A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COMMUNITY-FOCUSED DRUG ABUSE PREVENTION cap. 7 COMMUNITY-FOCUSED DRUG ABUSE PREVENTION Barry M. Kilder Harold D. Holder Andrezza Fontes - Psicóloga UNIAD/CUIDA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COMMUNITY-FOCUSED DRUG ABUSE PREVENTION cap. 7 COMMUNITY-FOCUSED DRUG ABUSE PREVENTION Barry M. Kilder Harold D. Holder Andrezza Fontes - Psicóloga UNIAD/CUIDA."— Transcrição da apresentação:

1 COMMUNITY-FOCUSED DRUG ABUSE PREVENTION cap. 7 COMMUNITY-FOCUSED DRUG ABUSE PREVENTION Barry M. Kilder Harold D. Holder Andrezza Fontes - Psicóloga UNIAD/CUIDA

2 Introdução Prevenção: Reduz o uso e abuso de substâncias, reduz o custo do abuso/dependência. Tem boa relação custo-benefício, mas não é barata. Processo dinâmico de criar condições e/ou de desenvolver atributos pessoais e habilidades para promover o bem estar de indivíduos, famílias e comunidades

3 Prevenção: Classificação Prevenção primária: esforços dirigidos para o momento anterior ao aparecimento da doença ou o comportamento indesejado. Apresenta melhor relação custo-benefício. Prevenção secundária: se ocupa do estágio no qual a doença ou comportamento indesejado se manifesta ou começa a ser uma ameaça. A ênfase é na identificação e intervenção precoce.. Prevenção terciária: dirige esforços ao estágio em que o indivíduo já contraiu a doença ou o comportamento indesejado se tornou constante. Os esforços são dirigidos a reduzir as conseqüências da doença ou do comportamento.

4 Prevenção: Classificação Universal Universal Atinge toda população, sem avaliação do risco individual. É abrangente e tem o objetivo de impedir o início do uso Seletiva Seletiva Atinge subgrupos de maior risco com o objetivo de atrasar ou prevenir o início do uso Indicada Indicada Dirigida a indivíduos que já apresentam sinais, previamente avaliados, visando interromper a progressão do uso.

5 JUSTIFICATIVA Pesquisa americana com estudantes entre 10 e 24 anos: Pesquisa americana com estudantes entre 10 e 24 anos: Quase 80% fizeram uso de álcoolQuase 80% fizeram uso de álcool 33% ingeriram 5 ou + doses no mês anterior33% ingeriram 5 ou + doses no mês anterior Quase 50% usaram maconha no mês anteriorQuase 50% usaram maconha no mês anterior 10% usaram cocaína no mês anterior10% usaram cocaína no mês anterior 1/3 estiveram em companhia de alguém que havia ingerido álcool1/3 estiveram em companhia de alguém que havia ingerido álcool Centers for Disease Control and Prevention – Youth Risk Behavior Surveillance

6 Prevenção na Comunidade Altos índices de ingestão de álcool e drogas Acidentes de trânsito e fatalidades, crimes, violência, abuso sexual, patologias Segmento de maior risco da população Foco da Prevenção

7 PREVENÇÃO NA COMUNIDADE Comunidades: urbanas, suburbanas e rurais Compromisso monumental Uso de álcool e drogas e os problemas relacionados Causas complexasInterligados a outras áreas Situações com poder de influência: social, econômica, política, cultural, racial, mídia, etc...

8 Prevenção na Comunidade Problemas por abuso de substâncias são multicausais, interligados a outros problemas sociais e de saúde pública e resistentes a curas instantâneas Intervenções isoladas de outros aspectos (leis, educação, mídia, agências de saúde) darão resultados apenas em pequenas comunidades Resultados efetivos requerem ações coordenadas e multifacetadas, adequadas às comunidades específicas, amparadas por medidas regulatórias e aos governos estatal e federal

9 Comunidade Sistema extremamente complexo e aberto a influências externas dinâmico Diversidade de interações socio-culturais, econômicas e psicológicas que comprometem as populações Dependência de recursos externos Os problemas desafiam soluções simplistas Muito difícil de modelar Solução: desenvolver respostas complexas e abertas; multifocais, experimentais e propensas a mudar

10 Prevenção na Comunidade Formação de Alianças Envolvimento de toda comunidade: Profissionais, organizações locais, pessoas ligadas a aspectos legais, oficiais do governo, representantes de escola, organizações religiosas, provedores de tratamento e prevenção, pais, voluntários Todos trabalhando com a meta de atacar problemas sociais – intervenções reforçadoras, complementares e multifocais

11 Prevenção na Comunidade Para obter sucesso: Saber quais intervenções dão bons resultados Combinar ação, avaliação e pesquisa Combinar estratégias que clamam pelo envolvimento de famílias e comunidades, influência do contexto social e legal, criação ou reforço de leis, e fornecimento de alternativas ao abuso de substância e à violência, por meio de atividades e monitoramento social e recreacional REINVENTAR A COMUNIDADE

12 Prevenção na Comunidade Esforços bem sucedidos Reforço policial para restringir ou moderar o uso de drogas e álcool Oásis de estabilidade: múltiplos pontos de intervenção

13 Estratégias Ambientais Redução do Uso do Álcool Idade mínima legal para compra de álcool: 21 anos Intervenção junto ao comerciante ou implantação de um serviço de bebidas responsável Compromisso por parte dos comerciantes Bebidas com baixo teor de álcool ou não alcoólicas Etiquetas de advertência Holder (1993) Estratégias isoladas não funcionam Redução do uso de drogas: Teste anti-drogas usado pelas forças armadas (USA) Críticas

14 Oásis de Estabilidade Proporciona estrutura social Protege a população de influências externas negativas Fornece suporte consistente e positivo, e estímulo Exemplo: Ação social das Igrejas afro-americanas Os líderes religiosos têm estendido suas ações às comunidades como um todo. Vestem e alimentam pessoas famintas e sem lar, fornecem trabalho, controlam jovens membros de gangues e atentam para a violência Os dias de ida a igreja para salvação pessoal estão terminados. Agora estamos procurando não apenas por salvação pessoal, mas por salvação social. Pastor

15 Planejamento Processos bem planejados são essenciais, mas podem fracassar, porque comunidades acreditam que: devem elaborar um plano completo e compreensível antes de agir qualquer ação deve estar antecipada no plano Para planejar é necessário basear-se na realidade Envolver-se em todas as áreas questionadas Ação, monitoramento e ajustes

16 Avaliação Planejamento e avaliação devem funcionar em conjunto Monitoramento constante garantia de qualidade 1. Atenção aos detalhes 2. Tratar cada passo como o mais importante 3. Feedback dos envolvidos 4. Atentar as necessidades e expectativas do cliente 5. Somar qualidade e baixos custos Fornecer informações aos planejadores e membros do programa

17 Pesquisa Projetos de prevenção baseados na comunidade campo inexplorado Comunidades precisam saber o que dá bons resultados em seus contextos específicos Pesquisadores precisam considerar: 1.Complexidade de implementar estratégias multicomponentes 2.Seleção e implementação de estratégias através da rede comunitária e processos de planejamento participativo

18 Pesquisa Não existem soluções relâmpago A esperança por melhora apóia-se em experimentos baseados nas melhores pesquisas e conceitos Este campo deve ir além dos esforços teóricos e incluir cada vez mais a comunidade A liderança deve ser transferida dos profissionais à comunidade alianças

19 Conclusão Comunidades necessitam saber o que dará bons resultados e como atingir esses resultados rapidamente Participação de toda comunidade Os planos devem auxiliar a comunidade atingir um número máximo de resultados Avaliação dos resultados Pesquisas são sempre necessárias

20 Conclusão Estratégias de prevenção comunitária de sucesso devem ser estruturadas de forma abrangente para reduzir os fatores de risco e incrementar os fatores protetivos

21 Conclusão Devido ao fato de que abuso de substâncias e violência são comportamentos humanos complexos, geralmente associados a outros fatores da vida familiar ou comunitária e em sociedade, a prevenção é mais freqüentemente bem sucedida quando esforços direcionados para alterar o comportamento individual, são aliados àqueles dirigidos para alterar o meio- ambiente Scattergood et. al, 1998

22 Conclusão Programas bem sucedidos não são apenas na, mas da comunidade Lisbeth Schorr, 1997


Carregar ppt "COMMUNITY-FOCUSED DRUG ABUSE PREVENTION cap. 7 COMMUNITY-FOCUSED DRUG ABUSE PREVENTION Barry M. Kilder Harold D. Holder Andrezza Fontes - Psicóloga UNIAD/CUIDA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google