A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

As Estruturas Demográficas Profa. Dra. Suzana Lopes Salgado Ribeiro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "As Estruturas Demográficas Profa. Dra. Suzana Lopes Salgado Ribeiro."— Transcrição da apresentação:

1 As Estruturas Demográficas Profa. Dra. Suzana Lopes Salgado Ribeiro

2 Demografia A demografia medieval é a área de estudo que se dedica a pensar a quantidade e o movimiento da população humana durante a Idade Média. Anos 400-1000: Estabilizada em nivel baixo. Anos 1000-1250: Ampliação e significante aumento da população. Anos 1250-1350: Estabilizada em nivel alto. Anos 1350-1420: Forte queda populacional. Anos 1420-1470: Estabilizada em nivel baixo. Anos 1470- 1490: Crescimiento contínuo. Anos 1490- …: Estabilizada.

3 Surgimento O surgimento da Demografia Histórica há aproximadamente 60 anos ampliou as possibilidades de estudo e interpretação sobre a medievalidade. Há trabalhos sobre condições populacionais dos mosteiros, senhorios, cidades, regiões e impérios.

4 Antigo Regime Demográfico Característico de sociedades agrárias pré-industriais Alta taxa de natalidade Alta taxa de mortalidade Obstáculos (ler passagem do texto, p.25)

5 Primeira Idade Média - IV a VII Prolongamento da situação do Império Romano que vivia um recuo desde o séc. II. Desorganização do aparelho estatal Queda da importação de gêneros alimentícios Dificuldade de obtenção de alimentos Esvaziamento das cidades Ruralização Hagiografia – milagres alimentares

6 Circulo vicioso Fraqueza demográfica Fraqueza de rendimentos Fraqueza demográfica Fraqueza de rendimentos...

7 Medidas Penetração dos germanos não alterou significativamente a demografia Grupos: francos, ostrogodos, vândalos etc Cada grupo tinha em média 50 a 80 mil pessoas (guerreiros, mulheres e crianças) – raramente mais que 16% da pop local. Estima-se que o total de germanos que fixaram-se no império representava 5% da pop romana. Para estimular o crescimento da população no século V um imperador romano: Proíbe meninas com menos de 14 anos de entrar no clero Preciona viúvas a casar em 5 anos a pena de perderem seus bens

8 Epidemias Malária – séc III ao V Varíola – séc VI ao VIII Peste – séc VI ao VIII França e Itália – 15 vagas, alguns anos de duração Atingiam mais o litoral – dado o trânsito de guerreiros e comerciantes – o interior ruralizado não sofreu tanto.

9 Alta Idade Média - VIII a X Retomada de crescimento – segunda metade do séc VIII. Retomada desigual. Reorganização Carolíngea – Expansão territorial de Carlos Magno. Como a fome era grande, recorria-se a práticas abortivas e anti- conceptivas, apesar de punidas pela Igreja. Infanticídio de meninas (Coleman) Conclusão – a recuperação populacional foi tímida e absorvida pelo fracasso do Império Carolíngio e invasões vikings, muçulmanas e margiares.

10 Idade Média Central - XI a XIII Real expansão demográfica inicia no século X. Indícios: 1 - Acentuada migração (ler p.28) Habituais Coloniais Extraordinárias Sem instalação 2 - Arroteamentos intensificados entre os séculos X e XII (Duby). Alargamento de terrenos já utilizados Fundação de novas aldeias novos territórios Povoamento de pioneiros individuais em busca de novos pastos A partir de então crescimento mais rápido.

11 Idade Média Central Indícios: 3 – Aumento do preço da terra e do trigo Em 1210 a ovelha era 132% e vaca 155% mais cara que 50 anos antes. Normandia – valorização das terras em 10 vezes. Densidade demográfica maior que a de hoje. 4 – Arquitetura religiosa Surgimento do gótico – necessidade de áreas internas maiores para abrigas fiéis Reformas em igrejas mais velhas 5 – Crescimento da população urbana Séc XIII – 55 cidades com pop. superior a 10 mil hab. Destaque para a região da Itália.

12 Idade Média Central Mesmo significativa a população urbana era apenas 20% da pop europeia. Os indícios testemunham o crescimento demográfico entre os séc. XI e XIII, mas é difícil quantificá-lo.

13

14

15

16 Baixa Idade Média - XIV a XVI O crescimento populacional se mostrou excessivo Ocupou-se terras de menor fertilidade Devastou-se florestas Desequilíbrio ecológico Mudança no regime fluvial Queda de temperatura Ressurgimento da peste negra (bubônica e pneumônica) Perda de 2/3 ou 1/8 da pop de acordo com a região No conjunto estima-se que a Europa perdeu 30% de seus habitantes, só retomando sua população 2 séculos depois (em meados do XVI).

17 Impérios Medievais Império mongol: 100 a 110 milhões de habitantes (1270). Dinastía Song: 100 milhões de ha (1100). Dinastía Fatimí: 62 milhões de ha (1100). Dinastía Abasí: 50 milhões de ha. (850). Império de Malí: 40 a 50 milhões. de ha (1350). Império Tibetano: 40 milhões de ha (800). Império Bizantino: 30 milhões de ha (600). Império Carolíngio: 15 milhões de ha (800).

18 Império Bizantino Na época de sua maior expansão - com Justiniano I no século VII - a população deste império chegou aos 30 milhões de pessoas. Mas este número foi reduzido enormemente ao perder Egito, Síria, Magreb e Itália para os muçulmanos e lombardos no século seguinte. Além disso, a população da Anatólia caiu muito como resultado das constantes guerras entre bizantinos e turcos por seu dominio. Somada a baixa taxa de natalidade e a ruralização do país. Se estima que para o século XI no reinado de Basilio II a população ra de 18 milhões: 10 milhões - Anatólia. 5 milhões – Balcãs e Grecia. 1 milhão - Constantinopla. 2 milhões - Síria. Um século depois com Juan II nuevas perdas territoriais – a população se resume 10 a 12 milhões.

19 Península Ibérica Ao fim do império romano a população era de 6 milhões de pessoas. Com a posterior divisão do territorio em vários reinos produto das imigrações germanas a população se reduziu a 4 milhões. Resultado de outras invasões e guerras a população chegou a apenas 300 mil germanos que se instalaram na península, a maioria visigodos. A península ibérica foi a única região europeia ocupada por muçulmanos de manera permanente durante a medievalidade. Mas os eles estiveram entre 711 e 756 em reduzido número, cerca de 60.000. Sendo mais importante a heterogeneidad étnica - árabes, sírios e egícios - que o incremento populacional.

20 Bibliogafia Peter Biller, A medida do multitude: População no pensamento medieval, 2001, ISBN 0198206321ISBN 0198206321 David Herlihy, "Demografia", Dicionário das idades médias, vol.4. 1989 ISBN 0684170248Dicionário das idades médiasISBN 0684170248 Thomas Hollingsworth, Demografia Histórica, 1969, ISBN 0801404975ISBN 0801404975 Josiah Russell,Demografia Medieval: Essays (os estudos de Ams no meio envelhecem o No. 12), 1987, ISBN 0404614426ISBN 0404614426


Carregar ppt "As Estruturas Demográficas Profa. Dra. Suzana Lopes Salgado Ribeiro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google