A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

V Conferência Nacional de Estatística CONFEST - Rio de Janeiro - Ago/2006 Índice de Preços ao Produtor.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "V Conferência Nacional de Estatística CONFEST - Rio de Janeiro - Ago/2006 Índice de Preços ao Produtor."— Transcrição da apresentação:

1 V Conferência Nacional de Estatística CONFEST - Rio de Janeiro - Ago/2006 Índice de Preços ao Produtor

2 O Projeto no IBGE Antecedente: Na década de 80, projeto com definição metodológica, seleção de produtos e informantes e levantamento de preços  cálculo de índices apenas no âmbito interno do IBGE Projeto atual: Em 2000  avaliação, definição de grandes linhas de atuação por intermédio de consultorias nacionais  definição de escopo (Indústria de Transformação) e de contorno (subconjunto da Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física). Projeto ficou condicionado à reformulação da PIM-PF, que terminou em Situação presente: por iniciar projeto piloto Área responsável: Coordenação de Indústria (COIND)- Diretoria de Pesquisas (DPE)

3 O Projeto no IBGE: Estrutura da apresentação Por que um índice de preços ao produtor? O projeto pioneiro O projeto atual Por que na Coordenação de Indústria? É um índice de preços ao produtor apenas no setor manufatureiro? Diretriz geral Metodológica: bases de seleção e ponderação; questionários de especificação; preços Estratégia de atuação Consultoria Internacional Projeto Piloto Setores Sistemas Coleta Datas Tentativas

4 Por que um índice de preços ao produtor? Brasil não tem um índice de preços ao produtor de fato O IPA é, na evolução dos índices, um precedente do IPP Esse indicador é fundamental para o entendimento do processo inflacionário geral, na medida em que complementa as informações provenientes dos índices do consumidor e do atacado O próprio IBGE demanda uma informação dessa natureza para uso nas Contas Nacionais

5 O projeto pioneiro Década de 1980: início em out.81 (planejamento) e desativação em jun.85 Na atual Coordenação de Índices de Preços (COINP ) Bases de dados provenientes da indústria: Censo de 1975 Cobertura de 49% da Indústria Geral  132 produtos do Censo (indústria extrativa e de transformação) Entre dez.81 e mar.82 foi realizada a pesquisa de especificação Especificação parcial > Descrição física e Unidade de Medida No final da experiência, a amostra estava bastante reduzida > aproximadamente 40% de imputação

6 O projeto atual Por que na Coordenação de Indústria? É a área que mantém as bases de dados de onde são tiradas a amostra (produtos e informantes) e a ponderação (em todos os níveis) e que tem contato com as empresas ao longo dos anos. Porém O IPP é um projeto de longo prazo e transversal. Inicia-se com os índices na Indústria de Transformação, mas deve, pouco a pouco, incluir novas atividades: Indústria Extrativa, Agropecuária, Serviços A inclusão de todos os setores deve ser feita à luz das Contas Nacionais (índices líquidos)

7 Diretriz geral: Metodologia Bases de informação disponíveis para seleção de produtos e informantes e ponderação Pesquisa Industrial Anual de Empresas – PIA Empresa: informações contábeis-financeiras das empresas e de suas unidades locais (produtivas ou não)  cálculo de VBPI, COI e VTI (proxies dos agregados macroeconômicos da Contas Nacionais) no nível das atividades industriais PIA Produto: informações das quantidades produzidas e vendidas e dos valores de vendas dos produtos e serviços industriais, organizados por atividade econômica

8 Diretriz geral: Metodologia No. Produtos No. Informantes Valor de Vendas (%) PIA-E PIA-P PIM-PF IPP

9 Diretriz geral: Metodologia: A Amostra IPP a)330 produtos selecionados formam um sub-conjunto dos produtos (Brasil) da Pim-PF b)Anos considerados 2001 e 2003 c)Critérios de seleção: os 200 mais importantes Brasil + os 60% mais importantes CNAE + 80% dos mais importantes categoria de uso + atendimento às necessidades das Contas Nacionais (aumento de 10% na amostra)

10 Diretriz geral: Metodologia Questionários de especificação O que é? Detalhar, de forma sistematizada, os produtos selecionados para o IPP, de tal modo que sejam realçados os aspectos – tanto intrínsecos aos produtos quanto à transação comercial – que influenciam os preços Exemplo: Objetivo: a especificação serve a dois propósitos: negociar os preços informados > evitar preços de lista meio de checar mudanças na qualidade

11 Diretriz geral: Metodologia Questionários de especificação Estratégia de definição dos questionários IBGE Associação Apresentação do Projeto Crítica Empresa Articulação Reunião Conjunta Definição dos questionários

12 Diretriz geral: Metodologia Preços Vigentes no dia 15 Não devem ser os de lista Devem ser livres de impostos e incluir descontos Podem ser dados em moeda estrangeira

13 Diretriz geral: Consultoria Internacional Contatos Internacionais: Visita ao Chile (2003): projeto chileno faz parte do acordo União Européia e Mercosul. Encontro com especialistas no momento do lançamento do Manual IPP, em Helsinque (2004)  contato para tratamento de mudança de qualidade.

14 Diretriz geral: Consultoria Internacional Consultoria Internacional: em dois momentos Logo após o fim da consultoria nacional  estratégias gerais e base teórica No final do ano passado  estratégias, perspectivas, avaliação dos avanços alcançados Ponto Positivo: base de dado abrangente e pesquisa estruturada para especificação de produtos Atenção: âmbito  necessidade de expandir o mais rápido possível Próxima visita: até o final do ano Acompanhamento do projeto, inclusive do teste piloto Discussão sobre ponderação, crítica e imputação

15 Diretriz geral: Projeto Piloto Projeto Piloto : a ser concluído em aproximadamente 3 meses, com vistas a testar tanto as negociações feitas na preparação dos questionários de especificação quanto os sistemas e o próprio levantamento de preços Início : setembro de 2006 Setores Vestuário, Celulose, Química, Borracha, Minerais Não-Metálicos, Metalurgia Básica e Veículos

16 Diretriz geral: Projeto Piloto Sistemas São 3: todos desenvolvidos pelo IBGE Para agendamento de entrevistas (por telefone ou presencial) e acompanhamento das mesmas Para montagem de questionário de especificação e coleta Para levantamento de preços (WEB)

17 Diretriz geral: Projeto Piloto

18

19 Datas Tentativas* Início : setembro de 2006 Coleta inicial : até abril de 2008 Divulgação parcial : a partir de fevereiro de 2008 *Prazos serão refinados a partir do projeto piloto

20 V Conferência Nacional de Estatística CONFEST - Rio de Janeiro - Ago/2006 Índice de Preços ao Produtor


Carregar ppt "V Conferência Nacional de Estatística CONFEST - Rio de Janeiro - Ago/2006 Índice de Preços ao Produtor."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google