A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEVOÇÃO E FÉ NO VALE DO RIO CUIABÁ Discente: CISLENE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEVOÇÃO E FÉ NO VALE DO RIO CUIABÁ Discente: CISLENE."— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEVOÇÃO E FÉ NO VALE DO RIO CUIABÁ Discente: CISLENE DIAS RODRIGUES Orientador: PROFº. DR. RAFAEL FALEIROS DE PADUA CUIABÁ/ MT 2014

2 INTRODUÇÃO A Coroa Portuguesa impôs sua vontade religiosa sobre a colônia, nos anos de 1800, o Brasil apresentava um percentual quase totalitário de indivíduos católicos em seu território. Atualmente, os católicos ainda constituem maioria, aproximadamente 65% da população brasileira. O IBGE (2010) aponta que o percentual de católicos apostólicos romanos é maior na porção centro-sul do estado do Mato Grosso, sendo que no município de Santo Antônio do Leverger este percentual gira em torno de 75,1% a 99,2%.

3 INTRODUÇÃO Dentre as várias manifestações festivas encontradas no Brasil, podemos destacar as festas religiosas, principalmente as oriundas do catolicismo. Assim sendo, as práticas devocionais executadas para os mais variados santos, acabam por desembocar nas chamadas “festas de Santo”, facilmente encontradas na porção centro-sul do Estado de Mato Grosso, sendo estas oriundas das bases populares. Desta modo, as festas de santos tem sua origem no catolicismo popular, que em geral nascem em cumprimento à promessa feita aos Santos de devoção, ou seja, a festa provém de uma dívida com a dimensão do sagrado.

4 OBJETIVOS Geral Compreender a importância da manifestação do catolicismo popular na festividade da família Pimenta atualmente. Específicos Entender os diferentes espaços que constituem a festa; Apreender como a festa integra-se e manifesta na vida das pessoas que participam dela; Compreender a sobrevivência das manifestações culturais, entendidas como rústicas e simplórias, num período onde a tecnologia e a rápida circulação de informação dominam o espaço. Abarcar o significado da morte na organização da festa.

5 REVISÃO BILBIOGRÁFICA As práticas devocionais executadas para os mais variados santos, manifestam-se, quase sempre, de forma marginal, independente da Igreja Institucional (PEREIRA, 2005 apud MENDES, 2010, p. 182) configurando o chamando Catolicismo popular. Em Cuiabá e região, é expressa pelas Festas de Santo regadas a muito cururu, siriri,rezas cantada, dança de São Gonçalo, alimentação farta e gratuita, entre outros.

6 Oriunda de uma promessa a festa de Santo da família Pimenta iniciou-se em meados do século XX é realizada anualmente no mês de julho, na comunidade do Moquém, zona rural do município de Santo Antônio do Leverger. Entretanto, em alguns anos, a festa não se realiza em virtude do falecimento de algum individuo da família, sendo este um aspecto importante para compreendermos melhor a dimensão religiosa da família em questão.

7 Entretanto, nessas ocasiões a família reúnem-se com amigos e parentes no mesmo período em que a festa seria realizada, a fim de cumprir a promessa e ao mesmo tempo orar pela união da família, pelos seus mortos e acima de tudo louvar a Deus e a legião de anjos e Santos.

8 HIPÓTESE A festa de Santo da família Pimenta constitui-se a princípio de dois momentos: o primeiro é relativo aos ritos do catolicismo popular enquanto o segundo refere-se à distração coletiva, isto é, a diversão depois da obrigação com a dimensão divina, o baile.

9 HIPÓTESE A festa mantém ao longo dos anos, como uma de suas características a fartura e a partilha gratuita de alimentos e bebidas aos participantes da festa, o que só se torna possível devido à participação dos festeiros, que fazem sua doação para a concretização da festividade. As doações vão desde condimentos, passando por fardos de mantimentos, artigos necessários para incrementar os enfeites da festa, ou ainda a força de trabalho.

10 HIPÓTESE Qualquer individuo que se proponha a participar da festança, este deve dispor de renda e de tempo, para realizar o seu deslocamento e para a sua permanência na festa uma vez que a mesma tem duração prolongada de três dias. Entretanto, Magnani (2003, p. 19) aponta que “sempre sobra disposição, um tempinho e uns trocados” para empregar em algo que lhe agrada.

11 REFERÊNCIAS FIGUEIREDO, Lauro César. Novos olhares sobre a dimensão geográfica da cultura: o patrimonio cultural. In: HEIDRICH, Álvaro Luiz; COSTA, Benhur Pinós da; PIRES, Cláudia Luisa Zeferino (ORG.). Maneiras de ler: geografia e cultura [recurso eletrônico]. – Porto Alegre: Imprensa Livre: Compasso Lugar Cultura, p , MAGNANI, José Guilherme Cantor. Festa no Pedaço: cultura popular e lazer na cidade / José Guilherme Cantor Magnani.-3ª Ed. – São Paulo: Hucitec / UNESP, MENDES, Marcos Amaral. Identidade e Território: estudo sobre a devoção a são Benedito em Cuiabá - Mato Grosso p. Dissertação de mestrado, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, SANTOS, Rosselvelt José Santos; KINN, Marli Graniel. O lugar da festa camponesa no cerrado (re)ocupado. In: HEIDRICH, Álvaro Luiz; COSTA, Benhur Pinós da; PIRES, Cláudia Luisa Zeferino (ORG.). Maneiras de ler: geografia e cultura [recurso eletrônico]. – Porto Alegre: Imprensa Livre: Compasso Lugar Cultura, p. 220 – 232, 2013.


Carregar ppt "UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA DEVOÇÃO E FÉ NO VALE DO RIO CUIABÁ Discente: CISLENE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google