A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rio Douro. Introdução Localização População Trabalho laboratorial Número de habitantes Poluição Esgotos Conclusão Índice.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rio Douro. Introdução Localização População Trabalho laboratorial Número de habitantes Poluição Esgotos Conclusão Índice."— Transcrição da apresentação:

1 Rio Douro

2 Introdução Localização População Trabalho laboratorial Número de habitantes Poluição Esgotos Conclusão Índice

3 Introdução No âmbito das disciplinas, Ciências, Físico-químicas e Geografia realizamos um trabalho de campo e experimental. Este trabalho consiste na recolha de informação em dois locais diferentes do rio Douro (Freixo e Barragem de Crestuma Lever).

4 Localização Rio Inha (local da segunda amostragem) Ponte do Freixo (local da primeira amostragem)

5 População Período de referência de dados 2001 Local de residência ( à data dos Censos de 2001) Foz do Sousa ( barragem de Crestuma Lever) Valbom( Freixo) Densidade populacional ( N.º/Km2) por local de residência ( à data dos Censos 20001); Decenal N.º / Km2 335, ,32

6 Diferença entre esgotos de uma só cidade NomeTotal Sistema de esgotos ligado a rede pública Sistema de esgotos particular Não tem sistema de esgotos Freixo Valbom

7 CIÊNCIAS FISICO-QUÍMICAS RELATÓRIO: No âmbito da disciplina de Ciências Físico-Químicas, analisamos a água em diferentes locais do Rio Douro, neste caso na Barragem de Crestuma-Lever e no Freixo. O nosso estudo consiste na análise e recolha de informação sobre os seus parâmetros físico-químicos: o cheiro, a cor, a temperatura e o pH. Todos estes parâmetros nos indicam se a água está ou não contaminada.

8 QUESTÃO PROBLEMA: Será que a análise dos parâmetros físico- químicos dos diferentes locais onde recolhemos a água nos vai indicar diferentes graus de poluição da respectiva água do rio?

9 MATERIAIS E REAGENTES: garrafas de 0,33l; termómetro; gobelé de 250ml; 4 tubos de ensaio; medidor de pH; folha de alumínio; régua; proveta de 100ml; amostras de água dos dois locais; 10 gotas de sabão líquido; suporte de tubo de ensaio; máquina fotográfica.

10 PROCEDIMENTOS E ESQUEMA DE MONTAGEM: 1º.Colocamos 5ml de água num tubo de ensaio; 2º.Cheirámo-la; 3º.Registamos os resultados; 4º.Observamos a cor da água, procurando algum sinal de turvação; 5º.Registamos os resultados; 6º.Repetimos o procedimento para a outra amostra; 7º.Medimos 50ml de água com uma proveta e transferimo-la para um gobelé; 8º.Medimos o pH da mesma e registamos os resultados; 9º.Medimos cerca de 10ml de água e transferimo-la para um tubo de ensaio; 10º.Colocamos cerca de 10 gotas de sabão líquido em cada um dos tubos de ensaio, tapamos, agitamos e, por fim, medimos a altura da espuma.

11 OBSERVAÇÕES, CALCULOS E REGISTO DE MEDIÇÕES:

12 CONCLUSÕES E CRÍTICAS DOS RESULTADOS: Verificamos que, em ambas as amostras, a água era inodora, a cor ligeiramente amarelada, a turvação era pouca e registamos a diferenças de temperatura entre os dois locais (um pouco mais elevada no Freixo (0.6°C), mas iguais no laboratório). Por fim, concluímos que o pH era igual e a dureza e altura da água eram aproximadas, sendo no Freixo de 3,5cm e na Barragem de 3,8cm. Estes factores levaram-nos a concluir que as diferenças entre os parâmetros físicos e químicos das amostras de água dos dois locais são mínimas, não nos permitindo afirmar que haja diferentes graus de poluição das águas dos locais referidos.

13 NOVOS PROBLEMAS DE INVESTIGAÇÃO: Que outras características da água destes locais devem ser estudadas para comparar o seu grau de poluição?

14 Ciências Biodiversidade e saúde humana Esse projecto consiste no estudo dos macro invertebrados bentónicos em duas zonas diferentes do rio Douro (Freixo e Barragem) No âmbito da disciplina de Ciências procedemos à sua visualização microscopia de diferentes macro invertebrado bentónicos ( Inha 2)

15 Como procedemos: Retiramos o Formol peneirando a areia para uma bacia; Procuramos os macro invertebrados; Procedemos a observação microscopia destes; Registamos os pontos que cada macro invertebrados dava.

16 Tabela de cálculo – famílias de macroinvertebrados bentónicos

17 Procedimento Com uma pá retiramos as areias e com as nossos mãos retiramos a água em excesso em seguida colocamos o formol para que os macro invertebrados não entrassem em decomposição. Fechamos o saco e misturamos. No âmbito da disciplina de ciências recolhemos as amostras de dois locais do rio Douro (Barragem Crestuma – Lever e Freixo) Devido à intensa precipitação o caudal do rio encheu o que fez com que os macro invertebrados bentónicos se refugiassem nas margens do rio. Por essa razão concluímos que não havia macro invertebrados naquelas amostras o que levou a que nos analisássemos as amostras recolhidas no rio Douro (Inha 1 e 2) trazidas pela professora de ciências.

18 Conclusão A água analisada no Rio Douro ( Inha 1 e 2) está muito poluída, comparada ao que devia estar. Concluímos também que isso se deve a várias razões que não deviam existir.

19 Trabalho realizado por: Rita Silva nº20 8ºB Rita de Cássia nº19 8ºB Ana Filipa Rocha nº3 8ºB Ana Marta nº4 8ºB


Carregar ppt "Rio Douro. Introdução Localização População Trabalho laboratorial Número de habitantes Poluição Esgotos Conclusão Índice."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google