A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A PRESENTAÇÃO 2 A PRENDIZAGEM INDIVIDUAL E COLETIVA EM ORGANIZAÇÕES : ANÁLISE DOS CONCEITOS E UMA PROPOSTA DE INTEGRAÇÃO Gardênia da Silva Abbad Dept.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A PRESENTAÇÃO 2 A PRENDIZAGEM INDIVIDUAL E COLETIVA EM ORGANIZAÇÕES : ANÁLISE DOS CONCEITOS E UMA PROPOSTA DE INTEGRAÇÃO Gardênia da Silva Abbad Dept."— Transcrição da apresentação:

1 A PRESENTAÇÃO 2 A PRENDIZAGEM INDIVIDUAL E COLETIVA EM ORGANIZAÇÕES : ANÁLISE DOS CONCEITOS E UMA PROPOSTA DE INTEGRAÇÃO Gardênia da Silva Abbad Dept. de Psic. Social e do Trabalho - Instituto de Psicologia - Universidade de Brasília Thaís Zerbini Dept. de Psic.- FFCLRP-Universidade de São Paulo. VI Congresso Brasileiro de Psicologia Organizacional e do Trabalho M ESA R EDONDA - A PRENDIZAGEM NO T RABALHO E D ESENVOLVIMENTO P ROFISSIONAL

2 Os objetivos deste trabalho são: (1)Analisar os usos do conceito de aprendizagem; (2) apresentar uma análise comparativa do conceito de aprendizagem individual e coletiva; (3) elencar ações de promoção de suporte à aprendizagem; (4) sugerir uma agenda de pesquisas sobre esses assuntos. Objetivos e tópicos Capítulo 17 – Abbad, Loiola, Zerbini e Borges-Andrade (2013) 2

3 O uso do conceito de aprendizagem individual é analisado em termos de processos e resultados ou conteúdos da aprendizagem no (e para) o trabalho. Os processos de aquisição, codificação, retenção, transferência, esquecimento e desaprendizagem individuais são comparados com conceitos correlatos, adotados por pesquisadores para se referirem à aprendizagem organizacional. São discutidos também processos coletivos de disseminação, socialização, produção de sentido, implementação, improvisação, redução ou eliminação de hábitos e conhecimentos preexistentes. O BJETIVOS E TÓPICOS 3

4 Aprendizagem Individual – AI O que é? Aprendizagem é um processo psicológico que faz referência a mudanças que ocorrem no comportamento do indivíduo, não resultantes unicamente da maturação, mas de sua interação com o contexto. Na linguagem comum o ato de aprender se relaciona com: adquirir, tomar, reter, segurar, pegar, agarrar, prender e assimilar. Envolve em sentido figurado a idéia de: “apropriação” ou “apreensão”. Inclui os conceitos de aquisição, memória, transferência de aprendizagem (expressão de novas competências no trabalho). 4

5 O que aprendemos? Conhecimentos sobre fatos: referem-se a informações básicas que as pessoas devem possuir sobre um assunto ou disciplina. Conhecimentos conceituais: referem-se a classificações, categorias, princípios e generalizações, teorias, modelos e estruturas. Conhecimento sobre procedimentos: refere-se a habilidades intelectuais específicas, à aprendizagem de algoritmos, técnicas específicas, métodos e critérios (para determinar quando é apropriado o uso de determinados procedimentos). Conhecimentos metacognitivos: referem-se a habilidades intelectuais complexas envolvidas na aprendizagem e no pensamento,(estratégias de aprendizagem, memorização, raciocínio,autoavaliação, identificação de falhas no próprio desempenho. Atitudes, Valores, Crenças, Afetos e Habilidades Psicomotoras são também desenvolvidos ou modificados em organizações de trabalho. 5

6 Competências Conhecimentos, Habilidades e Atitudes O que necessitamos aprender? O que aprendemos? Competências essenciais, criticas Competências emergentes 6

7 O que precisamos desaprender? Competências declinantes 7

8 Unindo a aprendizagem individual com a organizacional.... 8

9 Aprendizagem em Organizações - AO AO é atividade complexa e multinível – ocorre no nível individual e em níveis de análise coletivos mais abrangentes, intermediários (grupos) e mais amplos (organização e ambiente). AO refere-se ao desenvolvimento de Conhecimentos, Habilidades e Atitudes dos membros da organização. Envolve mudanças nas práticas de trabalho, compreendendo o processo formal ou informal de aquisição individual, e transferência de aprendizagem para situações de trabalho. AO requer a ativação de suportes organizacionais (psicossociais ou materiais). Inclui ainda a conversão de conhecimentos, por socialização e codificação, em conhecimento organizacional. Além de haver interdependência entre aprendizagem individual e organizacional, no sentido de que a segunda não se realiza sem a primeira, os contextos (inclusive o organizacional) definem o tipo e o escopo da aprendizagem individual. Os contextos são muito mais que lugares onde as aprendizagens se realizam; são meios e conteúdos das aprendizagens. 9

10 Aprendizagem, Memória e Gestão do Conhecimento 10

11 ConceitosDefinições Aquisição Coleta de informações primárias ou secundárias de fontes variadas. ImplementaçãoAplicação de informações técnicas e mercadológicas. Disseminação Processos pelos quais informações de diferentes fontes são distribuídas e compartilhadas pelos integrantes. Pensamento Ações intencionais, fundamentadas e direcionadas a um objetivo, envolvendo resolução de problemas, formulação de inferências, cálculo de probabilidades e tomada de decisões. Desaprendizagem Processo de redução ou eliminação de hábitos e conhecimentos pré-existentes. Improvisação Planejamento e implementação simultânea de alguma ação. Produção de sentido (sensemaking) Atribuição de sentido a dados e informações. C ONSTRUTOS SÓCIO - COGNITIVOS DA APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL. Fonte: Akgün, Lynn e Byrne (2003). 11

12 Conceitos Definições Aprendizagem IndividualAprendizagem coletiva Aquisição de novas aprendizagens Processos internos e comportamentos voltados à captação de novas informações e conhecimentos. Alguns são intencionais outros não. Requerem atenção do indivíduo a novos estímulos e um ambiente propício à aquisição. Conceito referente a ações intencionais da organização, voltadas à coleta de informações (primárias ou secundárias) em fontes variadas, bem como a captação de novos conhecimentos e competências relevantes para a organização. Compreendem aquisição externa, que se caracteriza por esforços organizacionais de contratação de especialistas, participação em treinamentos externos, participação em seminários, contratação de consultores; benchmarking e aquisição interna, que ocorre por meio de atividades de pesquisa e desenvolvimento, experiências de aprender fazendo, entre outras. A NÁLISE COMPARATIVA DE CONCEITOS RELACIONADOS À APRENDIZAGEM INDIVIDUAL E COLETIVA. 12

13 Codificação e Produção de Sentido Codificação é um processo psicológico individual, geralmente não consciente, dependente de estruturas de conhecimento armazenadas na memória pessoal. Envolve a compreensão pelo indivíduo de novos conhecimentos. Pode ser estimulada pelo contexto externo com estratégias de apoio à classificação pelo indivíduo dos novos conhecimentos em categorias de conteúdo bem definidas e facilmente acessíveis. Codificação em organizações diz respeito a processos que envolvem atividades de combinação como coleta, compilação, edição e disseminação de conhecimentos explícitos. A codificação é parte dos mecanismos organizacionais de conversão de conhecimento tácito e explícito e envolve, por exemplo, atividades de elaboração de procedimentos, certificações e especificação de materiais. Depende dos processos sociais de produção coletiva de sentidos e compartilhamento de memória. 13 A NÁLISE COMPARATIVA DE CONCEITOS RELACIONADOS À APRENDIZAGEM INDIVIDUAL E COLETIVA.

14 Retenção ou memória de curto prazo Memorização de curto prazo de informações verbais e procedimentais de uso instantâneo e não recorrente. Arquivamento temporário de informações e documentos de uso imediato e corrente, que não precisam ser arquivadas por longos períodos de tempo. Retenção (de longo-prazo) Memorizações de informações verbais e procedimentais que são ou deveriam ser armazenas na memória do indivíduo por muito tempo. Coleta e arquivamento intencional de informações relevantes sobre decisões, resultados organizacionais, bem como captação e conversão de conhecimentos implícitos contidos em relatos de ocorrências surpreendentes, respostas produzidas pela organização em diferentes situações. Decisões não registradas por escrito sobre a história da organização, falhas e erros cometidos pela organização, estratégias de superação de problemas. Compreende o compartilhamento de visões, conhecimentos, valores, histórias, emoções e afetos, definida com memória coletiva. 14 A NÁLISE COMPARATIVA DE CONCEITOS RELACIONADOS À APRENDIZAGEM INDIVIDUAL E COLETIVA.

15 Desaprendizagem e esquecimento Esquecimento refere-se a dificuldades de recuperação e recordação de conhecimentos na memória de longo-prazo, descarte automático de informações presentes na memória de curto-prazo e outros processos afetivos, motivacionais e emocionais. A “desaprendizagem” diz respeito ao esforço do indivíduo para reduzir ou eliminar hábitos e comportamentos inadequados ou anacrônicos.. Esquecimento e desaprendizagem, no nível da organização, referem-se a processos organizacionais de redução ou eliminação de hábitos e conhecimentos pré-existentes. 15 A NÁLISE COMPARATIVA DE CONCEITOS RELACIONADOS À APRENDIZAGEM INDIVIDUAL E COLETIVA.

16 Transferência de aprendizagem Transferência de aprendizagem está relacionada à capacidade de generalização e aplicação de novos CHAs em diferentes contextos. Improvisação em organizações diz respeito ao planejamento e implementação simultânea de alguma ação, que requer o uso de conhecimentos prévios dos indivíduos e da organização, de modo que possam produzir novas combinações de resposta a problemas para os quais não há solução estruturada ou padronizada. Socialização e Disseminação de Conhecimentos Externalização refere-se aos esforços despendidos pelo indivíduo para transmitir a outras pessoas conhecimentos habilidades e atitudes, bem como a sua disposição para compartilhar informações relevantes. Na organização os processos coletivos de geração de conhecimentos e aprendizagem envolvem: a Socialização (aprendizagem informal e geração compartilhada de conhecimentos); a Externalização (relacionada a processos de conversão de conhecimentos tácitos em explícitos por meio de uso de metáforas, analogias ou narrativas); a Combinação (referente a processos de coleta, compilação, edição e disseminação de conhecimentos explícitos) e a Internalização (relacionada à adoção de conhecimentos explícitos em atividades do dia a dia e em ações que favorecem o aprender fazendo e a experimentação). 16

17 A ÇÕES DE PROMOÇÃO E SUPORTE À APRENDIZAGEM EM ORGANIZAÇÕES Suportes à aquisição: valorizar a colaboração e troca de experiências entre profissionais, promover a cultura de transmissão de conhecimentos para colegas, desenvolvendo habilidades de comunicação oral e escrita, preparação e divulgação de materiais instrucionais e estudos de caso contendo lições aprendidas e solução de problemas de trabalho. Disponibilização de ambientes e objetos virtuais de aprendizagem e suporte ao desempenho Suportes à memorização: Oportunizar a aplicação de novas aprendizagens em diferentes situações e problemas Disponibilizar suportes ao desempenho, roteiros, esquemas conceituais que facilitem a recuperação de conhecimentos relevantes Oferecer feedbacks educativos 17

18 Suportes ao esquecimento ou à desaprendizagem: Divulgar informações sobre novas e mais eficientes tecnologias de trabalho Informar sobre competências declinantes que precisam ser substituídas por outras ou abandonadas Divulgar amplamente análises que indiquem competências emergentes valorizadas pela organização Antecipar-se criando programas para desenvolvimento de competências emergentes Suportes à transferência Apoiar o comportamento proativo no desenvolvimento de novos projetos de trabalho Suportes à socialização e disseminação Incentivar o compartilhamento de nova ideias e propostas de trabalho A ÇÕES DE PROMOÇÃO E SUPORTE À APRENDIZAGEM EM ORGANIZAÇÕES 18

19 Agenda (1)avaliação de demandas de aprendizagem de competências emergentes, (2)identificação de competências declinantes que precisam ser substituídas por outras mais eficientes; (3) avaliar restrições à aprendizagem, identificando estratégias individuais e coletivas para superá-las; (4)análise de demandas coletivas de aprendizagem em processos transversais de trabalho, que extrapolem o nível de tarefas e unidades organizacionais; (5) descrição do perfil cognitivo e motivacional do público–alvo das ações de estímulo à aprendizagem, de modo a diversificar e ampliar o acesso á recursos de apoio à aprendizagem no trabalho. (6) Analisar a contribuição relativa das aprendizagens informal e formal no desenvolvimento de competências no e para o trabalho. (7) Identificar situações nas quais uma é superior à outra em termos de eficiência e eficácia. 19

20 Obrigada 20


Carregar ppt "A PRESENTAÇÃO 2 A PRENDIZAGEM INDIVIDUAL E COLETIVA EM ORGANIZAÇÕES : ANÁLISE DOS CONCEITOS E UMA PROPOSTA DE INTEGRAÇÃO Gardênia da Silva Abbad Dept."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google