A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fisiologia do Sistema Endócrino Regulação endócrina da fisiologia reprodutiva masculina Profa Cristina Maria Henrique Pinto Profa. Dra. Associada III do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fisiologia do Sistema Endócrino Regulação endócrina da fisiologia reprodutiva masculina Profa Cristina Maria Henrique Pinto Profa. Dra. Associada III do."— Transcrição da apresentação:

1 Fisiologia do Sistema Endócrino Regulação endócrina da fisiologia reprodutiva masculina Profa Cristina Maria Henrique Pinto Profa. Dra. Associada III do Depto. Ciências Fisiológicas CCB-UFSC

2 ESQUEMAS PARA FACILITAR O ESTUDO E O ACOMPANHAMENTO DE MINHAS AULAS Porém, lembre-se que nada substitui a leitura de um bom livro-texto, como os abaixo recomendados: “Fisiologia” Costanzo, 2011, 4ª Ed. (Ed. Elsevier) “Fundamentos de Fisiologia”, Berne et al, 2006, 4ª Ed.(Ed. Elsevier) “Berne & Levy: Fisiologia” Koeppen & Stanton, 2009, 6ª Ed. (Ed. Elsevier) “Fisiologia” Berne et al., 2004, 5ª Ed. (Ed. Elsevier) “Tratado de Fisiologia Médica” Hall, J. E., 2011, 12ª Ed. (Ed. Elsevier) “Fisiologia” Aires, M. M., 2012, 4ª Ed. (Ed. Guanabara Koogan/GEN)

3 AS FIGURAS AQUI UTILIZADAS FORAM RETIRADAS DE WEBSITES E, QUANDO POSSÍVEL, SÃO SEGUIDAS PELO ENDEREÇO NA INTERNET. PRESERVE O DIREITO AUTORAL CITANDO A FONTE.

4 The Ages of Man Não encontrado

5 Endocrinologia da reprodução masculina Profa. Dra. Cristina Maria Henrique Pinto CFS/CCB/UFSC REVISÃO DAS ESTRUTURAS DO APARELHO REPRODUTOR MASCULINO ADULTO

6 Saladin, Anatomy and Physiology, cap. 27, 2002 O APARELHO REPRODUTOR MASCULINO ADULTO Ações da Testosterona: aptidão para a penetração e fecundação Urinary bladder Pubic symphysis

7 As glândulas acessórias e a composição do sêmen

8 Saladin, Anatomy and Physiology, cap. 27, 2002 GLÂNDULAS ACESSÓRIAS E A COMPOSIÇÃO DO SÊMEN O sêmen é composto aproximadamente por 10% de esperma e fluido testicular, 30% de secreções da próstata e 60% de secreções das vesículas seminais.

9 Saladin, Anatomy and Physiology, cap. 27, 2002 GLÂNDULAS ACESSÓRIAS E A COMPOSIÇÃO DO SÊMEN O sêmen é composto aproximadamente por 10% de esperma e fluido testicular, 30% de secreções da próstata e 60% de secreções das vesículas seminais. Secreções das vesículas seminais incluem frutose, enzima coagulante e prostaglandinas, dentre outras. A frutose é o substrato energético para os sptz. A enzima coagulante favorece que o sêmen se torne uma secreção agregada, o que ajuda sua propulsão pela vagina. As prostaglandinas diminuem a viscosidade do muco cervical e estimulam a peristalse reversa do útero.

10 Saladin, Anatomy and Physiology, cap. 27, 2002 Secreções da próstata: incluem citrato, fibrinolisina, Cácio, Zinco, fosfatase ácida, dentre outros. O citrato é fonte energética. A fibrinolisina age como um anticoagulante do sêmen, o que ajuda na mobilidade do esperma. pH alcalino (neutralização do pH ácido do líquido tub. seminíferos) GLÂNDULAS ACESSÓRIAS E A COMPOSIÇÃO DO SÊMEN O sêmen é composto aproximadamente por 10% de esperma e fluido testicular, 30% de secreções da próstata e 60% de secreções das vesículas seminais.

11 Saladin, Anatomy and Physiology, cap. 27, 2002 Secreções das glândulas bulbouretrais secretam muco lubrificante que contém galactose, dentre outros. São emitidas antes da ejaculação. GLÂNDULAS ACESSÓRIAS E A COMPOSIÇÃO DO SÊMEN O sêmen é composto aproximadamente por 10% de esperma e fluido testicular, 30% de secreções da próstata e 60% de secreções das vesículas seminais.

12 Saladin, Anatomy and Physiology, cap. 27, 2002 GLÂNDULAS ACESSÓRIAS E A COMPOSIÇÃO DO SÊMEN O sêmen é composto aproximadamente por 10% de esperma e fluido testicular, 30% de secreções da próstata e 60% de secreções das vesículas seminais. Tipicamente, 2-5 mL de sêmen são expelidos por ejaculação. Cada mL de sêmen pode conter milhões de sptz

13 Espermatogênese Revisão dos tipos celulares dos túbulos seminíferos e do espaço intersticial

14 Veja mais em: VISÃO MICROSCÓPICA DO TESTÍCULO

15 Túbulos seminíferos adultos Adult seminiferous tubule in cross section Veja mais em:

16 extraído, enquanto disponível, de: Células reprodutoras (espermatogônias, espermatócitos, espermátides e espermatozóides) e células sustentaculares (Sertoli) Tipos celulares nos túbulos seminíferos

17 TÚBULO SEMINÍFERO E TIPOS CELULARES membrana basal Seminiferous tubules form the mass of the testes and are the sites of spermatogenesis. Seminiferous tubules are composed of a thick layer of spermatogenic cells (most numerous) and sustentacular (Sertoli) cells which rest on a basement membrane. The spermatogenic cells--spermatogonia, primary spermatocytes, secondary spermatocytes, spermatids and spermatozoa-- represent different cell stages in spermatogenesis (setas amarelas). The outlines of sustentacular cells are not distinct. Maturing spermatozoa are found embedded, head first, in the sustentacular cells, which provide mechanical support, protection and possibly nutrition for the developing spermatozoa. células sustentaculares (Sertoli) extraído, enquanto disponível, de: is6.htmlhttp://trc.ucdavis.edu/mjguinan/apc100/modules/Reproductive/mammal/testis3/test is6.html espermatogônias espermatócitos primários espermatócitos secundáriosespermátides

18 ESPERMATOGÊNESE

19 extraído, enquanto disponível, de: Espermiogênese As mudanças durante a espermiogênese envolvem transformações da espermátide esférica a espermatozóide maduro: (1) formação do acrossoma, (2) mudanças nucleares, (3) desenvolvimento do flagelo, (4) reorganização do citoplasma e organelas celulares e (5) o processo de liberação da cél. de Sertoli (espermiação).

20 Veja mais sobre Gametogênese Online course in embryology for medicine students developed by the universities of Fribourg, Lausanne and Bern (Switzerland) with the support of the Swiss Virtual Campus veja também: dicas de WEBsites de Embriologiadicas de WEBsites de Embriologia

21 extraído, enquanto disponível, de: Espermatogênese

22 A fisiologia das células testiculares envolvidas na espermatogênese

23 Células de Leydig Células de Sertoli Células germinativas testículo As células testiculares envolvidas na espermatogênese T parácrina Células mióides parácrina T T T: testosterona

24 Células de Sertoli e as células espermatogênicas As células germinativas não possuem receptores para T e FSH. Quem os possui são as células de Sertoli que, sob influências desses hormônios, propiciam a espermatogênese.

25 Cross-section of a seminiferous tubule from an adult Sprague-Dawley rat showing the organization of testicular cells and the intimate relationships between Sertoli and germ cells. S, Sertoli cell nucleus; SG, spermatogonium; PS, pachytene spermatocyte; RS, round spermatid; ES, elongated spermatid. Cheng and Mruk 2002, Physiological Reviews Íntima relação entre as células de Sertoli e as células espermatogênicas

26  Suporte estrutural (microtúbulos) uporte metabólico (fornecem lactato para spct 1º)  Regulação do meio interno dos túbulos seminíferos (formam a barreira hemato-testicular, fagocitose)  Secretam proteínas: transportadoras de nutrientes (Fe, Cu e Vit. A), ABP (ptn ligante de andrógenos), dentre outras. As céls. de Sertoli são também endócrinas: AMH (diferenciação sexual) Inibina B e Ativina (regulação da secreção de FSH). Em todos os estágios de diferenciação, as células espermatogênicas estão em íntimo contato com as células de Sertoli que provêem a estas: Células de Sertoli e as células espermatogênicas

27  Comunicação entre várias células de Sertoli  Proteção para as células em desenvolvimento contra a resposta auto-imune  Isola as células germinativas do resto do organismo Células de Sertoli e as células espermatogênicas BARREIRA HEMATO-TESTICULAR (junções firmes ou do tipo tight) Traçador eletron- denso não atravessa além do compartimento basal

28 Células de Leydig testículo As células testiculares envolvidas na espermatogênese Células intersticiais ou de Leydig secretoras de Testosterona T Células mióides Células de Sertoli Células germinativas parácrina T T

29 As células testiculares envolvidas na espermatogênese Células intersticiais ou de Leydig secretoras de Testosterona

30 Terapia com Testosterona pode diminuir a produção de espermatozóides Injeções de testosterona podem suprimir a secreção de FSH e LH, afetando a produção de esperma. extraído, enquanto disponível, de: Notar a recuperação da contagem de esperma quando hCG e hFSH são utilizados em uma única dose.

31 Os hormônios sexuais masculinos

32 Os hormônios sexuais masculinos: Testosterona e derivados

33 DIRECT AND INDIRECT EFFECTS OF TESTOSTERONE extraído, enquanto disponível, de:

34 Espermatogênese Diferenciação e amadurecimento dos gametas masculinos Células de Leydig Testosterona Células de Sertoli  REGULAÇÃO HORMONAL DA ESPERMATOGÊNESE  LH FSH  

35 A regulação da função testicular pelas gonadotrofinas e hormônios testiculares na vida adulta

36 The anterior pituitary and the hypothalamus are connected by the hypophyseal portal vasculature. Releasing or inhibiting hormones secreted by hypothalamic neurons enter the primary plexus of the hypophyseal portal vasculature. They flow down the long portal veins in the pituitary stalk to the secondary plexus, a capillary network that enmeshes the cells of the anterior pituitary. The anterior pituitary cells secrete their hormones in response to the releasing hormones. Because neither the hypothalamus nor the anterior pituitary is isolated by the blood-brain barrier, feedback signals have direct access to both sites of regulation. The posterior pituitary is made up of the terminal portions of neurons whose origin is the hypothalamus. (ACTH— adrenocorticotropic hormone; ADH— antidiuretic hormone; FSH—follicle- stimulating hormone; GH—growth hormone; LH—luteinizing hormone; PRL—prolactin; TSH—thyroid-stimulating hormone)

37 extraído, enuant disponível, de: A adenohipófise e suas relações com o SNC LH e FSH corpos celulares dos nn. hipotalâmicos secretores de GnRH/LHRH (núcleo arqueado) Hormônio liberador de gonadotrofinas GnRH/LHRH

38 Hormonal relationships in the brain- testicular axis. (Green arrows and plus signs indicate stimulatory effects; red arrows and bars indicate inhibitory effects.) GnRH from the hypothalamus stimulates the anterior pituitary to secrete FSH and LH. FSH stimulates Sertoli (sustentacular) cells to secrete androgen-binding protein (ABP). LH stimulates interstitial cells to secrete testosterone. In the presence of ABP, testosterone stimulates spermatogenesis. Testosterone also stimulates development of secondary sex organs, and secondary sex characteristics, and stimulates libido. Testosterone has a negative effect on the hypothalamus and pituitary, reducing GnRH secretion and pituitary sensitivity to GnRH. Sertoli cells secrete inhibin which selectively inhibits FSH without reducing testosterone secretion.

39 extraído, enquanto disponível, de:

40 Células de Leydig Células de Sertoli Células germinativas testículo AS AÇÕES DAS GONADOTROFINAS E DA TESTOSTERONA NAS CÉLULAS TESTICULARES ENVOLVIDAS NA ESPERMATOGÊNESE T parácrina Células mióides parácrina ADENOHIPÓFISE FSHLH LH: hormônio luteinizante; FSH: hormônio foliculoestimulante T T proliferação e diferenciação das células de Sertoli estimula a síntese das enzimas da esteroidogênese Inibina

41 testosterona Testosterona 17  -Estradiol Diminui a frequência de pulso de secreção de GnRH Testosterona Inibina  (núcleo arqueado)

42

43

44 Diferentes abordagens na busca por contraceptivos masculinos (?)

45 Disponibiliza vídeos/animações de conteúdo muito bom (buscando pela palavra-chave “physiology”, foram encontrados 84 vídeos). Aqui estão alguns exemplos: DIFERENCIAÇÃO GONADAL DIFERENCIAÇÃO SEXUAL DO SNC EIXO HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO GONADAL

46 Veja mais sobre Fisiologia Endócrina na página do Moodle dedicada à disciplinaMoodle


Carregar ppt "Fisiologia do Sistema Endócrino Regulação endócrina da fisiologia reprodutiva masculina Profa Cristina Maria Henrique Pinto Profa. Dra. Associada III do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google