realiza depois de o adversário ter efectuado o serviço. A bola pode ser recebida por alto em toque de dedos, cuja execução é semelhante ao passe por cima a duas mãos. No entanto, a situação mais usual é a recepção em manchete – recepção caixa, na qual o jogador contacta a bola com os antebraços.

15 Passe - O passe é um gesto básico fundamental, decisivo, pela sua direcção e trajectória, para a preparação do remate. Corresponde geralmente, ao segundo toque do jogo. No voleibol, os passes mais utilizados são o passe por cima a duas mãos e o passe de costas.

16 Para passar correctamente, o jogador deve: - Flectir as pernas, com os pés afastados, um à frente do outro. - Colocar as mãos acima e à frente da testa, com os dedos afastados, e com os polegares e indicadores formando um triângulo; - Colocar-se debaixo da bola e tocá-la com todos os dedos; - Executar a extensão do corpo, enquanto as mãos seguem o movimento da bola.

17 No caso do passe de costas: - A extensão do corpo é mais pronunciada; - A bola é tocada atrás do plano longitudinal do corpo; - Após o passe, o jogador deve virar-se rapidamente para observar a sequência do jogo.

18 Remate - O remate é constituído por cinco fases: corrida de balanço, chamada, impulsão batimento e queda. - A corrida de balanço, com dois ou três apoios, destina-se a preparar a chamada. - Nos últimos dois apoios da corrida de balanço, os pés iniciam o contacto com o solo, pelos calcanhares; - No momento da chamada, o pé mais avançado é o do lado contrário ao braço que vai bater a bola; - Executar a impulsão vertical com elevação dos dois braços e extensão explosiva das pernas;

19 - Durante a impulsão, armar o braço rematador, colocando-o atrás da cabeça, sempre com o olhar fixo na bola. - Bater a bola à frente do corpo, com o braço em extensão. - Para amortecer e controlar a queda, evitando tocar a rede, o jogador deve contactar o solo com a parte anterior dos pés ligeiramente afastados e com flexão de pernas.

20 Bloco - O bloco é a acção que uma equipa realiza para tentar contrariar o remate adversário. - O jogador que se encontra junto à rede adopta uma atitude de espera caracterizada por: - Braços em posição alta; - Palmas das mãos viradas para a rede; - Dedos afastados; - Olhar dirigido para a bola. - Efectua, em função do ponto de remate, um deslocamento paralelo a rede, sem cruzamento dos apoios e mantendo os membros inferiores em flexão.

21 - Salta com os braços em completa extensão, ligeiramente oblíquos em relação à rede, colocando-os na área de jogo do adversário. Com as mãos afastadas em flexão, tentar cobrir a maior superfície de rede possível. - Contacta o solo com flexão das pernas, sem deixar de ver a trajectória da bola.

22 C ONCLUSÃO Com este trabalho fiquei a saber mais sobre o Voleibol. Tomei conhecimento de novas regras, das áreas e zonas do campo, e também dos gestos/fundamentos técnicos existentes.

23 W EBGRAFIA www.cursodevoleibol.com.br http://www.notapositiva.com/pt/trbestbs/educfisica/1 0_voleibol_d.htm


Carregar ppt "V OLEIBOL Curso Profissional Técnico de Multimédia Educação Física Professor António Valente Diana Ribeiro nº7 2013/2014."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google