A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Suzanne Jacob Serruya Diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia São Paulo, 27 de setembro de 2008 Áreas de interesse em Pesquisa em Saúde II Encontro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Suzanne Jacob Serruya Diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia São Paulo, 27 de setembro de 2008 Áreas de interesse em Pesquisa em Saúde II Encontro."— Transcrição da apresentação:

1

2 Suzanne Jacob Serruya Diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia São Paulo, 27 de setembro de 2008 Áreas de interesse em Pesquisa em Saúde II Encontro Nacional de pós- graduação em ciências da saúde

3 Uma visão Geral da Pesquisa em Saúde no Mundo

4 Uma visão Geral da Pesquisa em Saúde no Brasil Número de artigos em campos de pesquisa em saúde China, Índia, México e Brasil. ISI/Essential Science Quinqüênios

5 Dispêndio em Pesquisa em Saúde por fontes de recursos - Brasil, (US$)

6 O novo ambiente de P,D&I e o padrão de fomento da pesquisa em saúde Entre os países líderes mundiais em pesquisa em saúde, o fomento é realizado em bases verticais, sob a coordenação dos órgãos governamentais responsáveis pela política setorial de saúde. Diferentemente, no mundo em desenvolvimento, em particular na região das Américas, esse fomento é realizado em bases horizontais, vinculados a órgãos responsáveis pela política de Ciência e Tecnologia.

7 Modelo horizontal Modelo vertical Orientação setorial. Maior inclinação para o fomento tecnológico e para a inovação, em decorrência da proximidade com a política setorial. Orientação generalista. Maior inclinação para o fomento científico, associado às etapas iniciais da cadeia do conhecimento. A Adoção de um Novo Modelo na Pesquisa em Saúde no Brasil

8 Duas vantagens comparativas do fomento vertical 1.Aproximar as prioridades da pesquisa das prioridades da política setorial. 2. Mobilizar recursos novos e maior volume de recursos para o fomento à pesquisa, o desenvolvimento tecnológico e a inovação.

9 Marcos Institucionais 2ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde

10 Marcos na Gestão Assinatura do Termo de Cooperação e Assistência Técnica entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Ciência e Tecnologia

11 Política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde Sustentar e fortalecer o esforço nacional em ciência, tecnologia e inovação; Construir a agenda de prioridades de pesquisa e desenvolvimento tecnológico em saúde; Criar mecanismos para superar as desigualdades regionais; Otimizar a capacidade de regulação do Estado e criar a rede nacional de avaliação tecnológica; Difundir os avanços científicos e tecnológicos; Fortalecer o sistema nacional de inovação em saúde; Formar e capacitar os recursos humanos.

12 Evolução do Fomento

13 Distribuição de Recursos por Ano Fonte: 2002 a Base de dados gerencial Decit / 2007 e Loa Decit , , ,592421Total , , , , , , , , , , , , , , , , , , , Valor Total Valor Parceiros Valor DecitNº de ProjetosAno

14 Número de projetos e recursos por Tipo de Pesquisa – Decit

15 Número de projetos e recursos por Natureza de Pesquisa - Decit

16 Subagendas da ANPPS mais financiadas pelo Decit/ SCTIE/ MS

17

18 Número de projetos e recursos por região – Decit

19 Pactuação Federativa com as Secretarias de Saúde, de C&T e as FAPs

20 Fonte: Decit, 2008 Total de Projetos = 2421 Total de Valores Investidos R$ 400 milhões Número de Projetos Apoiados por UF Sustentar e fortalecer o esforço nacional em ciência, tecnologia e inovação Até 109 De 110 a 214 De 215 a 333

21 GRANDES AÇÕES NACIONAIS

22 Grandes Ações Nacionais

23 REDE NACIONAL DE PESQUISA CLÍNICA EM HOSPITAIS DE ENSINO Criação ou consolidação de centros vinculados a hospitais universitários Disponibilizar infra-estrutura básica para o desenvolvimento de ensaios clínicos de fármacos, procedimentos, equipamentos e dispositivos para diagnóstico Investimentos: R$ 30 milhões Número de instituições participantes: 19

24 Grandes Ações Nacionais ESTUDO LONGITUDINAL DE SAUDE DO ADULTO – ELSA BRASIL Estudo de coorte multicêntrico com 15 mil adultos Investigar o desenvolvimento de doenças crônicas, principalmente doenças cardiovasculares e o diabetes mellitus Investimentos: R$ ,00 Número de instituições participantes: 6 Lançado no XVIII Congresso Mundial de Epidemiologia (setembro de 2008)

25 Grandes Ações Nacionais PESQUISA NACIONAL DE DEMOGRAFIA E SAÚDE DA CRIANÇA E DA MULHER A caminho do alcance da equidade... Principais resultados: Ampliação do acesso a medicamentos Praticamente acabou o gap entre a assistência prestada à saúde da população urbana e rural Queda acentuada da desnutrição infantil Redução de 44% da mortalidade infantil Ampliação da assistência pré-natal

26 Grandes Ações Nacionais PROJETO INOVACINA Investimentos: R$ ,00 Instituições participantes: TECPAR, Fiocruz, Instituto Butantan Objetivo: Desenvolvimento de seis vacinas prioritárias para o Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde: Vacina Pentavalente, Vacinas contra Meningite Meningogócica, sorogrupo B, Meningite Meningogócica, sorogrupo C, Meningite Menigocócica, sorogrupos B e C, Hepatite A e Leishmaniose canina. Realização de estudos clínicos da Vacina Tríplice; Implantação da produção de uma vacina contra raiva menos reatogênica e com boa resposta imunogênica; Transposição da tecnologia de produção da vacina anti-rábica da atual tecnologia (cérebro de camundongo latente) para a de cultivo celular.

27 Doenças: Infarto agudo do miocárdio Cardiomiopatia dilatada Cardiopatia chagásica Doença isquêmica crônica do coração Investimentos: R$ 13 milhões Número de instituições participantes: 50 Grandes Ações Nacionais ESTUDO MULTICÊNTRICO RANDOMIZADO DE TERAPIA CELULAR EM CARDIOPATIAS – EMRTCC

28 Grandes Ações Nacionais REDE NACIONAL DE TERAPIA CELULAR - RNTC

29 Edital PPSUS-MS/CNPq/Faperj 2006 Padronização e transferência de novas tecnologias para os hospitais da rede pública, desenvolvimento e validação de novos ensaios e realização de prestação de serviços Investimentos: R$ ,00 Número de instituições participantes: 11 Grandes Ações Nacionais REDE DE PESQUISA EM MÉTODOS MOLECULARES PARA DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES, INFECCIOSAS, PARASITÁRIAS E NEURODEGENERATIVAS

30 Ações de Inovação Contratações diretas via FINEP – Complexo Produtivo da Saúde

31 Projetos Decit/ SCTIE/ MS Concluídos e Avaliados

32

33

34 Editais Decit/ SCTIE/ MS 2008 Terapia Celular Saúde Mental Saúde Bucal Saúde da Mulher Rede Brasileira de Pesquisas s sobre câncer Hipertensão e Aterosclerose Doenças Negligenciadas ATS Síndrome metabólica RNTC – Rede Nacional de Terapia Celular Rede Nacional de Pesquisa Clínica EPIGEN Centros de Toxicologia

35

36 Sistema Único de Saúde (SUS): Campo de aplicação da ATS 2004 Fonte: CONASS Política Pública Hegemônica (Reforma Sanitária) Princípios Filosóficos: Universidade, Equidade e IntegralidadePopulação Brasileira (Dezembro/2007): 184 milhões distribuídos em municípios (mais de 70% ou 138 milhões de pessoas recebem assistência de saúde pelo SUS) Unidades de Atenção Básica 1.5 bilhões de consultas ambulatoriais hospitais 12 milhões de internações hospitalares (75%) cirurgias oncológicas 300 milhões de testes laboratoriais 1 milhão de Tomografias Computadorizadas Ressonâncias Magnéticas 6,5 milhões de ecografias 8 milhões de procedimentos de hemodiálise

37 International Seminar HCT 1989 I National Conference of S&TH 1994 REFORSUS Seminar CCTI/MoH - HTA-WG 2004 II National Conference on ST&IH 2005 I International Seminar on Health Technologies Management HTA General Coordination – DECIT/SCTIE/MS National Policy on Health Technology Management I International Seminar on Health Technologies Management Linha do Tempo da ATS no Ministério da Saúde HTA Agency 2008 REBRATS

38 114 projetos 40 Revisões Sistemáticas Implantação da Rede Nacional de Pesquisa Clínica 7 cursos de pós-graduação em Gestão de Tecnologias em Saúde para profissionais do SUS: Cursos de Mestrado Profissional: Fundação Oswaldo Cruz; Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Universidade do Estado do Rio de Janeiro; Universidade Federal do Estado de São Paulo (Centro Cochrane do Brasil e Centro Paulista de Economia da Saúde) Cursos de Especialização: Universidade Federal da Bahia e Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais

39 DECIT CGATS Comitê Gestor Comitê Técnico Consultivo REBRATS INAHTA HTAi ANS ANVISA SAS SVS CONASS CONASEMS ONG de usuários Complexo Industrial: ABDI, ABIMO, FEBRAFARMA, ABQUIF Sociedades Profissionais Hospitais de Ensino Ministério Público Federal Ministério Público Estadual MCT Coordenação CGATS + 7 representantes das unidades de pesquisa. Atribuição de monitoramento, Avaliação e Peer-Review Fórum Consultivo SVS SAS ANS ANVISA FIOCRUZ RNPC CONASS CONASEMS Organograma e Governança da REBRATS Cooperação Internacional Diálogo com a sociedade Diálogo interinstitucional Eixo Executivo

40 Informações científicas produzidas Informações referentes ao projetos de pesquisas financiados pela SCTIE Revisões sistemáticas e estudos de Avaliação de Tecnologias em Saúde, participação de redes internacionais e sites de busca de evidências Resultados e produção científica derivados do processo de fomento conduzido pela SCTIE Outras informações e evidências de interesse para o SUS

41 Estratégias para aproximar pesquisa e gestão Participação de gestores do SUS no processo de produção do conhecimento – da definição das prioridades de pesquisas à avaliação e divulgação dos resultados Articulação permanente MS, CONASS e CONASEMS - GT Ciência e Tecnologia da CIT- Pauta permanente: Política de GTS, Fomento descentralizado, implantação de núcleos de CT nos estados e disseminação de conhecimento científico para gestão

42 1. Sistema de Informação de Ciência e Tecnologia em Saúde - SISC&T

43 2. Divulgação direcionada para gestores

44 3. Diálogo entre gestão e pesquisa

45 4. Boletins de resultados de pesquisa, Prioridades de pesquisa, interno e eventos

46 Suplemento temático CSP – Alimentação de Nutrição 2008 Suplemento temático anual da RSP – Saúde Mental 2009 Espaço permanente informe institucional na RSP Revista sobre resultados de pesquisas Decit - será lançada no evento anual da SCTIE (resumo das 323 pesquisas finalizadas em 2007 e destaque para 20 com maior potencial de contribuição para o SUS comissão julgadora composta por gestores e pesquisadores 5. Publicações sobre resultados de pesquisas financiadas pelo DECIT

47 7. Site Saúde

48 8. Espaço Ciência e Tecnologia na BVS Saúde

49 9. Pesquisa Saúde

50 Obrigada!


Carregar ppt "Suzanne Jacob Serruya Diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia São Paulo, 27 de setembro de 2008 Áreas de interesse em Pesquisa em Saúde II Encontro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google