A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O que nos disseram os macroinvertebrados do Rio Raia? O grupo OBP é contituído por: Matilde Figueiredo, nº 537 Afonso Castela, nº 554 Inês Teixeira, nº

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O que nos disseram os macroinvertebrados do Rio Raia? O grupo OBP é contituído por: Matilde Figueiredo, nº 537 Afonso Castela, nº 554 Inês Teixeira, nº"— Transcrição da apresentação:

1 O que nos disseram os macroinvertebrados do Rio Raia? O grupo OBP é contituído por: Matilde Figueiredo, nº 537 Afonso Castela, nº 554 Inês Teixeira, nº 1018 Marta Carvalho, nº º A Fevereiro 2010

2 Sumário I. Enquadramento Teórico I. Enquadramento Teórico A. Impactos ambientais A. Impactos ambientais B. Caracterização do rio Raia B. Caracterização do rio Raia C. Bioindicação C. Bioindicação II. Caracterização do biótopo do meio em estudo II. Caracterização do biótopo do meio em estudo III. Parte experimental III. Parte experimental IV. Análise dos resultados IV. Análise dos resultados V. Discussão dos Resultados / Conclusão V. Discussão dos Resultados / Conclusão VI. Bibliografia VI. Bibliografia

3 I. Enquadramento teórico O acelerado avanço das cidades trazem consigo impactos irreversíveis ao ambiente devido às necessidades humanas. O acelerado avanço das cidades trazem consigo impactos irreversíveis ao ambiente devido às necessidades humanas. Os recursos naturais ficam sempre em último plano e de certa forma quando os problemas surgem a integridade dos ecossistemas são abaladas quase por inteira. Os recursos naturais ficam sempre em último plano e de certa forma quando os problemas surgem a integridade dos ecossistemas são abaladas quase por inteira. A. Impactes teóricos

4 A integridade de um ecossistema é abalada pela poluição e ou a degradação do ambiente excede a capacidade dos organismos vivos em assimilar os contaminantes. A integridade de um ecossistema é abalada pela poluição e ou a degradação do ambiente excede a capacidade dos organismos vivos em assimilar os contaminantes. No ambiente aquático, os macroinvertebrados apresentam variados graus de tolerância à poluição, por isso são amplamente utilizados como bioindicadores de qualidade de água. No ambiente aquático, os macroinvertebrados apresentam variados graus de tolerância à poluição, por isso são amplamente utilizados como bioindicadores de qualidade de água.

5 Ecossistema Ecossistema Conjunto de comunidades interagindo entre si e agindo sobre e/ou sofrendo a acção dos factores abióticos. Conjunto de comunidades interagindo entre si e agindo sobre e/ou sofrendo a acção dos factores abióticos.

6 A alteração de um único elemento pode causar modificações em todo o sistema, podendo ocorrer a perda do equilíbrio existente. A alteração de um único elemento pode causar modificações em todo o sistema, podendo ocorrer a perda do equilíbrio existente.

7 Então e o nosso Rio?

8 B. Caracterização do rio Raia O rio Raia nasce no Alentejo, na freguesia do Cabeção, da junção das ribeiras de Seda e de Tera, passando pela Vila de Mora. O rio Raia nasce no Alentejo, na freguesia do Cabeção, da junção das ribeiras de Seda e de Tera, passando pela Vila de Mora.

9 O rio Raia está inserido no Parque Ecológico do Gameiro. O rio Raia está inserido no Parque Ecológico do Gameiro.

10 Parque das Merendas da Praia Fluvial do rio Raia

11 Abrigada na vegetação das margens, a fauna do Raia é riquíssima em aves, répteis, insectos e mamíferos. Abrigada na vegetação das margens, a fauna do Raia é riquíssima em aves, répteis, insectos e mamíferos. É contudo pelo peixe que o rio Raia é famoso. É contudo pelo peixe que o rio Raia é famoso. A sua água está classificada como etiologicamente rica. A sua água está classificada como etiologicamente rica.

12 C. Bioindicação A bioindicação/biomonitorização consiste na utilização de seres vivos para identificar factores de alteração ambiental. Esses factores podem ser: mudanças na composição das comunidades ou variação da concentração de substâncias específicas nos tecidos dos organismos. A bioindicação/biomonitorização consiste na utilização de seres vivos para identificar factores de alteração ambiental. Esses factores podem ser: mudanças na composição das comunidades ou variação da concentração de substâncias específicas nos tecidos dos organismos. No grupo dos macroinvertebrados bentónicos incluem-se os seres vivos com tamanhos a partir de 1 mm, embora nem todos os autores sejam unanimes na escolha do tamanho mínimo, podendo este variar entre os 0,5 mm e o 1 mm. No grupo dos macroinvertebrados bentónicos incluem-se os seres vivos com tamanhos a partir de 1 mm, embora nem todos os autores sejam unanimes na escolha do tamanho mínimo, podendo este variar entre os 0,5 mm e o 1 mm. Alguns dos macroinvertebrados podem ser utilizados como bioindicadores de um meio. Alguns dos macroinvertebrados podem ser utilizados como bioindicadores de um meio.

13 No grupo dos macroinvertebrados bentónicos incluem-se os seres vivos com tamanhos a partir de 1 mm, embora nem todos os autores sejam unanimes na escolha do tamanho mínimo, podendo este variar entre os 0,5 mm e o 1 mm. No grupo dos macroinvertebrados bentónicos incluem-se os seres vivos com tamanhos a partir de 1 mm, embora nem todos os autores sejam unanimes na escolha do tamanho mínimo, podendo este variar entre os 0,5 mm e o 1 mm. Alguns dos macroinvertebrados podem ser utilizados como bioindicadores de um meio. Alguns dos macroinvertebrados podem ser utilizados como bioindicadores de um meio.

14 II. Caracterização do biótopo do meio em estudo Nome do local: Praia Fluvial do rio Raia Nome do local: Praia Fluvial do rio Raia Latitude e longitude: 38,95ºN; 8,1ºO Latitude e longitude: 38,95ºN; 8,1ºO Largura do rio: aproximadamente 50 m Largura do rio: aproximadamente 50 m Tipo de sedimento: areia Tipo de sedimento: areia Leito do rio: natural Leito do rio: natural Corrente do rio: lenta Corrente do rio: lenta Uso do solo na proximidade: natural Uso do solo na proximidade: natural

15 Vegetação das margens: bastante Vegetação das margens: bastante Vegetação no curso de água: inexistente Vegetação no curso de água: inexistente pH: 6,2 pH: 6,2 Temperatura da água: 3º C Temperatura da água: 3º C Presença e tipo de lixo das margens: inexistente Presença e tipo de lixo das margens: inexistente Presença de tubos de descarga de esgotos: inexistente Presença de tubos de descarga de esgotos: inexistente Presença de matéria vegetal em decomposição: inexistente Presença de matéria vegetal em decomposição: inexistente

16 III. Parte Experimental Durante a recolha: Durante a recolha: Com a pá recolhemos uma amostra de sedimento da zona submersa. Com a pá recolhemos uma amostra de sedimento da zona submersa. Adicionámo-la num saco de plástico. Adicionámo-la num saco de plástico. Identificámos a amostra. Identificámos a amostra. Transportámos a amostra para o laboratório da escola. Transportámos a amostra para o laboratório da escola.

17 Também recolhemos água do rio Raia para a análise do pH.

18 O frasco foi tapado e guardado num saco isotérmico O frasco foi tapado e guardado num saco isotérmico até ser entregue na sala de aula. até ser entregue na sala de aula.

19 A amostra recolhida foi levada para o laboratório para análise: A amostra recolhida foi levada para o laboratório para análise: Foi colocada no peneiro; Foi colocada no peneiro; Lavada com água corrente; Lavada com água corrente; Transferida a totalidade do sedimento lavado para o tabuleiro; Transferida a totalidade do sedimento lavado para o tabuleiro; Separados os macroinvertebrados do sedimento; Separados os macroinvertebrados do sedimento; Analisados à lupa binocular os indivíduos. Analisados à lupa binocular os indivíduos.

20 Numa primeira observação dos sedimentos, quanto a macroinvertebrados, nada houve a registar. Numa primeira observação dos sedimentos, quanto a macroinvertebrados, nada houve a registar. Na semana seguinte, a amostra foi novamente analisada e continuou Na semana seguinte, a amostra foi novamente analisada e continuou sem revelar a existência de macroinvertebrados. sem revelar a existência de macroinvertebrados. IV. Análise dos resultados

21 V. Discussão dos resultados Tendo por base os resultados obtidos (ausência de organismos), e de acordo com a tabela de Classes de Qualidade do Índice BMWP a água do rio Raia estará extremamente poluída. Tendo por base os resultados obtidos (ausência de organismos), e de acordo com a tabela de Classes de Qualidade do Índice BMWP a água do rio Raia estará extremamente poluída. Contudo, tendo em conta que o rio está inserido no Parque Ecológico do Gameiro, a água é analisada regularmente revelando-se de boa qualidade e dentro dos parâmetros normais, segundo o Instituto Português da Qualidade da Água Contudo, tendo em conta que o rio está inserido no Parque Ecológico do Gameiro, a água é analisada regularmente revelando-se de boa qualidade e dentro dos parâmetros normais, segundo o Instituto Português da Qualidade da Água

22 Desta forma, os resultados obtidos podem não corresponder à situação real, uma vez que a pesquisa realizada sugere uma boa qualidade da água e do ecossistema. Desta forma, os resultados obtidos podem não corresponder à situação real, uma vez que a pesquisa realizada sugere uma boa qualidade da água e do ecossistema.

23 A acrescentar que o Fluviário de Mora, local perto do rio, tem uma ETAR – Estação de Tratamento de Águas Residuais - associada pelo que todos os resíduos produzidos pelo Fluviário são tratados, estando a água de saída resultante em condições de ser devolvida ao rio sem risco de impacto para a natureza. A acrescentar que o Fluviário de Mora, local perto do rio, tem uma ETAR – Estação de Tratamento de Águas Residuais - associada pelo que todos os resíduos produzidos pelo Fluviário são tratados, estando a água de saída resultante em condições de ser devolvida ao rio sem risco de impacto para a natureza.

24

25 Os factos observados levam-nos a concluir que o local de recolha não foi o apropriado e que a amostragem não foi executada da maneira mais conveniente. Os factos observados levam-nos a concluir que o local de recolha não foi o apropriado e que a amostragem não foi executada da maneira mais conveniente.

26 Numa futura recolha propomos que esta seja feita no meio do rio e o mais fundo possível. Numa futura recolha propomos que esta seja feita no meio do rio e o mais fundo possível.

27 V. Bibliografia Troca de impressões com o Dr. João Pimenta Lopes, Administrador do Fluviário de Mora. Troca de impressões com o Dr. João Pimenta Lopes, Administrador do Fluviário de Mora.


Carregar ppt "O que nos disseram os macroinvertebrados do Rio Raia? O grupo OBP é contituído por: Matilde Figueiredo, nº 537 Afonso Castela, nº 554 Inês Teixeira, nº"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google