A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

G. Monteiro Cultivo de Orquídea Gênero Bulbophyllum.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "G. Monteiro Cultivo de Orquídea Gênero Bulbophyllum."— Transcrição da apresentação:

1 G. Monteiro Cultivo de Orquídea Gênero Bulbophyllum

2 G. Monteiro Em primeiro lugar não tenho a intenção de lhes ensinar a cuidar de nossas plantinhas, e sim vou tentar explicar como tenho cuidado dos Bulbophylluns, que hoje tenho +/- 200 plantas, evitando palavras difíceis ou técnicas, para não assustar ninguém, pois não é uma muito difícil cuidar das mesmas, basta gostar e estar disposto a lhes dar a atenção que precisam. Gênero Bulbophyllum:

3 G. Monteiro GERALDO MONTEIRO Idade: 63 ANOS Começou a coleção: Primeira Planta: Cattleya labiata Primeiro Bulbophyllum : Bulbophyllum medusa Palestrante: Bulbophylum medusa

4 G. Monteiro Semelhança ``folhas+bulbos´´, assim chamado pela grossura e carnosidade das folhas, que parecem ´´ bulbos``. Existem aproximadamente variedades, vejam como seria muito difícil ter todas elas. Por este motivo estas belas plantas são encontradas em praticamente todo o mundo, na Tailândia foram encontradas por botânicos mais de 140 espécies. das quais 44 são endêmicas na maioria das florestas na Tailândia. Normalmente com clima quente, umidade alta, e mais sombrio por estar sob as arvores. É um dos poucos gêneros que ocorre em regiões tropicais da África, Ásia, Austrália e Américas. Origem do Gênero: Habitat:

5 G. Monteiro Pela variedade de cores, forma, tamanhos, temos flores que variam de 0,5 cm. até + de 30 cm. e folhas de também 0,5 cm. até 1,90 m. Forma e Tamanho:

6 G. Monteiro Luminosidade A maioria das minhas plantas estão sobre uma cobertura de Telhas de PVC. e uma tela de nylon 40-50%, com cm. abaixo das telhas, onde é bem ventilado e bastante calor

7 G. Monteiro Luminosidade

8 G. Monteiro Temperatura A temperatura para o desenvolvimento da bulbophyllum tem que ter uma variação térmica durante o dia para a noite que vai de 12 ºC – 15 ºC de noite para 25ºC durante o dia.

9 G. Monteiro Ventilação É necessária uma ventilação constante, pois essas plantas não se desenvolvem bem em ar parado e ambientes abafados. Mas o ar deve circular sempre com umidade, pois se ressentem com ar seco ou quente.

10 G. Monteiro Durante o dia em que temos muito calor normalmente molho o piso para que aumente a umidade relativa do ar, e somente após quando o sol esta se pondo é que as molho. É o que tenho tentado fazer para ter um habitat mais próximo ao natural, manté-las sempre úmidas 10/15 dias. Rega & Umidade Acho muito importante molhar sempre em um mesmo período, pois também as plantas se acostumam, e aguardam a água e ou o adubo sempre naquela hora. Outra forma de manter a umidade esta demonstrado nas figuras abaixo.

11 G. Monteiro Rega & Umidade

12 G. Monteiro Adubação A aplicação da adubação é em intervalos de 10/ 15 dias, utilizando os seguintes adubos intercalados: Químicos Peters – 15 Peters Orgânico Sólan Adubo do Denitiro

13 G. Monteiro Não tenho encontrado problemas com os substratos, pois tenho usado sphagnum, o qual não é muito caro e as plantas se adaptam muito bem. Substrato

14 G. Monteiro Vasos Tenho usado vasos de madeira, em Peroba Rosa (Cachepos) com cacos de vasos novos no fundo do vaso porque guardam um pouco de umidade. Não uso cacos de outro vaso pois podem trazer algum inseto, fungo etc.

15 G. Monteiro Material de replante

16 G. Monteiro Replante Quando tenho que replantar, já tenho o substrato e vasos de molho por algumas horas, Para que estejam bastante úmidos, corto ou quebro e vaso tentando mexer o mínimo possível nas raízes. Quando o substrato já é muito velho / Podre / acido, pego a planta e com cuidado e lavo em uma bacia com água, (LIMPA) chacoalhando ate sair praticamente todo o substrato velho e a colocamos em seu novo vaso.

17 G. Monteiro Replante

18 G. Monteiro Replante Existem plantas que crescem verticalmente, para estas uso normalmente uma placa fixando as mesmas com arames de inox, pois não enferrujam Raramente deixo as plantas saírem dos vasos procuro mante-las sempre dentro dos mesmos. Evitando assim que se quebrem ao serem transportadas ou tiradas, pois todas elas estão penduradas. É muito importante que ao cortar qualquer planta a ferramenta deve ser esterilizada. Pois se a planta cortada tiver algum problema (principalmente algum vírus que normalmente condena a planta) o mesmo será passado para outra.

19 G. Monteiro Replante

20 Curiosidade da Planta Quando recebemos algumas plantas, as vezes estão desidratadas, sem raízes e muito debilitadas, então as coloco em um saco plástico com um pouco de substrato bem úmido e algum nutriente e fecho bem para que não entre mais água, colocando-o em um lugar um pouco mais sombrio. (Normalmente) após 4/6 meses aparecem novas raízes e brotos assim podemos por em seu vaso. G. Monteiro

21 Curiosidade : Adaptação da Planta Existem plantas que logo após terem chegado se adaptam perfeitamente, florescem praticamente de imediato, (Lógico em época de sua floração) porem existe outras que demoram muito a se adaptarem, pois tenho plantas a mais de cinco anos que ainda não floriram, mas estão indo bem, porem a adaptação e mais lenta.

22 G. Monteiro Doenças Quanto a pragas, não são todas que gostam destas plantas, por isto é um pouco mais difícil de serem atacadas. Porem é necessário o uso de algum fungicida e inseticida períodicamente. Quando percebo uma folha com as pontas amareladas, ou com algum problema imediatamente as corto desinfetando com uma pasta de algum fungicida, evitando assim que um possível fungo venha a atacar toda planta.

23 Doenças Como temos muita poluição, (S. Paulo) as vezes lavo toda a planta, folha por folha, limpando-a com uma esponja fina, e nota-se uma grande diferença, pois as folhas ficam normalmente brilhantes. A cada 5/10 dias tiro uma por uma e as examino, procurando algum problema, pulgão, caramujos, lesmas, lagartas, (ovos de borboleta, que geram pequenas lagartas, com muita fome) etc. e o estado geral das mesmas, quando as amarro, corto algum bulbo ou folha com problema e as tutoro, para que não cresçam tortas ou fora do vaso.

24 G. Monteiro Mensagem É interessante informar que estas plantas têm uma divergência muito grande a respeito dos nomes/origens e mais uma serie de outras. Na própria Internet, onde existem um grande numero de Sites, com + de fotos e Informação sobre as mesmas, mas ainda se encontra fotos e nomes divergentes, e a pergunta se conhecemos, para confirmação Isto acho de se deve ao fato de não serem plantas muito apreciadas até pouco tempo atras, porem hoje já existem vários colecionadores que as procuram. E também tentam traze-las para suas coleções.

25 B. blumei B. echinolabium B. fascinator B. fletcherianum B. lemniscatoides B. masdevalianum B. ornatissimum B. Carunculatum B. careyanum

26 R. B. Galati B. annandaley B. mayakanum B. graveolens B. coloriferum B. macrobulbum B. frosti B. bicolor B. lobbii grande

27 B. dearei B. mandibulare B. phaleanopsis B. macrantum B. gutulatum B. dayanum B. othosepalum B. leopardinum B. cruciatum


Carregar ppt "G. Monteiro Cultivo de Orquídea Gênero Bulbophyllum."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google