A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PRINCIPAIS PATOLOGIAS ORTOPÉDICAS QUE AFETAM O HOMEM ADULTO – APÓS 21 ANOS. 1. LOMBALGIA 2.ARTROSE 3.LESÕES NO ESPORTE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PRINCIPAIS PATOLOGIAS ORTOPÉDICAS QUE AFETAM O HOMEM ADULTO – APÓS 21 ANOS. 1. LOMBALGIA 2.ARTROSE 3.LESÕES NO ESPORTE."— Transcrição da apresentação:

1

2 PRINCIPAIS PATOLOGIAS ORTOPÉDICAS QUE AFETAM O HOMEM ADULTO – APÓS 21 ANOS. 1. LOMBALGIA 2.ARTROSE 3.LESÕES NO ESPORTE

3 1. LOMBALGIA Denomina-se de Lombalgia, o conjunto de manifestações dolorosas que acontecem na região lombar, decorrente de alguma anormalidade nessa região. Conhecida popularmente como dor nas costas, a lombalgia é uma das grandes causas de morbidade e incapacidade funcional, tendo incidência apenas menor que a cefaléia entre os distúrbios dolorosos que mais acometem o homem. De acordo com vários estudos epidemiológicos, de 65% a 90% dos adultos poderão sofrer um episódio de lombalgia ao longo da vida, com incidência entre 40 e 80% da maioria das populações estudadas.

4 Sintomas Os sintomas mais comuns da lombalgia são citados como uma dor lombar, que corresponde à região mais inferior da coluna vertebral, pouco acima das nádegas, na altura da cintura. Apresenta-se geralmente de começo discreto, com intensidade aumentando progressivamente e agravando com a mobilidade da região. Acompanha comumente a estas situações, algum grau de contratura muscular. As crises dolorosas geralmente apresentam-se em um ciclo de dor que duram alguns dias, podendo em alguns casos tornar-se constante ou desaparecer, retornando depois de algum tempo.

5 Durante a crise dolorosa, a permanência em alguma forma de postura, seja sentado ou em pé, provoca o aparecimento da dor. A persistência dos sintomas ocasionalmente passa a ser um fator extremamente limitante sob o ponto de vista social, afetivo ou profissional, gerando grandes distúrbios secundários, como os de ordem emocional. Em termos etiológicos, a lombalgia é um processo eminentemente clínico, onde os exames complementares devem ser solicitados apenas para confirmação da hipótese diagnóstica.

6

7 Causas da Lombalgia Inúmeras circunstâncias (fatores de risco) contribuem para o desencadeamento e cronificação das síndromes lombares, tais como: fatores genéticos e antropológicos, psicossociais, obesidade, fumo, atividades profissionais, sedentarismo, maus hábitos posturais, síndromes depressivas, trauma, gravidez, trabalho repetitivo, entre outras.

8 Diagnóstico e exames O exame clínico é suficiente para o diagnóstico. O diagnóstico pode ser feito clinicamente, levando em conta as características dos sintomas e o resultado do exame neurológico. Exames como raio-x, tomografia e ressonância magnética ajudam a determinar o tamanho da lesão e em que exata região da coluna está localizada.

9

10 2. ARTROSE O termo artrose (osteoartrose) é utilizado para descrever um grupo de condições que afeta as articulações sinoviais. Essas condições se caracterizam pela perda de cartilagem articular com crescimento e remodelamento do osso subjacente. A incidência aumenta com a idade, em torno de 10% de adultos apresentam artrose moderada ou grave. Nem todos os indivíduos com alterações radiológicas possuem a doença ou tem os sintomas.

11 A artrose progride gradualmente e afeta as articulações periféricas e a coluna vertebral. Apesar de ser a doença reumatológica mais comum e a principal causa da incapacidade ou invalidez de todas as doenças crônicas, pouco ou nada se sabe sobre sua evolução, etiologia e tratamento.

12 EPIDEMIOLOGIA As alterações radiológicas em adultos é variável segundo populações e setores regionais, entretanto se sabe que cerca de 35% dos indivíduos apresentam alguma alteração. As principais articulações afetadas na artrose são: mãos, pés, joelhos e quadril. Idade: Um terço dos adultos entre 25 e 74 anos de idade tem evidencia radiológica de artrose, os sintomas aumentam com a idade em todas as populações e regiões. Gênero: A artrose de joelhos e de mãos predominam nas mulheres. A relação mulher/ homem é de 1 a 4 e aumenta a partir dos 60 anos enquanto que a artrose de quadril esta distribuída igualmente em ambos os sexos.

13 Geografia: A artrose existe mundialmente. Entretanto existem variações geográficas como, por exemplo, a artrose de quadril é mais rara na população asiática e africana, e a artrose de joelhos é mais comum na raça negra no Norte da América. FATORES DE RISCO Hereditários Existe predisposição hereditária na artrose de mãos. Biomecânicos: Os fatores biomecânicos incluem condições congênitas ou adquiridas como a luxação congênita no quadril. O traumatismo, incluindo ruptura de menisco articular ou ligamento cruzado está associado à artrose.

14 O fator de risco mais importante para a artrose de joelhos é a obesidade, o risco aumenta de forma linear com o peso sendo menor que 1vez em magros e maior que 7 vezes em obesos. DOR E INCAPACIDADE A artrose é a causa mais comum de dor músculo- esquelético e incapacidade física. Em torno de 2 a 3 % de toda a população adulta sofre permanentemente com esta dor. Ela é responsável por um grande gasto de recursos em saúde direto e indiretos pois, aproximadamente 50% dos pacientes com alterações radiológicas apresentam dor diariamente o que repercute em suas atividades diárias, trabalho e na procura por atendimento médico

15 SINAIS E SINTOMAS Seus principais sintomas são a dor articular e a rigidez. A dor esta relacionada com a atividade exercida e tende a piorar no final do dia. Dores agudas podem surgir após uma atividade especifica ou em consequência de um determinado movimento. A rigidez matinal é habitual e tem uma duração sempre menor de 30 minutos, o que ajuda a distingui-la de outras doenças. A presença de rigidez pós-inatividade habitualmente é muito intensa e não pode ser confundida com a rigidez matinal.

16 EXAMES E IMAGEM Através do exame de raio x simples, pode-se determinar a presença ou ausência de artrose, apesar do exame não ser muito sensível como indicador de patologia articular. As mudanças precoces da cartilagem, o osso subcondral e as bordas das superfícies articulares não são observados através da radiologia. O que pode ser observado são os osteófitos nas margens articulares e a presença de mudanças no osso subcondral, cistos ósseos e esclerose. Estudos da progressão da artrose por meio de radiografias em pacientes portadores da doença são realizados comparando as mudanças no espaço articular, aparecimento de osteófitos e mudanças no osso subcondral.

17 A cintilografia é um método de diagnóstico sensível mas inespecífico para detectar a atividade da artrose, seu aparecimento aparentemente precede ao aparecimento nos estudos radiologicos. A artroscopia é utilizada pra detectar a perda focal de cartilagem, no entanto por ser uma técnica invasiva não é utilizada de forma rotineira. EVOLUÇÃO A artrose é uma doença que evolui lentamente e parte da perda funcional ou dos sintomas são devem-se ao envelhecimento da pessoa. As mudanças radiológicas não estão correlacionadas com os sintomas ou a função. A longo prazo os sintomas se estabilizam e melhoram.

18 Pacientes obesos ou com instabilidade articular tem pior diagnóstico. TRATAMENTO É muito importante o diagnóstico correto da doença e orientar o paciente sobre sua evolução. É importante esclarecer que a artrose não é artrite reumatóide e que a possibilidade de desenvolvimento futuro de incapacidade funcional é improvável. A realização de exercícios e fisioterapia deve ser oferecida a todos os pacientes com o objetivo de manter a sua força muscular e a movimentação das articulações afetadas. A maioria dos pacientes necessita de estimulo para realizar atividades e aprender a alternar períodos curtos de trabalho ou atividade com períodos curtos de repouso.

19 A redução da carga articular ajuda a melhorar o prognóstico dos pacientes, os obesos devem ser orientados a perder peso, inicialmente podem fazer uso de bengala o que reduz a carga no joelho e bacia do lado oposto em 30 a 60%. Evitar atividades que resultem em impactos repetidos e fazer uso de sapatos com solado que absorve choques são importantes para os pacientes com artrose. MEDICAMENTOS O uso de analgésicos simples pode controlar a dor na maioria dos casos.

20 Antiinflamatórios são esteróides aliviam a dor e a rigidez por curto prazo e seu uso prolongado pode provocar efeitos colaterais indesejados ou complicações devido a sua potencial toxidade. Os corticóides intrarticulares estão indicados somente em casos de sinovites aguda ou derrame articular. Na artrose existe um abuso no consumo de medicamentos analgésicos por isso é muito importante a orientação do especialista devendo ser avaliado cada caso individualmente. Atualmente podem ser utilizadas drogas condroprotetoras, que também possuem efeito antiinflamatório e agem por um período de tempo mais longo.

21 CIRURGIA A cirurgia é realizada nos casos de artroses avançadas de algumas articulações como a de quadril, joelho e base do dedo polegar. Esta indicada em casos avançados em que o tratamento clinico não demonstra maiores benefícios e o paciente se encontra sem opção terapêutica.

22

23 3. LESÕES NO ESPORTE Prevenção O bom senso pode prevenir muitas das possíveis lesões durante a prática de esportes. Algumas lesões típicas e suas respectivas medidas preventivas: Lesões nos joelhos : Os joelhos são muito suscetíveis a lesões. Evite travar o joelho, Não dobre os joelhos mais do que 90º ao agachar-se ou fazer meia flexão com eles,

24 Evite torcer os joelhos, mantendo os pés o mais plano possível (durante alongamentos, ao esticar-se), Se possível, exercite-se sobre superfícies macias, Use calçados apropriados, com solas macias e flexíveis, Após pular, volte ao chão com os joelhos flexionados. Dores musculares : A dor muscular é um sintoma de excesso de duração ou de intensidade do exercício praticado. Faça aquecimento, como, exercícios de alongamento, antes de qualquer atividade física, independente do tipo e intensidade do exercício a ser praticado, Não exagere. O ditado "sem sofrimento, sem ganho" não é verdadeiro.

25 Após exercícios vigorosos, faça um período de relaxamento. Diminua a velocidade e intensidade do exercício por 5 minutos. Por exemplo, após uma corrida, caminhe por 5 minutos. Bolhas : As bolhas ocorrem por uso de sapatos ou meias apertados ou inadequados. Use sapatos e meias que lhe sirvam bem. Os sapatos, já calçados, devem permitir que você movimente os dedos, estando em pé ou sentado, As costuras internas dos sapatos não devem friccionar ou raspar no pés, Se necessário use protetores adesivos.

26 Dor do lado : Dor do lado é o nome dado à dor em pontada, sentida abaixo das costelas, geralmente à esquerda, durante a realização de exercícios. Não beba líquidos e não coma nas 2 horas que antecedem a atividade física, Respire corretamente, elevando os músculos abdominais na inspiração, Não continue se exercitando ao sentir a dor. Pare a atividade e caminhe devagar. Dor na parte da frente da perna : Pode ocorrer uma dor de intensidade leve a moderada na parte da frente da perna (região do osso chamado tíbia).

27 Fortaleça os músculos da região, Mantenha a barriga da perna bem alongada, Não corra sempre na mesma direção quando em pistas cobertas em local fechado ou em vias movimentadas. Dor no tendão de Aquiles : A dor no tendão de Aquiles é causada por estiramento, inflamação ou ruptura do tendão que conecta os músculos da barriga da perna com a parte posterior do calcanhar. Faça aquecimento com exercícios de alongamento antes de praticar qualquer atividade esportiva. Alongue ao máximo a região do tendão de Aquiles e mantenha-se nesta posição por um período prolongado.

28 Não alongue o tendão de Aquiles com movimentos curtos e repetidos (de vai-e-volta), Use calçados adequados, que absorvam impactos e proporcionem estabilidade, Evite usar tênis para corrida com solado muito alto, Evite correr em superfícies muito duras como asfalto e concreto, Corra em superfícies planas em vez de íngremes. Correr em superfícies íngremes sobrecarrega o tendão de Aquiles.

29 Lesões esportivas graves As lesões graves são menos comuns, mas podem ocorrer, principalmente em esportes de contato como futebol e outros. Estas lesões incluem: Fraturas, Deslocamento das articulações, Distensões e estiramentos, Trauma craniano ou ferimentos na cabeça, Lesões no pescoço ou espinha, Traumas abdominais, como lesões no baço ou no fígado

30 Adote algumas medidas para evitar lesões graves durante a prática esportiva: Use os equipamentos de proteção e vestimentas indicadas para cada esporte, como capacete, joelheiras e protetor de ombros, pulsos, tornozelos e boca, Treine o esporte para aprender a se defender e evitar traumas leves. Atletas de fim de semana são mais propensos a traumas graves, Siga as regras do esporte.

31 Perguntas a fazer Algum dos sinais abaixo está presente? - Ponta do osso visível ou a região machucada emite som áspero, com crepitação, - A região lesada parece estar torta ou disforme, - Perda da sensibilidade na área machucada, - A pessoa não consegue colocar peso sobre a região lesada, - Dor intensa ou dificuldade de movimentar o calcanhar, - A pele em volta está azulada e/ou está fria e dormente, - A dor é intensa ou o inchaço e/ou dor estão piorando, - Dor ao pressionar ao longo do osso.

32 Dicas de auto cuidado Pare o que está fazendo e adote a técnica RGCE: repouso, gelo, compressão e elevação do membro afetado. Adote essas medidas ao primeiro sinal de dor ou desconforto importante. Tome um medicamento para diminuir a dor e inflamação.

33 Quanto ao envelhecimento masculino, podemos dizer que o homem é um pouco mais protegido dos sintomas deste processo em relação à mulher. Por outro lado, as estatísticas demonstram que os homens morrem mais precocemente que as mulheres. Em relação à massa mineral óssea, esta perda começa no homem por volta dos anos de idade com uma taxa de 0,3% ao ano, enquanto que na mulher, esta perda ocorre mais precocemente, entre os anos de idade, com uma taxa de 1% ao ano. Uma mulher aparentemente saudável experimenta por volta dos 70 anos uma diminuição de 20% na densidade mineral óssea e de 25-40% no colo do fêmur e região trocanterica, enquanto que o homem na mesma idade, tem diminuída em

34 3% sua densidade mineral óssea e em 20-30% a densidade do fêmur. Entretanto, esta perda está relacionada não somente ao envelhecimento, mas também à genética, ao estado nutricional, ao estado hormonal e ao nível de atividade física do indivíduo. As alterações neuromusculares também são seletivas em relação aos sexos, visto que os estudos (Going et al-1995) evidenciaram que em mulheres idosas, os componentes minerais, água, proteína e massa livre de gordura decrescem em percentuais de 23%, 14% e 20% nas mulheres, e em percentuais de 10%, 12% e 13% nos homens, respectivamente.

35 Como dito anteriormente, as diferenças são evidentes entre os sexos no que diz respeito às perdas durante o processo de envelhecimento. Isso não significa que o período de perda não possa ocorrer mais precocemente nos homens, especialmente em casos de doenças degenerativas (artrite reumatóide, artrose primária, Parkinson, Alzheimer e distrofias musculares), doenças crônicas (diabetes melittus, osteomielites e infecções prolongadas) ou doenças adquiridas como acidente vascular cerebral, seqüelas de infecções e tumores. O mais importante é deixarmos claro que, mesmo o homem estando um pouco menos sujeito as doenças do envelhecimento, elas ocorrem e o seu curso quando não acompanhado e tratado pode ser trágico.

36 Assim, as regras básicas de detecção precoce da doença e tratamento imediato são imprescindíveis, sendo esta através de medicamentos e se necessário, melhora das condições nutricionais, atividade física e acompanhamento periódico.


Carregar ppt "PRINCIPAIS PATOLOGIAS ORTOPÉDICAS QUE AFETAM O HOMEM ADULTO – APÓS 21 ANOS. 1. LOMBALGIA 2.ARTROSE 3.LESÕES NO ESPORTE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google