A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RELAÇÕES DA PEDOLOGIA COM A FERTILIDADE DO SOLO Prof. Anamari V. A. Motomiya UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MATO GROSSO DO SUL CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RELAÇÕES DA PEDOLOGIA COM A FERTILIDADE DO SOLO Prof. Anamari V. A. Motomiya UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MATO GROSSO DO SUL CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE."— Transcrição da apresentação:

1 RELAÇÕES DA PEDOLOGIA COM A FERTILIDADE DO SOLO Prof. Anamari V. A. Motomiya UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MATO GROSSO DO SUL CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE E FERTILIZANTES

2 SOLO “Massa natural que compõe a superfície da Terra, que suporta ou é capaz de suportar plantas”. “Coleção de corpos naturais que contém matéria viva e é resultante da ação do clima e da biosfera sobre a rocha, cuja transformação em solo se realiza durante certo tempo e é influenciada pelo tipo de relevo”.

3 Pedologia: (pedom = solo) sub-área da ciência do solo que se preocupa em estudar a origem, evolução e classificação do solo. Fertilidade do Solo: sub-área da ciência do solo que se preocupa com a habilidade do solo em fornecer nutrientes às plantas.

4 Termos usados em Pedologia Ácrico: C: solo pobre (  V% e  retenção de cátions) RC  1,5 cmolc/kg de argila Álico: solo bastante pobre com alta saturação por Alumínio M ou Al%  50% Distrófico: Solo pouco fértil (baixa saturação por bases) V%  50% (do ponto de vista pedológico, na cama da subsuperficial) Eutrófico: solo bastante fértil (alta saturação por bases) V%  50% (na camada subsuperficial) Textura: designa a proporção relativa das frações argila, silte e areia do solo. Estrutura: combinação ou arranjo das partículas primárias do solo em partículas secundárias, unidades ou peds.

5 SOLOS TROPICAIS Oxissolos (latossolos) Ultissolos ( argissolo distrófico V% < 50% Hor. B) Alfissolos ( argissolo V% > 50% Hor. B + Nitossolo) Entissolos (Neossolo+ Litossolo) Inceptissolos (cambissolos)

6 Fatores de formação Solo= f(clima, material de origem, relevo, organismos, tempo) Rochas diferentes x climas diferentes = solos T e U regulam a velocidade e o tipo de intemperismo das rochas e o crescimento de organismos  T e  U: intemperismo físico intenso (regiões áridas)  T e  U: Intemperismo químico, alteração da composição química do material de origem. Percolação de alguns elementos  solos diferentes.  10  C  dobra a velocidade da reação química. Mesma latitude  diferentes altitudes  diferentes solos.

7 Ação do material de origem Predominância de rochas ígneas SiO 2 ; Al 2 O 3 ; Fe 2 O 3. FeO; CaO (+abundantes) SO 3 e P 2 O 5 ( - abundante) Argilas 1:1  adsorção de fósforo Solos tropicais – pH baixo Solos temperados – pH em torno de 7

8 Kr= SiO2/Al2O3 Ki = SiO2/ Al2O3 + Fe2O3 Ki ~2,0 : Minerais de argila 1:1 Ki < 1,8: Argila 1:1 + Al-amorfo + Gibsita Dessilicatização Baixo KiBaixo Kr

9 SOLUÇÃO DO SOLO Nutrientes na fase sólida e na fase líquida: equilíbrio dinâmico. REAÇÃO DO SOLO avaliada pelo pH Solos ácidos, neutros e alcalinos Ideal: ligeiramente ácido a ligeiramente alcalino

10 RETENÇÃO E TROCA DE CÁTIONS Excesso de carga elétrica nas partículas sólidas CTC expressa em mmol c /dm 3 ou cmol c /dm 3 Série liotrópica: Ca  Mg  K  Na MO, argilominerais, óxidos de Fe e Al, alofanas  troca de íons Cargas permanentes  argilas 2:1  SI

11 RETENÇÃO E TROCA DE CÁTIONS Cargas dependentes de pH  MO, ct, Hm, Gt, Gb  reação do solo PCZ CTC a pH 7  cargas permanentes e dependentes de pH CTC ct = 10 cmolc/dm 3 ; CTC MO = 200 – 400 cmolc/dm 3

12 ADSORÇÃO DE FOSFATOS E SULFATOS Reação P + Fe, Al e Ca na solução do solo ou na superfície dos minerais (Figura) Ligação covalente Baixa solubilidade dos compostos de P P solução  P lábil  P não lábil

13 P solução: –10-30 % do P aplicado –Imediatamente disponível P lábil: –70-90% do P aplicado –Suprimento futuro –Ca-fosfatos metaestáveis P solução P lábil P não lábil

14 PROCESSOS BIOLÓGICOS ENVOLVENDO O NITROGÊNIO imobilização (  C/N) Mineralização (  C/N)

15 1) aminização – microorganismos heterotróficos Norgânico  R-NH 2 + CO 2 + outros produtos + energia

16 Mineralização (  C/N) 2) amonificação - microorganismos heterotróficos R-NH 2 + H 2 O  NH 3 + R-OH + energia NH 3 + H 2 O  NH 4 + OH - 2NH O 2  2NO H 2 O + 4H + (Nitrossomonas) 2NO O 2  2NO 3 - (Nitrobacter)

17 Desnitrificação (  U): NO 3 -  N 2 O ou N 2

18 MOBILIDADE DOS NUTRIENTES Raízes: 1% do volume do solo Imóvel: P Pouco movéis: Zn, Cu, Fe, Mn, Mo Moderadamente móveis: K, Ca, Mg, N- amoniacal Móveis: N-nítrico, Cl, S-sulfato, B Nutrientes pouco móveis: disponibilidade elástica Nutrientes relativamente móveis: disponibilidade inelástica

19 ABSORÇÃO E DISPONIBILIDADE DE NUTRIENTES Processo de absorção é função da concentração e mobilidade do nutriente Interceptação radicular (Ca, Mg) Fluxo de massa (N, S, Ca, Mg, K) Difusão (P, K) (Tabela) Disponibilidade: nutriente na solução + fração da fase sólida que pode passar à solução e ser absorvida pelas plantas.


Carregar ppt "RELAÇÕES DA PEDOLOGIA COM A FERTILIDADE DO SOLO Prof. Anamari V. A. Motomiya UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MATO GROSSO DO SUL CURSO DE AGRONOMIA FERTILIDADE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google