A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Do networking à construção de redes sociais: um novo desafio. Regina Celia Baptista Belluzzo

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Do networking à construção de redes sociais: um novo desafio. Regina Celia Baptista Belluzzo"— Transcrição da apresentação:

1 Do networking à construção de redes sociais: um novo desafio. Regina Celia Baptista Belluzzo

2 Sociedade Agrícola Agricultura, Caça TERRA Sociedade Industrial Indústria ENERGIA Sociedade da Informação Informação e Conhecimento INFORMAÇÃO REVOLUÇÃOINDUSTRIAL REVOLUÇÃO DA INFORMAÇÃO Características Valores Um pouco de história...

3 "O conhecimento e a informação são os recursos estratégicos para o desenvolvimento de qualquer país. Os portadores desses recursos são as pessoas e suas competências". Peter Drucker

4 Ninguém é competente Sozinho! Todo homem é um ser social e necessita manter in continuum diversos tipos de relacionamentos e interações com outras pessoas – depende da formação de uma rede.

5 É importante ressaltar que o quanto se está disposto a colaborar com a rede, acaba determinando o que se poderá obter dela. São os relacionamentos humanos que podem nos proteger de riscos e permitem a criação de oportunidades. Networking ou Rede Humana de Relacionamentos

6 Relacionamentos: variáveis de influência... compromisso comprometimento/lealdade O compromisso é uma conseqüência esperada de uma rede de relacionamentos, onde o comprometimento/lealdade é uma variável de importância. satisfaçãoconfiança A satisfação e a confiança são duas variáveis atitudinais que antecedem ao comprometimento/lealdade. Essas variáveis influenciam diretamente o continuum do fluxo das redes de relacionamento.

7 Continuum dos relacionamentos

8 Existe uma bilateralidade importante na rede de relacionamentos: captação e compartilhamento de repertórios. mudanças nas condutas de gestão. A grande oportunidade para as organizações e suas equipes profissionais reside na mediação e criação de facilidades para o desenvolvimento de ambientes de construção e expressão com o propósito de gerar conhecimento – mudanças nas condutas de gestão. Relacionamentos e condutas de gestão...

9 As equipes profissionais devem estar interessadas em usar todo o seu conhecimento para identificar novas idéias e condutas que possam ser adaptadas e colocadas em prática para a inovação e o desenvolvimento social. É preciso que o conhecimento possa ser aplicado em ações de networking para gerar soluções para os problemas e desafios da sociedade em que vivemos, criando-se as chamadas Redes Sociais. Networking na atualidade...

10 As novas estruturas permitem a formação de comunidades integradas que interagem mediante laços interpessoais, proporcionando: sociabilidade, apoio, informação e identidade individual e coletiva. redes sociais para o compartilhamento de repertórios. Essas comunidades, antes baseadas no compartilhamento de valores e na organização social, atualmente são criadas pelas escolhas e estratégias de atores sociais, sejam indivíduos ou grupos sociais – constituindo-se em redes sociais para o compartilhamento de repertórios. As novas estruturas sociais e as redes sociais

11 Como as tecnologias não são capazes de agregar conhecimento às organizações, é importante sua correta aplicação e o uso da informação de forma inteligente, sendo esta a principal condição de competitividade nas organizações. O fator crítico de sucesso é a correta aplicação da tecnologia associada à capacitação de pessoas e à criação de ambiente propício à construção e expressão. Compartilhamento de repertórios

12 Redes Sociais: princípios envolvidos... Os esforços de definição e classificação de redes sociais têm ajudado pessoas e organizações a melhor compreender o que estão fazendo juntos. ESTAR EM REDESER REDE É mais importante o ESTAR EM REDE do que o SER REDE, isto porque atuar em rede é algo relativamente novo para a formação da consciência do exercício social, sendo uma capacidade que se desenvolve ao longo do tempo e depende dos relacionamentos humanos. As organizações precisam atuar em redes sociais para permitir suas transformações em relação à formação de novas capacidades, novas estruturas, de novos órgãos, até a integração das partes num novo sistema mais complexo. A formação das redes sociais passam por diferentes estágios de desenvolvimento, a exemplo dos seres humanos.

13 Redes Sociais: desenvolvimento... Etapa 1 Etapa 1 - o processo de atuação em rede é iniciado de forma centralizada, com algumas pessoas à frente, com poder de convocatória e clareza da idéia-força e com recursos para animar um movimento. Caracterizada por qualidades mais orientadas à tutela em seu início de vida. Etapa 2 Etapa 2 – à medida que as pessoas se envolvem, surge a produção comum da rede e um novo significado ao grupo que passa a compreender melhor a idéia-força, a ter maior responsabilidade e autonomia. Caracterizada por qualidades mais autônomas, à medida que se desenvolve e cria habilidades de autonomia, de tomada de decisão, de dependência, independência ou interdependência entre seus membros. DESAFIO Desenvolver novas habilidades para se lidar com as tensões, expectativas e relações que são estabelecidas in continuum.

14 Redes Sociais: dimensões...

15 Redes Sociais: componentes... Propósito unificador Propósito unificador – é o espírito da rede, sendo expressado como um alvo comum e um conjunto de valores compartilhados. Participação independente Participação independente – as pessoas devem ter sua independência para promover o equilíbrio com a interdependência cooperativa. Interligações voluntárias Interligações voluntárias – as atividades devem ser desenvolvidas de forma voluntária e automotivada, podendo optar por desenvolver projetos que ajudem a cumprir os objetivos pessoais e organizacionais.

16 Redes Sociais: componentes... Multiplicidade de líderes Multiplicidade de líderes – uma rede possui lideranças que assumam e mantém os compromissos, mas, que também saibam atuar como liderados, prevalecendo os princípios de: descentralização, independência, diversidade e fluidez a fim de haver a transposição de fronteiras. Interligação e transposição de fronteiras Interligação e transposição de fronteiras – as redes pressupõem a transposição de fronteiras, sejam elas geográficas, hierárquicas, sociais ou políticas, considerando-se que os objetivos e propósitos coletivos são prioridades. REDE SOCIAL

17 Redes Sociais: articulações... Articulações locais, regionais e internacionais Encontros presenciais Construção e utilização de diferentes formas e meios de comunicação Manutenção dos participantes atentos às ações da rede. Respeito às diversidades, multiculturalidade e necessidades. Reforçar os elos de confiança e o trabalho conjunto.

18 Movimentos associativos são a ambiência ideal para as Rede Sociais porque: trabalham em torno de uma causa comum a determinado grupo ou grupos de profissionais e de instituições. criam estruturas e ambientes de trocas de experiências e conhecimento, permitindo o compartilhamento de repertórios que contribuem para a inovação e o desenvolvimento social. Redes Sociais e Movimentos Associativos...

19

20 MENSAGEM FINAL Unir-se é um bom começo, manter a união é um progresso e trabalhar em conjunto para o bem comum é a vitória. MUITO OBRIGADA.


Carregar ppt "Do networking à construção de redes sociais: um novo desafio. Regina Celia Baptista Belluzzo"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google