A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Avaliação de moléculas de adesão em lesões renais na dengue hemorrágica VII CICI – Congresso de Iniciação Científica do IAMSPE Acadêmico: Webster de Oliveira.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Avaliação de moléculas de adesão em lesões renais na dengue hemorrágica VII CICI – Congresso de Iniciação Científica do IAMSPE Acadêmico: Webster de Oliveira."— Transcrição da apresentação:

1 Avaliação de moléculas de adesão em lesões renais na dengue hemorrágica VII CICI – Congresso de Iniciação Científica do IAMSPE Acadêmico: Webster de Oliveira Vitoria Orientadora: Dra Carla Pagliari

2 Introdução As FHV vêm cada vez mais sendo estudadas em virtude de sua emergência em regiões ainda não descritas e por sua importância como causadoras de doenças em humanos. Os vírus pertencem às famílias – Arenaviridae, Bunyaviridae, Filoviridae e Flaviviridae. 1 Embora esses agentes possuam características estruturais diferentes, todos têm em comum a sintomatologia clínica que se manifesta usualmente por febre, mal-estar, aumento na permeabilidade vascular levando a queda no volume do plasma e desenvolvimento de distúrbios da coagulação que podem resultar em sangramentos. 1,2 1.Geisbert TW, Jahrling PB. Exotic emerging viral diseases: progress and challenges. Nat Med Dec;10(12 Suppl):S Monath TP. Flaviviruses. In: Mandell GL, Benett JE, Dolin R. Principles and practice of infectious disease. New York, Churchill Livingsone 1995, p

3 Objetivos Avaliação sistematizada dos rins em casos de febre hemorrágica da dengue, por análise quantitativa e semi-quantitativa dos eventos histopatológicos. Avaliação e caracterização dos possíveis mecanismos de ativação do endotélio vascular na febre hemorragica da dengue através da expressão tecidual de VCAM, ICAM-1, E-selectina, VE-caderina.

4 Materiais e Métodos Foram avaliados 10 casos de lesões renais provenientes do serviço de verificação de óbito do Hospital Guilherme Álvaro (Santos-SP), de pacientes que foram a óbito com quadro de dengue grave. Realizou-se reação imunohistoquímica para a pesquisa da expressão de VCAM-1, ICAM-1, VE-caderina e E-selectina com anticorpos específicos e os sistemas estreptavidina-biotina peroxidase (Dako) e sistema de polímero (Novocastra). A positividade foi avaliada de forma semiquantitativa, considerando-se a imunomarcação nos glomérulos e representada em escores (0=ausente, 1=discreto, 2=moderado, 3=intenso) e quantitativa em porcentagem de glomérulos com expressão daqueles marcadores.

5 Resultados As alterações histológicas foram caracterizadas por presença de discreto infiltrado de leucócitos, tumefação endotelial e proliferação mesangial em alguns glomérulos. Foi possível observar a expressão de VCAM-1 e ICAM-1 de forma intensa em todos os espécimes. A expressão de VCAM-1 foi mais acentuada na cápsula glomerular do que nos capilares glomerulares, enquanto a expressão de ICAM-1 foi semelhante em todo o glomérulo, de modo difuso. A expressão de E-selectina e VE-caderina foi discreta em todos os espécimes. Quantitativamente, observamos que a porcentagem global dos glomérulos com a expressão dos seus respectivos marcadores foi de: VCAM-1: 100%; ICAM-1: 72,5%; VE-caderina: 70%; E-selectina: 26%.

6 Resultados

7

8 ICAM-1 VCAM-1 VE-CaderinaE-selectina

9 Discussão e Conclusão As moléculas ICAM-1 e VCAM-1 são marcadores de ativação do endotélio, que ligam-se a linfócitos T pelos ligantes LFA-1 e Mac-1, e VLA-1 respectivamente. O aumento na expressão desses marcadores parece ser um indicador in situ de maior permeabilidade com consequente afluxo de células que favorecem o quadro de glomerulonefrite. Vários estudos tem focado em alterações nos níveis dos marcadores de ativação do endotélio, incluindo VCAM e ICAM. A permeabilidade ocorre em conjunção com a diminuição de VE-caderina, que regula a função de barreira das junções de aderência celular. A E-selectina recruta monócitos e polimorfonucleares e a VE- caderina, na dengue, tem sido demonstrada como diminuída. Nossos dados parecem demonstrar esse desequilíbrio entre os eventos reguladores da permeabilidade no endotélio vascular nas lesões renais na dengue grave.

10 Bibliografia 1. Geisbert TW, Jahrling PB. Exotic emerging viral diseases: progress and challenges. Nat Med Dec;10(12 Suppl):S Monath TP. Flaviviruses. In: Mandell GL, Benett JE, Dolin R. Principles and practice of infectious disease. New York, Churchill Livingsone 1995, p Schnittler HJ, Feldmann H. Viral hemorrhagic fever-a vascular disease? Thromb Haemost Jun;89(6): Bray M. Pathogenesis of viral hemorrhagic fever. Curr Opin Immunol Jun Haemorrhagic Fevers, viral. 6. Johnson KM: Viral hemorrhagic fevers: a comparative appraisal. In clinical Virology. Edited by Richman D, Whitley R, Hayden F. ASM Press; 2002: Brasil RA. Caracterização do fenótipo, do perfil de citocinais e do mecanismo de morte cellular no fígado de pacientes com febre hemorrágica da dengue. Tese de doutorado. Faculdade de Medicina da USP, São Paulo-SP, junho Lei HY, Yeh TM, Liu HS, Lin YS, Chen SH, Liu CC. Immunopathogenesis of dengue virus infection. J.Biomed.Sci.2001, 8, Bonner SM, O’Sullivan MA. Endothelial cell monolayers as a model system to investigate dengue shock syndrome. J.Virol.Methods. 1998,71, Koraka P, Murgue B, Deparis X, Van Gorp EC, Setiati TE, Osterhaus AD, Groen J. Elevation of soluble VCAM-1 plasma levels in children with acute dengue virus infection of varying severity. J Med Virol Mar;72(3): Yeh TM, Liu SH, Lin KC, Kuo C, Kuo SY, Huang TY, Yen YR, Wen RK, Chen LC, Fu TF. Dengue virus enhances thrombomodulin and ICAM-1 expression through the macrophage migration inhibitory factor induction of the MAPK and PI3K signaling pathways. PLoS One.2013;8(1). 12. Aleksandrowicz P, Wolf K, Falzarano D, Feldmann H, Seebach J, Schnittler H.Viral haemorrhagic fever and vascular alterations. Hamostaseologie Feb;28(1-2): Andrews BS, Thefilopoulos AN, Peters CJ, Loskutoff DJ, Brandt WE, Dixon FJ. Replication of dengue and junin viruses in cultured rabbit and human endothelial cells. Infect. Immun.1978,20, Dewi BE, Takasaki T, Kurane I. Peripheral blood mononuclear cells increase the permeability of dengue virus-infected endothelial cells in association with downregulation of vascular endothelial cadherin. Journal of General Virology. 2008;89(3):642– Corada M, Mariotti M, Thurston G, et al. Vascular endothelial-cadherin is an important determinant of microvascular integrity in vivo. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America. 1999;96(17):9815–9820.


Carregar ppt "Avaliação de moléculas de adesão em lesões renais na dengue hemorrágica VII CICI – Congresso de Iniciação Científica do IAMSPE Acadêmico: Webster de Oliveira."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google